Arquivo da tag: casais

Transe mais (e melhor)!

Padrão

 

Estratégias para multiplicar o sexo em sua vida e ainda levar A intimidade da cama para fora dos lençóis.

A americana Charla Muller decidiu dar uma lembrancinha de aniversário no mínimo criativa para seu marido, quando ele chegou à casa dos 40: um ano de relações sexuais diárias. “A idéia cumpria todos os requisitos de um bom presente. É inesperado, memorável e perfeito para quem o recebe”, considera ela no livro sobre a experiência, 365 Nights: A Memoir of Intimacy (365 Noites: Um Relato sobre Intimidade), ainda indisponível no Brasil.

Bem próximos

Casada havia oito anos, com dois filhos, Charla conta que, com o tempo, o sexo havia caído na rotina. “A proposta não surgiu para batermos algum recorde, mas como tentativa sincera de conexão diária”, lembra. Ele, claro, topou a brincadeira. Um ano depois, a americana garante que a experiência aumentou muito o nível de intimidade do casal, tanto dentro quanto fora
da cama. Cláudia Faria, psicóloga especializada em sexualidade humana, de Campinas (SP), confirma o resultado dessa estratégia. “Casais que transam menos costumam estar mais afastados, inclusive emocionalmente”, destaca a especialista. Convencida da necessidade de transar mais? Então descubra como!

Fale menos e faça mais

EXERCITE SEU DESEJO
Sim, esta matéria é sobre como transar mais, porém, não dependa do seu parceiro para ter momentos extraordinários de prazer. Afinal, para ter relações freqüentes e com qualidade, sua sexualidade deve estar aflorada, exercitada — isso inclui investir em masturbação e fantasias. Assim, mesmo que tocar-se não seja sua praia, abuse de devaneios eróticos duas, três vezes ao dia!

NÃO EXIJA, SEDUZA
Discutir a relação vale muito quando se trata de resolver temas delicados, possíveis motivos de separação. Contudo, se a queixa for sobre a falta de desejo dele, a melhor atitude para reverter o quadro é conquistá-lo. “Cobrar e ressaltar que ele ‘não está dando conta’ o afastará ainda mais. Se ela o seduzir, o parceiro dificilmente resistirá”, ensina a psicóloga.

DEIXE SUAS INTENÇÕES CLARAS
Poucas coisas são mais excitantes para o homem do que perceber o quanto sua parceira o deseja, notar todo o interesse dela por sexo. Por que só eles podem ficar com tesão e tomar a iniciativa? Abrace, beije, fale do seu apetite. E mantenha tal atitude durante a transa! O moço a procurará sem parar, acredite!

VALE ABRAÇO, APALPADA…
Os americanos Cynthia W. Gentry e Nima Badiey, no livro O Que os Homens Realmente Querem na Cama (Ed. Gente — R$ 29,90), listam jeitos de fazê-lo entender o recado:

· Um abraço apertado e um beijo de língua — bem dado!
· Roçar seu corpo no do companheiro.
· Acariciar o interior da coxa do gato olhando bem nos olhos dele.
· Sentar-se no colo dele e espalhar beijos pelo rosto do parceiro.
· Apertar — sem dó — o traseiro do amado e dizer “como você está gostoso…”, de uma maneira feminina e bem sexy.

 

 Fonte: http://mdemulher.abril.com.br

Cobrança sexual: Outras causas

Padrão

O sexólogo Celso Marzano, diretor do Centro de Orientação e Desenvolvimento da Sexualidade (CEDES) e do Instituto Brasileiro Interdisciplinar de Sexologia e Medicina Psicossomática (ISEXP-SP), cita, além da rotina no relacionamento, os problemas cotidianos como inimigos do prazer. “O dia-a-dia conspira contra o sexo, pois conciliar a família, os amigos, o trabalho e os nossos interesses pessoais é muito difícil. Adicionamos ainda a todo esse estresse a situação financeira instável, outras questões que afetam nosso controle emocional e o envelhecimento inevitável do nosso corpo. Por tudo isso, em algum momento acabamos apresentando algum tipo de disfunção sexual, de maior ou menor grau”, define.

Algumas pessoas vêem a vontade de fazer sexo diminuída por motivos que afetam o interesse físico no parceiro, o equilíbrio psicológico ou doenças que as debilitam. A falta de higiene pessoal, a obesidade, o alcoolismo, a estafa física, a depressão, a baixa auto-estima, possíveis incômodos e o uso de medicamentos, como alguns calmantes, antidepressivos e anti-hipertensivos, podem prejudicar a libido. As próprias alterações hormonais, principalmente aquelas ocorridas na menopausa, ou mesmo na tensão pré-menstrual, às vezes dificultam a resposta sexual. “Também há pessoas que são condicionadas a só se sentirem atraídas por corpos jovens e perdem o interesse quando o cônjuge envelhece, da mesma forma que alguns homens deixam de sentir desejo por mulheres que se tornaram mães de seus filhos”, comenta Ana Maria Zampieri, que acrescenta que os cuidados com o corpo, sem exageros, e a auto-estima são fundamentais para resgatar o prazer no sexo.

Elas hoje querem parceiros mais receptivos, que não utilizem seu poder para fazê-las submissas, e reclamam que o homem brasileiro ainda é muito ‘machão’. Mas elas próprias, ao serem mães, favorecem a formação de homens machistas

A falta de orgasmo durante a relação sexual e, também, a obsessão em atingi-lo são outros fatores que desestimulam as mulheres. Segundo o ginecologista Eliano Pellini, isso pode causar mal-estar e dores na região pélvica. “A congestão de sangue nos órgãos sexuais femininos fica retida quando a mulher passa muito tempo sem alcançar o orgasmo, o que geralmente leva ao que chamamos de dor pélvica crônica”, esclarece o médico. Outro problema surge quando a mulher não é estimulada corretamente e não se excita a ponto de ficar lubrificada. Sem esta preparação preliminar, que deve ser provocada pelo homem, o ato sexual torna-se doloroso e pode causar vaginismo (contração muscular involuntária que impede a penetração), fissuras, infecções e corrimentos que somente irão piorar e prolongar o desconforto nas próximas relações – um ciclo que elimina o prazer sexual. É bom lembrar que quantidade não traduz qualidade.

A “obrigação sexual” é ainda mais intensa quando o parceiro que exige sexo mesmo que o cônjuge não esteja com vontade. “Para resolver este impasse, o primeiro passo é o diálogo, pois esta postura exigente só leva a maiores desgastes e afastamentos”, alerta o sexólogo Celso Marzano. Eliano Pellini e Ana Maria Zampieri afirmam que muitas mulheres não têm prazer porque seus maridos e elas mesmas não receberam educação para o prazer. “Deve-se saber dizer não quando não se quer, e, claro, explicar o porquê. Não faz sentido se submeter a verdadeiros estupros na cama conjugal. Isso é violência legitimada pela cultura machista”, adverte a psicóloga. Para o ginecologista, muitas disfunções sexuais como esta seriam sanadas se houvesse uma reforma global na educação das crianças, por exemplo. “Elas hoje querem parceiros mais receptivos, que não utilizem seu poder para fazê-las submissas, e reclamam que o homem brasileiro ainda é muito ‘machão’. Mas elas próprias, ao serem mães, favorecem a formação de homens machistas e meninas que crescem achando que devem servi-los”, atesta Eliano Pellini.

Fonte:bolsademulher

28 Fatos incríveis sobre o beijo

Padrão

 

28

Beijar ajudar a relaxar e a reduzir os efeitos do estresse.

27

Durante o ato do beijo você coloca 29 músculos faciais em movimento. Em outras palavras o beijo pode ser usado como exercício eficiente para prevenir o aparecimento de rugas.

26

Um beijo romântico rápido queima entre uma e três calorias. Um beijo de boca aberta com contato de língua de curta duração pode queimar cinco calorias. Um beijo de um minuto pode gastar até 26 calorias. Isso é o dobro do gasto de uma corrida intensa, na subida.

25

Quem beija troca saliva contendo diversas substâncias como gordura, sais minerais, proteínas, etc. A troca destas substâncias pode incentivar a produção de anticorpos pela sua relação com antígenos associados a diferentes doenças.

24

Beijar ajuda a prevenir contra cáries, pois aumenta a produção de saliva que colabora na limpeza da boca.

Ejaculação precoce finalmente definida

23

Beijar apaixonadamente por 90 segundos eleva a pressão sanguínea e causa aceleramento cardíaco. Aumenta o nível de hormônios no sangue reduzindo a expectativa de vida em um minuto.

22

Estima-se que os homens que beijam suas esposas ao se despedir, antes de sair de casa, vivem cinco anos mais e ganham salários maiores do que aqueles que apenas batem a porta. Os homens da última categoria também tendem a sofrer mais acidentes de trânsito.

21

Uma pessoa comum passa 20.160 minutos (14 dias) da sua vida beijando.

20

Os esquimós, polinésios e malásios esfregam os narizes ao invés de beijar.

19

Mas ao contrário da crença popular os esquimós não apenas esfregam os narizes uns contra os outros para mostrar afeto e amor. Assim que os narizes se encontram eles abre um pouco suas bocas. Em seguida eles inspiram profundamente e solta o ar pelo narizes, com os lábios cerrados. Depois de saborear os aromas uns dos outros, os parceiros pressionam o nariz contra as bochechas uns dos outros e ficam parados nessa posição por um ou dois minutos.

Desfazendo mitos sobre o pênis

18

Os antigos romanos beijavam uns aos outros nos olhos ou na boca como cumprimento.

17

Na Rússia, o maior sinal de reconhecimento era um beijo do Czar.

16

A etiqueta vitoriana exigia que o homem se curvasse para beijar a mão das damas.

15

Nos EUA os beijos nas bochechas só são dados por pessoas íntimas e não é o cumprimento padrão como no Brasil ou na Europa.

14

Em algumas tribos africanas se presta homenagem ao chefe ao beijar o chão por onde ele passou.

13

A palavra ‘ósculo’ é sinônimo de ‘beijo’ em português. A palavra é originada do latim ‘osculum’, que significa ‘boca pequena’, ou seja, o movimento feito com os lábios no momento do beijo.

Excitação sexual varia muito entre os homens

12

O beijo mais longo durou 31 horas e foi realizado para um programa de televisão chamado “Ricki Lake” em 2002, na cidade de New Jersey.

11

Em alguns locais ou certas ocasiões beijar é crime. Nos EUA, no estado de Indiana, é ilegal que um homem de bigode “beije habitualmente seres humanos”, na cidade de Hartford, Connecticut, é ilegal que um marido beije a esposa no domingo.

10

Beijar em público não é bem visto no Japão, Taiwan, China e Coréias. Os beijos japoneses típicos são ‘beijocas’ para nós e parecem ter sido criados para censurar a ‘perda da moral’ do ocidente. Um casal japonês deve manter certa distância antes de se curvarem de ousar se curvar para encostarem os lábios por um segundo.

9

Nos tempos medievais os beijos eram levados a sério. Se um casal era pego “nos agarros” poderia ser forçado a casar.

8

Estudos indicam que 66% das pessoas mantêm os olhos fechados enquanto beija. O restante sente prazer em observar a miríade de emoções no rosto do parceiro (a).

Os segredos da atração entre os sexos

7

Uma mulher beija uma média de 80 homens antes de casar, de acordo com estatísticas estado-unidenses.

6

O prazer do beijo pode estar ligado ao fato do tato labial ser duzentas vezes mais sensível do que o tato nos dedos.

5

O beijo de língua é chamado de “união de almas” na França. Comumente os franceses são atribuidos pela invenção deste tipo de beijo.

4

‘Beijo de borboleta’ é o nome dado a uma espécie infantil de beijo onde se esfrega suavemente os cílios no nariz ou bochechas de outra pessoa, com o movimento da pálpebra.

3

Os corpos das pessoas, enquanto ocorre o beijo, produzem substâncias 200 vezes mais poderosas do que a morfina em termos de efeito narcótico. É por isso que um casal pode sentir euforia ou êxtase durante um beijo.

12 Segredos para melhores orgasmos femininos

2

Metade das pessoas tem o seu primeiro beijo amoroso antes dos 14 anos de idade.

1

Os Hershey’s Kisses têm este nome porque a máquina que os fabrica parece beijar a esteira transportadora ao depositar o chocolate.

Cobrança Sexual

Padrão

Às vezes, o sexo deixa de ser fonte de prazer e vira uma obrigação.

Sexo é bom e todo mundo gosta. Ou melhor: quase todo mundo. Ainda que proporcione prazer, estímulo, intimidade, vínculo afetivo, relaxamento e bem-estar, tem muita gente que não consegue sentir nenhum desses benefícios no ato sexual – mas o faz, por diversos motivos alheios a sua vontade, sem desejo algum. E praticá-lo por obrigação inevitavelmente leva à frustração. “Não gosto de sexo. Faço porque meu marido me procura. É claro que gostaria de reverter essa situação. Entendo que ter desejo é algo normal, mas não sei como mudar isso”, confessa Elisa*, de 37 anos. Como ela, existem várias outras que pensam e sofrem o mesmo.

Sexo quente, morno ou frio? Faça o teste e descubra como anda o tesão no seu relacionamento

Foram inúmeras as conquistas femininas nas últimas décadas e, entre elas, há as sexuais. Antes do movimento de liberação sexual do século passado, as mulheres, com exceção das prostitutas, eram vistas quase como “seres assexuados”, que só deveriam fazer sexo para procriarem. O prazer era restrito aos homens. Herdeiras das gerações anteriores, hoje ainda há muitas que mantêm as idéias de que sexo é algo sujo, que masturbação é pecado, que somente o homem deve alcançar o prazer, que o marido tem o direito de transar com a mulher toda vez que sentir vontade, independentemente do fato de ela estar a fim etc. Este é um dos motivos que fazem o sexo ser encarado como uma obrigação, e não como uma relação física em que duas pessoas buscam o prazer.

Estudiosos dizem que o excesso de convivência mata a química do amor-paixão-tesão. A total rotina e a previsibilidade um do outro, assim como a falta de criatividade no erotismo, que deixa o sexo ‘mecânico’, interferem na libido

Segundo a terapeuta sexual e de casais Ana Maria Zampieri, há muitas razões, principalmente culturais, pelas quais isso acontece. “Uma delas é a construção sócio-histórica de fundo religioso que diz que temos obrigação de satisfazer sexualmente os nossos cônjuges mesmo quando não há desejo sexual”, menciona. O ginecologista Eliano Pellini também acredita que, apesar de terem conquistado autonomia financeira, as mulheres, muitas vezes ainda se submetem aos parceiros, fornecendo sexo em troca de companhia. “Elas fingem gostar de sexo para garantirem carinho e proteção do homem, além de um status exigido pela sociedade. Muitas que reclamam de falta de desejo na verdade só querem ter uma melhor vida sexual para servirem ao parceiro”, afirma Eliano, membro da Comissão Científica de Sexualidade da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH) e chefe do setor de Sexualidade Humana de Ginecologia da Faculdade de Medicina do ABC.

Outro fator que contribui para a perda da libido e do prazer, que transforma o sexo em uma obrigação de casal, é a convivência. “Estudiosos dizem que o excesso de convivência mata a química do amor-paixão-tesão. A total rotina e a previsibilidade um do outro, assim como a falta de criatividade no erotismo, que deixa o sexo ‘mecânico’, interferem na libido. A perda de interesse em surpreender a outra pessoa faz com que ela deixe de se sentir especial”, explica a psicóloga Ana Maria Zampieri. Mas, se as pessoas se casam justamente para viverem juntas, como isso pode prejudicar a relação sexual? Para Eliano Pellini, os casais não estão preparados para a rotina e acabam se desencantando no casamento quando ela chega. “As mulheres carecem mais de estímulos do que propriamente da libido. Quando escolhem parceiros que se preocupam com elas e não apenas as usam como receptoras da carga negativa que eles acumulam durante o trabalho (que são expelidas, por exemplo, na ejaculação), as mulheres naturalmente redescobrem o desejo sexual”.

Fonte:bolsademulher

Sexo:Como lidar com a sexualidade

Padrão

Sexo é vida e vida é prazer!

Vivemos em um mundo muito sexual, onde o sexo está em toda parte e é usado para vender revistas, discos, filmes etc… Por vivermos em um país tropical, os nossos corpos quase sempre estão semi-nus, estimulando ainda mais a sexualidade, um instinto natural do ser humano.

Com a estimulação cada vez maior da sexualidade, hoje em dia é comum as pessoas manterem relações sexuais cada vez mais cedo…

Foi-se o tempo em que uma mulher se casava virgem, em que ela só conheceria o sexo através do seu marido… Conheço até uma senhora que diz que adoraria ter nascido nestes tempos, pois, apesar de bem casada, ela nunca experimentou uma relação sexual com outro homem que não fosse o seu marido e gostaria de ter tido esta oportunidade apenas para satisfazer a sua curiosidade.

Pois bem… hoje em dia fazer sexo é algo comum, normal e natural como sempre deveria ter sido: afinal, é um instinto do ser humano!

Mas para muitas mulheres, isto ainda é um fator que causa muita dor e sofrimento!

Como lidar com a sua sexualidade de forma positiva e sem sofrimentos?

A resposta parece difícil e complicada, não é mesmo?

MAS NÃO É!!!

Na verdade, muitas mulheres reclamam que seus parceiros não percebem o que elas desejam na hora das relações sexuais, como gostariam de ser tratadas… mas será que elas dizem para eles o que realmente desejam? Duvido!

É interessante observar que, apesar da mulher estar se destacando e se impondo em muitas áreas da vida social e profissional, quando o assunto é sexo, isso ainda é um tabu cheio de mistérios!

A mulher se sente sem coragem e sem saber exatamente como abordar o assunto, talvez até por desconhecer que formas seriam as melhores para estimulá-la! Será que ela conhece mesmo seus pontos de estimulação, aquilo que lhe dá prazer?

Por tudo isso, ela acaba por permanecer num estado de submissão ao seu parceiro, querendo que ele adivinhe o desejo dela. Talvez ela suponha que ele seja mais experiente “nesses assuntos”! E como diz o ditado, “quem cala, consente”, o parceiro acha que está agindo da forma certa, afinal, se ela não diz nada é porque deve estar sendo muito bom do jeito que ele age!

Muitas vezes, ela finge orgasmos apenas para agradar o seu parceiro e, por não ser estimulada da forma adequada não tem prazer… fica torcendo para que ele ejacule rapidinho…dessa forma, o ato sexual acaba e ela pode, enfim, dormir em paz!

Será que ela não percebe que está se privando de algo maravilhoso?

Ela até pode dizer… que nada… eu detesto sexo!

Como alguém pode detestar algo que dá muito prazer?

Talvez as experiências sexuais anteriores tenham sido negativas e traumáticas… mas isso não impede que ela possa vir a ter excelentes experiências pela frente… basta ela se dispor a experimentar novamente!

E como se faz isso?

As relações sexuais sempre devem ser geradoras de muito prazer e, para isso é preciso que, em primeiro lugar, você pergunte a si mesma o que a faz sentir prazer!

O primeiro passo é você conhecer o seu corpo. Você sabe que partes dele devem ser tocadas para dar-lhe mais prazer? Como estas partes devem ser tocadas? Quais são as suas fantasias sexuais?

O segundo passo é estabelecer um bom diálogo com o seu parceiro, falar para ele de seus medos, de suas dúvidas, receios… e falar também sobre como você gosta de ser acariciada, tocada, o que mais a agrada, que tipo de carícias a estimulam… dizer tudo sem medos, pois assim seu parceiro vai saber exatamente o que fazer para levá-la ao êxtase! Aproveite e pergunte a ele o que ele gosta que você faça para ele …afinal, sexo é feito entre duas pessoas e ambas devem ser estimuladas… se ele vai agradá-la, que tal você também fazer o mesmo?

Mas você poderia me perguntar: ahhhh…mas se eu disser para ele o que quero, o que ele vai pensar de mim?

Oras… se ele é um bom companheiro e tem afeto por você, ele irá adorar saber do que você gosta e procurará agradá-la, fazendo o que você deseja… ao mesmo tempo você estará abrindo caminho para que haja maior intimidade entre vocês e esta intimidade os levará a um relacionamento mais profundo e saudável!

O diálogo é fundamental!

Já se foi a época em que a mulher ficava quietinha em seu canto apenas tentando satisfazer o seu parceiro… sexo é troca, é diálogo, é poder falar de seus desejos sem preconceitos e experimentar novas formas de prazer!

Saiba que em sexo não existe o certo ou o errado, o importante é o que é bom para você e seu parceiro de comum acordo!

Viva a sua sexualidade de forma prazerosa!

Você merece!

“O mais importante nesta vida é ser feliz”.

69 dicas de arromba para fazer sua mulher delirar na cama

Padrão

 

Se a comunicação entre homens e mulheres já é complicada no dia-a-dia, imagine entre quatro paredes, quando o blablablá é o que menos importa. E aí, meu caro, haja paciência para adivinhar o que está ou não agradando na cama – isso, claro, considerando que você ainda não levou um belo pé no traseiro em resposta ao desempenho amador.É, as mulheres são cruéis. A não ser que estejam muito apaixonadas, dificilmente vão te dar uma segunda chance se, na estréia, você não conseguir gerar níveis apocalípticos de prazer. Ficou tenso?
Não precisa. Minha Vida reuniu um time de moças muito bem resolvidas na cama e perguntou o que não pode faltar numa transa inesquecível. O bate-papo rendeu 69 dicas quentíssimas, que você confere a seguir.
1. Massagem é uma delícia, mas detesto ter que pedir. Gosto quando ele me vira de costas e começa fazendo carinho no pescoço, com as pontas dos dedos e, aos poucos, vai usando a mão toda para massagear toda a parte de trás do meu corpo.2. Adoro sentir a língua do meu namorado, passeando por todo o meu corpo. Saber intercalar movimentos suaves a outros mais rápidos é fundamental.

3. Um elogio, feito na hora certa, acende qualquer transa. A gente fica horas pensando na lingerie que vai usar com o cara, elogiar é o mínimo que ele pode fazer.

4. Tomar a inciativa de apagar ou diminuir a luz é legal, principalmente no começo. Fico mais à vontade e consigo me envolver melhor. Sei que os homens preferem transar com as lâmpadas acesas, então valorizo quando algum deles presta atenção e cede para me agradar.

5. Fazer surpresas é sempre divertido. Gosto quando ele oferece algum acessório para a gente usar, juntos. Mas isso tem que acontecer sem pressão, já teve situações em que recusei o brinquedinho que ele inventou de comprar.

6. Homem tem que ter pegada e saber o que está fazendo. Perguntar se pode tirar a blusa, se pode pôr a mão aqui ou ali azeda completamente o clima.

7. Cama? Haja paciência para ficar só por ali. Gosto quando meu namorado toma a iniciativa e propõe uns lugares ousados para a gente ficar junto.

8. Ter criatividade na hora de colocar a camisinha é muito legal. Já fiquei com caras que fingem não lembrar dela e eu tenho que perguntar se ele tem. Isso corta o barato. Seria muito mais legal ele pegar e me conviar para colocar junto com ele.

9. Língua e dedo formam uma combinação mágica. Mas o cara precisa ter paciência e entender os exercícios como um aquecimento. Como todo preparo, só indo com calma para fazer efeito sem machucar.

10. Uns bons apertões no bumbum e nos seios são uma delícia. Mas cada um a seu tempo, sem parecer que você vai virar fumaça daqui a pouco. Os dois precisam curtir os amassos.

11. Mulher sofre para fazer depilação, os caras deveriam seguir o exemplo e, pelo menos, dar uma parada nos pêlos. Adoro quando percebo que ele tomou esse tipo de cuidado.

12. Interromper tudo para ir ao banheiro é o fim do mundo, eles precisam entender que demoramos para pegar embalo. Por isso, é melhor aproveitar a temperatura mais caliente.

13. Quando o cara conhece umas posições diferentes e ensina como ficar nelas, acho o máximo. Sinto segurança e me entrego completamente.

14. Perco os sentidos quando meu namorado me coloca de costas e começa a dar uns puxõezinhos de leve no meu cabelo. Mas tem que ter cuidado para não me deixar com dor-de-cabeça.

15. É muito gostoso quando ele começa a falar umas bobagens no meu ouvido, principalmente quando eu tenho que responder, seja com palavras ou com algum gesto.

16. Deixar umas bebidas à disposição é muito bom. Às vezes, estou me sentindo meio travada e, basta tomar uns goles, que tudo se resolve.

17. Fico excitada quando ele dá um jeito de me irritar, critcando alguma coisa que fiz ou reclamando do tempo que demoro para me vestir, por exemplo. A gente briga feio e, de repente, ele me agarra e tudo se resolve.

18. Pequenas mordidinhas, em lugares onde não consigo enxergar, me deixam louca. Atrás da coxa, no bumbum e nas costas, perto do ombro, são meus lugares favoritos.

19. Adoro quando ele esfria a boca com umas pedras de gelo e, depois, vem me beijar. O choque de temperatura entre minha pele e a língua dele me deixa toda arrepiada.

20. Gosto quando ele faz mil peripécias nas preliminares e, depois de abusar da criatividade, coloca uma venda nos meus olhos e me obriga a ficar quietinha, esperando que ele tome conta da situação.

21. Uma vez, meu namorado amarrou minhas mãos e não me deixou fazer nada, nem tirar a roupa. Ele fazia tudo bem devagarinho, demorando uma hora para abrir cada botão da minha blusa. Nem preciso dizer que, quando não restava mais nada e ele me soltou, parti para cima com o maior tesão do mundo.

22. Escolher a música certa é aposta garantida para um clima fervilhante. Mas nada daquela chateação de ficar trocando o CD ou pulando os arquivos, o cara precisa pensar nisso tudo antes e já montar uma seleção na ordem correta.

23. Esquentar o clima numa banheira com água bem morninha é muito bom. Ajuda a relaxar e transforma até um papai-e-mamãe numa brincadeira superinteressante.

24. Ganhar carinho depois de tudo é muito bom, fico me sentindo querida e ainda mais desejada. O cara mostra que não é homem para uma noite só e isso me incentiva a pensar em maneiras de incendiar nossas ficadas.

25. Adoro usar espartilho, porque me sinto mais sensual. Acho incrível quando meu namorado vai tirando cada peça e comentando, no meu ouvido, como fico bem com elas.

26. Com as luzes totalmente apagadas, enlouqueço quando ele resolve brincar de esconde-esconde. No nosso jogo, quem conseguir encontrar o outro tem a direito a fazer um pedido que será atendido imediatamente.

27. Joguinhos de sedução sempre me deixam mais acesa. Às vezes, marco de sair com meu namorado e, durante o caminho, ele fica me mandando mensagens picantes pelo celular. Na maioria das vezes, demoramos um pouco para pôr os pés fora de casa.

28. Fomos jantar na casa dos pais dele contra minha vontade, porque detesto minha sogra. Mas, mal sabia, que ele tinha me reservado uma surpresa. No meio da noite, demos um jeito de escapar para o quarto que era dele na infância. Lá, ele tinha montado um esquema genial, com um monte de flores espalhadas na cama e no chão. Acho que nunca senti tanto apetite na minha vida.

29. Filmes pornôs normalmente são insuportáveis, mas uma boa hsitória erótica é sensacional para ativar a libido. Normalmente, elas rendem boas inspirações para o resto da semana.

30. Para a transa funcionar, o cara tem que olhar nos meus olhos. Se ele fica disfarçando, acho que ele está com o pensamento nas nuvens e não consigo me envolver. E, fechar os olhos, só quando já está quase chegando lá.

31. Apimentar o sexo oral é sempre legal, gosto quando o cara chupa um drops extra-forte e, depois, toma um gole de água. É parecido com gelo, mas um pouco mais excitante.

32. Passar uma camada bem fininha de óleo de massagem (e transar com ele espalhado pelo corpo) é de enlouquecer. Mas tem que ser aqueles produtos cheirosinhos, ou a gente se sente um verdadeiro pote de margarina.

33. Na hora h, gosto quando o cara comenta (em voz baixa), como é gostoso o movimento que estou fazendo. Esse tipo de elogio faz com que eu me empenhe ainda mais para agradar.

34. Vou ao delírio quando, antes de tirar minha calcinha, o cara fica brincando com ela. Vale puxar as alcinhas, brincar com os lacinhos, puxar para um dos lados, acho que é uma das coisas que mais me deixa excitada.

35. Dançar só de camisola, bem agarradinhos, é uma delícia. Num dia bem frio, já estava deitada com meu marido. De repente, ele se levantou e ligou o som com uma música bem sexy. Foi até a cama e me puxou (nem tive tempo de reagir) e começamos a dançar, bem coladinhos. Antes da música acabar, já tínhamos voltado para a cama. Só que, desta vez, dispensamos o edredon.

36. Gosto quando o cara me deixa ficar por cima durante toda a transa. Melhor ainda quando ele me deixa fazer as coisas no meu ritmo e dá sinais de que está curtindo.

37. Iniciativas ousadas são sempre as melhores, mas o cara precisa segurar a onda e insistir. Teve um dia que fui a um bar e fiquei trocando olhares com o vocalista da banda que estava tocando. Num dos intervalos, a gente se encontrou na pista, ele me reconheceu e, num puxão forte, segurou no meu braço e me levou até o banheiro de deficientes. O perigo de sermos descobertos transformou aquela rapidinha numa transa inesquecível.

38. Odeio calcinhas que marcam a roupa e, às vezes, saio sem. Numa ocasião dessas, coloquei uma saia e, no restaurante, avisei meu namorado que estava sem roupa íntima. Ele foi o máximo! Com muito cuidado, aproximou a cadeira da mesa, levantou a perna e começou a se esfregar em mim. Mas me fiz de difícil e fiz com que ele esperasse pela refeição completa, com direito a duas sobremesas – a segunda, no motel.

39. Meu namorado é super-romântico e adora levar meu café-da-manhã na cama, quando dormimos juntos. Teve um dia, que ele preparou o meu suco preferido: abacaxi com hortelã e, na hora de pôr a bandeja no meu colo, acabou derrubando tudo em cima de mim. Em poucos segundos, ele resolveu a situação e, com muita disposição, começou a lamber todo o líquido derramado.

40. Eu sou vidrada em tatuagens, mas meu namorado detesta. Um dia, no entanto, ele me surpreendeu. Chegou em casa dizendo que tinha feito duas, bem pequeninhas, em lugares inusitados. Para encontrar, eu ia dizendo as regiões do corpo e ele respondia se estava quente ou frio. Quando a temperatura subia, ele me recompensava com bons amassos até que, no final, desisti de descobrir onde estavam as tatuagens. Chegar perto ficou muito mais divertido.

41. Na maioria dos meus looks, incluo uma meia-calça – uma peça simples que deixa as pernas muito mais sensuais, na minha opinião. Mas meu namorado detesta e nem encosta nas minhas pernas quando estou de meia. Num dia de revolta, ele partiu para cima de mim no carro e rasgou a meia inteira com as mãos. Fiquei boquiaberta e reagi na hora, precisamos até parar no acostamento.

42. Gosto muito de brincar com aqueles dadinhos do amor. Minha melhor experiência aconteceu quando meu namorado levou um amigo para jogar com a gente e me deixou livre para escolher com qual dos dois queria cumprir o destino surgido a cada arremesso. Nossa relação ficou muito mais forte depois daquele dia.

43. Tive um ex que me achava parecida com a Mel Lisboa, que eu acho linda. Num dia, ele apareceu em casa com a Playboy dela e sugeriu que a gente imitasse as poses da revista. Para ele me fotografar. Fiquei me sentindo uma diva.

44. Provocar (e ver que as provocações estão surtindo efeito) é uma das melhores sensações de esquenta. Depois do banho, levo horas passando cremes pelo corpo e, quando meu namorado está em casa, faço isso em posições para lá de insinuantes. Vou às estrelas no momento em que ele não agüenta mais olhar e parte para cima.

45. No meu caso, paciência é fundamental. Na primeira vez que saí com meu atual namorado, foi incrível: a gente tomou um banho delicioso na hidro, com muita espuma, depois ele fez massagem no meu corpo todo e, quando a gente não aguentava mais segurar, ficamos juntos. Foi a melhor noite da minha vida.

46. Preciso sentir o cara por inteiro junto comigo. Adoro quando, em vez de ficar passeando com a mão, ele segura firme na minha cintura e vai apertando e soltando meu quadril de acordo com os movimentos que a gente faz.

47. Homem que grita ou fala palavrão na cama é um horror. Adoro quando o cara sabe falar umas sacanagens, mas tem que ser baixinho e no meu ouvido. Uns gemidos na hora certa também empolgam.

48. Sugerir novas posições é um jeito diferente de mostrar que está a fim. Para mim, quando o cara faz isso, mostra que ficou pensando no momento que a gente ia ficar juntos de novo e arrumou uma maneira de transformar aquilo num encontro único. Ah, mas não precisa ser uma pose de contorcionista ou a gente corre o risco de se machucar e acabar não fazendo a parte mais divertida do exercício.

49. Alguns sabores abrem o apetite. Na minha lista, chocolate e champagne estão no topo. Uma calda bem cremosa, espalhada pelo corpo, atiça qualquer libido. E a bebida mata a sede, depois do esforço.

50. Ganhar presentes é ótimo em qualquer situação, mas receber um conjunto de lingerie ou uma camisola supersexy (e ter a chance usar em seguida) é uma delícia. Meu namorado sempre faz isso e já sabe vestir e arrancar meus sutiãs melhor do que eu.

51. Perfumes me deixam louca, adoro quando dou a sorte de ficar com um cara muito cheiroso que, só de me abraçar, já transfere aquele cheiro para mim. Grudo nele e só me separo quando o suor é tanto que não conseguimos mais ficar agarrados.

52. A nuca, para mim, é uma zona mágica. Meu namorado já descobriu e aproveita. Ás vezes, estamos num bar e ele esfrega um copo com drink bem gelado no meu pescoço. Fico toda arrepiada. A seqüência inclui esfregadinhas com os dedos até chegar no delírio absoluto, quando ele me beija com todos movimentos e velocidades possíveis de que uma língua é capaz.

53. Fico superexcitada quando, antes de transar, meu namorado permite que eu fique me arrastando inteira sobre o corpo dele, sentindo o toque das pernas, do peito, dos braços com outras partes do meu corpo, além da mão. São outros tipos de toque, que revelam o grau da nossa intimidade.

54. Gosto quando dou sorte de sair com caras que não tenham preconceito quando a mulher toma a iniciativa. Meu ex-namorado sempre elogiava minha ousadia e, com isso, eu vivia pesquisando coisas novas para a gente experimentar.

55. Viver personagens na cama me leva à loucura. Usando fantasias e sendo chamada por um nome que não é meu, adquiro uma personalidade nova e fico muito mais descontraída. Mas prefiro quando o homem toma a iniciativa e providencia todos os preparativos.

56. Adoro dar ordens e ser obedecida, claro. Na hora H, meu namorado segue direitinho a minha cartilha, beijando, apalpando e esfregando onde eu quero e do jeito que eu peço.

57. Deixar o computador num ângulo em que a webcam possa captar todas as nossas pegadas me deixa louca. Costumo gravar tudo e assistir em seguida. É ótimo para aprimorar o desempenho – e para receber elogios também.

58. Acho as velas um item bastante romântico, gosto de transar com a luz apagada e algumas chamas espalhadas pelo quarto, em locais estratégicos. Quando o clima está pegando fogo, vou ao delírio se o cara pega uma delas e pinga umas gotinhas de cêra na minha barriga ou nas minhas costas. Mas tem que ser de surpresa para fazer efeito.

59. Um bom colo, com carinho e uma pegada forte, é meio caminho andado para uma transa inesquecível. Se o cara tiver mesmo a manha, tudo se resolve ali mesmo, sentados (e com muito conforto).

60. O meu maior afrodisíaco chama-se ciúmes. Ainda não consegui ficar com nenhum cara que topasse outro homem na nossa cama. Então, normalmente, faço a festa quando meu namorado aceita que eu fique usando uns brinquedinhos na frente. Se ele me der uma mãozinha, então…

61. Este é meu teste para saber se vale a pena investir no cara. A gente começa as preliminares na sala e, enquanto isso, deixo o ar condicionado do quarto no mínimo. Quando nós dois já estamos para explodir, arrasto ele para a cama e continuamos o namoro por lá. No meu teste, são aprovados os homens que não me deixam sentir frio.

62. Em casa, meu namorado dorme separado de mim por impsição dos meus pais. Mas, no meio da noite, ele escapa e vem parar na minha cama. Transamos sem fazer o menor ruído. A sensação de perigo e a obrigação de ficar quietos aumentam nossa tensão – e o meu tesão.

63. Uma mordida no lugar certo é uma delícia, desperta um instinto animal que, normalmente, eu não revelo nem sob pressão. Onde é o lugar certo? Dependo do cara e da posição em que ele me pega.

64. Bancar a streaper é muito legal, desde que o cara aceite as regras e espere o momento de agir. Vale rebolar na frente dele, esfregar as pernas e insinuar depravações. Mas ele tem que assistir a tudo quietinho. Quando eu também não agüento mais esperar, dou o sinal verde.

65. Depois que consigo intimidade, gosto de amarrar as mãos dele e as minhas. Assim, sem o apoio delas, temos de dar um jeito de encontrar um encaixe que funcione perfeitamente. Até hoje, nunca falhou.

66. Aguçar a percepção dele é diversão certa na minha cama. Coloco uma faixa nos olhos dele e deixo uma série de frutas, sucos e comidinhas por perto. Passo os ingredientes no meu corpo e peço que ele prove. Até adivinhar que sabor está degustando. Depois disso, é a vez de estimular o meu tato. Fico com os olhos vendados e ele desliza, pelo meu corpo todo, esponjinhas, toalhas e tecidos umedecidos numa solução de água morna e essências perfumadas.

67. Contos eróticos são munição certa para a nossa imaginação. Gosto quando, à noite, meu namorado abre um dos meus livros (tenho pilhas deles) e começa a ler um trecho. A gente começa mordendo os lábios, vai chegando mais perto, mexendo as mãos… mas só deixo que ele parta para a definitiva quando o capítulo termina – a essa altura, já estou a mil quilômetros por segundo.

68. Sem pressa, é o máximo quando meu namorado consegue tirar minha roupa só usando a boca e os dentes. Para deixá-lo mais animadinho, prefiro usar uma saia nesses dias – afinal, se o desespero for muito (ou a habilidade for pouca), conseguimos continuar a aventura sem decepção.

69. Verdade imbatível: adoro os homens que são (ou parecem) insaciáveis. Não existe nada pior do que o terrível cigarro com soninho após uma transa, por mais maravilhosa que seja. Se o cara cansar mesmo, que pelo menos guarde o mínimo de energia para fazer carinho em mim, até que dois adormeçam.

 Fonte:yahoonoticia

Orgasmos na masturbação X orgasmos na relação

Padrão

O que acontece que muitas mulheres reclamam de falta de orgasmos na penetração mas conseguem tê-los na sua masturbação, que problema é este?

Na verdade quando a mulher diz que consegue ter orgasmos na masturbação e não consegue na penetração então já sabemos que ela não tem problemas mais graves. Não é problema de hormônio, não é problema de corpo, o problema está todo na cabeça ou na relação com o parceiro, claro que não podemos desconsiderar certas crises, inseguranças ou até mesmo problemas financeiros que possam estar atrelado a falta de orgasmo. Mas se ela consegue hoje ter orgasmo na masturbação então por que não conseguiria tê-lo amanhã com o parceiro?

Isso indica problemas na própria relação e neste ponto não tem como correr, o problema é na relação sim. Mas tudo pode ser resolvido com uma conversa, pelo menos na maioria das vezes. O que não podemos aceitar é que você deixe de ter o seu orgasmo, isso nunca.

Se o problema é na relação então o lance é conversar e ver o que está acontecendo. Pode ser que não tenha estimulo suficiente para a penetração e o seu parceiro, apressado, já está dentro de você, isso retira o tempo necessário para uma boa resposta sexual e a conseqüência é quase inevitável, ele ejacula e perde a potencia e você fica aí reclamando da vida, solução? Um belo vibrador ou um bom bate papo para que ele entenda que você tem que estar mais excitada para ser penetrada, isso geralmente resolve.

Mas não adianta negar, cama é prazer. Este negócio de ficar com alguém que você ama,mas não tem prazer na cama é lindo, muito romântico, mas sinceramente pode gerar muitos problemas graves na sexualidade da mulher, isso sem falar da falta de prazer e do vazio interno que esta mulher possa sentir. Depois ela arruma outro que dá maior tesão e o cara reclama que foi traído. Para que trair se pode ser tudo revisto?

Se não estiver conseguindo resolver sozinha procure um profissional, afinal ele está lá para ajudar você e não tem que ter medo. Fico as vezes observando e percebo que a mulher demora em média 3 a 4 meses para buscar ajuda especializada, ou seja, ela passa 4 meses sofrendo para poder tomar coragem de buscar ajuda. Para que sofrer tanto? É muito tempo. Está com problema então busque logo a ajuda necessária.

Saiba que quanto antes você resolver isso melhor será para sua saúde e para sua relação. Não esquece que ele também pode achar a relação monótona e buscar umas aventuras por ai, infelizmente é assim que as coisas funcionam na sociedade machista. Mas antes de atacar a pedra na infidelidade pergunte a si mesma o que você fez para melhorar a sua relação, porque é muito fácil culpar o outro e se colocar como vítima. Não deixe isso acontecer em sua vida, tome uma atitude, seja feliz, você merece.

O que é, o que é que não é de comer mas abre o seu apetite… sexual?

Padrão

Três mocinhas elegantes deitam-se de bruços sobre cangas coloridas na areia da praia. O assunto é: afrodisíaco.

– Amendoim – diz C.

– Ovo de codorna! Ostra! – emenda J.

– Só clichê, hein? – reclama E.

Silêncio.

– Inteligência é afrodisíaco.

– Admiração…

– Um metro e oitenta!

E começam a falar ao mesmo tempo, as três mocinhas elegantes, num agudo de dar inveja a qualquer soprano.

– O proibido.

– Adoro!

– O medo de alguém entrar no quarto…

– A possibilidade de alguém estar olhando.

– Comprar uma calcinha nova.

– Sair sem calcinha.

– Depilação cavada.

– Verão!

– Inverno…

Primavera e outono não são citados.

– Sexta-feira.

– Meia-noite.

– Rodrigo Santoro.

– Fábio Assunção.

– Leonardo!

– Que Leonardo?

– Do Leandro e Leonardo.

– Jura?

E chamam outros nomes nacionais e internacionais, masculinos e femininos como Madonna, Scarlett Johansson e Woody Allen.

– Sotaque!

– Barba mal feita..

– Costas largas.

– Nariz grande.

– Tatuagem que entra por dentro da roupa.

– Melanina.

É quando começa uma animada discussão em que uma amiga elege, como melhor afrodisíaco do planeta, cheiro de sabonete – também conhecido como “Acabou-de-sair-do-banho”. Inconformada, outra defende que bom mesmo é cheiro de corpo – também conhecido como “Cecê” – e diz que isso, sim, minha nega, dá o maior tesão.

– Uma taça de vinho.

– Três…

– Cerveja gelada.

– Cachaça.

– Champanhe com morango.

– Chantilly.

– Brigadeiro na colher.

– Emagrecer.

E riem, e viram-se nas cangas em dominó, encolhem as barrigas e trocam elogios, sem acreditar no que dizem – só no que ouvem.

– Sexo!

– Concordo: quanto mais se faz, mais se quer fazer.

– Falar sobre sexo!

– Falando nisso… – diz J.

– Vamos embora? – propõe E.

– Eu te amo! – declara C.

Jacaré e Elefante calam-se e voltam-se para Cobra:

– A gente também te ama – dizem em uníssono.

– Não é isso! “Eu te amo”, falar “Eu te amo” me excita. Ouvir, mais ainda.

É quando resmungamos nossa má sorte e levantamos para um mergulho na água gelada do mar da primavera.

O medo de um amor incerto

Padrão

Se existem verdades absolutas neste mundo, uma delas é que todos nós temos medo de sofrer. Assim, ingenuamente tentamos controlar as situações ao nosso redor, como se isso fosse possível…

Obcecados por esse desejo de nos proteger, gastamos nossa energia e nosso tempo tentando controlar os pensamentos, as atitudes e até os sentimentos das pessoas que amamos e que, sobretudo, desejamos que nos amem.

No entanto, não nos damos conta de que a vida se baseia no imprevisível, no incontrolável, no surpreendente! Nenhum sentimento é garantido, nenhuma conseqüência é revelada antecipadamente. O futuro é totalmente incerto. E apesar de tamanha imprevisibilidade, temos em nosso coração toda a possibilidade de conquistarmos o que e quem amamos, o que é muito diferente de controlar, prever ou obter garantias!

Muitas pessoas não conseguem encontrar um amor, não se entregam a uma relação profunda e verdadeira simplesmente porque estão, todo tempo, tentando obter certezas. As perguntas não param de gritar, as dúvidas não têm fim e o medo de se deparar com a dor parece assombrar milhares de corações, impedindo-os de enxergar uma outra possibilidade, tão plausível quanto a de sofrer.

Será que ele me ama? Será que vale a pena perdoar e tentar de novo? Será que ele não vai me trair? Será que não estou sendo idiota? Será que não vou sofrer mais do que se ficar sozinho? Será? Será?…

O que será, eu responderia com muita tranqüilidade, não importa agora! Na verdade, nunca importará! A pergunta correta é: “Eu quero?” Quando aprendermos a responder, com respeito e responsabilidade, essa simples perguntinha, teremos previsto qualquer possibilidade.

Sim, porque o amor é uma chance, uma oportunidade; não uma garantia; nunca uma certeza! Podemos vivê-lo conforme nossa vontade, de acordo com nosso coração ou… passaremos a vida inteira tentando controlar o incontrolável, garantir o incerto!

Jamais teremos como saber se o outro está sendo fiel, se o amor que sentimos é correspondido na mesma medida, se vamos sofrer ou seremos felizes. Jamais saberemos do amanhã ou do outro.

Então, que usemos nossa inteligência, a despeito de todo o medo que isso possa nos fazer sentir. Ou seja, que possamos, de uma vez por todas, abrir mão dessa tentativa inútil de controlar o amor, a vida e o outro e nos concentremos em nós, em nosso coração e em nossos reais objetivos!

Descobriremos que nos ocupar com nossos próprios sentimentos já é trabalho para vida inteira. Descobriremos que agir conforme nossa vontade é o bastante para que nos sintamos preenchidos, embora possamos mesmo vir a sofrer… simplesmente porque o sofrimento é uma possibilidade tão possível quanto a felicidade!

E digo mais: só conseguiremos entrar de fato no coração de alguém, mesmo sem termos certeza disso, quando tivermos a audácia e a coragem de nos entregar ao imprevisível; quando conseguirmos compreender que a segurança é mérito pessoal, interno, sentimento que não se pode ter em relação a ninguém além de nós mesmos.

Portanto, para todas as pessoas que têm me perguntado sobre qual é o “segredo” para viver o amor sem sentir tanta insegurança, tanto ciúme e tanto medo de sofrer, aproveito este momento para responder: o segredo está em saber se você quer, se você realmente quer! Porque se você quiser e fizer por merecer, agindo você com sinceridade, qualquer possibilidade de dor e sofrimento valerá a pena. Porque quando a gente quer de verdade, com o coração, a magia do amor nos faz entender que sofrer faz parte do caminho e, no final das contas, é tudo crescimento, aprendizagem, evolução e, por fim, a tão desejada felicidade.

E não que ela esteja no final do caminho ou no final da vida, simplesmente porque ser feliz é isso: entregar-se ao imprevisível e aceitar a dor e a alegria como partes do amor! E quando penso que essa entrega é realmente difícil, me lembro de uma frase que gosto muito:
“Se o seu problema tem solução, relaxe… ele tem solução.
E se o seu problema não tem solução, relaxe… ele não tem solução!”
É uma frase engraçada, mas muitíssimo sábia. Portanto, quando estiver doendo muito, não resista! Simplesmente relaxe e aceite, pois a resposta virá!

Renata R. Dos Santos.

40 ERROS QUE AS MULHERES COMETEM NA HORA H!

Padrão

NÃO BEIJAR.
Apesar ddas lendas populares dizerem que homem não gosta de beijar na boca, homem gosta sim, e muito, de dar uns beijos na hora h.
NÃO GOZAR NUM TEMPO RAZOÁVEL.
Ok, a maioria dos homens não se preocupa muito com o orgasmo da parceira, mas você também têm que entender que não dá pra ficar a vida toda masturbando, transando ou fazendo oral em vocês.

NÃO DEPILAR AS PERNAS, VIRILHA E AXILAS.
Encontrar um simples pelinho em locais inadequados (bumbum, suvaco) é motivo para perder totalmente o tesão,fazendo-nos quase levá-la a uma farmácia mais próxima pra comprar um kit para depilação. Mulher tem que ser lisinha, delicadinha, salvo o gosto de alguns homens que gostam de reviver uma aula de História da era paleozóica na cama. Não pense mal de nossas pobres antepassadas, não existia gillete ou outas ferramentas para tanto, mas hoje, sem desculpas.

ESPREMER O SACO DELE.
Um estímulo no saco escrotal é sim bem-vindo, mas apertar como se estivesse fazendo uma laranjada não só acaba com o tesão como também dói, e muito.

ABOCANHAR O SACO DELE.
É o mesmo caso do ítem anterior.

APERTAR OS MAMILOS DELe.
Se para as mulheres, os mamilos são uma zona extremamente sensível, no caso do homem, a única coisa que sentimos é dor, muita dor.

IGNORAR AS OUTRAS PARTES DO CORPO DELE.
Um homem não é uma via expressa com somente uma pista. Lembre-se que beijos, apertos e arranhões por todo o corpo são sempre muito bem recebidos.

PUXAR A CUECA.
Não sei se dá para perceber, mas enfiar a mão por debaixo da calça do homem e ficar puxando a cueca, como que esperando o rompimento do elástico, é uma prática dolorosa, para não dizer torturante.

NÃO SABER COLOCAR A CAMISINHA.
Ok, é uma responsabilidade do homem, mas saber fazer esse procedimento, principalmente com criatividade, como utilizando os lábios, pode ser um diferencial na cama.

MORDISCAR O PÊNIS.
Sexo oral é a coisa mais gostosa que o homem pode receber, mas não precisa colocar seus dentes ali para nos lembrar que isso pode ser extremamente doloroso também.

NÃO PARAR PRA RESPIRAR.
Ao contrário das mulheres, os homens precisam de tempo para respirar, porque para podermos fazer sexo oral, geralmente estamos completamente enfiados “dentro” da cintura de vocês, impossibilitando a continuação da respiração.

DESPIR-SE ESTUPIDAMENTE.
Lembre-se sempre que o ato sexual é um ritual sagrado, então jamais tire apressadamente as suas roupas ou as do seu namorado, isso vai acabar completamente com o clima.

UTILIZAR CALCINHA BEGE.
Quando estamos chegando no grande momento de ver sua calcinha, (aliás estamos a todo momento imaginando como deve ser sua calcinha, que cor, textura, sem textura, com lacinho, fitinhas, desde que nos encontramos com vc), assim que nossos olhos pousam sobre uma calcinha bege, o pavor é tanto que gera um conflito de imagens ligando nossa pobre vovozinha à você, e fazendo nos esticar a mao, para procurar uma tesoura para tirar isso de você o mais rápido possível. Calcinha bege funciona como um feitiço do mal em nossas mentes: é uma mistura de perder o tesão com imaginar porque você pegou pegou calcinha da sua vó com imaginar vc bem idosa. Portanto cuidado neste ítem, ele pode acabar com um relacionamento.

SER OBCECADA PELA VAGINA.
Acreditem, os homens não gostam apenas de sua vagina, mas também da sua bunda, seus seios, suas coxas…

MASSAGEM GROSSEIRA.
Você tenta dar a ele uma massagem sensual, relaxante, para deixá-lo no ponto. Pode usar as mãos e pontas dos dedos; cotovelos e joelhos, não.

TIRAR A ROUPA DEPRESSA DEMAIS.
Não force a barra tirando a roupa antes que ele tenha feito algum gesto para ver o seu material, mesmo que seja apenas desabotoar dois botões.

TIRAR AS CALÇAS PRIMEIRO.
Uma mulher de meias e calcinha é horrível. Tire as meias primeiro.

FAZER SILÊNCIO DEMAIS.
Não queremos que vocês façam tanto barulho quanto uma atriz pornô, mas uns gemidinhos são indispensáveis na hora da transa.

FICAR QUIETA DEMAIS.
A falta de movimentos na hora do sexo também atrapalha e muito. Não é nem um pouco agradável a sensação de estar transando com uma estátua.

GOZAR DEPRESSA DEMAIS.
Por mais que a mulher possa ter vários orgasmos numa mesma transa, não é legal quando a mulher goza logo de cara e pede uma pausa pra se recuperar.

DAR UM CHUPÃO NO PESCOÇO.
Beijos, carícias, são legais. Mordidas leves, também. Chupão, com direito a marca, jamais.

MENTIR DIZENDO QUE GOZOU.
Se os homens não percebem se você gozou ou não e cometeram a indelicadeza de perguntar, não complique a situação. Mentir que você gozou apenas vai piorar a situação, pois ele vai achar que fez a coisa certa na cama.

FAZER SEXO ORAL COM GENTILEZA EXCESSIVA.
Não precisa fazer sexo oral com a mesma vontade que você avança numa torta de chocolate, mas fazer com nojo é o mesmo que não fazer.

NÃO CUTUCAR A CABEÇA DELE.
Como já foi dito anteriormente, fazer sexo com uma estátua é extremamente ruim. O fato de vocês puxarem ou empurrarem nossas cabeças durante o sexo oral é um ótimo indicativo de que a coisa está boa.

NÃO AVISAR ANTES DE GOZAR.
Como nos preocupamos com o orgasmo de vocês, queremos ajudar a aproveitar melhor cada segundo. Logo, saber quando ele está chegando é essencial.

FICAR SE MEXENDO DURANTE O BOQUETE.
Não precisa fiacr completamente parada, mas não precisa dançar e rebolar enquanto fazer um boquetinho né?

FAZER PERGUNTAS DEMAIS.
Não somos brutos insensíveis, mas convenhamos, cama não é para ficar fazendo mil questionamentos ou perguntando né?

DEIXÁ-Lo POR CIMA POR ERAS.
Papai e mamãe até é gostoso, mas para o homem, é a posição menos estimulante visualmente falando. Então, saiba que o homem por baixo, ou a mulher de 4, são muito mais gostosos para nós.

TENTAR FAZER FIO TERRA E FINGIR QUE FOI UM ACIDENTE.
Tem homem que gosta, ok. Mas pergunte antes. De uma forma geral, homem associa este ato a homossexualismo, ou seja, não quer.

NÃO TER IMAGINAÇÃO SUFICIENTE.
Imaginação vai desde desenhar padrões nas costas dele até derramar mel sobre ele e lambê-lo. Frutas, vegetais, gelo e plumas são todos dispositivos úteis; cera quente e tinta indelével, de jeito nenhum.

SENTAR SOBRE O ESTÔMAGO DELE.
Tudo bem que gostamos de ter vocÊ por cima, mas tome muito cuidado onde se apóia.

COLOCÁ-Lo EM POSES ESTÚPIDAS.
Existem posições que nos expõe ao ridículo extremo, então, por favor, jamais se esqueçam que temos duas bolas no meio das pernas que doem muito quando pressionadas.

PROCURAR PELA PRÓSTATA DELE.
Como já foi dito anteriormente, fio terra apenas com autorização prévia.

DAR-LHE MORDIDAS DE AMOR.
É extremamente erótico exercer alguma sucção gentil nos lados do pescoço, se você fizer isso com cuidado. Nenhum homem quer ter que usar golas rolê por semanas a fio.

LADRAR INSTRUÇÕES.
Não dê gritos de incentivo como um treinador com um megafone. Não é lá muito excitante.

INSEGURANÇA.
É normal todo mundo ter um pouco de insegurança, tanto na cama quanto na vida, mas há um limite muito claro para isso. Quando um homem tem que repetir algo pela terceira vez, tenha certeza que já está sendo irritante o suficiente para ser brochante.

FALAR ALTO.
Mesmo quando estiver bem longe da cama, jamais fale alto. Gritar é um descontrole que faz o seu homem sentir vergonha e não querer mais saber de ficar ao seu lado.

Fonte:Site acidezmental