Arquivo da categoria: Jornalismo

Como pretendo estudar jornalismo,irei usar esse espaço para dividir o pouco que sei e aprender com quem visitar o blog,mas é claro vou procurar trazer as noticias de maneira rapida,pratica e facil.

Chocolate: pequena quantidade, todos os dias, pode ajudar a emagrecer

Padrão

Você faz dieta e malha em dobro só para poder saborear um bombom após o almoço? Cientistas da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, descobriram que, além de conter benefícios para a saúde, o chocolate pode auxiliar na perda de peso. No estudo, os voluntários que comeram pequenas porções de chocolate, regularmente, apresentaram Índice de Massa Corporal (IMC) menor.

Chocolate seria capaz de acelerar o metabolismo
Os pesquisadores acreditam que os ingredientes do chocolate acelerem o metabolismo, ajudando a queimar gordura corporal, o que compensaria as calorias extras ingeridas com o doce. O estudo analisou os hábitos alimentares de 972 homens e mulheres, com idades entre 20 e 85 anos. Em média, os voluntários afirmaram consumir chocolate duas vezes na semana. A média dos participantes apresentava IMC 28, que é considerado sobrepeso.

Nos resultados, publicados no periódico Archives of Internal Medicine, os voluntários que comiam chocolate com frequência eram também aqueles que, diariamente, ingeriam mais gorduras saturadas e calorias, mas eram, justamente, aqueles com menor IMC. Para os cientistas, a resposta para o impacto sobre o peso final está na composição das calorias do alimento e não apenas na quantidade que é ingerida.

Na dúvida, escolha o chocolate amargo
A pesquisa não apontou qual a quantidade ou o tipo de chocolate considerado ideal para perder peso, mas outros estudos revelaram que a versão amarga ainda é capaz de equilibrar os níveis de colesterol e a pressão sanguínea. Os cientistas recomendam a ingestão diária de pequenos pedaços de chocolate amargo, mas ressaltam a importância de não exagerar, já que 100g representam 520 calorias a mais no cardápio.

 

Estudo sugere que consumo diário de chocolate reduz pressão arterial

Padrão

diminuição seria suficiente para proteger o coração

Depois de revelar que comer chocolate pode até ajudar a emagrecer, um novo estudo sobre o alimento mostrou que ele pode realmente baixar a pressão arterial. De acordo com pesquisadores do Instituto Nacional de Medicina Integrativa em Melbourne, na Austrália, a redução é pequena, mas suficiente para proteger contra doenças cardiovasculares.



Na pesquisa, todos os voluntários apresentaram redução da pressão

Durante a pesquisa, 856 pessoas consumiram porções diárias de 3 a 105 gramas de chocolate, durante oito semanas. Todos os voluntários, inclusive aqueles que comeram menos, apresentaram alguma queda na pressão arterial. Em média, a pressão arterial considerada ideal gira em torno valor de 120/80 mmHg, popularmente conhecida como “12 por 8”. O estudo sugere que o consumo de chocolate foi capaz de reduzir a pressão sistólica (maior valor) em até 3 mmHg.

Segundo os cientistas, o mecanismo que promove a redução da pressão arterial ainda não está claro, mas eles acreditam que os flavonoides presentes no cacau sejam responsáveis por aumentar os níveis de óxido nítrico no organismo. A substância seria capaz de relaxar e dilatar os vasos sanguíneos, reduzindo a pressão sanguínea e o risco de doenças cardiovasculares, como derrames e infartos.

Feijão, uva e maçã também são fontes ricas em flavonoides
A grande quantidade de calorias seria o ponto negativo do consumo diário de chocolate, que contém cerca de 500 calorias em 100 gramas. Para evitar o ganho de peso, que também prejudica a função cardíaca, os cientistas recomendam a ingestão de outros alimentos ricos em flavonoides, como feijão, damasco, amora, uva e maçã.

Doce melhoraria agilidade mental de idosos
Esta semana, a revista da Associação Americana do Coração indicou que o chocolate pode melhorar a cognição de idosos, diminuindo o risco de demência e Alzheimer. Nesta pesquisa, 90 voluntários com 70 anos de idade consumiram bebidas à base de chocolate com grande concentração de cacau. Após oito semanas, testes verificaram melhora na memória e agilidade mental dos participantes, que ainda apresentaram queda nas taxas de açúcar no sangue.

 

Noticias sobre o Blog

Padrão

Olá gente

Preciso agradecer a todos que estão passando por aqui e estão gostando do blog, deixando comentários…muito bacana mesmo, obrigada galera

Fazendo esse post hoje venho informar aos meus leitores e visitantes que em breve estarei fazendo um boom de materias sobre chocolate

Estou buscando pesquisas, informações e reunindo tudo em materias bem simples e objetivas para trazer informações valiosas para vocês

Afinal Natal está chegando e quem não gosta de chocolate né 🙂

Logo logo o Blog estará cheio de novidades galera

Aguardem e não deixem de visitar o Regganata

Abraços

Renata Ramone

Pipoca possui mais antioxidantes do que frutas e legumes, revela estudo

Padrão

A pipoca já havia saído da lista negra dos petiscos, já que, quando preparada com pouca gordura, contém cerca de 160 calorias em 100g. A novidade é que ela pode ser uma excelente fonte de antioxidantes. De acordo com pesquisadores da Universidade de Scranton, na Pensilvânia, a pipoca possui mais polifenóis do que frutas e legumes.

Polifenóis também são encontrados no vinho tinto e chocolate
De acordo os cientistas, uma porção de 33g pipoca pode conter até 300mg de antioxidantes, quase o dobro das frutas, que carregam 160mg da substância em porções de 80g. Os polifenóis agem contra os danos causados pelos radicais livres, combatendo o envelhecimento precoce e prevenindo doenças generativas. Estudos anteriores sugerem que essa substância também é encontrada no vinho tinto, chá verde e chocolate amargo.

Para os cientistas, a pipoca é uma boa fonte de polifenóis porque possui apenas 4% de água. Legumes e frutas também são fontes da substância, mas como sua composição pode chegar a 90% de água, ela não seria tão concentrada. Na pipoca, a mais alta concentração de polifenóis pode ser encontrada na película dura e marrom – aquela que pode causar uma sensação incômoda entre os dentes. Rica em fibras, uma porção de pipoca pode oferecer mais de 70% do consumo diário de grãos integrais recomendado por médicos e nutricionistas. Mais uma vez, a casca que costuma ser descartada é considerada a fonte principal de fibras.

Pipoca deve ser preparada em aparelhos a vapor, sem gordura
Mas se você quer aproveitar os benefícios da pipoca sem ganhar quilos extras, prefira preparar os grãos em aparelhos próprios, que usam o vapor para estourar o milho. Saborear o petisco no cinema ou optar pelos grãos específicos para micro-ondas acrescentam o dobro de calorias, transformando-o em uma bomba calórica. Os cientistas também ressaltam a importância de consumir frutas e legumes, já que a pipoca não possui todas as vitaminas e minerais encontrados nestes alimentos.

 

Alimentos saudáveis podem ajudar na prevenção do câncer de mama

Padrão

Em teoria, todo mundo deveria seguir uma dieta balanceada com muitas frutas, verduras, legumes e grãos formando um prato bastante colorido. Na prática, entretanto, as coisas funcionam de forma bem diferente e a maioria das pessoas só percebe a importância dos bons hábitos alimentares quando aparece alguma doença. Entre elas, o câncer de mama.

Veja alguns alimentos que previnem o câncer de mama:

Feijão é rico em fitoestrogênio: o consumo limita o efeito prejudicial dos hormônios da menopausa.

O tofu também é rico em fitoestrogênio que atenua a mudança hormonal, um dos gatilhos do câncer de mama.

Castanha-do-pará: ajuda a proteger contra o câncer, por ser rica em lignina.

As amoras possuem licopeno, pigmentos protetores por reforçarem a imunidade do organismo.

Ervilhas: têm fitoestrogênio ideias para equilibrar a ação negativa do estrogênio.

Use azeite de oliva no preparo dos alimentos porque eles reduzem as substâncias gordurosas causadoras de câncer.

Os pães e massas integrais favorecem a mulher pois são riscos em componentes antioxidantes.

Beterraba é rica em flavanoides e um fotoquímico indicado na prevenção ao câncer de mama.

Morangos: também são ricos em licopenos e flavanoides, que atuam no equilíbrio hormonal.

Tomate: contém licopeno, substância que protege ação dos radicais livres.

Maçã é rica em flavanoides, que reforça a proteção do organismo em especial após a menopausa.

melancia contém licopeno que previne a oxidação das células.

 

 

Dieta, exercícios físicos e até profissão podem alterar a expectativa de vida

Padrão

Você pretende viver até quantos anos? E o que você está fazendo para ter uma vida saudável? De acordo com a médica especializada em anti-aging, “diversos fatores influenciam na saúde de uma pessoa e na sua longevidade, como herança genética, prática de exercícios físicos, alimentação, tabagismo e até a profissão que exerce”.

  • 1
    Sintomas
    O primeiro passo para analisar o histórico de vida do paciente é uma entrevista. Nesta primeira consulta são feitos questionamentos sobre o que o paciente sente e as doenças que já teve.  De posse deste histórico, é possível identificar, a partir de sintomas e resultados de exames, uma doença que pode estar em atividade, seja ela silenciosa ou não.

  • 2
    Estilo de vida
    O estilo de vida é responsável por grande parte das doenças. A boa notícia, é que podemos evitar que elas se desenvolvam, adotando hábitos mais saudáveis. Fumo, consumo de álcool, sedentarismo e outras práticas fazem mal à saúde e podem causar impacto na longevidade. O tipo de profissão exercida, a alimentação, qualidade do sono e a frequência dos exercícios físicos são parte importante desta primeira análise.

  • 3
    Herança genética
    As doenças de fundo hereditário são aquelas que acontecem com pai, mãe, avós, irmãos e tios, elevando a incidência nos descentes. Hoje já é possível evitar doenças hereditárias, a partir da manipulação do gen causador do problema. Ou seja, se uma pessoa tem um familiar próximo com determinada doença não significa que, necessariamente, filhos, sobrinhos e netos também desenvolverão o problema. Diabetes, alguns tipos de câncer, hipertensão, doenças do coração e taxas de colesterol e triglicérides elevadas podem ser evitadas desta forma.

Adeus infertilidade: Anote dez dicas importantes para você engravidar

Padrão

A infertilidade afeta cerca de 20% dos casais em idade reprodutiva. Nas últimas décadas tem sido notada uma diminuição nas taxas de fertilidade em função do aumento da idade das mulheres, fator atribuído principalmente à educação e à participação da mulher no mercado de trabalho. Assim, o desejo de gestação surge por volta dos 35 anos, idade que coincide com a diminuição da fertilidade feminina.

Portanto, devemos considerar o tempo como um aliado, uma vez que a idade da mulher é o principal fator que determina a gravidez, tanto espontânea quanto artificial. E, para não perder tempo, anote 10 dicas importantes para engravidar:

1- Não deixe para depois…

Se a mulher tem o desejo de ser mãe, não deve deixar para pensar nisso somente após os 35 anos, pois além de sofrer redução progressiva em sua fertilidade, estará mais propensa a apresentar malformações fetais, principalmente as malformações cromossômicas, das quais a mais frequente é a síndrome de Down. E isso é inevitável, pois não conseguimos parar o relógio do tempo!

2- Fique atento ao período fértil feminino…

O período fértil é quando ocorre a ovulação, havendo possibilidade de gravidez. Algumas mulheres apresentam, neste período, um muco vaginal claro ou uma dor pélvica (“dor de ovulação”). Entretanto, isso ocorre apenas durante cerca de cinco dias, no meio do ciclo menstrual (daí a taxa de gravidez na espécie humana, mesmo em casais férteis, ser de apenas 20% ao mês). É recomendado, então, que o casal que deseja engravidar tenha, no mínimo, três relações sexuais por semana.

3- Procure o ginecologista caso não tenha sucesso…

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o casal deve ser considerado infértil quando tenta engravidar por um ano sem sucesso. Caso a mulher tenha mais de 35 anos, este tempo deve ser reduzido para seis meses. Porém, atenção: isso não indica que a mulher deve usar hormônios indutores da ovulação! Indica que o casal deve ser investigado quanto às possíveis causas de infertilidade para depois receber o tratamento indicado.

4- A infertilidade é sempre do casal!

Ninguém é culpado por não haver gravidez. Esse sentimento é muito comum nos casais com dificuldade de engravidar. Portanto, ambos devem ser submetidos a exames diagnósticos, como perfil hormonal feminino, ultrassonografia transvaginal seriada, histerossalpingografia, espermograma, sorologias virais, entre outros. A infertilidade ocorre em 40% dos casos por fatores femininos, em 40% por fatores masculinos e em 10% por causas mistas. Em 10% dos casos não é possível encontrar uma causa (é a chamada Infertilidade Sem Causa Aparente – ISCA). Essa investigação é fundamental para que seja indicado o tipo de tratamento adequado ao casal.

5- Não se desespere se precisar do tratamento de reprodução assistida…

Muitos casais referem uma frustração ao receberem o diagnóstico de infertilidade, mas pense no lado positivo: os tratamentos evoluem a cada dia, para tornar cada vez mais alcançável o sonho da maternidade. São vários os tipos de tratamento, que se resumem, em graus crescentes de complexidade, em: Coito Programado, Inseminação Intra-Uterina (IIU), Fertilização In Vitro (FIV) e FIV com Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides (ICSI). Por se constituírem em tratamentos específicos, estes devem ser realizados por um especialista em infertilidade. Por serem técnicas avançadas, tais procedimentos devem ser realizados em uma clínica de reprodução com estrutura ampla e detalhada.

6- Casais com recursos financeiros limitados também podem realizar o tratamento…

O programa Acesso foi criado para permitir que casais com recursos financeiros limitados tenham “acesso” aos tratamentos de reprodução assistida, afinal, realizar o sonho de ter um filho não pode depender de classe econômica. Para tanto, o casal deve acessar o site e se cadastrar:
www.queroterumfilho.com.br

7- Existe esperança para mulheres com mais de 40 anos ou com baixa reserva ovariana…

Felizmente, o útero não envelhece como os ovários, o que permite a mulher receber óvulos doados de uma mulher com menos de 35 anos, e, após fertilização com o espermatozóide do seu marido, gerar o bebê até seu nascimento. Este processo, chamado Ovodoação, é permitido no Brasil, desde que a doadora seja anônima, também necessite se submeter ao tratamento e apresente características físicas e imunológicas compatíveis com a receptora.

8- Abaixo a ansiedade!

Muitos casais inférteis, especialmente aqueles submetidos à FIV, encontram-se sob forte estresse, o que pode reduzir a fertilidade, originando um ciclo vicioso que deve ser interrompido para que se obtenha gravidez.

9- A acupuntura pode ajudar…

Já está comprovado cientificamente que a acupuntura apresenta efeitos benéficos na infertilidade. Além de reduzir a ansiedade, ela tem ação sobre a ovulação, podendo melhorar a qualidade dos óvulos, e sobre a implantação do embrião, pelo aumento da vascularização do endométrio.

10- É possível engravidar aos 40 com óvulos próprios de 35 anos… 

Para as mulheres que não têm previsão para engravidar, a possibilidade de congelar óvulos para uso futuro é hoje muito viável. Com a técnica de vitrificação, as características dos óvulos são preservadas em quase 100%, fazendo com que a taxa de gravidez se mantenha. Essa alternativa tende a ser cada vez mais utilizada pela mulher moderna.