Arquivo da tag: carinho

Viver Não Dói

Padrão

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos.

Por todos os beijos cancelados, pela eternidade. Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender. Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: Se iludindo menos e vivendo mais!! A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade..

A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.

Carlos Drummond de Andrade

Queria um Abraço Seu Hoje…

Padrão

Queria um abraço hoje!!!
De repente deu vontade de um abraço.
Uma vontade de entrelaço, de proximidade.. de amizade, sei lá..

Talvez um aconchego que enfatize a vida e amenize as dores…
Que fale sobre os amores, que seja teimoso e ao mesmo tempo forte.
Deu vontade de poder rever saudade de um abraço.
Um abraço que eternize o tempo e preencha todo espaço, mas que faça lembrar do carinho, que surge devagarzinho da magia da união dos corpos, das auras..sei lá..

Lembrar do calor das mãos acariciando as costas a dizer.. “estou aqui.”
Lembrar do trançar dos braços envolventes e seguros afirmando “estou com você”..
Lembrar da transfusão de forças com a suavidade do momento ..sei lá.. abraço…abraço…abraço… abraço…abraço..abraço… abraço…abraço…abraço…

 O que importa é a magia deste abraço!
A fusão de energia que harmoniza, integra tudo, e que se traduz no cosmo, no tempo e no espaço.

Só sei que agora deu vontade desse abraço!!
Que afaste toda e qualquer angústia.
Que desperte a lágrima da alegria, e acalme o coração..
Que traduza a amizade, o amor e a emoção.

 E para um abraço assim só pude pensar em você…. nessa sua energia, nessa sua sensibilidade que sabe entender o por quê… dessa vontade desse abraço.

 Renata

Sobre o nada e o tudo…

Padrão

Olá pessoal

Esse post é em homenagem ao meu Amor!!!

Bem hoje ele inicia sua vida no mundo dos blogs,com um tema bem “incomum” o blog dele se chama “Nada não é nada”,onde ele escreverá um pouco do que pensa,sente,sonha e acredita,sobre varios temas como religião,filosofia,Rpg, entre outros assuntos.

Meus amigos costumam dizer que o Fred(meu amor) é muito culto pra conversar com agente kkkk…

É cada uma que tenho que escutar,ta tudo bem,concordo que ele é sempre a pessoa que explica tudo sabe?! Sempre tem um,que mais inteligente kkkk…

Mas agora falando serio,Amor,te desejo muita sorte,espero que você consiga passar para os futuros leitores um pouco de tudo que você tem me passado nesses 4 anos e 3 meses de união.

TE AMO e SORTE!!!

Bjus Kiko!

Que delícia de carícia…

Padrão

 

Carícias preliminares, beijo na boca, no pescoço e na orelha. Mãos que passeiam pela nuca, pelos ombros, pelas pernas, ui! Que delícia sentir o toque da pessoa desejada. Que delícia namorar, namorar e namorar antes de qualquer coisa.

Beijar na boca tem um sentido de tudo. Reparem só como é impossível viver um amor sem beijar na boca. Sem beijar na boca quer dizer claramente que está tudo errado. Fazer amor sem beijar na boca tem graça?

Carícias! Como são importantes as carícias que envolvem o casal e o momento em que estão querendo se amar. Está certo que cada hora é de um jeito e todo jeito é bom pra quem está a fim de ficar junto. Mas aquela vez que envolve carícias, muitas carícias, deixa lembranças maravilhosas, não é mesmo?

E não tem essa de que é só a mulher que gosta e que precisa. Muitos homens fazem questão absoluta de muita preparação. Tenho ouvido casos bem parecidos aos das mulheres, contados por elas mesmas sobre os seus parceiros. Tem tudo a ver. Muitos homens já não estão mais conseguindo partir para o ataque a sangue frio. O estresse, o cansaço do dia a dia, a cabeça cheia de problemas. É que eles também estão precisando de carinho, de envolvimento, de massagem, enfim, de bons motivos para revelar a fera que existe em cada um.

As mulheres, nem se fala. São cristais que, apesar de hoje em dia estarem mais ousadas e seguras do que querem, não dispensam um bom clima de romance para começar o que querem. Ah, importantíssimo, também não dispensam os arremates finais. Ficar deitadinha no ombro dele, ganhando beijinhos, dizendo coisinhas melosas, hum… É o sonho de muita mulher.

Ao contrário do que muita gente pensa (ainda tem muita gente que pensa), sexo oral não tem nada de nojento e repugnante e é o grande campeão das preliminares. Como é que alguém pode abrir mão de um prazer desses. É de deixar qualquer um de pernas bambas e totalmente entregue ao deleite. Sexo oral feito com amor, então, é de criar poesia para declamar um dia. É tão poderoso que por si só basta. Se quiser, é o início, o meio e o fim e, às vezes, é muito melhor que todo o resto.

Nada contra as rapidinhas, mas com carícias, com carícias se vai mais longe, com carícias se suspira se arrepia e se contorce. Que delícia o casal que cresce junto e que consegue manter isso indo muito além da obrigação conjugal a cada vez que se encontram na cama. Muitos casais conseguem isso e isso é simplesmente encantador, apaixonados depois de tantos anos.

Muitos infelizmente se entregam ao desgaste e aos conceitos plantados pela sociedade de que o casamento de alguns anos não pode oferecer paixão, prazer e alegria. Que bobagem, perderam tanto tempo cuidando de coisas tão menos importantes e se esqueceram de cultivar o principal, o carinho entre eles. Aí realmente, em casa não tem graça mesmo. Gente, as pessoas na grande maioria se casam apaixonadas. Onde é que isso foi esquecido? Por que valores aqueles foram trocados?

As zonas erógenas como pescoço, orelhas, seios, virilhas, pernas, nádegas e costas, quando acariciadas levam a um estado orgástico capaz de inundar de prazer qualquer relação.

Mãos a obra! Usem e abusem das carícias e estendam seu prazer ao limite das estrelas.

Fonte:acessa.com

O medo de um amor incerto

Padrão

Se existem verdades absolutas neste mundo, uma delas é que todos nós temos medo de sofrer. Assim, ingenuamente tentamos controlar as situações ao nosso redor, como se isso fosse possível…

Obcecados por esse desejo de nos proteger, gastamos nossa energia e nosso tempo tentando controlar os pensamentos, as atitudes e até os sentimentos das pessoas que amamos e que, sobretudo, desejamos que nos amem.

No entanto, não nos damos conta de que a vida se baseia no imprevisível, no incontrolável, no surpreendente! Nenhum sentimento é garantido, nenhuma conseqüência é revelada antecipadamente. O futuro é totalmente incerto. E apesar de tamanha imprevisibilidade, temos em nosso coração toda a possibilidade de conquistarmos o que e quem amamos, o que é muito diferente de controlar, prever ou obter garantias!

Muitas pessoas não conseguem encontrar um amor, não se entregam a uma relação profunda e verdadeira simplesmente porque estão, todo tempo, tentando obter certezas. As perguntas não param de gritar, as dúvidas não têm fim e o medo de se deparar com a dor parece assombrar milhares de corações, impedindo-os de enxergar uma outra possibilidade, tão plausível quanto a de sofrer.

Será que ele me ama? Será que vale a pena perdoar e tentar de novo? Será que ele não vai me trair? Será que não estou sendo idiota? Será que não vou sofrer mais do que se ficar sozinho? Será? Será?…

O que será, eu responderia com muita tranqüilidade, não importa agora! Na verdade, nunca importará! A pergunta correta é: “Eu quero?” Quando aprendermos a responder, com respeito e responsabilidade, essa simples perguntinha, teremos previsto qualquer possibilidade.

Sim, porque o amor é uma chance, uma oportunidade; não uma garantia; nunca uma certeza! Podemos vivê-lo conforme nossa vontade, de acordo com nosso coração ou… passaremos a vida inteira tentando controlar o incontrolável, garantir o incerto!

Jamais teremos como saber se o outro está sendo fiel, se o amor que sentimos é correspondido na mesma medida, se vamos sofrer ou seremos felizes. Jamais saberemos do amanhã ou do outro.

Então, que usemos nossa inteligência, a despeito de todo o medo que isso possa nos fazer sentir. Ou seja, que possamos, de uma vez por todas, abrir mão dessa tentativa inútil de controlar o amor, a vida e o outro e nos concentremos em nós, em nosso coração e em nossos reais objetivos!

Descobriremos que nos ocupar com nossos próprios sentimentos já é trabalho para vida inteira. Descobriremos que agir conforme nossa vontade é o bastante para que nos sintamos preenchidos, embora possamos mesmo vir a sofrer… simplesmente porque o sofrimento é uma possibilidade tão possível quanto a felicidade!

E digo mais: só conseguiremos entrar de fato no coração de alguém, mesmo sem termos certeza disso, quando tivermos a audácia e a coragem de nos entregar ao imprevisível; quando conseguirmos compreender que a segurança é mérito pessoal, interno, sentimento que não se pode ter em relação a ninguém além de nós mesmos.

Portanto, para todas as pessoas que têm me perguntado sobre qual é o “segredo” para viver o amor sem sentir tanta insegurança, tanto ciúme e tanto medo de sofrer, aproveito este momento para responder: o segredo está em saber se você quer, se você realmente quer! Porque se você quiser e fizer por merecer, agindo você com sinceridade, qualquer possibilidade de dor e sofrimento valerá a pena. Porque quando a gente quer de verdade, com o coração, a magia do amor nos faz entender que sofrer faz parte do caminho e, no final das contas, é tudo crescimento, aprendizagem, evolução e, por fim, a tão desejada felicidade.

E não que ela esteja no final do caminho ou no final da vida, simplesmente porque ser feliz é isso: entregar-se ao imprevisível e aceitar a dor e a alegria como partes do amor! E quando penso que essa entrega é realmente difícil, me lembro de uma frase que gosto muito:
“Se o seu problema tem solução, relaxe… ele tem solução.
E se o seu problema não tem solução, relaxe… ele não tem solução!”
É uma frase engraçada, mas muitíssimo sábia. Portanto, quando estiver doendo muito, não resista! Simplesmente relaxe e aceite, pois a resposta virá!

Renata R. Dos Santos.

Sedução inesgotável

Padrão

Já dizia o poeta, “que seja eterno enquanto dure”. E o que dizer quando os anos passam e é só lembrar aquele olhar marcado por grossas sobrancelhas, a boca úmida, mãos másculas e delicadas, o cheiro de tirar o fôlego? E muito, muito mais, que faz com que as histórias venham em colorido marcar o seu dia? Aquele corpo que provoca o brotar do suor em todos os poros, sem exceção. Que tira o sono e faz permanecer imóvel para não mexer sequer em uma lembrança? Pois é… Falo de uma sedução inesgotável, da paixão que não se explica, da saudade que não passa, daquelas fortes emoções que não escondem a vontade de estar junto.

Beijar, abraçar, agarrar, morrer de rir, falar bobagens, ficar boboca mesmo, como uma criança quando vê um doce de chocolate. Uma sensação de diversão e tristeza, medo, satisfação e prazer. Todos os sentimentos se embolam, ficam tímidos e libertos. Como fazer e o que dizer de uma “coisa” tão forte, que invade a vida e não sai de jeito algum?

Dizem que, com o tempo, tudo esfria. Que o cotidiano faz com que as pessoas não mais tenham essa atração um pelo outro. Que o vazio vai ocupando o espaço, que os olhares não são mais luminosos, nem os toques são macios e quentes. A relação é apenas uma convivência, nada mais. No entanto, tem gente que vive dessa maneira. Parece mentira, mas não é.

O calor é tanto quando se encontram que parece o desvendar do “primeiro dia” – uma enorme loucura que habita seus corações e se descontrola.

Sedução inesgotável… emoção vibrante que ninguém segura. Quem consegue separar duas pessoas que vivem esse amor? Nem a morte, pelo jeito. Fica a marca na pele, nas cavidades profundas da história da vida. Tem cheiro de rosas vermelhas – as da paixão. Nas ruas, procura-se o “outro”, a vontade de ver, de encontrar.

Quando a lembrança é arrasadora, tudo cai no chão, esquece os itens a serem cumpridos, o descompasso do ritmo cardíaco é forte, nada se estabiliza. Quando dá, telefonar é tudo:
– Oi tudo bem?

Aquela voz linda, aquele jeito de tirar o fôlego ainda faz tremer a carne. É quase um orgasmo, profundo, daqueles que se guarda na memória afetiva. De lá não sai, não.

Pois é, o poeta disse o que disse, com certeza tem razão. O que não previu, talvez, foi esse amor, algo que não termina jamais, que atravessa montes e vales, faz flutuar e sonhar que um dia, mesmo que não seja por aqui, vai permanecer para sempre…

Dicas:

– Se vive um sentimento assim, que não seja mais possível de se realizar por algum motivo, não deixe de mostrá-lo – chore, sonhe, vibre, até telefone e escute a voz. Se não for mais possível, escreva… Monte um diário contando sua linda história. Não perca, pode ajudar muita gente. Lembra do filme “Pontes de Madson?” Por ter sido registrado o que se passou, deixou marcas profundas e ajudou muita gente. Se não assistiu ainda, pegue nesse fim de semana.

– Não veja como um episódio triste em sua vida. Ao contrário, sinta-se presenteada… Poucas pessoas têm esse privilégio.

– Se ainda está com esse amor batendo no coração, curta! Ele vai deixar lindas marcas em sua estrada de vida, mas não tenha medo, siga em frente e divirta-se! Fale dele! Não esconda, jamais, essa história de alguém.

Fonte:bolsademulher

Sua vida

Padrão

Quando sua vida começa, você tem apenas uma mala pequenina de mão…
A medida em que os anos vão passando, a bagagem vai aumentando porque existem muitas coisas que você recolhe pelo caminho, por pensar que são importantes.

A um determinado ponto do caminho começa a ficar insuportável carregar tantas coisas, pesa demais, então você pode escolher: ficar sentado a beira do caminho, esperando que alguém o ajude, o que é difícil, pois todos que passarem por ali já terão sua própria bagagem.

Você pode ficar a vida inteira esperando, Ou você pode aliviar o peso, esvaziando a mala.

Mas, o que tirar ? Você começa tirando tudo para fora… veja o que tem dentro: Amor, Amizade…nossa ! Tem bastante, curioso, não pesa nada…
Tem algo pesado…. você faz força para tirar…. era a Raiva – como ela pesa !

Aí você começa a tirar, tirar e aparecem a Incompreensão, Medo, Pessimismo… nesse momento, o Desânimo quase te puxa pra dentro da mala …. Mas você puxa-o para fora com toda a força, e no fundo da mala aparece um Sorriso, que estava sufocado no fundo da sua bagagem….

Pula para fora outro sorriso e mais outro, e aí sai a Felicidade… Aí você coloca as mãos dentro da mala de novo tira pra fora um monte de Tristeza…

Agora, você vai ter que procurar a Paciência dentro da mala, pois vai precisar bastante….

Procure então o resto: a Força, Esperança, Coragem, Entusiasmo, Equilíbrio, Responsabilidade, Tolerância e o Bom e Velho Humor. Tire a Preocupação também. Deixe de lado, depois você pensa o que fazer com ela…

Bem, sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo. Mas, pense bem o que vai colocar dentro da mala de novo, hein.

Agora é com você. E não se esqueça de fazer essa arrumação mais vezes, pois o caminho é MUITO, MUITO LONGO, e sua bagagem, poderá pesar novamente.