Arquivo diário: 1 outubro 2008

OS 51 SINTOMAS DO MEGALOBLOGUISMO

Padrão

O megalobloguismo é outra nova doença ainda não catalogada nos livros médicos e pode surgir quando o blogueiro rompe a barreira de 1.000 (mil) visitantes diários.

Os sintomas:

1. O blogueiro fica admirado com o fato de que suas credenciais para a cobertura das Olimpiadas de Pequim ainda não chegaram. Telefona diversas vezes para o Comitê OlÍmpico Brasileiro e exige explicações.
2. Mini-geladeiras não servem mais. Ele quer ganhar um home-office estrategicamente localizado para garantir a temperatura da cerveja.
3. O número de assinantes de feed cai, por algum bug no FeedBurner, e ele acredita que se trata de um complô para que os anunciantes fujam. Tem certeza de que a verdade está lá fora.
4. O blogueiro começa a pensar em negociar anúncios AdSense diretamente com estes caras. Não com um deles, mas em uma mega-reunião com todos. Numa daquelas mesas estreitas e compridas.
5. Acredita ser interessante um plano de afiliados para vender bugigangas como estas. São antigas ou grandes demais, mas no seu blog terão saída comercial.
6. Ele começa a traçar planos para abrir o capital do blog na bolsa de valores.
7. Ele começa a traçar planos para tomar o controle acionário de seu blog antes mesmo de perdê-lo para uma mega multinacional.
8. Liga para os assessores do governo e para os da oposição para explicar que não tem nenhuma ligação com o vazamento de informações no último escândalo político.
9. Secretamente, acredita que teve sim ligação com o vazemento de informações do último escândalo político. E pensa que fez bem em acobertar esse fato.
10. Percebe que seria um bom marketing ter o seu próprio escândalo político. E se candidata como o “vereador dos blogueiros”.
11. Acha uma boa idéia ter um blog institucional para o seu blog.
12. Não entende por que seu artigo sobre a guerra no Iraque não fez as tropas voltarem para os EUA no dia seguinte.
13. Começa a identificar influências suas no estilo Inagaki de blogar.
14. Em um estágio avançado da moléstia, ele pensa que é o Inagaki.
15. Acha uma pena não haver mais Interneys de maneira que ele pudesse fazer uma rede de redes de blogs.
16. Passa perfume antes de clicar no botão publicar a fim de que seu texto agrade a todos os sentidos.
17. Um dos objetivos do jogo War deveria ser posicionar 50 exércitos em seu blog.
18. Pensa que seu blog só não está no jogo Banco Imobiliário porque não é uma rua. E se fosse precisaria de uma cor apenas para suas quatro principais categorias.
19. Planeja redistribuir seus artigos nas categorias “bom”, “muito bom”, “excelente” e “além da compreensão humana”.
20. Exclui o post em que ele listava alguns Chuck Norris Facts porque ele só publica verdades. E a verdade é que o seu nome deveria estar no lugar do nome de Chuck Norris.
21. Republica a lista com os Chuck Norris Facts. Mas desta vez com o nome certo no lugar. Garante que demitiu o responsável pelo erro.
22. Fez um post preventivo para o fim do mundo. Mas só não o publica porque sabe que, se o fizer, o mundo acabará no segundo seguinte.
23. Ciente disso, tenta contato com os principais governos do mundo e com a ONU. Se não receber um milhão de helicópteros e um dólar, publicará o tal artigo.
24. Acha que em outra encarnação já foi blogueiro. Seu primeiro post começava assim: “No princípio criou Deus os céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo…”
25. Liga para o Noblat. Quer contratá-lo para fazer notinhas menos importantes para o seu blog.
26. Percebe que todas as listas com dicas para escrever melhor foram inspiradas em seu estilo.
27. Sabe que, ano que vem, será o primeiro blogueiro a ser indicado ao Nobel de Literatura.
28. Telefona para o Saramago para pegar dicas para o discurso.
29. Não entende como as suas previsões de acessos de seu blog para os próximos três anos superam a capacidade de toda população mundial com acesso à internet. Superam, aliás, a capacidade da população mundial sem acesso.
30. Por isso, conclui que a Terra sofrerá uma grande invasão de alienígenas. Todos interessadíssimos em acessar seu blog.
31. Sabe para onde os alienígenas serão levados quando disserem: “Levem-nos a seu líder!”
32. Pára de acreditar em Search Engine Optimization. Uma foto sua ou mesmo uma palavra digitada por ele seria suficiente para colocá-lo em primeiro lugar em qualquer busca de qualquer termo de qualquer buscador. Apenas os buscadores ainda não foram informados desse fato tão relevante.
33. Não é o Google que indexa o seu blog, mas o seu blog que indexa o Google.
34. Tem certeza de que logo ficará na frente do Google para buscas do termo “google”.
35. Fica confuso, pois com a morte de Heath Ledger, não sabe quem o interpretará na adaptação cinematográfica para seu blog.
36. Entende que ninguém poderia fazer a adaptação biográfica para seu blog. O único escritor competente o suficiente para isso é ele mesmo. E ele mesmo escrevê-la seria megalomania demais.
37. Pára de inscrever artigos em sites sociais como o Rec6. Como só seus textos iriam para a capa, prefere dar espaço para blogueiros iniciantes.
38. Deixa de fazer posts sobre modelos peladas. Como tudo o que escreve se materializa, tem medo de que as garotas acabem brigando por ele e tudo acabe em tragédia.
39. Não acredita em post patrocinado. Passa a chamar o pagamento por eles de Taxa de Benevolência Imperial por Aparição no Divino Site.
40. Não faz links: dá a benção.
41. Não faz títulos: faz entradas triunfais.
42. Não faz posts: mas odes ao estilo.
43. Não recebe comentários: ouve as preces dos fiéis.
44. Não modera comentários: concede indulgências.
45. Não responde comentários: faz aparições divinas na caixa de entrada alheia.
46. Não recebe spam: mas comunicados do inferno.
47. Diante disso, decide fundar a sua própria igreja.
48. Sonha toda noite que está blogando e fica surpreso quando, pela manhã, a coisa ainda não foi publicada.
49. Pensa todo dia em apagar o blog pois ninguém é digno do que escreve. No último segundo, prefere não decepcionar seus fãs.
50. Deixa de ter bloqueios criativos. São momentos de contemplação divina. Seu silêncio passa a ser uma forma de comunicação. Até a sua ausência passa a receber comentários e acessos.
51. Faz listas com mais de 50 itens.

‘Comam menos carne’, diz principal cientista da ONU

Padrão

As pessoas deveriam considerar comer menos carne como uma forma de combater o aquecimento global, segundo o principal cientista climático da Organização das Nações Unidas (ONU).

Rajendra Pachauri, que preside o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), fará a sugestão em um discurso em Londres na noite desta segunda-feira.
Números da ONU sugerem que a produção de carne lança mais gases do efeito estufa na atmosfera do que o setor do transporte.
Mas um porta-voz da União Nacional dos Fazendeiros da Grã-Bretanha disse que as emissões de metano de fazendas estão caindo.
Pachauri acaba de ser apontado para um segundo termo de seis anos como presidente do IPCC, o órgão que reúne e avalia os dados sobre clima dos governos mundiais, e que já conquistou um prêmio Nobel.
“A Organização da ONU para Agricultura e Alimentos (FAO) estima que as emissões diretas da produção de carne correspondem a 18% do total mundial de emissões de gases do efeito estufa”, disse à BBC.
“Então eu quero destacar o fato de que entre as opções para reduzir as mudanças climáticas, mudar a dieta é algo que deveria ser considerado.” Clima de persuasão O número da FAO de 18% inclui gases do efeito estufa liberados em todas as etapas do ciclo de produção da carne – abertura de pastos em florestas, fabricação e transporte de fertilizantes, queima de combustíveis fósseis em veículos de fazendas e as emissões físicas de gado e rebanho.
As contribuições dos principais gases do efeito estufa – dióxido de carbono, metano e óxido nítrico – são praticamente equivalentes, segundo a FAO.
O transporte, em contraste, responde por apenas 13% da pegada de gases da humanidade, segundo o IPCC.
Pechauri irá falar em um encontro organizado pela organização Compassion in World Farming, CIWF (Compaixão nas Fazendas Mundiais, em tradução-livre), cuja principal razão para sugerir que as pessoas reduzam seu consumo de carne é para reduzir o número de animais em indústrias pecuárias.
“O ângulo das mudanças climáticas pode ser bastante persuasivo”, disse.
Pesquisas mostram que as pessoas estão ansiosas sobre suas pegadas de carbono e reduzindo as jornadas de carro, por exemplo; mas elas talvez não percebam que mudar o que está em seu prato pode ter um efeito ainda maior.” Benefícios Há várias possibilidades de redução dos gases de efeito estufa associados aos animais em fazendas.
Elas vão de ângulos científicos, como as variedades de gado geneticamente criadas para produzir menos metano em flatulências, até reduzir a quantidade de transporte envolvido, comendo animais criados localmente.
“Nós apoiamos fortemente as pesquisas com o objetivo de reduzir as emissões de metano dos animais de fazendas, por exemplo, mudando suas dietas e usando a digestão anaeróbica.” As emissões de metano de fazendas britânicas caíram 13% desde 1990.
Mas a maior fonte mundial de dióxido de carbono vindo da produção de carne é o desmatamento, principalmente de florestas tropicais, que deve continuar enquanto a demanda por carne crescer.
“Isso é algo que deveria provavelmente acontecer em nível global como parte de um tratado negociado para mudanças climáticas, e seria feito de forma justa, para que as pessoas que têm pouca carne no momento, como na África sub-saariana, possam comer mais, e nós no oeste comeríamos menos.” Pachauri, no entanto, vê a questão mais como uma escolha pessoal.
“Mas, se formos sinceros, menos carne também é bom para a saúde, e ao mesmo tempo reduziria as emissões de gases do efeito estufa.”

Fonte:Guiavegano