Arquivo da tag: Acne

Seis vitaminas que ajudam a proteger contra problemas da pele

Padrão

Até os menos vaidosos ficam incomodados com problemas de pele, como acne, cravos e rugas profundas. Mesmo alguns cuidados, como evitar sair de casa sem passar protetor solar e a utilização de cremes antienvelhecimento, podem não ser o suficiente para deixar a pele jovem e saudável. “A pele também precisa de nutrição, principalmente a de quem tem histórico de problemas dermatológicos, como acne, espinhas e cravos” Dentre todos os nutrientes, as vitaminas ganham destaque, já que o consumo de algumas delas deixam a pele mais saudável e protegida da ação do tempo.

Acne- Espinhas

As espinhas, ou acne, formam-se porque há um entupimento no poro que drena para a superfície da pele as gorduras produzidas pela glândula sebácea. Esse tampão pode inflamar o poro, deixando as lesões avermelhadas, pustulosas e com aparência desagradável.”A vitamina A, também chamada de retinol ajuda na saúde da pele, pois tem ação antioxidante e auxilia na restauração de lesões na pele”, explica a nutricionista Daniela Jobst, da Unifesp. Esse nutriente também balanceia a produção de secreções das glândulas sebáceas, dificultando que os poros fiquem entupidos e inflamados.

A vitamina A pode ser encontrada com facilidade em alimentos consumidos no dia a dia, mas suas principais fontes são abacate, brócolis, cenoura, espinafre e outros legumes verdes.

Rugas

“A vitamina B2, ou riboflavina, auxilia na saúde da pele, pois ajuda a aumentar a produção de energia. Sua ausência pode provocar lesões na pele e nos lábios, dermatite, entre outras inflamações. Ela também impede o cabelo e as unhas de ficarem secos e quebradiços”, explica a especialista. Além disso, essa vitamina promove uma renovação celular mais acelerada, deixando a pele firme e saudável, o que combate rugas e marcas de expressão no rosto.

“O leite é a maior fonte de vitamina B2 que encontramos na natureza e deve fazer parte da dieta de quem busca retardar o envelhecimento da pele. Laticínios, como queijo e iogurte, também são boas fontes de B2”, diz Daniela Jobst. Mas as pessoas com alergia a lactose devem tomar cuidado com o consumo desses alimentos e devem procurar outras fontes da vitamina B2, como fígado e folhas verdes.

Vitamina A Vitamina B2 Vitamina B3 Vitamina B6 Vitamina C Vitamina E
O que combate acne rugas cravos lesões envelhecimento da pele envelhecimento da pele
Por que ajuda Balanceia a produção de secreções das glândulas sebáceas Aumenta a produção de energia pelas células Facilita a circulação sanguínea em todo o corpo Tem ação cicatrizante e age no sistema imunológico do corpo Que auxilia na formação do colágeno Protege as células da ação dos radicais livres
Fontes Abacate, brócolis, cenoura, espinafre Laticínios como queijo e iogurte Ovo e grãos Batata, banana, peito de frango semente de girassol salmão, atum e abacate Frutas cítricas, como laranja, limão, abacaxi e morango, além de vegetais como repolho, cebola e pimentão Alface, agrião, espinafre e couve, óleos vegetais

Cravos

Os cravos são formados pelo acúmulo de substâncias sebáceas nos poros da pele. Esse processo é mais comum quando o indivíduo tem má circulação, o que dificulta o transporte de nutrientes que possam dilatar os poros. A vitamina B3 é importante porque facilita a circulação sanguínea em todo o corpo, inclusive na pele, o que contribui para o metabolismo das gorduras, proteínas e carboidratos.

Envelhecimento

Famosa por ser usada na prevenção de gripe e resfriado, a vitamina C também traz benefícios às células da pele. Um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition examinou as relações entre a ingestão de nutrientes e o envelhecimento da pele em mais de quatro mil mulheres, com idade entre 40 e 74 anos. Foi constatado que a ingestão de vitamina C mais elevada estava associada a uma menor probabilidade de ter uma aparência enrugada e a pele ressecada. Isso acontece porque a vitamina C é um antioxidante natural que auxilia na formação do colágeno, responsável pela elasticidade e firmeza da pele. Segundo a nutricionista Daniela Jobst, a vitamina E também tem a função de antioxidante e protege as células da ação dos radicais livres, o que retarda o envelhecimento da pele.

vitamina C pode ser encontrada em frutas cítricas, como laranja, limão, abacaxi e morango, além de vegetais, como repolho, cebola e pimentão. Já verduras – como alface, agrião, espinafre e couve -, óleos vegetais, ovos, semente de girassol, soja, banana, carnes e oleaginosas são fontes de vitamina E.

Irritações e lesões na pele

Na hora se barbear ou depilar com gilete, é comum que a pele fique irritada, e em alguns casos, até lesionada. A vitamina B6 tem ação cicatrizante e age no sistema imunológico do corpo, protegendo a pele com inflamações, e também acelerando o processo de cicatrização das feridas. “Essa vitamina pode ser encontrada em batata, banana, peito de frango, semente de girassol, salmão, atum e abacate

Veja 5 cuidados indicados para a pele com acne no verão

Padrão
  • 1
    Filtro solar
    Quem tem pele com acne e não perde uma praia no verão deve atentar para o tipo de filtro solar utilizado. os produtos mais indicados são aqueles com fórmula livre de óleo. Segundo ela, os filtros cremosos deixam a pele mais gordurosa – o que obstrui os poros e contribui para o aumento dos cravos e espinhas. “Hoje em dia, o mercado oferece até produtos com substâncias ativas contra a acne”

    Descubra qual protetor solar é mais indicado para você
  • 2
    Pegue leve no sol
    “Muita gente acredita no mito de que o sol faz bem para a acne”

    Segundo ela, uma leve exposição aos raios pode até ser saudável, mas em exagero provoca o ressecamento do rosto.Para compensar esse ressecamento, a pele produz mais óleo.

    Além disso, explica Paula, o sol sobre as lesões da acne pode deixar a pele manchada. Cuidado!

  • 3
    Alimentação
    Nesta época de sol forte, evite produtos industrializados e abuse dos alimentos leves e saudáveis, como verduras, legumes, raízes e frutas. 

    Produtos a base de farinha de trigo, como pão e massa, possuem alto índice glicêmico. Paula explica que isso aumenta a liberação de insulina no sangue e, consequentemente, a pele fica ainda mais oleosa.

    Receita em vídeo: salada de grão-de-bico com ervas

  • 4
    Limpeza e lavagem da pele
    Paula diz que toda espinha começa como um cravo e, por isso, alimpeza de pele – que elimina os cravos – pode ser feita normalmente no verão. No entanto, é preciso ter cuidado porque o procedimento deixa a pele mais sensível, o que pode ser prejudicial se o rosto for muito exposto ao sol forte. Outra dica da dermatologista é controlar o impulso de lavar o rosto várias vezes ao dia com sabonete, porque a pele irá produzir mais óleo para compensar o ressecamento. “Lavar duas ou três vezes ao dia é o ideal”

    Vídeo: dicas para disfarçar a acne com maquiagem

  • 5
    Medicação
    Quem sofre de acne deve ter atenção redobrada mesmo com o tratamento que faz regularmente para combater o problema. Isso porque algumas medicações podem afetar a pele de modo que a torne muito sensível ao sol.


     

Acne e alimentação:mito?

Padrão

Será que os alimentos realmente influenciam no surgimento dos cravos e espinhas na pele? A resposta dada pelos médicos é a mesma: não existem dados que comprovem tal relação. No entanto, talvez agora haja evidências concretas de que a relação é verdadeira, sim. Um estudo recente da Universidade de Melbourne, na Austrália, apontou que o consumo de certos alimentos pode desencadear ou apenas acentuar o aparecimento das acnes. Na pesquisa, dois grupos com tendência a apresentar espinhas foram submetidos a dietas diferentes. Um deles consumiu alimentos com alto índice glicêmico (que elevam os níveis de açúcar no sangue), enquanto o outro ingeriu apenas produtos com liberam glicose lentamente na circulação. Rsultado: as acnes nas pessoas do primeiro grupo pioraram significativamente. Os especialistas concluíram, então, que uma dieta composta por alimentos que elevam rapidamente a taxa de glicose no sangue podem favorecer o aumento dos casos de cravos e espinhas. O fenômeno seria explicado pela ação da insulina, hormônio que controla a taxa de açúcar no organismo e interfere em outras substâncias, inclusive naquelas ligadas ao surgimento da acne.
Para aqueles que sofrem com o problema, é fundamental controlar a alimentação e consultar um dermatologista o quanto antes. Nos casos mais graves, o tratamento mais eficaz é o uso de isotretinoína, substância derivada da vitamina A.

Acabe de vez com as espinhas

Padrão

Existem muitos produtos no mercado para tratar a acne, muitos deles sem que os efeitos tenham sido comprovados cientificamente. Contudo, uma combinação de tratamentos pode reduzir muito a gravidade da acne na maioria dos casos. Os tratamentos que são mais efetivos devem ser acompanhados de perto por um dermatologista porque possuem uma maior possibilidade de efeitos colaterais. Deve-se consultar um médico especializado para escolher qual tratamento utilizar, principalmente quando utilizados em combinação. Alguns tratamentos que se mostraram efetivos:

Esfoliação da pele

A esfoliação da pele pode ser feita tanto de maneira mecânica quanto através de substâncias químicas como o peróxido de benzoíla e ácido salicílico. Elas atuam prevenindo o acúmulo de células mortas e também ajudam na desobstrução de poros afetados. Dentre os tratamentos tópicos, o peróxido de benzoíla e o ácido salicílico são as medicações mais eficientes. No entanto, o uso deles não pode ser exagerado, correndo o risco de trazer mais oleosidade ainda à pele.

Antibióticos tópicos e orais

A aplicação de antibióticos na região afetada, utilizando-se cremes e loções a base de eritromicina e ácido fusídico pode ser bastante eficaz. Eles atuam matando as bactérias – notadamente, P. acnes – que se alojam no orifício do folículo piloso. Há também antibióticos orais, que são utilizados em casos mais graves e têm efeito melhor.

O uso de antibióticos tem se tornado menos eficiente na medida em que bactérias P. acnes resistentes têm se tornado mais comuns. A acne geralmente irá reaparecer em alguns dias após o fim do tratamento tópico e algumas semanas após o oral.

Tratamento hormonal

Nas mulheres, é possível a aplicação de tratamento hormonal, que consiste na ingestão de contraceptivos orais (hormônios femininos) que neutralizam os efeitos de excessos de hormônios masculinos.

Retinóides tópicos

Os retinóides tópicos agem na normalização do ciclo de vida das células do folículo, dissolvendo e prevenindo a formação de comedões. Eles não impedem a produção de sebo. Estão relacionados à vitamina A (retinóides significa semelhantes ao retinol – que é justamente o nome químico da vitamina A).

Retinóides orais

Consiste na ingestão diária de retinóides como a isotretinoína durante um período de 4 a 6 meses. A isotretinoína tem se mostrado muito eficiente; no entanto, pode causar efeitos colaterais perigosos. Por isto, só deve ser utilizada no tratamento da acne severa ou muito resistente.

O tratamento requer um acompanhamento médico bem próximo de um dermatologista devido justamente aos efeitos colaterais (os quais podem ser graves). Os efeitos colaterais mais comuns são a desidratação da pele e sangramentos nasais (conseqüentes da desidratação da mucosa nasal). Há relatos de que a substância possa prejudicar o fígado dos pacientes. Por esse motivo, é fundamental que os pacientes façam exames de sangue antes e durante o tratamento. Existem alguns relatos que comprovam que a droga pode gerar depressão,. A droga também pode causar graves defeitos em fetos se as mulheres se submeterem ao tratamento antes ou durante a gravidez como defeitos na face, nas orelhas, no coração e no sistema nervoso do feto. Por essa razão o tratamento das mulheres é acompanhado por métodos contraceptivos ou abstinência sexual.

Agentes básicos

Algumas soluções inorgânicas de caráter básico, como o bicarbonato de sódio (NaHCO3) têm se mostrado eficazes no controle da oleosidade da pele em aplicações tópicas seguidas. Como o sebo nada mais é que um conjunto de ácidos graxos, estas substâncias aplicadas agem na neutralização destes ácidos, formando sais orgânicos que não servem de alimento para as bactérias e não têm aspecto oleoso.

Cura

Embora existam métodos que levem à sua diminuição ou extinção, não existe uma cura específica, pois a acne não é uma doença específica. Sendo uma doença com base em outros eventos, a sua cura tem ramificações, daí a existência de metodologias. Reconhece-se o peróxido de benzoíla eficaz contra a bactéria da acne, que normalmente diminui com a idade, acabando depois dos 20 anos. Em casos especificos, ela pode surgir mesmo depois da adolescência, desencadeada por um desequilíbrio hormonal, mais comumente apresentado em mulheres.

Cuidados com a acne

A limpeza com produtos pesados pode piorar o estado clínico porque irritam a pele. A acne não aparece por causa da pele estar suja. Deve ser evitado o uso de maquiagem. Lavar o rosto pelo menos 3 vezes ao dia.

Fonte: Wikipédia

Acne tardia

Padrão

É, mas não pense que o fim da puberdade é sinônimo de que a era da acne foi encerrada. Só para se ter uma idéia, nada menos do que 30% da população adulta feminina – principalmente a partir dos 25 anos – sofre com a doença, que pipoca em regiões como rosto, queixo e pescoço, em forma de espinhas bem dolorosas. Existem duas péssimas notícias para quem sofre com elas: uma é que a acne piora bastante no período da TPM; outra é que ela não melhora com tratamentos convencionais e precisa de remédios com ação mais específica sobre os hormônios. Ué, mas por que essa acne resolve aparecer tão tarde? Não existe uma explicação definitiva, mas há palpites de que esteja relacionada ao estresse, ao uso de cosméticos muito gordurosos e, claro, às alterações hormonais. “Algumas mulheres não apresentam predisposição, mas na idade adulta acabam apresentando alguma doença hormonal, como um tumor no ovário ou um ovário policístico, por exemplo. Isso faz com que aumentem os hormônios masculinos, causando o aparecimento de cravos e espinhas”, explica a dermatologista Denise Steiner. O tratamento, nesse caso, pode ser feito com pílulas anticoncepcionais com progesterona, com ação anti-androgênica, ou seja: contra os hormônios masculinos.

Cuidados

Por mais que a gente não resista à tentação de dar aquela cutucadinha nas feridas, a melhor maneira de resolver o drama da acne é comparecendo ao consultório de um dermatologista. “O diagnóstico é clínico e o tratamento é feito de acordo com o grau, a intensidade e o comprometimento da pele pela acne. Só depois disso é que vai ser decidido qual será o método utilizado: antibióticos, medicamentos à base de vitamina A ou somente esfoliantes e secativos”, explica a dermatologista. Para ela, as receitas caseiras não são nem um pouco recomendadas. “Dependendo da substância utilizada, pode até haver piora”, alerta a médica.

Claro que, na guerra contra a acne, algumas coisas podem ser feitas em casa mesmo. A limpeza da pele, por exemplo. Lavar diariamente a região afetada com sabonete neutro ou específico para peles oleosas, por exemplo, já é um grande passo. Quanto mais limpa a pele, menor a possibilidade de agravamento da acne. Outro detalhe que deve ser bem observado é a composição dos cosméticos. É bom dar preferência aos não-gordurosos e, se possível, adotar aqueles que vêm em forma de gel. Assim, os poros não entopem e a sujeira não se acumula, fazendo as bactérias perderem a chance de se instalar na pele.

A surpresa fica por conta do que concerne à alimentação. Ao contrário do que muita gente pensa, ela não parece ter relação direta com a acne. Nem mesmo o chocolate, que vinha sendo apontado há décadas como o grande vilão da história, pode ser considerado culpado. “Não existem alimentos que comprovadamente piorem a acne. E também não é preciso restringir alimentos, porém é sempre bom manter uma dieta equilibrada”, recomenda Denise Steiner. Ou seja: uma vida saudável também pode contribuir – e muito! – para o fim dessa grande inimiga.

Fonte:bolsademulher

Manchas do passado

Padrão

Quem nunca desejou ter a pele a la Isabella Rossellini – linda, lisa, perfeita, sem uma marquinha sequer – naqueles anúncios de cosméticos? Mas, aqui no mundo real, a idade vai chegando e não há nada mais natural do que ficar cheia de manchinhas e sardas nas mãos, no colo e no rosto, certo? Errado! Ao contrário do que se pensa, algumas manchas não são “sinal dos tempos” e sim da falta de cuidado e da superexposição ao sol. Ter a pele lisinha, viçosa e absolutamente homogênea não é um sonho impossível e o verão é a melhor época para começar a tratar do problema.

Você certamente já deve estar cansada de ouvir e pode até parecer manjado e repetitivo, mas os dermatologistas não se cansam de dizer, em alto e bom som: o protetor solar é a melhor prevenção contra as marcas da idade, contra o câncer de pele e, claro, contra as machinhas e pintas indesejáveis, que insistem em se proliferar. “O filtro é indispensável em qualquer situação, pois ele impede que você receba os raios ultravioleta, que são extremamente nocivos”, explica a dermatologista Maria Valéria Pinheiro. O ideal, segundo ela, é passar o filtro antes de sair de casa e reaplicá-lo a cada duas ou três horas. O sol tem efeito cumulativo no organismo, ou seja, os “malefícios” não são eliminados do corpo e quanto mais sol você toma, mais as marcas são acentuadas. Sobre o fator de proteção, o dermatologista Evam Magalhães afirma que acima do 15 só tem valor comercial. “O Fps 15 é o ideal e protege o suficiente”, garante.

O cuidado deve ser redobrado se você for muito branquinha e já tiver sardas. “Muita gente acha bonitinho, mas elas podem ser perigosas depois dos 25 ou 30 anos. É preciso clareá-las para não correr o risco de ter câncer de pele”, alerta a dermatologista Izilda Penteado. A questão não é só estética, mas também de saúde. A estudante de direito Renata Goldschimdt optou por fazer um tratamento para clarear as pintas que ela tinha no colo preocupada com as conseqüências que elas pudessem ter. “Por mais que eu tenha 25 anos, minha pele já estava muito envelhecida por causa dos anos de praia. Eu tinha medo que os sinaizinhos pudessem virar câncer. E a aparência ficou dez”, diz ela.

Correndo atrás do prejuízo – Se você é daquelas que nunca se preocupou em se proteger do sol, abusou das horas de praia e já está com muitas manchas, agora é hora de remediar. Antes de mais nada, você precisa consultar um médico especialista para saber, no seu caso, o que pode ser feito. Há diversos métodos de clareamento para os diferentes tipos de manchas. De acordo com a dermatologista Izilda Penteado, as manchas podem ser de origem congênita ou adquirida. Na primeira categoria estão as de nascença – estilo Angélica – e as sardas, que são hereditárias. Na segunda, estão incluídas as manchinhas causadas pelo sol (manchas solares ou senis), por ferimentos, produtos químicos, frutas cítricas, perfumes, e aquelas que aparecem depois da gravidez ou do uso de pílula anticoncepcional (melasma). Elas também podem ser divididas em claras (hipopigmentação) ou escuras (hiperpigmentação), ou seja, com mais ou menos melanina. O melhor é que todas, ou quase todas, podem ser removidas com laser, peeling químico e cremes clareadores.

Peeling químico – No verão, o melhor a ser feito para cuidar das manchinhas é a prevenção. Enquanto a temporada de sol segue a mil, o negócio é protetor solar até debaixo d’água para, quando o inverno chegar, se submeter aos peelings químicos. Eles são feitos por dermatologistas, no consultório, com a aplicação de ácidos que produzem uma esfoliação, retirando os pigmentos das camadas mais superficiais da pele e suavizando, inclusive, pequenas rugas. “Eu uso, em geral, uma combinação de ácidos e cremes despigmentantes. Esse tipo de tratamento precisa de dedicação, porque não costuma ser rápido”, afirma Maria Valéria Pinheiro.

Há vários tipos de substâncias que provocam a escamação e as principais são os alfa-hidróxiácidos, ácido glicólico, hidroquinona, ácido tricloro acético, ácido salicílico e o ácido retinóico. Cada médico vai formular um composto que se adequa mais ao seu tipo de pele. Mas atenção: você vai precisar tomar muito cuidado com o sol e com a luz, pois alguns ácidos são fotoreagentes e podem causar queimaduras, se você não usar e abusar dos filtros solares. A aplicação é supersimples: basta limpar a pele, aplicar o ácido sobre ela e depois é só retirar a substância. O ácido faz a pele arder um bocadinho, mas nada muito grave, depende do tempo e da concentração do produto.

A jornalista Rafaela Cruz, de 22 anos, fez tratamento com peeling no ano passado e garante que, em quatro meses, os resultados já estão bem aparentes. “Como sou mulata, minha pele sempre manchou com facilidade. Qualquer espinha ou machucado deixa marca. Eu estou usando ácido retinóico associado a outras substâncias, além de um bom protetor solar. As diferenças são gritantes e todo mundo já percebeu que estou de cara nova”, diz, animada.

Laser – O tratamento era caríssimo e quase impensável, mas os tempos mudaram e o laser já está bem mais acessível. Segundo o Dr. Franklin Carneiro, do Laser Surgical Center, a técnica elimina quase todos os tipos de manchas, desde as vasculares (como as do Gorbachev) até as sardas. “A vantagem do laser é que ele é seletivo, ao contrário dos ácidos. O calor é atraído pelo pigmento e destrói a mancha. No caso das vasculares, ele cauteriza os vasos”, explica o médico. Para clarear as manchinhas com bastante eficácia, o Dr. Evam Magalhães combina o peeling com o laser. “Eu preparo a pele com clareamento químico, depois uso o laser e finalizo com o químico, novamente”, afirma. Além disso, o médico recomenda o uso de vitamina C tópica.

As maravilhas da Vitamina C – Ela é a coqueluche da indústria cosmética e, pelo que dizem os dermatologistas, deixou de ser só uma boa arma contra a gripe a passou a ser também uma inimiga das rugas, dos radicais livres e das marcas na pele, pois regula a produção de melanina, a principal causadora das manchas. A vitamina C (ácido ascórbico) atua como um importante antioxidante natural e estimula a produção de colágeno (que faz a pele agir como se fosse jovem). Em cremes ou soro, ela contribui para suavizar as linhas de expressão já existentes e ajuda a clarear as manchinhas, dando à pele um tom mais homogêneo. O Dr. Evam Magalhães afirma que gosta muito de usar uma composição de ácido kójico com vitamica C pura. “Além de ser fundamental para o bem-estar geral, ela dá bons resultados quando usada na forma tópica”, afirma. A pele contém, naturalmente, ácido ascórbico e ele vai sendo eliminado com a exposição ao sol, por isso, é importante tentar reavê-lo.

Além de deixar a sua pele revitalizada e linda, o clareamento das manchas também evita que elas possam trazer problemas futuros. Muito protetor solar (sempre!), muita hidratação, um bom dermatologista… Et voila: uma pele linda!

Fonte:bolsademulher

Acne: vergonha na cara

Padrão

Um dia você abre aquele álbum de fotografias da formatura da oitava série e encontra um retrato seu, com um cabelo totalmente fora de moda e aquelas roupas estilo anos oitenta. E aí olha bem para o seu rosto de menina congelado no tempo e percebe que a adolescência estava a pleno vapor: a sua cara está coberta de espinhas. Parece ser uma marca registrada dessa época da vida, pois quando a gente fala em acne, imediatamente lembra da adolescência. E se não foi você, pelo menos boa parte da sua turma teve algum episódio desse problema. Isso acontece porque é uma doença de pele bem comum, que invade rosto, ombros, costas, peito e atinge seu ápice na puberdade. Mas não pense que os adultos estão livres, não: a acne atinge pessoas de qualquer idade, muitas vezes por culpa da hereditariedade e, claro, dos nossos imprevisíveis hormônios.

Mas afinal de contas, o que é exatamente a acne? Bem, trata-se de um conjunto de lesões na pele, causado pela presença dos nada charmosos cravos, espinhas, nódulos, caroços, cicatrizes e comedões (aqueles pontinhos brancos ou pretos). Eles aparecem por causa de disfunções nas glândulas sebáceas – localizadas em uma camada da pele chamada derme -, que começam a produzir muito mais sebo do que deveriam. Isso começa a acontecer a partir da puberdade, com o aumento da produção dos hormônios sexuais masculinos (andrógenos) e femininos (estrógenos). Sendo estimulada por esses hormônios, principalmente os masculinos, as glândulas sebáceas passam a produzir sebo em série ilimitada, deixando a pele um óleo puro.

A maioria desses problemas ocorre porque a quantidade de sebo vai se acumulando no canal da glândula, obstruindo as portas de saída. Se isso se torna freqüente, a excessiva quantidade de sebo atrai bactérias, que encontram ali um local novinho em folha para estabelecer uma família e se reproduzir. E aí, como a presença de bactérias nunca é sinal de notícia boa, elas acabam produzindo substâncias que vão acabar inflamando a pele. As chances de isso acontecer são bem maiores nos locais onde há alto número de glândulas sebáceas, como o rosto, as costas e o peito. Mas calma, nem todo mundo corre o risco de acordar um belo dia com acne. Apesar de todos nós sermos proprietários de glândulas sebáceas, a incidência da doença é determinada pelo tamanho delas e da capacidade que elas têm de produzir sebo. E isso, normalmente, é determinado pela genética. Sim, é isso mesmo: acne pode ser uma doença hereditária. Se seus pais apresentavam o problema, é bem provável que você também vá passar por ele.

Na adolescência, que é a fase mais comum da acne, isso vira um tremendo pesadelo. Afinal de contas, não há como negar que a garotada valoriza muito uma boa aparência para poder se encaixar em algum grupo. Com a cara cheia de acne, por mais que isso seja comum nessa fase da vida, a pessoa acaba mesmo é virando motivo de gozações. Era o que acontecia com a redatora Bianca Carvalho, que conviveu com esse desconforto por anos a fio. “Eu tinha tanta acne no rosto que alguns amigos da escola passaram a me dar apelidos, como “Chokito”, por exemplo. Com a cara daquele jeito, era difícil eu ser paquerada ou arrumar namorado. Uma vez tentei espremer tudo, mas quase morri de dor. Sangrou muito e fiquei com algumas marcas. Levei muito tempo para procurar um dermatologista, mas valeu a pena, porque o tratamento me ajudou bastante. Demorou a dar resultado, mas finalmente eu posso me olhar no espelho e não ter medo da minha cara”, diz ela.

Fonte:bolsademulher