Arquivo mensal: abril 2010

Executivo diz ter sido namorado de Michael Jackson

Padrão

 

Um executivo de uma companhia médica disse nesta quinta-feira (29), em entrevista ao canal de TV Extra, que foi namorado de Michael Jackson durante os últimos meses de vida do cantor.

Jason Pfeiffer afirma que teve uma relação muito “apaixonada e sexual” com Michael, que jamais confessou ser homossexual. Segundo ele, o cantor era sua “provável alma gêmea”.

– Sei que nos amávamos, ele me dizia isso o tempo todo – comentou o empresário, que teria conhecido o artista em 2008 no consultório do dermatologista Arnold Klein, amigo de Michael e que, para muitos, é o pai biológico dos dois filhos mais velhos do Rei do Pop, Prince e Paris.

As afirmações de Pfeiffer foram confirmadas pelo médico.

– Quando você vê duas pessoas olhando uma para a outra, você sabe o que está acontecendo. Eu simplesmente era muito feliz por eles – comentou Arnold Klein ao canal americano.

Ex-BBB, que se dizia hétero, beija de língua BBB colorido em festinha privé

Padrão

Um dos ex-integrantes do BBB 10 se atracou com outro participante do reality show. Um deles fazia parte da tribo dos coloridos. O outro não.

A aproximação física, com direito a beijo de língua e tudo, aconteceu na casa de amigos em comum.

Isso tudo aconteceu depois do show do sertanejo Luan Santana, no Clube A, em São Paulo.

Super inspirador, né…

Por falar nos ex-BBBs, eles pretendem dividir apartamento.

Mas como amigos, claro.

Jesus Luz faz fotos de cueca para Dia dos Namorados

Padrão

Jesus Luz fez fotos para a grife Mash para apresentar a cueca que a marca está lançando para o Dia dos Namorados.

As imagens foram feitas pelo fotógrafo Renê de Paula e vão estar no material de divulgação da Mash, grife que vende cuecas, meias e sungas, para a data especial.

Ele foi fotografado na cobertura de um apartamento no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro.

A cueca que Jesus usa é toda preta e o diferencial está no elástico, que além do nome da marca tem palavras em inglês como “lover” (amante) e “explosive” (explosivo).

Kiabbo, ex-MTV, desabafa: “Marcelo Adnet era um chato”

Padrão

Kiabbo, codinome do músico Felipe Ricotta, saiu chateado da MTV. Ele, que fazia o parceiro mascarado de Marcelo Adnet no programa 15 Minutos, disse que foi expulso do programa humorístico e da emissora. Em em uma conversa franca com R7,  Ricotta fez seu desabafo. Confira a entrevista exclusiva:

R7 – Quando você saiu da MTV foi veiculado que o motivo era sua vontade em tocar projetos musicais. Foi por isso mesmo?
Felipe Ricotta, o Kiabbo – Isso é mentira! Eles me expulsaram do programa! Eu faço meu trabalho musical, paralelamente, desde 2008. Foi uma desculpa, cara. Desde o começo, o Marcelo Adnet queria colocar um amigo dele no programa, acho que é o mesmo que me substituiu no 15 Minutos agora [Rafael Queiroga]. Na época, a MTV fez um piloto comigo e um com o amigo dele, só que a emissora bateu o pé de que queria que fosse eu o parceiro do Marcelo no programa.

R7 – Como era sua relação com Marcelo Adnet nos bastidores?
Ricotta – Eu me dou bem com todo mundo. Sou muito tranquilo até mesmo naquele universo [MTV] em que rola muita crise de ego. Mas o maluco [Marcelo Adnet] tinha onda de mandão. Ele queria ficar dando ordem. Não aceitava ideia dos outros, as dele eram sempre as melhores. Um cara chato, de chegar a um ponto em que você fala “tá bom cara, vai então”. Meu irmão, ele queria ficar impondo o que eu ia tocar no programa! O problema é que toda a vez em que eu ia contra ele, eu estava indo contra a emissora. Ele era a aposta da emissora e eu não. Era uma situação meio chata e por isso minha reputação nos bastidores era ruim. Mas se falarmos em termos de audiência, a dupla [Marcelo Adnet e Kiabbo] sempre funcionou muito melhor que ele sozinho ou do que ele com qualquer outra galera. Porque eu moldei o personagem para complementar e, já que ele fazia um humor mais popular, eu seguia justamente para um outro lado com o intuito de acrescentar. Mas ele não enxergava dessa forma. Uma vez ouvi da boca dele [Marcelo Adnet] “Eu sou f… tanto faz quem está do meu lado”. Eu ouvi isso dentro da MTV. Foi muito desagradável.
R7 – Por que você saiu?
Ricotta – Quando me convidaram, falaram que eu iria fazer dupla com o Marcelo Adnet. Mas ninguém falou que eu teria de fazer papel de escada para levantar o cara. E ele [Marcelo Adnet] queria impor isto a qualquer custo. A gente ia para o ar e o cara não deixava eu falar. E quando ele surgiu estava todo mundo deslumbrado com o cara. Foi uma grande aposta da MTV. Houve um trabalho forte de mídia em cima dele, enquanto eu fiquei totalmente de lado. Não entendi. Me botaram no ar para ser escada do cara! Não respeitaram meu trabalho mesmo sabendo que eu já tinha uma história na MTV antes do programa.

R7 – Quando você entrou na MTV?
Ricotta – Acho que em 2005. Eu trabalhava lá há um tempão. Quando fui convidado pela emissora, já escrevia em vários sites e fazia um repórter na internet, que fez um sucesso entre o público do rock. Do mesmo jeito que o Marcelo Adnet era conhecido por trabalhos no cinema e no teatro, eu também já era conhecido no meio do rock, tinha feito um barulho legal e não cheguei do nada. Foi uma p… falta de respeito o que rolou! E culpa do jogo de ego que rola lá dentro [MTV]. Me botaram no ar e em seguida me boicotaram. Não deixaram o Kiabbo crescer. Era um personagem que tinha muito mais a ver com a MTV do que essa nova geração que, com todo o respeito, não está nem aí para MTV. São pessoas que só querem espaço na TV para poder crescer e ir para outra emissora.

R7 – Você acha quer a MTV não valorizava seu trabalho?
Ricotta – Não sei, mas o que me deixou mais chateado foi que, mesmo depois do “boom” que o programa 15 Minutos deu, eles falaram claramente que eu não podia me impor muito e que meu personagem não podia crescer porque o programa era do Marcelo Adnet. E, no final da contas, ficou a impressão de que sou ruim para a TV, porque o cara se destacava muito mais. Mas na verdade eu estava me poupando. Tenho noção que rendia só 10, 20% do que posso render, pois trabalhava em prol da emissora. Eu estava do lado deles. E daí me aprontaram uma dessa, fiquei bem chateado mesmo.

R7 – Então você foi pego de surpresa? Esperava que a MTV renovasse seu contrato?
Ricotta – Eles queriam que eu tirasse a máscara dentro do programa. Mas eu não quis botar minha cara na TV para manter o personagem. Além disso, quiseram me dar um espaço no 15 minutos em Dobro, em que teria um tempo de três minutos num programa de 30. Em vez de fortalecer o personagem, eles queriam minimizar o Kiabbo mais ainda. Preferi não fazer. Não acho certo. Acho que foi por isso que eles não quiseram mais o personagem. Foi uma coisa muito estranha, por que o Kiabbo é muito querido entre o público da MTV. Quando o personagem tinha tudo para se desenvolver e crescer, eles vieram e me quebraram, parecia que queriam me f….

 

R7 – Foi você que optou por utilizar a máscara e não mostrar o rosto?
Ricotta – As pessoas confudem um pouco essa história. Na verdade, eu só topei fazer porque não ia botar a cara na TV. A chefe na época, a senhora Lilian Amarante, contou qual era a ideia do personagem, que ele ia ser meio misterioso e só por isso aceitei. Eles também queriam que eu usasse o meu nome, mas eu não quis, porque não sou humorista e estava muito preocupado com minha carreira paralela de músico.

R7 – E quais são seus projetos atualmente? Você pretende voltar para a TV?
Ricotta – Eu estou com um projeto chamado Máquina Berradora, funciona como um duelo. Eu contra um músico local. Viajo sozinho e convido as pessoas que encontro para tocar. Sem ensaio nem preparação. Mas estou dando um tempo e mais para frente quero lançar um disco. Já rolou alguns convites [para trabalhar na TV] em que preferi segurar a onda. Tenho vontade, mas depende muito da proposta.

Kayky Brito confirma o fim do casamento da irmã com Alexandre Pato

Padrão

O ator Kayky Brito, irmão da atriz Sthefany Brito, confirmou ao Portal CARAS que chegou ao fim o casamento da sua irmã com o jogador de futebol do Milan Alexandre Pato.

“Está confirmada a separação. A minha irmã vai voltar para o Brasil, ainda não sabemos quando, pois existe muita burocracia para acertar os documentos”, declarou Kayky.

Em entrevista à Caras, o galã contou que está com saudades da irmã e da mãe, Sandra, que acompanha a filha na Itália.

O ator disse ainda que Sthefany já tem planos de voltar logo ao trabalho no Brasil.

“Ela está estudando uma nova proposta de trabalho e voltará em breve”, afirmou.

Quanto à sua amizade com o atacante, Kayky disse que continuará a mesma. “Nossa amizade vai continuar, sim, minha família gosta muito dele”, finalizou.

Hebe Camargo está curada do câncer e diz que Deus nunca a abandonou

Padrão

 O sobrinho e empresário de Hebe Camargo, Claudio Pessutti, divulgou, na tarde desta quarta-feira (28), que a apresentadora está curada.

Leia, abaixo, o comunicado recebido pelo R7 da assessoria da apresentadora do SBT.

“A apresentadora Hebe Camargo submeteu-se a um exame clínico hoje e foi constatado que o câncer que a acometia já não existe mais, portanto está livre das sessões de quimioterapia. Sabemos que ainda há um período a ser percorrido até que tudo esteja resolvido, mas esta é uma grande notícia aos fãs de todo o Brasil que acompanharam e oraram por nossa querida Hebe.”

A apresentadora comentou a dádiva alcançada:

– Deus nunca me abandonou, nunca vi a vida com tanta alegria.

Terror e suspense: Terceiro filme de O Chamado será em 3D

Padrão

Em breve, Samara estará de volta e mais próxima do que você imagina: em 3D. Segundo o blog The Heat Vision, a Paramount está desenvolvendo o terceiro filme da série de suspense O Chamado e, como já era de se esperar, o longa será rodado em terceira dimensão.

Intitulado inicialmente de 3D Ring, o longa é baseado na obra de Kôji Suzuki e conta com David Loucka como roteirista. Recentemente, ele escreveu o roteiro de Dream House, do diretor irlândes Jim Sheridan (Entre Irmãos)

O filme original, refilmagem do japonês de 1998, tornou-se um sucesso de público e crítica quando foi lançado em 2002 e ajudou a inaugurar um período em que Hollywood virou seus holofotes para a Ásia, a fim de se inspirar em produções de terror. Na história é mostrada uma jovem jornalista que investiga um vídeo misterioso, que aparenta ser a causa da morte de pessoas que o assistem.

Durante a divisão da Dreamworks e da Paramount, O Chamado foi deixado de lado e pensou-se que nenhum outro filme seria produzido.

A trama de 3D Ring está sendo mantida em sigilo, mas o objetivo do novo filme é reinventar a série. Especula-se que será mostrado um cenário, envolvendo adolescentes, que encontram um videocassete que ainda funciona.

Até o momento, o nome de nenhum diretor foi confirmado. Walter Parkes e Laurie MacDonald estão em negociações para retornar ao cargo de produtores.