Você quer ser mais amada? Escute o que os homens têm a dizer

Padrão

Demos a palavra a eles. Entre iguais, sem pudores, os homens confessam o que amam e odeiam numa mulher, além de desenhar o mapa da alma masculina. Siga as pistas e você nunca mais vai ficar sozinha

Pressa, a inimiga da relação

O economista Eduardo Aquino, 32 anos, se diz impressionado com a rapidez com que as mulheres têm atirado. Há pouco, reencontrou no cinema uma colega da faculdade. Conversaram animadamente e esticaram a noite no apartamento dele. Como Eduardo adorou a experiência, convidou-a para voltar no dia seguinte. “Ela entrou, me deu um beijo, foi para a cozinha, depois para o banheiro”, recorda. “Achei estranho, perguntei o que estava fazendo, e ela respondeu: ‘Trouxe Yakults e cotonetes, já que virei aqui com freqüência’.” O encontro, que teve boa química e prometia algo mais, deu em nada. O economista viu na iniciativa dela uma tentativa de demarcar o terreno. “Me senti invadido”, reclama. Ela não teve limites nem senso da realidade.”

Pista número 1: Não confunda as coisas

Não é legal confundir a intensidade do que rolou na cama com autorização para entrar na vida privada do rapaz. Na mesma linha, joga o advogado Mauro Falcetti, 33 anos, separado. Gato escaldado, ele agora analisa com lupa cada candidata. “Namorei mulheres bacanas, modernas, livres… mas quase todas tinham a mania de pressionar”, conta. “E, quando me sinto pressionado, caio fora.” Se você quiser conquistar alguém que pensa como Mauro, melhor agir com calma. “Gosto de cumprir etapas, ir de leve”, explica. Homens assim não caem fácil em qualquer armadilha. No início da temporada de novo solteiro, ele queria apenas respirar, se relacionar sem amarras. A parceira da ocasião deu a entender que toparia a parada. “Mas, já nas primeiras semanas, deixou escapar seu plano de casamento”, lembra. “Passeando no shopping, ela parou numa loja para bebês e arriscou, com ar emocionado: ‘Essa roupinha não ficaria linda no nosso filhinho?’ Pensei atônito: ‘Filhinho? Meu Deus, já?’ Terminei ali mesmo, mas dei a notícia depois de uma semana.” Nesse caso, amiga leitora, você precisa compreender que a sensação de aprisionamento faz o homem sentir vontade de ir embora, de fugir.
 
Anote esta: amar não quer dizer apoderar-se do outro ou carregá-lo para integrar os seus projetos. Tem mais: os afoitos não pensam na importância dos passos que trocam. O psicólogo junguiano Valter Estevão Eitler observa: “Tudo está tão veloz hoje que muitos casais ‘ficam’ e, antes mesmo de namorar, já se juntam. O namoro é um ritual de aproximação, uma etapa intermediária para a relação sadia”. Veja o que o cronista Artur da Távola escreveu sobre o tema: “Quem não tem namorado é alguém que tirou férias não remuneradas de si mesmo… Namorar é fazer pactos com a felicidade ainda que rápida, escondida, fugidia ou impossível de durar”. Pense nessas frases e priorize a conquista, o encantamento. Segundo Eitler, esse ritual prepara a fase seguinte, traz para o mundo externo algo que está acontecendo interiormente e reforça a convicção do que se deseja, de verdade.

Pegar no pé, o veneno mortal

Grudar no rapaz pode ser o caminho mais rápido para o fim do relacionamento

Uma coisa que deixa qualquer um de nós com as barbas de molho é perceber que a mulher arquiteta formas de liquidar nossos inofensivos passatempos, como o chope, a happy hour e o futebolzinho do fim de semana. Namorada sensata não bate de frente com esses pequenos prazeres. “Gosto de ter a individualidade respeitada e de sair com os amigos, o que me faz bem”, explica Mauro. Ele indica mais um atalho: “Quando uma namorada tem paciência com os meus hábitos e mostra que não quer atropelar o ritmo natural das coisas, passo a me envolver, a me dedicar, mando flores e escrevo bilhetes”. Viram só? Os homens mandam flores e se declaram em cartas inesperadas. Mas você deve estar se perguntando: “Então eles são egoístas, querem que a mulher ande na pulsação masculina?” É claro que você precisa ouvir a sua pulsação. Pode abrir seu coração, mas faça isso com cuidado para não deixar a ansiedade dirigir as emoções. Se pudesse sugerir a você mais um investimento, ele seria no resgate do feminino. Traga de volta qualidades como intuição, delicadeza e sensibilidade, que têm perdido valor desde os anos 60, quando as mulheres precisaram brigar feio pelo direito ao trabalho e à liberdade sexual. “Como tudo era experimental e difícil, elas descuidaram das relações afetivas e perderam a capacidade de aninhar o masculino”, diz Eitler. Mas relaxem! Vocês se saíram brilhantemente vitoriosas naquela luta e já podem voltar a acolher o homem. Nós adoramos colo, chamego e conforto. Homem e mulher se completam muito bem nessa situação. Se ela não ocorre, fica no ar uma sensação de frieza e de ausência de carinho.

Existe vida sensível do lado de cá

Preste atenção nos homens à sua volta. Não são todos iguais. Há um time que discute outros assuntos além de mecânica de carro, não revela a intimidade sexual no escritório e não provoca garota bonita que passa na rua. Essa falange gosta de mulher independente, sim… mas está em baixa a candidata que só quer competir e ressalta, a toda hora, suas armas de guerreira. Os especialistas do comportamento classificam o problema como crise de papéis e a conseqüência é límpida: quanto mais se parece com o homem, menos atrativa ela se mostra. Menos doce, menos romântica…

O editor Paulo Martins*, 41 anos, é romântico e busca uma alma gêmea. Mas acha que essa característica tem sido considerada como um defeito grave. “Estou tentando me corrigir”, diz ele em tom irônico. “Hoje, tenho medo de telefonar depois de uma noite de amor e ser visto como um mala”, revela. Também é preciso derrubar o mito de que só o homem deve tomar a iniciativa. Isso é tolice! Se você tem vontade, tecle para ele. Fale do prazer que sentiu e esqueça de investigar por que ele não discou primeiro. Nada de pressão, lembra? Estímulo é o que Paulo espera de uma grande parceira. “Me sinto instigado quando vejo uma mulher se dedicar à realização pessoal”, confessa. “Minha primeira mulher era pianista e me incentivou a estudar música. A segunda falava vários idiomas e fui aprender línguas.” O que deu errado nos casamentos dele? “No primeiro, que durou 11 anos, não soubemos manter o fogo e viramos amigos”, afirma. “A outra relação foi intensa, com vida sexual show de bola, mas minha mulher não era afetiva. Vivemos quatro anos na base do cada um pra si.” Agora, ele procura uma pessoa madura, calorosa, amiga, que tenha grande entusiasmo sexual e seja companheira para o que der e vier.

Reconheça a sensibilidade deles

Os homens também sabem valorizar o afeto

Se você anda atrás das mesmas qualidades em um homem, aceite o convite dele para uma viagem a dois. Nós adoramos um test drive. Pegar a estrada e passar uns dias fora dos domínios de um e de outro é uma ótima oportunidade para conhecer afinidades e diferenças. Ali, longe de tudo, os traços pessoais ficam mais evidentes – e você descobre se quer conviver com eles no cotidiano. Se o pretendente não é como você idealizou, diga adeus ao voltar para casa. “Não tente colocá-lo numa fôrma onde ele não cabe”, adverte o sexólogo Ronaldo Pamplona, da Associação Médica Brasileira de Sexologia. “Uma relação adulta exige concessões, mas ninguém muda ninguém. É impossível transformar a essência do parceiro”, diz.

Assim como é improvável mudar o caráter e a personalidade dele, você não poderá alterar a condição social. Se você está bem colocada na vida, ganha mais e se veste melhor, tente enfatizar menos os seus poderes. O homem se sente diminuído quando o mundo dele é confrontado com o mundo dela, que fica noutro extremo”, explica o médico Luiz Cuschnir, supervisor do Serviço de Psicoterapia do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, de São Paulo. Quer mais uma informação valiosa sobre a ala masculina? Nós, machos, também somos sensíveis. Sócrates Nolasco, psicólogo e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, ressalta que as mulheres se julgam donas do saber emocional. Por isso, acreditam que só elas são dotadas de paixão e menosprezam a capacidade masculina de chorar, sofrer e se alegrar. Você já deve ter visto um bando de mulheres dizendo que namorado sensível é fraco ou pouco másculo. Quanta prepotência! A verdade é que nós estamos pesquisando e percebendo a vida interior. Quer saber mais? O homem fica radiante ao descobrir que foi escolhido pelo que ele é por dentro. “Isso gera um conforto inacreditável para o sexo masculino”, garante Nolasco. “Apesar de falar pouco sobre essas descobertas e amargar dificuldades de demonstrá-las, os homens valorizam muito o afeto e o próprio mundo emocional.” Então, leitora, curta a alma do macho. Confesse que gosta do lado espiritual do seu parceiro, que considera seu humor, suas tiradas sutis e aprecia quando ele se desnuda dos velhos preconceitos. Não faça como a namorada do engenheiro eletrônico Rafael Junqueira de Sousa, 30 anos. Ela o deixou se queixando de – pasme! – excesso de amor e de cuidados. Sabe de que forma o engenheiro demonstrava esse lado? “Mimando a namorada”, diz ele. “Curto deixar recados, fazer jantares, conversar, dar presentes e estar por perto.” Embora seja um cara superocupado, ele conta que prioriza seus relacionamentos e cultua seus sentimentos. Mas a mulher de quem Rafael mais gostou classificou como “overdose” as atitudes dele. “Eu insisti na tecla e ela me deu um pé no traseiro.” Responda com sinceridade: Quem você acha que saiu perdendo?

Dicas para quem tem a tendência a grudar no gato

 • Aposentar a pressão como método de conquistar um homem.

• Priorizar o encantamento e o namoro.

• Respeitar a individualidade do namorado, que tem um universo diferente do seu.

• Não depender da relação como a única fonte de realização.

• Não cobrar provas de envolvimento a todo instante.

• Esquecer os tolos planos de casamento e respeitar o tempo que o amor leva para amadurecer.

Dicas para quem resiste a se entregar

 • Valorizar a intuição, a sensibilidade, a delicadeza e a capacidade de acolher o parceiro.

• Ser independente, competente, sem deixar que o lado profissional roube a oportunidade de investir no amor.

• Não estabelecer competições com o parceiro, somar com ele.

• Deixar de acreditar que é dona da verdade e que conhece melhor as emoções: os homens também têm vida interior.

 

 Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/

»

  1. Nós mulheres ouvindo os homens?!
    Tarefa dificil de se cumprir,as mulheres tem sempre razão no nosso ponto de vista ne mais acho que no fundo , agente sabe que de vez enquando estamos erradas…rhshsrhssh

  2. Bem, achei muito interessante tudo, mas penso fórmulas perfeitas demais, acho que no amor, quando rola não dá para seguir procedimentos, nasce naturalmente e quando vc vê, já está lá meio boba(a), mas feliz da vida!!!!

    • Bom!!! Concordo com algumas coisas, mas, não com tudo!
      Os homens gostam de namoradas “sertinhas”, que os entendam e que
      fiquem sempre a sua espera,certo? Na maioria das veses são ciumentos e incompreenciveis, por um outro lado… Será que eles fariam isso por suas namoradas? esperariam em casa e sem reclamar enquanto elas estão com as amigas tomando uma cervejinha????

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s