Arquivo da tag: chocolate

Chocolate: veja respostas para mitos e verdades

Padrão

o doce é viciante? a versão branca possui os mesmos benefícios?

É verdade que o doce faz bem à saúde? Chocolate diet tem mais calorias do que a versão tradicional? A delícia açucarada é alvo de muitas dúvidas e até preconceitos. A seguir, confira respostas para os principais mitos e verdades do chocolate.

  • 1
    Chocolate faz bem à saúde
    Verdade. Segundo a nutricionista Sabrina Longhi, da Clínica de Especialidades Integrada, “o chocolate possui flavonóides que reduzem o risco de doenças cardiovasculares, propiciam melhora do fluxo sanguíneo, reduzem a pressão arterial e melhoram os níveis de colesterol ruim”. “O cacau ainda contém antioxidantes que previnem o envelhecimento da pele”.

    Estudo sugere que chocolate reduz a pressão arterial
  • 2
    Comer chocolate pode ajudar na perda de peso?
    Verdade. “Estudos recentes apontam que os ácidos fenólicos presentes no cacau podem ajudar no processo de emagrecimento. Estas substâncias interferem na produção da leptina, o hormônio da saciedade, e ainda queimam mais calorias. Outra pesquisa sugere que o cacau pode inibir o organismo a estocar gordura”

    Pequena quantidade do doce, todos os dias, pode ajudar a emagrecer
  • 3
    O doce provoca acne
    Mito. De acordo com a dermatologista Paula Bellotti, “excluindo os casos especiais, como pessoas que apresentam alergias ou intolerância à lactose e glúten, não há nenhuma comprovação científica sobre os malefícios que o chocolate pode causar à pele. A acne pode ser provocada por uma dieta rica em carboidratos de alto índice glicêmico, como doces, pães e biscoitos, que tendem a gerar uma alteração na resistência do organismo à insulina, podendo causar o aparecimento de espinhas”.

    Acne: veja mitos e verdades 

  • 4
    Mulheres sentem mais vontade de comer chocolate no período pré-menstrual
    Verdade. “O chocolate estimula a liberação de serotonina e dopamina, neurotransmissores que costumam apresentar alterações neste período, provocando cansaço, ansiedade e tristeza”, explica Liliane. Os benefícios acabam estimulando o consumo do doce neste período de forma instintiva.

    TPM: confira dez dicas para aliviar os sintomas
  • 5
    Qualquer tipo de chocolate promove benefícios para a saúde
    Mito. “O ideal é consumir, diariamente, cerca de 30 gramas de chocolate do tipo amargo, com concentração de 50 a 70% de cacau. O doce comum, ao leite, possui maior teor de gordura e deve ser consumido ocasionalmente”

    Incluir chocolate na dieta pode ser bom para a sua saúde
  • 6
    Para as mulheres, o chocolate pode substituir o sexo
    Parcialmente verdade. Para Sabrina, “a necessidade do aumento no consumo do  chocolate pode identificar uma  deficiência de magnésio, mineral que participa da produção dos neurotransmissores que regulam o humor, a alegria e satisfação. O doce é rico em metilxantinas, substâncias que promovem bem estar emocional e sensação de prazer”.

    Confira os alimentos que colaboram para o bom desempenho sexual
  • 7
    Chocolate branco não possui benefícios para a saúde
    Verdade. “O chocolate branco é produzido através de uma  mistura de manteiga de cacau com outros ingredientes, como leite e açúcar. Como não possui massa de cacau, ele não contém as propriedades encontradas no chocolate preto amargo ou meio amargo. Ainda é mais calórico e rico em gordura saturada”

  • 8
    Existem pessoas viciadas em chocolate
    Parcialmente mito. “Não existem comprovações científicas de que o chocolate seja viciante. No entanto, o doce contém substâncias que estimulam a produção de serotonina, promovendo sensações de bem estar e prazer que poderiam levar ao consumo em excesso”

Chocolate: pequena quantidade, todos os dias, pode ajudar a emagrecer

Padrão

Você faz dieta e malha em dobro só para poder saborear um bombom após o almoço? Cientistas da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, descobriram que, além de conter benefícios para a saúde, o chocolate pode auxiliar na perda de peso. No estudo, os voluntários que comeram pequenas porções de chocolate, regularmente, apresentaram Índice de Massa Corporal (IMC) menor.

Chocolate seria capaz de acelerar o metabolismo
Os pesquisadores acreditam que os ingredientes do chocolate acelerem o metabolismo, ajudando a queimar gordura corporal, o que compensaria as calorias extras ingeridas com o doce. O estudo analisou os hábitos alimentares de 972 homens e mulheres, com idades entre 20 e 85 anos. Em média, os voluntários afirmaram consumir chocolate duas vezes na semana. A média dos participantes apresentava IMC 28, que é considerado sobrepeso.

Nos resultados, publicados no periódico Archives of Internal Medicine, os voluntários que comiam chocolate com frequência eram também aqueles que, diariamente, ingeriam mais gorduras saturadas e calorias, mas eram, justamente, aqueles com menor IMC. Para os cientistas, a resposta para o impacto sobre o peso final está na composição das calorias do alimento e não apenas na quantidade que é ingerida.

Na dúvida, escolha o chocolate amargo
A pesquisa não apontou qual a quantidade ou o tipo de chocolate considerado ideal para perder peso, mas outros estudos revelaram que a versão amarga ainda é capaz de equilibrar os níveis de colesterol e a pressão sanguínea. Os cientistas recomendam a ingestão diária de pequenos pedaços de chocolate amargo, mas ressaltam a importância de não exagerar, já que 100g representam 520 calorias a mais no cardápio.

 

Estudo sugere que consumo diário de chocolate reduz pressão arterial

Padrão

diminuição seria suficiente para proteger o coração

Depois de revelar que comer chocolate pode até ajudar a emagrecer, um novo estudo sobre o alimento mostrou que ele pode realmente baixar a pressão arterial. De acordo com pesquisadores do Instituto Nacional de Medicina Integrativa em Melbourne, na Austrália, a redução é pequena, mas suficiente para proteger contra doenças cardiovasculares.



Na pesquisa, todos os voluntários apresentaram redução da pressão

Durante a pesquisa, 856 pessoas consumiram porções diárias de 3 a 105 gramas de chocolate, durante oito semanas. Todos os voluntários, inclusive aqueles que comeram menos, apresentaram alguma queda na pressão arterial. Em média, a pressão arterial considerada ideal gira em torno valor de 120/80 mmHg, popularmente conhecida como “12 por 8”. O estudo sugere que o consumo de chocolate foi capaz de reduzir a pressão sistólica (maior valor) em até 3 mmHg.

Segundo os cientistas, o mecanismo que promove a redução da pressão arterial ainda não está claro, mas eles acreditam que os flavonoides presentes no cacau sejam responsáveis por aumentar os níveis de óxido nítrico no organismo. A substância seria capaz de relaxar e dilatar os vasos sanguíneos, reduzindo a pressão sanguínea e o risco de doenças cardiovasculares, como derrames e infartos.

Feijão, uva e maçã também são fontes ricas em flavonoides
A grande quantidade de calorias seria o ponto negativo do consumo diário de chocolate, que contém cerca de 500 calorias em 100 gramas. Para evitar o ganho de peso, que também prejudica a função cardíaca, os cientistas recomendam a ingestão de outros alimentos ricos em flavonoides, como feijão, damasco, amora, uva e maçã.

Doce melhoraria agilidade mental de idosos
Esta semana, a revista da Associação Americana do Coração indicou que o chocolate pode melhorar a cognição de idosos, diminuindo o risco de demência e Alzheimer. Nesta pesquisa, 90 voluntários com 70 anos de idade consumiram bebidas à base de chocolate com grande concentração de cacau. Após oito semanas, testes verificaram melhora na memória e agilidade mental dos participantes, que ainda apresentaram queda nas taxas de açúcar no sangue.

 

Noticias sobre o Blog

Padrão

Olá gente

Preciso agradecer a todos que estão passando por aqui e estão gostando do blog, deixando comentários…muito bacana mesmo, obrigada galera

Fazendo esse post hoje venho informar aos meus leitores e visitantes que em breve estarei fazendo um boom de materias sobre chocolate

Estou buscando pesquisas, informações e reunindo tudo em materias bem simples e objetivas para trazer informações valiosas para vocês

Afinal Natal está chegando e quem não gosta de chocolate né 🙂

Logo logo o Blog estará cheio de novidades galera

Aguardem e não deixem de visitar o Regganata

Abraços

Renata Ramone

Por que as mulheres amam chocolate?

Padrão

A tese já está comprovada: mulheres são loucas por chocolate. Ao leite, branco, crocante, amargo, maio-amargo, com avelã, trufado, com morango, enfim, não importa o tipo, o fato é que amamos o chocolate! Por isso que a Páscoa é tão bem-vinda. O coelhinho que nos perdoe, mas a estrela da Páscoa é mesmo o chocolate!

Muito bem, mas então poderíamos ficar o ano inteiro sem comer um bombonzinho e só desfrutar dessa delícia na época da Páscoa? Óbvio que não. Mulheres querem chocolate quando brigam com o namorado, quando discutem com os pais, quando estão na TPM, quando estão com problemas profissionais, quando querem ser mais felizes, quando querem que o tempo passe mais rápido, quando estão morrendo de ansiedade pra aquela festa, enfim, queremos chocolate na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença, até que a morte nos separe.

A grande questão é: Por que as mulheres amam chocolate? “A serotonina é um neurotransmissor capaz de regular o sono, o humor e até o padrão alimentar.Os homens congeuem sintetizar a serotonina mais rapidamente do que as mulheres e são capazes de armazenar o dobro, por isso se controlam antes de atacar um chocolate. Já as mulheres, principalmente na TPM, têm queda na taxa de estrogênio e a elevação dos níveis de progesterona está associada também,  diminuição da serotonina (o chamado hormônio da felicidade). Como não há nenhum alimento capaz de aumentar mais a serotonina do que chocolates e doces, fica claro o porquê das mulheres precisarem de um chocolatinho de vez em quando”, explica Alessandra Rascovski, endocrinologista especializada em TPM.

Por isso é que quando vamos  restaurantes por quilo, quase sempre há aquela fila básica de mulheres na sessão de sobremesas. Parece até liquidação de vestido. E agora com a tendência da moda, tudo se complica ainda mais. Roupas nas cores de chocolate, maquiagens que têm os tons, a textura e até o cheiro de chocolate, escova de chocolate para as madeixas, esmalte que tem aquele brilho de chocolate, shampoos com cacau e ativos do chocolate. Enfim, é tudo chocolate.

 “O chocolate nos dá a mesma sensação de estarmos apaixonadas. Quando estamos deprimidas e ingerimos o chocolate, ele nos proporciona paz, calma e equilibra novamente a nossa serotonina, atenuando a depressão e a ansiedade feminina. Fora que também é uma fonte de prazer rápida. Só de nos presentearmos já é um carinho que nos oferecemos”, afirma a nutróloga Daniela Hueb, que diz que a explicação pela obsessão feminina pelo chocolate está na oscilação constante de seu ciclo hormonal.

Esse quase Don Juan, além de nos deixar com aquela sensação de bem estar constante, traz benefícios a nossa saúde. Interessou? Então olha só. Ele previne depressão, anemias carenciais, melhora o colesterol bom (HDL), é responsável pela formação de alguns hormônios benéficos, fortalece a resistência imunológica e melhora cabelos e unhas. “Nutricionalmente falando o melhor tipo de chocolate é o meio amargo. Ele é mais rico em cacau do que as outras versões, contém vitaminas do complexo B, polifenóis que são anti-envelhecedores e fortalecem a imunidade. O cacau também previne anemia e auxilia na prevenção da depressão”, afirma Daniela.

Mas como ninguém é perfeito, nem mesmo Don Juan, o chocolate também tem seus defeitinhos. Vejamos. “Em excesso, pode ser um dos fatores causadores da obesidade, e como conseqüências, excesso de gordura corporal, triglicérides e colesterol elevado, pressão arterial elevada e até diabetes. É contra-indicado para enxaquecas e auxilia na formação de cáries e gastrite”, explica a nutróloga Daniela Hueb.

A boa notícia é que é possível comer chocolate todo dia. Não, não estamos brincando. Segundo Daniela Hueb, isso é possível desde que a pessoa diminua o carboidrato em outra refeição, como no jantar, por exemplo. “A quantidade seria um bombom Alpino ou um bombom Sonho de Valsa”, afirma Daniela.

Todavia, é Páscoa! Ninguém normal vai comer só um bombom. Então como fazer para não comer demais e nem se arrepender por não ter comido um pedacinho daquele ovo de Páscoa? “Se você está priorizando dieta de restrição calórica, 50g de chocolate convém ser consumido diariamente (o equivalente a uma barra de suflair, ou seja, 250 calorias aproximadamente). Agora, se está priorizando dieta de restrição de carboidrato, 10g são o suficiente (o equivalente a um bombom alpino ou um sonho de valsa, aproximadamente). Dar preferência ás versões light. As versões diet são isentas de açúcar, porém com muito mais gordura, sendo assim mais calóricos. Estes são indicados apenas para diabéticos”, explica Daniela. A tabelinha pode ajudar.

Calorias (em 100 gramas) :
– Chocolate crocante: 553 calorias
– Chocolate branco: 550 calorias
– Chocolate ao leite: 540 calorias
– Chocolate amargo: 537 calorias

Dicas para eliminar calorias (equivalente a 100 gramas):
-Caminhada: 89 minutos a 5 km/h
-Corrida: 57 minutos a 5km/h
-Nadando: 60 minutos em velocidade média
-Hidroginástica: 48 minutos em intensidade média.

Agora que você entendeu as origens desse seu amor nada platônico pelo chocolate, abra seu coração nessa Páscoa e diga: sim, eu aceito. E que sejam felizes para sempre!

O superchocolate-Faz muito bem a saúde

Padrão

Além de saboroso ele contribui para a nossa saúde. Uma notícia ainda mais agradável surge dos pesquisadores da Unicamp: pode estar vindo aí o Superchocolate!

Segundo a engenheira de alimentos Priscila Efraim, da Universidade de Campinas (Unicamp), “as pesquisas sobre os flavonóides no chocolate têm mostrado benefícios como a diminuição do risco de doenças cardiovasculares, diminuição do colesterol e melhoria no sistema imunológico”.

Os flavonóides funcionam como antioxidantes no nosso corpo, combatendo os radicais livres, tão famosos por apressar o nosso envelhecimento e provocar doenças como o câncer.
No chocolate, esses flavonóides tem sua origem no cacau. O problema é que, segundo o estudo da pesquisadora, durante a produção do chocolate, em média 70% dos flavonóides são perdidos devido a reações bioquímicas na fermentação.

Em pouco tempo pode estar disponível no mercado um superchocolate, muito mais rico em flavonóides que os existentes nas prateleiras e ainda mais saudável para a nossa saúde. Isso porque os pesquisadores estão trabalhando no desenvolvimento de novas técnicas de fermentação do chocolate.

Fonte:saudenainternet