Arquivo diário: 11 outubro 2008

Xadrez ganha a cara do verão

Padrão



. E como não podia deixar de ser, as bolsas: grandes ou pequenas estão seguindo a nova tendência.

O xadrez vai ser o hit do verão: blusas, vestidos, bermudas e sapatilhas já apresentam a nova estampa

Em Juiz de Fora, já é possível ver modelos variados nas vitrines e, principalmente, no comércio ambulante. A procura está crescendo dia após dia e as mulheres estão perdendo o preconceito contra a estampa, associada ao clima pesado das estações mais frias.

No verão 2008/2009 o xadrez vem em cores que fogem do marrom e do preto e os modelos são despojados e joviais. As maxi bolsas que conquistaram as mulheres desde 2007 não perdem espaço na moda xadrez. A estampa invade o modelo também, assim como os modelos pequenos e médios que foram sucesso na coleção outono/inverno. Ninguém fica de fora da onda xadrez.

Vendedora de uma barraca do centro da cidade, Tânia Dutra conta que, embora seja a moda da estação, o xadrez ainda encontra certa resistência. “Tem quem chegue aqui e fique na dúvida, me pergunta o que eu acho, mas acaba levando uma que combine com o seu estilo”.

Para a comerciante, esse estilo tem muito a ver com a faixa etária. “Normalmente, as mais jovens procuram os modelos maiores e os de regular. Já as senhoras, escolhem as mais discretas e menos coloridas”, diz.

O uso do xadrez precisa de discernimento e bom senso, como diz a dona de uma loja de bolsas, Cláudia da Cunha. “Tem que saber escolher bem a roupa e o xadrez que vai trabalhar. Quanto menos detalhe, menos colorido, mais fácil de combinar. Tem que dosar a roupa que vai vestir”, orienta.

Tânia acredita que o ponto alto da bolsa xadrez é o seu caráter descontraído. “A bolsa xadrez é leve, não pesa tanto no visual e pode ser usada de chinelo ou de jeans, fazendo um estilo mais despojado e à vontade”, diz. Para ela, essa bolsa vai bem com qualquer coisa, só não fica legal se for usada à noite, porque nessa ocasião, pede-se algo mais formal.

No que se refere às vendas, Tânia não tem do que reclamar. Ela vende, em média, de oito a dez bolsas por dia e ainda recebe encomendas. “Tem saído bastante esses modelos xadrez e eu acho que quando o verão chegar mesmo vai sair ainda mais porque as pessoas podem levá-la para a praia ou para a piscina para colocar as coisas básicas e ficar bonita”, acredita.

Apesar do otimismo de Tânia, Cláudia revela que em seu estabelecimento a procura ainda é bastante tímida e as tradicionais continuam sendo as mais vendidas, mas numa coisa elas concordam: quando a estação dourada chegar, não vai ter para ninguém e o xadrez vai invadir os guarda-roupas das juizforanas.

A primavera chegou semana passada, mas chegou com frio e as pessoas ainda não estão comprando muito as peças xadrez. As vitrines já estão com a moda da estação, mas ainda não está saindo muito. É preciso esperar o verão chegar mesmo para as pessoas começarem a querer usar as peças mais ousadas”, avalia Cláudia.

Fonte:acessa.com

Orgasmos na masturbação X orgasmos na relação

Padrão

O que acontece que muitas mulheres reclamam de falta de orgasmos na penetração mas conseguem tê-los na sua masturbação, que problema é este?

Na verdade quando a mulher diz que consegue ter orgasmos na masturbação e não consegue na penetração então já sabemos que ela não tem problemas mais graves. Não é problema de hormônio, não é problema de corpo, o problema está todo na cabeça ou na relação com o parceiro, claro que não podemos desconsiderar certas crises, inseguranças ou até mesmo problemas financeiros que possam estar atrelado a falta de orgasmo. Mas se ela consegue hoje ter orgasmo na masturbação então por que não conseguiria tê-lo amanhã com o parceiro?

Isso indica problemas na própria relação e neste ponto não tem como correr, o problema é na relação sim. Mas tudo pode ser resolvido com uma conversa, pelo menos na maioria das vezes. O que não podemos aceitar é que você deixe de ter o seu orgasmo, isso nunca.

Se o problema é na relação então o lance é conversar e ver o que está acontecendo. Pode ser que não tenha estimulo suficiente para a penetração e o seu parceiro, apressado, já está dentro de você, isso retira o tempo necessário para uma boa resposta sexual e a conseqüência é quase inevitável, ele ejacula e perde a potencia e você fica aí reclamando da vida, solução? Um belo vibrador ou um bom bate papo para que ele entenda que você tem que estar mais excitada para ser penetrada, isso geralmente resolve.

Mas não adianta negar, cama é prazer. Este negócio de ficar com alguém que você ama,mas não tem prazer na cama é lindo, muito romântico, mas sinceramente pode gerar muitos problemas graves na sexualidade da mulher, isso sem falar da falta de prazer e do vazio interno que esta mulher possa sentir. Depois ela arruma outro que dá maior tesão e o cara reclama que foi traído. Para que trair se pode ser tudo revisto?

Se não estiver conseguindo resolver sozinha procure um profissional, afinal ele está lá para ajudar você e não tem que ter medo. Fico as vezes observando e percebo que a mulher demora em média 3 a 4 meses para buscar ajuda especializada, ou seja, ela passa 4 meses sofrendo para poder tomar coragem de buscar ajuda. Para que sofrer tanto? É muito tempo. Está com problema então busque logo a ajuda necessária.

Saiba que quanto antes você resolver isso melhor será para sua saúde e para sua relação. Não esquece que ele também pode achar a relação monótona e buscar umas aventuras por ai, infelizmente é assim que as coisas funcionam na sociedade machista. Mas antes de atacar a pedra na infidelidade pergunte a si mesma o que você fez para melhorar a sua relação, porque é muito fácil culpar o outro e se colocar como vítima. Não deixe isso acontecer em sua vida, tome uma atitude, seja feliz, você merece.