Notícias do Futuro…

Padrão

E agora?
Pouca comida, trânsito infernal, baladas caríssimas… Previsões nada otimistas estão rolando por aí. Mas você pode mudar tudo!

EM 2080

A água invadiu sua praia. Desde o começo do século, o nível dos mares aumentou 69 cm e engoliu metros e metros de areia! As cidades litorâneas só não desapareceram porque gastaram uma grana em tecnologia para barrar as marés. Os rios também se expandiram e muita gente teve que abandonar a casa para dar espaço à água.

EM 2038

As baladas compram bebidas em galões enormes e servem em copos retornáveis. Ou seja, depois de saciar a sede, você tem que devolver o copo. Pelo menos, não há aqueles copos descartáveis amontoados no chão, como era comum em 2008. Além disso, com o preço da energia elétrica nas alturas, só rolam músicas ao vivo, unplugged. Mas sair assim não é comum. É que fazer esse tipo de programa custa, praticamente, sua mesada inteira.

EM 2050

A comida está muito mais cara, por falta de terras próprias para a agricultura. A crise também chegou ao mar: como dúzias de espécies de peixes já foram extintas, eles são iguarias raras, vendidas a preços superaltos. Ou seja: ir ao restaurante japonês agora, só em datas muito especiais. Como a água também está mais cara, alimentos que precisam dela em grande quantidade, como a melancia, são verdadeiros luxos. E pensar que, no começo do século, famílias brasileiras chegavam a desperdiçar 30% da comida que compravam.

EM 2050

O fornecimento de água potável está 90% menor que no começo do século. Resultado: o preço dela está carîssimo! As casas que não têm encanamento próprio para reúso usam baldes para coletar água usada nas pias. Para completar, a água mineral em garrafa é quase tão cara quanto… champanhe! Dá até pra brindar: tim tim!

EM 2038

A maioria das roupas é feita de poliéster, e isso não tem nada a ver com as tendências da moda. É que materiais orgânicos, como algodão e seda, são muuuito caros, praticamente artigos de luxo! Isso porque, com tão poucas terras disponíveis, o cultivo deles ficou muito mais raro.

EM 2038

Você precisa da INTERNET mais do que nunca! Encontrar a galera pessoalmente é coisa rara. Pouca gente se arrisca a sair de casa por causa dos congestionamentos e da qualidade do ar, que é muito ruim. Você acaba tendo que resolver tudo virtualmente mesmo. De vez em quando, dá uma saudade de dar um abraço de verdade…

EM 2028

Problemas relacionados à qualidade do ar e à comida contaminada são rotina na sua vida. De quebra, eles acabam interferindo um pouco no seu look porque, para driblá-los, você tem que usar máscaras respiratórias. Se preferir, pode ficar com os postos de oxigênio instalados pela prefeitura nas ruas. Asma e rinite alérgica são supercomuns, o que acaba acrescentando mais um item à sua bolsa: os remédios para tratá-las.

EM 2023

Horário de pico não rola mais só quando você sai da escola ou sua mãe vai para o trabalho. Agora, os congestionamentos duram o dia inteiro, pelo menos nas quatro principais capitais brasileiras: São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e Rio de Janeiro. Pior que a imobilidade, é a sujeira que esse enorme número de carros despeja no ar, provocando doenças respiratórias nas pessoas e cobrindo a cidade de fuligem.

EM 2028

O lixo é mais um problema sério. Os lixões estão cada vez maiorese a água de alguns rios e várzeas, em que cerca de 20% do lixo é despejado, está contaminada por produtos como chumbo e mercúrio. Lentamente, eles provocam intoxicações nas pessoas. Nos casos mais graves, podem causar lesões cerebrais, problemas no sistema nervoso e até a morte!

Fonte: blog.socialmoda.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s