Arquivo diário: 27 novembro 2008

Mudança de Visual?!

Padrão

Olá galerinha!

 

Bem hoje eu acordei com vontade de mudar,

mudar as coisas de lugar,mas ao mesmo tempo fiquei me perguntando o que eu realmente queria mudar?!Cheguei a conclusão de que tem tanta coisa que quero mudar,mudar o meu mundo o “meu eu”(Essa frase ai ,deu titulo a uma música que um grande amigo fez pra mim).

E começando em grande estilo,optei por mudar o visual do blog,pois esse é o meu cantinho,pra falar com vcs,me expressar,enfim fazer oq eu quero!!!

 Eu mudei meu cabelo,pintei de novo(Engraçado que quando  saio td mundo fica olhando pro meu cabelo colorido),fiz minhas unhas de uma cor diferente que não costumo usar,troquei alguns moveis de lugar,arrumei o guarda-roupa,mudei td ,agora as calças ocupam o lugar das camisetas,uma loucura só. No meu mundo eu precisava dessa mudança,mas sei que lá no fundo oq quero mudar não é o cabelo,a cor do esmalte,o lugar dos movéis,mas o “meu eu” ainda não encontrou o lugar da mudança…

Gente só o visual do blog mudou o conteúdo continua o msm,cada dia falando de algo diferente,as vezes um assunto nada a ver com o outro,pois como ja dizia um cara que eu adoro “Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante…”(Raul Seixas) e assim de novo roubando um pouco da inspiração de uma outra pessoa que gosto,agora uma cantora “Quem sabe isso passa sendo eu tão inconstante…”(Ana Carolina) e por ai vai…Todas as mudanças são validas,desde que estejamos nos sentindo bem…Espero que gostem e continuem visitando o Regganata e deixando opiniões dando sugestões e td mais.

Boa tarde a tds,e quem sabe se vcs tb não tem algo que querem mudar?! Procurem!!!

Renata Ramone.

A revolução da evolução

Padrão

São diversas as teorias sobre a evolução do homem. Muitas nos mostram ótimos argumentos, outras nos fornecem ainda mais dúvidas. Porém, há muito podemos afirmar que nossa espécie já tem grande quantidade de anos e está em estado de evolução durante todo o tempo. Em inúmeros sentidos, nos fornece ótimos resultados – melhor qualidade de vida, conforto, cura a muito mais doenças, entre tantas outras coisas. Porém, a busca incessante por tudo isso e a ganância por mais nos guiou a um caminho cujo fim pode estar próximo e, pessimismo à parte, não será nada agradável esperar por ele. Estou falando do aquecimento global.

Sabemos que nossas ações cotidianas não são, como pensávamos antes, inofensivas. Transformamos-nos em seres extrativistas sem limites, fazendo do planeta Terra o que quisemos.

O ser humano é o único animal que consegue acabar com todas as espécies, além da sua. Estamos eliminando espécies animais como se tivessem sido criadas para servir-nos. Segundo um estudo científico de pesquisadores canadenses e americanos, divulgado pelo prestigiado jornal Sciense, se nada for feito imediatamente, em 50 anos não existirá mais peixes nos mares. O mais triste é que as matérias que trataram desse assunto mostraram muito mais donos de restaurantes e admiradores gastronômicos preocupados com o fim de parte de seu cardápio. Ou seja, a possível extinção dos peixes só representa a falta de um ingrediente culinário e não a morte e inexistência de seres vivos mais antigos que a nossa própria espécie. Este foi só um exemplo, já que muitos animais são tidos como produto, rotulados como inferiores aos seres humanos.

Em conseqüência desta nossa percepção de vida e sua banalização, chamo atenção para o pior problema ambiental vivido. Não é de hoje que somos alarmados quanto à seriedade dos problemas decorrentes do aquecimento global. Porém, só agora passamos a sentir seus efeitos e a destinar mais crédito a seu potencial. E quantos de nós estamos preocupados o suficiente para repercutir em ações significativas?

Renata