Arquivo diário: 15 outubro 2012

Seis vitaminas que ajudam a proteger contra problemas da pele

Padrão

Até os menos vaidosos ficam incomodados com problemas de pele, como acne, cravos e rugas profundas. Mesmo alguns cuidados, como evitar sair de casa sem passar protetor solar e a utilização de cremes antienvelhecimento, podem não ser o suficiente para deixar a pele jovem e saudável. “A pele também precisa de nutrição, principalmente a de quem tem histórico de problemas dermatológicos, como acne, espinhas e cravos” Dentre todos os nutrientes, as vitaminas ganham destaque, já que o consumo de algumas delas deixam a pele mais saudável e protegida da ação do tempo.

Acne- Espinhas

As espinhas, ou acne, formam-se porque há um entupimento no poro que drena para a superfície da pele as gorduras produzidas pela glândula sebácea. Esse tampão pode inflamar o poro, deixando as lesões avermelhadas, pustulosas e com aparência desagradável.”A vitamina A, também chamada de retinol ajuda na saúde da pele, pois tem ação antioxidante e auxilia na restauração de lesões na pele”, explica a nutricionista Daniela Jobst, da Unifesp. Esse nutriente também balanceia a produção de secreções das glândulas sebáceas, dificultando que os poros fiquem entupidos e inflamados.

A vitamina A pode ser encontrada com facilidade em alimentos consumidos no dia a dia, mas suas principais fontes são abacate, brócolis, cenoura, espinafre e outros legumes verdes.

Rugas

“A vitamina B2, ou riboflavina, auxilia na saúde da pele, pois ajuda a aumentar a produção de energia. Sua ausência pode provocar lesões na pele e nos lábios, dermatite, entre outras inflamações. Ela também impede o cabelo e as unhas de ficarem secos e quebradiços”, explica a especialista. Além disso, essa vitamina promove uma renovação celular mais acelerada, deixando a pele firme e saudável, o que combate rugas e marcas de expressão no rosto.

“O leite é a maior fonte de vitamina B2 que encontramos na natureza e deve fazer parte da dieta de quem busca retardar o envelhecimento da pele. Laticínios, como queijo e iogurte, também são boas fontes de B2”, diz Daniela Jobst. Mas as pessoas com alergia a lactose devem tomar cuidado com o consumo desses alimentos e devem procurar outras fontes da vitamina B2, como fígado e folhas verdes.

Vitamina A Vitamina B2 Vitamina B3 Vitamina B6 Vitamina C Vitamina E
O que combate acne rugas cravos lesões envelhecimento da pele envelhecimento da pele
Por que ajuda Balanceia a produção de secreções das glândulas sebáceas Aumenta a produção de energia pelas células Facilita a circulação sanguínea em todo o corpo Tem ação cicatrizante e age no sistema imunológico do corpo Que auxilia na formação do colágeno Protege as células da ação dos radicais livres
Fontes Abacate, brócolis, cenoura, espinafre Laticínios como queijo e iogurte Ovo e grãos Batata, banana, peito de frango semente de girassol salmão, atum e abacate Frutas cítricas, como laranja, limão, abacaxi e morango, além de vegetais como repolho, cebola e pimentão Alface, agrião, espinafre e couve, óleos vegetais

Cravos

Os cravos são formados pelo acúmulo de substâncias sebáceas nos poros da pele. Esse processo é mais comum quando o indivíduo tem má circulação, o que dificulta o transporte de nutrientes que possam dilatar os poros. A vitamina B3 é importante porque facilita a circulação sanguínea em todo o corpo, inclusive na pele, o que contribui para o metabolismo das gorduras, proteínas e carboidratos.

Envelhecimento

Famosa por ser usada na prevenção de gripe e resfriado, a vitamina C também traz benefícios às células da pele. Um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition examinou as relações entre a ingestão de nutrientes e o envelhecimento da pele em mais de quatro mil mulheres, com idade entre 40 e 74 anos. Foi constatado que a ingestão de vitamina C mais elevada estava associada a uma menor probabilidade de ter uma aparência enrugada e a pele ressecada. Isso acontece porque a vitamina C é um antioxidante natural que auxilia na formação do colágeno, responsável pela elasticidade e firmeza da pele. Segundo a nutricionista Daniela Jobst, a vitamina E também tem a função de antioxidante e protege as células da ação dos radicais livres, o que retarda o envelhecimento da pele.

vitamina C pode ser encontrada em frutas cítricas, como laranja, limão, abacaxi e morango, além de vegetais, como repolho, cebola e pimentão. Já verduras – como alface, agrião, espinafre e couve -, óleos vegetais, ovos, semente de girassol, soja, banana, carnes e oleaginosas são fontes de vitamina E.

Irritações e lesões na pele

Na hora se barbear ou depilar com gilete, é comum que a pele fique irritada, e em alguns casos, até lesionada. A vitamina B6 tem ação cicatrizante e age no sistema imunológico do corpo, protegendo a pele com inflamações, e também acelerando o processo de cicatrização das feridas. “Essa vitamina pode ser encontrada em batata, banana, peito de frango, semente de girassol, salmão, atum e abacate

Casamento civil: no cartório ou na casa de festas, saiba o que é preciso

Padrão

Casar no civil significa assinar um contrato. Pois é, a frase não parece muito romântica, mas é isso que acontece quando duas pessoas resolvem se unir. Para evitar contratempos às vésperas do casamento, saiba os documentos que você precisa apresentar, quanto pagar e em que período.

  • 1
    No cartório
    É preciso dar entrada no casamento civil cerca de 60 dias antes da data pretendida. Compareça ao cartório localizado no bairro onde um dos noivos reside e solicite o processo de habilitação. Neste momento, os solteiros devem apresentar carteira de identidade, CPF, certidão de nascimento e comprovante de residência. Também é preciso ter duas testemunhas maiores de idade. Os divorciados ainda precisam levar a certidão do casamento anterior com averbação do divórcio. Os valores variam de acordo com o estado, mas são tabelados. Em São Paulo, os cartórios cobram uma taxa de R$ 276,60 e no Rio de Janeiro o valor é de R$ 275,17.

  • 2
    Na casa de festas
    Quem pretende realizar uma cerimônia civil em uma casa de festas precisa desembolsar uma taxa para o deslocamento do juiz de paz. Em São Paulo, o custo de casar fora do cartório é de R$922. Noivos que nasceram em outra cidade ainda precisam entregar um formulário no cartório, que deve ser respondido e devolvido pelo órgão em até 15 dias.

  • 3
    Religioso com efeito civil
    Quem se casa na igreja não precisa, necessariamente, realizar a união civil antes da cerimônia. É possível casar apenas na igreja e ter direito ao registro. Neste caso, quem celebra o casamento religioso com efeito civil é uma autoridade religiosa (padre, rabino, pastor). Dirija-se ao cartório com 60 dias de antecedência e manifeste a vontade de realizar a união civil e religiosa ao mesmo tempo. Vocês receberão uma licença que deve ser entregue ao celebrante religioso e, após o casamento, precisam retornar com o documento ao cartório.

  • 4
    Nome e regime de bens
    Antes de decidir casar é bom conversar sobre o regime de bens e a vontade de mudar o nome de solteira. Hoje, homem e mulher podem, ou não, incluir o sobrenome do cônjuge. A mudança implica na solicitação de novos documentos, como passaporte, título de eleitor, CPF, carteira de identidade, motorista e trabalho. Também é neste momento que os noivos devem escolher o regime de bens, que varia entre comunhão parcial, total ou universal de bens e participação final nos aquestos. No Brasil, o modelo mais adotado é a comunhão parcial de bens, que vigora em todos os casamentos, caso os noivos não se manifestem. Neste regime de bens, tudo o que for adquirido após o casamento é considerado um bem comum ao casal (exceto heranças e doações). Os bens de antes do casamento continuam sendo propriedade de cada um dos noivos, separadamente.

Dieta, exercícios físicos e até profissão podem alterar a expectativa de vida

Padrão

Você pretende viver até quantos anos? E o que você está fazendo para ter uma vida saudável? De acordo com a médica especializada em anti-aging, “diversos fatores influenciam na saúde de uma pessoa e na sua longevidade, como herança genética, prática de exercícios físicos, alimentação, tabagismo e até a profissão que exerce”.

  • 1
    Sintomas
    O primeiro passo para analisar o histórico de vida do paciente é uma entrevista. Nesta primeira consulta são feitos questionamentos sobre o que o paciente sente e as doenças que já teve.  De posse deste histórico, é possível identificar, a partir de sintomas e resultados de exames, uma doença que pode estar em atividade, seja ela silenciosa ou não.

  • 2
    Estilo de vida
    O estilo de vida é responsável por grande parte das doenças. A boa notícia, é que podemos evitar que elas se desenvolvam, adotando hábitos mais saudáveis. Fumo, consumo de álcool, sedentarismo e outras práticas fazem mal à saúde e podem causar impacto na longevidade. O tipo de profissão exercida, a alimentação, qualidade do sono e a frequência dos exercícios físicos são parte importante desta primeira análise.

  • 3
    Herança genética
    As doenças de fundo hereditário são aquelas que acontecem com pai, mãe, avós, irmãos e tios, elevando a incidência nos descentes. Hoje já é possível evitar doenças hereditárias, a partir da manipulação do gen causador do problema. Ou seja, se uma pessoa tem um familiar próximo com determinada doença não significa que, necessariamente, filhos, sobrinhos e netos também desenvolverão o problema. Diabetes, alguns tipos de câncer, hipertensão, doenças do coração e taxas de colesterol e triglicérides elevadas podem ser evitadas desta forma.

O óleo de abacate é o novo óleo de coco?

Padrão

Recém-chegado ao mercado nacional, o óleo de abacate está na fila para se tornar o próximo modismo “saudável”. Novidade no segmento de produtos naturais, ele engrossa a lista de produtos ricos em ácidos graxos e esteróis, como o azeite de oliva e o óleo de coco, que vem ganhando adeptos. Em outras palavras, é alternativa aos óleos comumente utilizados na cozinha (milho, girassol, canola etc) e nova fonte de “gordura do bem”. Contém substâncias importantes para o equilíbrio do bom e do mau colesterol, assim como para controlar os níveis de glicose, ajudando a prevenir doenças cardiovasculares e diabetes.

Segundo pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), o óleo de abacate pode prevenir e controlar o nível de colesterol ruim e triglicérides no sangue. O estudo, publicado na Revista Ciência e Tecnologia de Alimentos, avaliou que a substância extraída da polpa da fruta pode ser excelente matéria-prima para a indústria de alimentos. Ainda segundo a coordenadora da pesquisa o óleo de abacate é uma boa fonte de vitamina E (30ml do óleo suprem 18% das necessidades diárias de um adulto), um poderoso antioxidante.

Abacate é um super alimento

No entanto, há quem defenda que o consumidor pode se beneficiar de tudo isso apenas consumindo a própria fruta. É o caso da nutricionista Andrea Santa Rosa. Segundo ela, o abacate é rico também em ômega 6 e 9, e é bom aliado para o emagrecimento e a redução do estresse. “É uma gordura anti-inflamatória, facilitando a utilização da glicose pelas células. Como lanche da tarde, traz saciedade para aquela fome oculta que surge de repente. Já ingerida à noite, por exemplo, ajuda a melhorar o sono, baixando o nível de cortisol. Uma noite reparadora é importante para quem está tentando perder peso”

na cozinha, se alterne o uso do óleo de abacate com o azeite de oliva e o óleo de coco no preparo de alimentos. Para não serem vítimas de modismos, a nutricionista sugere que os consumidores fiquem atentos às informações geralmente menos óbvias nos produtos, como procedência, composição e embalagem, que não deve ser de plástico.