Arquivo mensal: outubro 2012

Alimentação para diabéticos

Padrão

Não é novidade nenhuma que o portador do diabetes vive muito bem se mantiver uma alimentação regrada e o índice de glicemia nos patamares ideais. Mas o que pouca gente sabe é que para fazer isso não é necessário um sacrifíco absurdo, desde que o paciente mantenha uma dieta saudável muito semelhante às que são indicadas para quem quer se alimentar bem e ter qualidade de vida.

Confira alguamas dicas de alimentação:

Arroz, pães e massas integrais:  Os carboidratos complexos presentes nesses alimentos são digeridos mais lentamente pelo organismo, liberando a glicose em pequenas doses. Isso é benéfico para o diabético, que não terá picos de índice glicêmico quando comer esse nutriente.

Leite desnatado: para reduzir o consumo de gordura, a recomendação é trocar leite integral por desnatado e preferir derivados mais magros. Não caia no mito de que a versão desnatada do leite tem menos quantidade de cálcio e proteínas que a integral. Na verdade, você ingere apenas menos gordura e não perde os benefícios.

Legumes e verduras à vontade: ricos em fibras, vitaminas e minerais antioxidantes, os legumes e verduras são importantes à nutrição e à saúde de todas as pessoas, mais ainda dos diabéticos, cuja dieta deve ser rica e variada nesses alimentos.

Atenção às frutas:As frutas, muitas vezes, são uma armadilha para a dieta dos diabéticos. É muito comum a pessoa achar que pode consumir frutas à vontade, pois são alimentos muito saudáveis.
Todas as frutas têm carboidratos simples, como a glicose. Só que, por conta das fibras e outros diversos nutrientes presentes nelas, podem ser consumidas em quantidades maiores que as de outros carboidratos simples. A recomendação para os diabéticos é ingerir no máximo três a quatro porções de fruta por dia, e sempre optando pelas menos calóricas.

Não exagere nas porções: o diabético pode estar fazendo uma dieta correta e rica em alimentos saudáveis, mas, se exagerar nas porções, estará caminhando na direção oposta. O excesso de calorias é nocivo ao diabético, mesmo que ele esteja comendo os alimentos mais indicados.

Alimentos saudáveis podem ajudar na prevenção do câncer de mama

Padrão

Em teoria, todo mundo deveria seguir uma dieta balanceada com muitas frutas, verduras, legumes e grãos formando um prato bastante colorido. Na prática, entretanto, as coisas funcionam de forma bem diferente e a maioria das pessoas só percebe a importância dos bons hábitos alimentares quando aparece alguma doença. Entre elas, o câncer de mama.

Veja alguns alimentos que previnem o câncer de mama:

Feijão é rico em fitoestrogênio: o consumo limita o efeito prejudicial dos hormônios da menopausa.

O tofu também é rico em fitoestrogênio que atenua a mudança hormonal, um dos gatilhos do câncer de mama.

Castanha-do-pará: ajuda a proteger contra o câncer, por ser rica em lignina.

As amoras possuem licopeno, pigmentos protetores por reforçarem a imunidade do organismo.

Ervilhas: têm fitoestrogênio ideias para equilibrar a ação negativa do estrogênio.

Use azeite de oliva no preparo dos alimentos porque eles reduzem as substâncias gordurosas causadoras de câncer.

Os pães e massas integrais favorecem a mulher pois são riscos em componentes antioxidantes.

Beterraba é rica em flavanoides e um fotoquímico indicado na prevenção ao câncer de mama.

Morangos: também são ricos em licopenos e flavanoides, que atuam no equilíbrio hormonal.

Tomate: contém licopeno, substância que protege ação dos radicais livres.

Maçã é rica em flavanoides, que reforça a proteção do organismo em especial após a menopausa.

melancia contém licopeno que previne a oxidação das células.

 

 

Seis vitaminas que ajudam a proteger contra problemas da pele

Padrão

Até os menos vaidosos ficam incomodados com problemas de pele, como acne, cravos e rugas profundas. Mesmo alguns cuidados, como evitar sair de casa sem passar protetor solar e a utilização de cremes antienvelhecimento, podem não ser o suficiente para deixar a pele jovem e saudável. “A pele também precisa de nutrição, principalmente a de quem tem histórico de problemas dermatológicos, como acne, espinhas e cravos” Dentre todos os nutrientes, as vitaminas ganham destaque, já que o consumo de algumas delas deixam a pele mais saudável e protegida da ação do tempo.

Acne- Espinhas

As espinhas, ou acne, formam-se porque há um entupimento no poro que drena para a superfície da pele as gorduras produzidas pela glândula sebácea. Esse tampão pode inflamar o poro, deixando as lesões avermelhadas, pustulosas e com aparência desagradável.”A vitamina A, também chamada de retinol ajuda na saúde da pele, pois tem ação antioxidante e auxilia na restauração de lesões na pele”, explica a nutricionista Daniela Jobst, da Unifesp. Esse nutriente também balanceia a produção de secreções das glândulas sebáceas, dificultando que os poros fiquem entupidos e inflamados.

A vitamina A pode ser encontrada com facilidade em alimentos consumidos no dia a dia, mas suas principais fontes são abacate, brócolis, cenoura, espinafre e outros legumes verdes.

Rugas

“A vitamina B2, ou riboflavina, auxilia na saúde da pele, pois ajuda a aumentar a produção de energia. Sua ausência pode provocar lesões na pele e nos lábios, dermatite, entre outras inflamações. Ela também impede o cabelo e as unhas de ficarem secos e quebradiços”, explica a especialista. Além disso, essa vitamina promove uma renovação celular mais acelerada, deixando a pele firme e saudável, o que combate rugas e marcas de expressão no rosto.

“O leite é a maior fonte de vitamina B2 que encontramos na natureza e deve fazer parte da dieta de quem busca retardar o envelhecimento da pele. Laticínios, como queijo e iogurte, também são boas fontes de B2”, diz Daniela Jobst. Mas as pessoas com alergia a lactose devem tomar cuidado com o consumo desses alimentos e devem procurar outras fontes da vitamina B2, como fígado e folhas verdes.

Vitamina A Vitamina B2 Vitamina B3 Vitamina B6 Vitamina C Vitamina E
O que combate acne rugas cravos lesões envelhecimento da pele envelhecimento da pele
Por que ajuda Balanceia a produção de secreções das glândulas sebáceas Aumenta a produção de energia pelas células Facilita a circulação sanguínea em todo o corpo Tem ação cicatrizante e age no sistema imunológico do corpo Que auxilia na formação do colágeno Protege as células da ação dos radicais livres
Fontes Abacate, brócolis, cenoura, espinafre Laticínios como queijo e iogurte Ovo e grãos Batata, banana, peito de frango semente de girassol salmão, atum e abacate Frutas cítricas, como laranja, limão, abacaxi e morango, além de vegetais como repolho, cebola e pimentão Alface, agrião, espinafre e couve, óleos vegetais

Cravos

Os cravos são formados pelo acúmulo de substâncias sebáceas nos poros da pele. Esse processo é mais comum quando o indivíduo tem má circulação, o que dificulta o transporte de nutrientes que possam dilatar os poros. A vitamina B3 é importante porque facilita a circulação sanguínea em todo o corpo, inclusive na pele, o que contribui para o metabolismo das gorduras, proteínas e carboidratos.

Envelhecimento

Famosa por ser usada na prevenção de gripe e resfriado, a vitamina C também traz benefícios às células da pele. Um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition examinou as relações entre a ingestão de nutrientes e o envelhecimento da pele em mais de quatro mil mulheres, com idade entre 40 e 74 anos. Foi constatado que a ingestão de vitamina C mais elevada estava associada a uma menor probabilidade de ter uma aparência enrugada e a pele ressecada. Isso acontece porque a vitamina C é um antioxidante natural que auxilia na formação do colágeno, responsável pela elasticidade e firmeza da pele. Segundo a nutricionista Daniela Jobst, a vitamina E também tem a função de antioxidante e protege as células da ação dos radicais livres, o que retarda o envelhecimento da pele.

vitamina C pode ser encontrada em frutas cítricas, como laranja, limão, abacaxi e morango, além de vegetais, como repolho, cebola e pimentão. Já verduras – como alface, agrião, espinafre e couve -, óleos vegetais, ovos, semente de girassol, soja, banana, carnes e oleaginosas são fontes de vitamina E.

Irritações e lesões na pele

Na hora se barbear ou depilar com gilete, é comum que a pele fique irritada, e em alguns casos, até lesionada. A vitamina B6 tem ação cicatrizante e age no sistema imunológico do corpo, protegendo a pele com inflamações, e também acelerando o processo de cicatrização das feridas. “Essa vitamina pode ser encontrada em batata, banana, peito de frango, semente de girassol, salmão, atum e abacate

Casamento civil: no cartório ou na casa de festas, saiba o que é preciso

Padrão

Casar no civil significa assinar um contrato. Pois é, a frase não parece muito romântica, mas é isso que acontece quando duas pessoas resolvem se unir. Para evitar contratempos às vésperas do casamento, saiba os documentos que você precisa apresentar, quanto pagar e em que período.

  • 1
    No cartório
    É preciso dar entrada no casamento civil cerca de 60 dias antes da data pretendida. Compareça ao cartório localizado no bairro onde um dos noivos reside e solicite o processo de habilitação. Neste momento, os solteiros devem apresentar carteira de identidade, CPF, certidão de nascimento e comprovante de residência. Também é preciso ter duas testemunhas maiores de idade. Os divorciados ainda precisam levar a certidão do casamento anterior com averbação do divórcio. Os valores variam de acordo com o estado, mas são tabelados. Em São Paulo, os cartórios cobram uma taxa de R$ 276,60 e no Rio de Janeiro o valor é de R$ 275,17.

  • 2
    Na casa de festas
    Quem pretende realizar uma cerimônia civil em uma casa de festas precisa desembolsar uma taxa para o deslocamento do juiz de paz. Em São Paulo, o custo de casar fora do cartório é de R$922. Noivos que nasceram em outra cidade ainda precisam entregar um formulário no cartório, que deve ser respondido e devolvido pelo órgão em até 15 dias.

  • 3
    Religioso com efeito civil
    Quem se casa na igreja não precisa, necessariamente, realizar a união civil antes da cerimônia. É possível casar apenas na igreja e ter direito ao registro. Neste caso, quem celebra o casamento religioso com efeito civil é uma autoridade religiosa (padre, rabino, pastor). Dirija-se ao cartório com 60 dias de antecedência e manifeste a vontade de realizar a união civil e religiosa ao mesmo tempo. Vocês receberão uma licença que deve ser entregue ao celebrante religioso e, após o casamento, precisam retornar com o documento ao cartório.

  • 4
    Nome e regime de bens
    Antes de decidir casar é bom conversar sobre o regime de bens e a vontade de mudar o nome de solteira. Hoje, homem e mulher podem, ou não, incluir o sobrenome do cônjuge. A mudança implica na solicitação de novos documentos, como passaporte, título de eleitor, CPF, carteira de identidade, motorista e trabalho. Também é neste momento que os noivos devem escolher o regime de bens, que varia entre comunhão parcial, total ou universal de bens e participação final nos aquestos. No Brasil, o modelo mais adotado é a comunhão parcial de bens, que vigora em todos os casamentos, caso os noivos não se manifestem. Neste regime de bens, tudo o que for adquirido após o casamento é considerado um bem comum ao casal (exceto heranças e doações). Os bens de antes do casamento continuam sendo propriedade de cada um dos noivos, separadamente.

Dieta, exercícios físicos e até profissão podem alterar a expectativa de vida

Padrão

Você pretende viver até quantos anos? E o que você está fazendo para ter uma vida saudável? De acordo com a médica especializada em anti-aging, “diversos fatores influenciam na saúde de uma pessoa e na sua longevidade, como herança genética, prática de exercícios físicos, alimentação, tabagismo e até a profissão que exerce”.

  • 1
    Sintomas
    O primeiro passo para analisar o histórico de vida do paciente é uma entrevista. Nesta primeira consulta são feitos questionamentos sobre o que o paciente sente e as doenças que já teve.  De posse deste histórico, é possível identificar, a partir de sintomas e resultados de exames, uma doença que pode estar em atividade, seja ela silenciosa ou não.

  • 2
    Estilo de vida
    O estilo de vida é responsável por grande parte das doenças. A boa notícia, é que podemos evitar que elas se desenvolvam, adotando hábitos mais saudáveis. Fumo, consumo de álcool, sedentarismo e outras práticas fazem mal à saúde e podem causar impacto na longevidade. O tipo de profissão exercida, a alimentação, qualidade do sono e a frequência dos exercícios físicos são parte importante desta primeira análise.

  • 3
    Herança genética
    As doenças de fundo hereditário são aquelas que acontecem com pai, mãe, avós, irmãos e tios, elevando a incidência nos descentes. Hoje já é possível evitar doenças hereditárias, a partir da manipulação do gen causador do problema. Ou seja, se uma pessoa tem um familiar próximo com determinada doença não significa que, necessariamente, filhos, sobrinhos e netos também desenvolverão o problema. Diabetes, alguns tipos de câncer, hipertensão, doenças do coração e taxas de colesterol e triglicérides elevadas podem ser evitadas desta forma.

O óleo de abacate é o novo óleo de coco?

Padrão

Recém-chegado ao mercado nacional, o óleo de abacate está na fila para se tornar o próximo modismo “saudável”. Novidade no segmento de produtos naturais, ele engrossa a lista de produtos ricos em ácidos graxos e esteróis, como o azeite de oliva e o óleo de coco, que vem ganhando adeptos. Em outras palavras, é alternativa aos óleos comumente utilizados na cozinha (milho, girassol, canola etc) e nova fonte de “gordura do bem”. Contém substâncias importantes para o equilíbrio do bom e do mau colesterol, assim como para controlar os níveis de glicose, ajudando a prevenir doenças cardiovasculares e diabetes.

Segundo pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), o óleo de abacate pode prevenir e controlar o nível de colesterol ruim e triglicérides no sangue. O estudo, publicado na Revista Ciência e Tecnologia de Alimentos, avaliou que a substância extraída da polpa da fruta pode ser excelente matéria-prima para a indústria de alimentos. Ainda segundo a coordenadora da pesquisa o óleo de abacate é uma boa fonte de vitamina E (30ml do óleo suprem 18% das necessidades diárias de um adulto), um poderoso antioxidante.

Abacate é um super alimento

No entanto, há quem defenda que o consumidor pode se beneficiar de tudo isso apenas consumindo a própria fruta. É o caso da nutricionista Andrea Santa Rosa. Segundo ela, o abacate é rico também em ômega 6 e 9, e é bom aliado para o emagrecimento e a redução do estresse. “É uma gordura anti-inflamatória, facilitando a utilização da glicose pelas células. Como lanche da tarde, traz saciedade para aquela fome oculta que surge de repente. Já ingerida à noite, por exemplo, ajuda a melhorar o sono, baixando o nível de cortisol. Uma noite reparadora é importante para quem está tentando perder peso”

na cozinha, se alterne o uso do óleo de abacate com o azeite de oliva e o óleo de coco no preparo de alimentos. Para não serem vítimas de modismos, a nutricionista sugere que os consumidores fiquem atentos às informações geralmente menos óbvias nos produtos, como procedência, composição e embalagem, que não deve ser de plástico.

Adeus infertilidade: Anote dez dicas importantes para você engravidar

Padrão

A infertilidade afeta cerca de 20% dos casais em idade reprodutiva. Nas últimas décadas tem sido notada uma diminuição nas taxas de fertilidade em função do aumento da idade das mulheres, fator atribuído principalmente à educação e à participação da mulher no mercado de trabalho. Assim, o desejo de gestação surge por volta dos 35 anos, idade que coincide com a diminuição da fertilidade feminina.

Portanto, devemos considerar o tempo como um aliado, uma vez que a idade da mulher é o principal fator que determina a gravidez, tanto espontânea quanto artificial. E, para não perder tempo, anote 10 dicas importantes para engravidar:

1- Não deixe para depois…

Se a mulher tem o desejo de ser mãe, não deve deixar para pensar nisso somente após os 35 anos, pois além de sofrer redução progressiva em sua fertilidade, estará mais propensa a apresentar malformações fetais, principalmente as malformações cromossômicas, das quais a mais frequente é a síndrome de Down. E isso é inevitável, pois não conseguimos parar o relógio do tempo!

2- Fique atento ao período fértil feminino…

O período fértil é quando ocorre a ovulação, havendo possibilidade de gravidez. Algumas mulheres apresentam, neste período, um muco vaginal claro ou uma dor pélvica (“dor de ovulação”). Entretanto, isso ocorre apenas durante cerca de cinco dias, no meio do ciclo menstrual (daí a taxa de gravidez na espécie humana, mesmo em casais férteis, ser de apenas 20% ao mês). É recomendado, então, que o casal que deseja engravidar tenha, no mínimo, três relações sexuais por semana.

3- Procure o ginecologista caso não tenha sucesso…

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o casal deve ser considerado infértil quando tenta engravidar por um ano sem sucesso. Caso a mulher tenha mais de 35 anos, este tempo deve ser reduzido para seis meses. Porém, atenção: isso não indica que a mulher deve usar hormônios indutores da ovulação! Indica que o casal deve ser investigado quanto às possíveis causas de infertilidade para depois receber o tratamento indicado.

4- A infertilidade é sempre do casal!

Ninguém é culpado por não haver gravidez. Esse sentimento é muito comum nos casais com dificuldade de engravidar. Portanto, ambos devem ser submetidos a exames diagnósticos, como perfil hormonal feminino, ultrassonografia transvaginal seriada, histerossalpingografia, espermograma, sorologias virais, entre outros. A infertilidade ocorre em 40% dos casos por fatores femininos, em 40% por fatores masculinos e em 10% por causas mistas. Em 10% dos casos não é possível encontrar uma causa (é a chamada Infertilidade Sem Causa Aparente – ISCA). Essa investigação é fundamental para que seja indicado o tipo de tratamento adequado ao casal.

5- Não se desespere se precisar do tratamento de reprodução assistida…

Muitos casais referem uma frustração ao receberem o diagnóstico de infertilidade, mas pense no lado positivo: os tratamentos evoluem a cada dia, para tornar cada vez mais alcançável o sonho da maternidade. São vários os tipos de tratamento, que se resumem, em graus crescentes de complexidade, em: Coito Programado, Inseminação Intra-Uterina (IIU), Fertilização In Vitro (FIV) e FIV com Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides (ICSI). Por se constituírem em tratamentos específicos, estes devem ser realizados por um especialista em infertilidade. Por serem técnicas avançadas, tais procedimentos devem ser realizados em uma clínica de reprodução com estrutura ampla e detalhada.

6- Casais com recursos financeiros limitados também podem realizar o tratamento…

O programa Acesso foi criado para permitir que casais com recursos financeiros limitados tenham “acesso” aos tratamentos de reprodução assistida, afinal, realizar o sonho de ter um filho não pode depender de classe econômica. Para tanto, o casal deve acessar o site e se cadastrar:
www.queroterumfilho.com.br

7- Existe esperança para mulheres com mais de 40 anos ou com baixa reserva ovariana…

Felizmente, o útero não envelhece como os ovários, o que permite a mulher receber óvulos doados de uma mulher com menos de 35 anos, e, após fertilização com o espermatozóide do seu marido, gerar o bebê até seu nascimento. Este processo, chamado Ovodoação, é permitido no Brasil, desde que a doadora seja anônima, também necessite se submeter ao tratamento e apresente características físicas e imunológicas compatíveis com a receptora.

8- Abaixo a ansiedade!

Muitos casais inférteis, especialmente aqueles submetidos à FIV, encontram-se sob forte estresse, o que pode reduzir a fertilidade, originando um ciclo vicioso que deve ser interrompido para que se obtenha gravidez.

9- A acupuntura pode ajudar…

Já está comprovado cientificamente que a acupuntura apresenta efeitos benéficos na infertilidade. Além de reduzir a ansiedade, ela tem ação sobre a ovulação, podendo melhorar a qualidade dos óvulos, e sobre a implantação do embrião, pelo aumento da vascularização do endométrio.

10- É possível engravidar aos 40 com óvulos próprios de 35 anos… 

Para as mulheres que não têm previsão para engravidar, a possibilidade de congelar óvulos para uso futuro é hoje muito viável. Com a técnica de vitrificação, as características dos óvulos são preservadas em quase 100%, fazendo com que a taxa de gravidez se mantenha. Essa alternativa tende a ser cada vez mais utilizada pela mulher moderna.

Os cinco exercícios que mais queimam calorias

Padrão
Todo mundo sabe que praticar exercícios regularmente previne doenças e espanta a depressão, mas é só surgir uma aula que promete queimar mais calorias para lotar academias pelo país. E você acha que apenas os exercícios aeróbios ajudam a emagrecer? “O que determina a queima calórica é o tempo e a intensidade do exercício. Uma sessão de musculação intensa pode gastar mais calorias do que uma caminhada leve, por exemplo”, . A seguir, veja os cinco exercícios que mais queimam calorias e escolha o seu:

  • 1
    Corrida
     a corrida continua no topo da lista. “Uma pessoa que corre 12 quilômetros em uma hora perde cerca de 750 calorias. É importante lembrar que, se você quer emagrecer, precisa acumular 3500 calorias gastas ao longo de uma semana, apenas com exercícios físicos. Isto significa praticar, diariamente, alguma atividade que gaste uma média de 500 calorias por hora”, explica o professor. mesmo a corrida intervalada está entra as modalidades que mais gastam calorias.

    Corredor amador: veja prós e contras dos diferentes terrenos

  • 2
    Hopping
    Na aula de hopping o grande destaque é o uso de um calçado esportivo, chamado kangoo jumps, que absorve 80% do impacto e impulsiona o corpo. “Em uma hora de aula é possível perder 600 calorias. Os exercícios ainda trabalham a musculatura dos membros inferiores, melhoram a postura e diminuem a celulite”. O hopping é praticado em grupo, com divertidas coreografias.

    Cross fit: conheça a modalidade
  • 3
    MMA Fitness
    Inspirada na prática de MMA, a aula trabalha diferentes grupamentos musculares, garantindo corpo definido e gasto calórico elevado. “Com movimentos inspirados no jiu-jitsu, muay thai, boxe e capoeira, é possível perder até 550 calorias em uma hora de aula” além de auxiliar na perda de peso, as lutas também trabalham outros aspectos importantes, como coordenação e resistência, além de estimular positivamente o sistema cardiovascular.

    Lutas para mulheres: confira os benefícios
  • 4
    Musculação
    Engana-se quem pensa que a musculação está entre as modalidades com menor queima calórica. “Em cerca de uma hora de aula é possível gastar 500 calorias. A grande vantagem da musculação é que ela promove gasto calórico mesmo quando o aluno está em repouso, ou seja, depois de praticar a atividade seu corpo continua queimando as reservas de gordura”

    Academia: veja os erros que você não quer cometer
  • 5
    Natação
    A natação queima muitas calorias sem o impacto provocado pela corrida e outros exercícios praticados no solo. Por este motivo, também é uma modalidade democrática, que pode ser praticada por quem sente dores nos joelhos ou coluna durante outras atividades. “Com uma hora de natação é possível perder 500 calorias. A atividade trabalha diferentes grupos musculares ao mesmo tempo, como membros inferiores, abdômen, costas e peitoral. A prática regular ainda melhora o sistema cardiovascular e respiratório”

Dor de cabeça: conheça dez causas

Padrão
Você costuma sentir dor de cabeça e já acha até normal? De acordo com o neurologista, o problema pode se tornar comum, mas normal, não é. “Muita gente acredita que ela faz parte da rotina. Mas se as dores são frequentes, intensas e trazem impacto na qualidade de vida é melhor procurar um especialista”. A seguir, conheça dez possíveis causas para o seu problema:

  • 1
    Tensão Pré-Menstrual (TPM)
    Neste período, a queda dos níveis de estrógeno no sangue da mulher podem provocar crises. “O problema pode surgir alguns dias da menstruação ou durante o período”., “o tratamento pode incluir a interrupção da menstruação com o uso contínuo de hormônios ou pílula anticoncepcional”.

    TPM: confira cinco dicas para aliviar os sintomas

  • 2
    Falta de cafeína
    Você bebe muito café e sente dor de cabeça quando não ingere a mesma quantidade? Segundo Abouch, “a pessoa que costuma ingerir mais de 200mg/dia de cafeína poderá sentir dor de cabeça se for privada do seu consumo”. Para evitar o problema, Leandro Teles recomenda consumir três xícaras modestas de café por dia. Vale lembrar que mate e chá verde ou preto também são bebidas ricas em cafeína.

    Café: quatro xícaras por dia reduzem em 25% a incidência de cancêr de útero, revela estudo
  • 3
    Não beber água
    Abouch explica que não beber água ao longo do dia pode provocar dor de cabeça. “Suar em excesso sem hidratar o organismo também provoca cefaleia”, diz o neurologista. Para evitar o problema, vale a recomendação de consumir dois litros de água por dia.

    Cinco motivos para beber água
  • 4
    Problemas nos dentes ou na mandíbula
    “São dores pontuais e precisam ser muito bem investigadas. Colocar aparelhos caríssimos ou placas de mordida pode não resolver o problema da dor de cabeça se ela não for causada por alterações na mordida ou nos dentes”. Segundo Leandro Teles, “o bruxismo provoca cefaleia porque a musculatura mastigatória fica em contratura, o que causa a chamada disfunção de ATMs (articulações temporomandibulares)”.

    Bruxismo pode ser tratado com toxina botulínica

  • 5
    Alimentação
     os queijos amarelos são ricos em substâncias, como a tiramina, que alteram a química cerebral. “Ela dilata os vasos cerebrais, provocando crises de dor de cabeça. O chocolate também contém moléculas que podem promover alterações semelhantes. Temperos prontos com glutamato monossódico, presentes em macarrão instantâneo e sopas prontas, frios e embutidos também podem causar cefaleia”. O ideal é não consumir estes alimentos em excesso.

  • 6
    Sinusite
    A inflamação e acúmulo de pressão nos chamados seios paranasais pode provocar dores de cabeça. “Em geral, uma pessoa que sofre de sinusite pode sentir muita dor de cabeça quando abaixa a cabeça ou se submete a despressurizações, como na cabine do avião”

    Sinusite pode ser causada por consumo de latícinios em excesso
  • 7
    Fome
    , o jejum prolongado pode provocar dor de cabeça tensional e precipitar o surgimento de crises de enxaqueca. “O problema é provocado pela queda de açúcar no sangue”pacientes mais suscetíveis não devem ficar mais de três horas sem comer.

    Refeições: conheça mitos e verdades
  • 8
    Mudança de temperatura
     calor e frio em excesso podem provocar crises de dor de cabeça. “A elevação ou queda de temperatura brusca também pode causar o problema”. Se você estiver na praia ou piscina, o médico recomenda molhar a cabeça com frequência e evitar a exposição direta prolongada.

  • 9
    Sono
    Dormir bem ajuda a controlar a pressão sanguínea, os batimentos cardíacos e evita crises de dor de cabeça. O ideal é encontrar o seu equilíbrio e acostumar-se a dormir sempre o mesmo número de horas por noite. “Dormir pouco ou muito pode resultar em dores de cabeça”
    Cinco coisas que você precisa saber para dormir melhor
  • 10
    Bebidas alcoólicas
    O álcool, de maneira geral, costuma provocar a dilatação dos vasos cerebrais. É por isso que a ressaca costuma vir acompanhada de dores de cabeça. “O vinho tinto costuma causar mais dor de cabeça no dia seguinte porque é rico em moléculas que alargam o calibre dos vasos do cérebro”