Arquivo da tag: absorvente

Uso absorvente de pano pelo bem do planeta

Padrão

Além de confortável e ecológico, ele funciona mesmo. Lavou, tá novo!

Um dia, minha amiga Diana me contou que um absorvente descartável leva cerca de 100 anos pra desaparecer no solo. Como se não bastasse, ele ainda libera um material cancerígeno e inflamável. 

A Diana começou a procurar alternativas para não poluir tanto o planeta e descobriu na internet que já existia um absorvente de pano no mercado. Como não o encontrou em nenhuma loja no Brasil, resolveu produzi-lo. E a ideia acabou se espalhando entre as amigas.
 
Questão de consciência 

Eu aderi de cara. Adorei a novidade ecológica. E, como a Diana foi morar nos Estados Unidos e eu já gostava mesmo de costurar, resolvi assumir o negócio. Faço absorventes íntimos pra clientes de todo o Brasil. É verdade que o lucro é modesto – mais ou menos R$ 300 por mês -, mas é porque a maioria das mulheres ainda prefere usar o descartável. Enfim, aí é uma questão de consciência. 

Eu divulgo meu trabalho com orgulho, porque acredito que a mulherada precisa mudar a mentalidade. Se quisermos preservar o nosso planeta, temos que mudar as atitudes do dia a dia. Aliás, pra fazer a diferença, o ideal é que todo mundo trocasse não só seus absorventes, como as fraldas dos filhos por aquelas feitas de pano também. O importante é produzir menos lixo, reutilizar e reciclar!

1. Antes de desconfiar da eficiência, experimente. As mulheres se surpreendem com o resultado.
 
2. O formato é parecido com o dos descartáveis. A superfície que fica em contato com o corpo é de flanela e a absorção é feita por várias camadas de tecido de algodão, que ficam no interior da peça.

3. Eles são presos na calcinha com botões fixados nas abas. 

4. Lavar é simples: basta colocar de molho em água com sabão e lavar na máquina. 

5. São necessários de 6 a 10 absorventes de pano por ciclo. Vendo por R$ 13 cada. 

6. Duram até sete anos. Quando vão ao lixo, levam só um ano pra se decompor. 

7. No fim, custam 3 vezes menos!

 

 Fonte: http://mdemulher.abril.com.br