Depois de 27 anos, Globo ganha Emmy com Caminho das Índias, o Oscar da TV

Padrão

A Globo tanto insistiu que finalmente ganhou um Emmy Internacional, o Oscar da TV mundial, que premia produções de todos os países, menos Estados Unidos _que têm uma premiação à parte. Nesta madrugada, Caminho das Índias faturou em Nova York o Emmy de melhor telenovela do mundo.

A Globo não ganhava um Emmy desde 1982, quando faturou com Morte e Vida Severina, adaptação da obra de João Cabral de Melo Neto dirigida por Walter Avancini. Um ano antes, vencera com Vinicius para Crianças. Era a consagração do Padrão Globo de Qualidade da Era Boni.

Os tempos mudaram.  Nesta década, o Emmy Internacional “cresceu”, ganhou novas categorias. Uma delas foi a de telenovelas, por pressão nos bastidores da própria Globo. Este foi apenas o segundo ano em que esse tipo de produção concorreu em categoria exclusiva. Esperava-se que a Globo ganhasse esse Emmy já no ano passado, quando o disputou com Paraíso Tropical, mas a novela perdeu o prêmio para uma produção da Jordânia (isso mesmo, da Jordânia!).

Pode-se até questionar se Caminho das Índias seria merecedora de um Emmy. Novelas bem melhores, como A Favorita (2008), Paraíso Tropical (2007) e Belíssima (2005) passaram pela rede recentemente. Pode-se argumentar, por exemplo, que seria muito mais justo premiar a microssérie Maysa, que concorria ao Emmy na categoria minissérie.

Há duas explicações para a premiação de Caminho das Índias: 1) a concorrência era fraca; 2) os jurados assistiram apenas ao primeiro capítulo da produção, e o primeiro capítulo da novela foi bom, muito melhor do que todos os demais.

É inegável,  no entanto, o merecimento da Globo ao Oscar da TV mundial, seja pela qualidade técnica de suas obras de ficção, seja pela ousadia frequente de experimentar narrativas, como em Capitu (2008) ou em Hoje É Dia de Maria (2005).

O Emmy de Caminho das Índias premia não só a programação da Globo como um todo, mas principalmente a obsessão recente da emissora em obter esse reconhecimento internacional. Em 2005, a direção da Globo decidiu sair em busca do Emmy, troféu que praticamente ignorara nas últimas duas décadas _em alguns anos, nem houve inscritos da emissora.

Nesse esforço pelo reconhecimento (e pela valorização de suas obras no mercado internacional), a Globo tornou-se patrocinadora da festa do Emmy Internacional e passou a inscrever o maior número possível de produções. Em 2006, foram 21 inscrições, das quais BBB 6, Sinhá Moça e Os Amadores chegaram à final. Em 2007, o número de inscrições da Globo foi a 34. No ano passado, foram 49, um recorde, e tiros para todos os lados: até os especiais de Natal de Xuxa, Renato Aragão e Roberto Carlos, além do qualquer-nota Estação Globo, com Ivete Sangalo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s