Arquivo da tag: desejo

Meu Plano

Padrão

Sim! Eu tenho um plano para te enlouquecer…
E te envolver com meu beijo, e te prender no meu abraço…
Te entontecer com meu perfume, fazer vc perder o juízo, a Razão,
A noção de tempo e espaço…

Porque aprendi a te querer…
Por vício, por loucura, por necessidade,
Por te ver tão ao meu alcance,
Por querer te conhecer,
Por mera curiosidade…

De onde veio tudo isso… também me pergunto,
Só sei que foi derrepente,
Você estava aí e eu aqui,
Já falamos nesse assunto,
Mas é melhor cara a cara, frente á frente,
Você sentir minha respiração,
Eu sentir sua transpiração,
E aprenderemos sobre a gente…
Sobre nossos corpos, nossa alma,
Quero ver vc perder a calma,
Quero ver sua total entrega,
Onde em nós essa loucura sossega…

Sim, eu tenho um plano para te enlouquecer!
E isso pode ser aos poucos,
Não há pressa, posso até deixar você esquecer,
E quando menos esperar, estaremos roucos,
De sussurros, de delírio, de emoção,
E nem estou falando de coração,
Isso é assunto pro destino,
Nosso assunto é desatino,
Nossa conversa é tentação…

É, você sabe, está escrito em meu olhar,
É, e eu também sei, que isso tudo mora aí dentro,
Você pode disfarçar, mas estou em seu pensamento,
Decidi aí morar, e agora não tem volta,
Fique tranquilo, pode aguardar,
Corra o Mundo faça laços,
Mas em breve, você estará em meus abraços…

Jura? Ameaça? Promessa?
Não sei, apenas esperando a hora certa…
A hora disso tudo acontecer,
mas tenho calma, nada de pressa.
Porque tudo isso faz parte
De um doce plano para te enlouquecer…

Queria um Abraço Seu Hoje…

Padrão

Queria um abraço hoje!!!
De repente deu vontade de um abraço.
Uma vontade de entrelaço, de proximidade.. de amizade, sei lá..

Talvez um aconchego que enfatize a vida e amenize as dores…
Que fale sobre os amores, que seja teimoso e ao mesmo tempo forte.
Deu vontade de poder rever saudade de um abraço.
Um abraço que eternize o tempo e preencha todo espaço, mas que faça lembrar do carinho, que surge devagarzinho da magia da união dos corpos, das auras..sei lá..

Lembrar do calor das mãos acariciando as costas a dizer.. “estou aqui.”
Lembrar do trançar dos braços envolventes e seguros afirmando “estou com você”..
Lembrar da transfusão de forças com a suavidade do momento ..sei lá.. abraço…abraço…abraço… abraço…abraço..abraço… abraço…abraço…abraço…

 O que importa é a magia deste abraço!
A fusão de energia que harmoniza, integra tudo, e que se traduz no cosmo, no tempo e no espaço.

Só sei que agora deu vontade desse abraço!!
Que afaste toda e qualquer angústia.
Que desperte a lágrima da alegria, e acalme o coração..
Que traduza a amizade, o amor e a emoção.

 E para um abraço assim só pude pensar em você…. nessa sua energia, nessa sua sensibilidade que sabe entender o por quê… dessa vontade desse abraço.

 Renata

Cobrança sexual: Outras causas

Padrão

O sexólogo Celso Marzano, diretor do Centro de Orientação e Desenvolvimento da Sexualidade (CEDES) e do Instituto Brasileiro Interdisciplinar de Sexologia e Medicina Psicossomática (ISEXP-SP), cita, além da rotina no relacionamento, os problemas cotidianos como inimigos do prazer. “O dia-a-dia conspira contra o sexo, pois conciliar a família, os amigos, o trabalho e os nossos interesses pessoais é muito difícil. Adicionamos ainda a todo esse estresse a situação financeira instável, outras questões que afetam nosso controle emocional e o envelhecimento inevitável do nosso corpo. Por tudo isso, em algum momento acabamos apresentando algum tipo de disfunção sexual, de maior ou menor grau”, define.

Algumas pessoas vêem a vontade de fazer sexo diminuída por motivos que afetam o interesse físico no parceiro, o equilíbrio psicológico ou doenças que as debilitam. A falta de higiene pessoal, a obesidade, o alcoolismo, a estafa física, a depressão, a baixa auto-estima, possíveis incômodos e o uso de medicamentos, como alguns calmantes, antidepressivos e anti-hipertensivos, podem prejudicar a libido. As próprias alterações hormonais, principalmente aquelas ocorridas na menopausa, ou mesmo na tensão pré-menstrual, às vezes dificultam a resposta sexual. “Também há pessoas que são condicionadas a só se sentirem atraídas por corpos jovens e perdem o interesse quando o cônjuge envelhece, da mesma forma que alguns homens deixam de sentir desejo por mulheres que se tornaram mães de seus filhos”, comenta Ana Maria Zampieri, que acrescenta que os cuidados com o corpo, sem exageros, e a auto-estima são fundamentais para resgatar o prazer no sexo.

Elas hoje querem parceiros mais receptivos, que não utilizem seu poder para fazê-las submissas, e reclamam que o homem brasileiro ainda é muito ‘machão’. Mas elas próprias, ao serem mães, favorecem a formação de homens machistas

A falta de orgasmo durante a relação sexual e, também, a obsessão em atingi-lo são outros fatores que desestimulam as mulheres. Segundo o ginecologista Eliano Pellini, isso pode causar mal-estar e dores na região pélvica. “A congestão de sangue nos órgãos sexuais femininos fica retida quando a mulher passa muito tempo sem alcançar o orgasmo, o que geralmente leva ao que chamamos de dor pélvica crônica”, esclarece o médico. Outro problema surge quando a mulher não é estimulada corretamente e não se excita a ponto de ficar lubrificada. Sem esta preparação preliminar, que deve ser provocada pelo homem, o ato sexual torna-se doloroso e pode causar vaginismo (contração muscular involuntária que impede a penetração), fissuras, infecções e corrimentos que somente irão piorar e prolongar o desconforto nas próximas relações – um ciclo que elimina o prazer sexual. É bom lembrar que quantidade não traduz qualidade.

A “obrigação sexual” é ainda mais intensa quando o parceiro que exige sexo mesmo que o cônjuge não esteja com vontade. “Para resolver este impasse, o primeiro passo é o diálogo, pois esta postura exigente só leva a maiores desgastes e afastamentos”, alerta o sexólogo Celso Marzano. Eliano Pellini e Ana Maria Zampieri afirmam que muitas mulheres não têm prazer porque seus maridos e elas mesmas não receberam educação para o prazer. “Deve-se saber dizer não quando não se quer, e, claro, explicar o porquê. Não faz sentido se submeter a verdadeiros estupros na cama conjugal. Isso é violência legitimada pela cultura machista”, adverte a psicóloga. Para o ginecologista, muitas disfunções sexuais como esta seriam sanadas se houvesse uma reforma global na educação das crianças, por exemplo. “Elas hoje querem parceiros mais receptivos, que não utilizem seu poder para fazê-las submissas, e reclamam que o homem brasileiro ainda é muito ‘machão’. Mas elas próprias, ao serem mães, favorecem a formação de homens machistas e meninas que crescem achando que devem servi-los”, atesta Eliano Pellini.

Fonte:bolsademulher

Sobre o nada e o tudo…

Padrão

Olá pessoal

Esse post é em homenagem ao meu Amor!!!

Bem hoje ele inicia sua vida no mundo dos blogs,com um tema bem “incomum” o blog dele se chama “Nada não é nada”,onde ele escreverá um pouco do que pensa,sente,sonha e acredita,sobre varios temas como religião,filosofia,Rpg, entre outros assuntos.

Meus amigos costumam dizer que o Fred(meu amor) é muito culto pra conversar com agente kkkk…

É cada uma que tenho que escutar,ta tudo bem,concordo que ele é sempre a pessoa que explica tudo sabe?! Sempre tem um,que mais inteligente kkkk…

Mas agora falando serio,Amor,te desejo muita sorte,espero que você consiga passar para os futuros leitores um pouco de tudo que você tem me passado nesses 4 anos e 3 meses de união.

TE AMO e SORTE!!!

Bjus Kiko!

Cobrança Sexual

Padrão

Às vezes, o sexo deixa de ser fonte de prazer e vira uma obrigação.

Sexo é bom e todo mundo gosta. Ou melhor: quase todo mundo. Ainda que proporcione prazer, estímulo, intimidade, vínculo afetivo, relaxamento e bem-estar, tem muita gente que não consegue sentir nenhum desses benefícios no ato sexual – mas o faz, por diversos motivos alheios a sua vontade, sem desejo algum. E praticá-lo por obrigação inevitavelmente leva à frustração. “Não gosto de sexo. Faço porque meu marido me procura. É claro que gostaria de reverter essa situação. Entendo que ter desejo é algo normal, mas não sei como mudar isso”, confessa Elisa*, de 37 anos. Como ela, existem várias outras que pensam e sofrem o mesmo.

Sexo quente, morno ou frio? Faça o teste e descubra como anda o tesão no seu relacionamento

Foram inúmeras as conquistas femininas nas últimas décadas e, entre elas, há as sexuais. Antes do movimento de liberação sexual do século passado, as mulheres, com exceção das prostitutas, eram vistas quase como “seres assexuados”, que só deveriam fazer sexo para procriarem. O prazer era restrito aos homens. Herdeiras das gerações anteriores, hoje ainda há muitas que mantêm as idéias de que sexo é algo sujo, que masturbação é pecado, que somente o homem deve alcançar o prazer, que o marido tem o direito de transar com a mulher toda vez que sentir vontade, independentemente do fato de ela estar a fim etc. Este é um dos motivos que fazem o sexo ser encarado como uma obrigação, e não como uma relação física em que duas pessoas buscam o prazer.

Estudiosos dizem que o excesso de convivência mata a química do amor-paixão-tesão. A total rotina e a previsibilidade um do outro, assim como a falta de criatividade no erotismo, que deixa o sexo ‘mecânico’, interferem na libido

Segundo a terapeuta sexual e de casais Ana Maria Zampieri, há muitas razões, principalmente culturais, pelas quais isso acontece. “Uma delas é a construção sócio-histórica de fundo religioso que diz que temos obrigação de satisfazer sexualmente os nossos cônjuges mesmo quando não há desejo sexual”, menciona. O ginecologista Eliano Pellini também acredita que, apesar de terem conquistado autonomia financeira, as mulheres, muitas vezes ainda se submetem aos parceiros, fornecendo sexo em troca de companhia. “Elas fingem gostar de sexo para garantirem carinho e proteção do homem, além de um status exigido pela sociedade. Muitas que reclamam de falta de desejo na verdade só querem ter uma melhor vida sexual para servirem ao parceiro”, afirma Eliano, membro da Comissão Científica de Sexualidade da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH) e chefe do setor de Sexualidade Humana de Ginecologia da Faculdade de Medicina do ABC.

Outro fator que contribui para a perda da libido e do prazer, que transforma o sexo em uma obrigação de casal, é a convivência. “Estudiosos dizem que o excesso de convivência mata a química do amor-paixão-tesão. A total rotina e a previsibilidade um do outro, assim como a falta de criatividade no erotismo, que deixa o sexo ‘mecânico’, interferem na libido. A perda de interesse em surpreender a outra pessoa faz com que ela deixe de se sentir especial”, explica a psicóloga Ana Maria Zampieri. Mas, se as pessoas se casam justamente para viverem juntas, como isso pode prejudicar a relação sexual? Para Eliano Pellini, os casais não estão preparados para a rotina e acabam se desencantando no casamento quando ela chega. “As mulheres carecem mais de estímulos do que propriamente da libido. Quando escolhem parceiros que se preocupam com elas e não apenas as usam como receptoras da carga negativa que eles acumulam durante o trabalho (que são expelidas, por exemplo, na ejaculação), as mulheres naturalmente redescobrem o desejo sexual”.

Fonte:bolsademulher

Sexo:Como lidar com a sexualidade

Padrão

Sexo é vida e vida é prazer!

Vivemos em um mundo muito sexual, onde o sexo está em toda parte e é usado para vender revistas, discos, filmes etc… Por vivermos em um país tropical, os nossos corpos quase sempre estão semi-nus, estimulando ainda mais a sexualidade, um instinto natural do ser humano.

Com a estimulação cada vez maior da sexualidade, hoje em dia é comum as pessoas manterem relações sexuais cada vez mais cedo…

Foi-se o tempo em que uma mulher se casava virgem, em que ela só conheceria o sexo através do seu marido… Conheço até uma senhora que diz que adoraria ter nascido nestes tempos, pois, apesar de bem casada, ela nunca experimentou uma relação sexual com outro homem que não fosse o seu marido e gostaria de ter tido esta oportunidade apenas para satisfazer a sua curiosidade.

Pois bem… hoje em dia fazer sexo é algo comum, normal e natural como sempre deveria ter sido: afinal, é um instinto do ser humano!

Mas para muitas mulheres, isto ainda é um fator que causa muita dor e sofrimento!

Como lidar com a sua sexualidade de forma positiva e sem sofrimentos?

A resposta parece difícil e complicada, não é mesmo?

MAS NÃO É!!!

Na verdade, muitas mulheres reclamam que seus parceiros não percebem o que elas desejam na hora das relações sexuais, como gostariam de ser tratadas… mas será que elas dizem para eles o que realmente desejam? Duvido!

É interessante observar que, apesar da mulher estar se destacando e se impondo em muitas áreas da vida social e profissional, quando o assunto é sexo, isso ainda é um tabu cheio de mistérios!

A mulher se sente sem coragem e sem saber exatamente como abordar o assunto, talvez até por desconhecer que formas seriam as melhores para estimulá-la! Será que ela conhece mesmo seus pontos de estimulação, aquilo que lhe dá prazer?

Por tudo isso, ela acaba por permanecer num estado de submissão ao seu parceiro, querendo que ele adivinhe o desejo dela. Talvez ela suponha que ele seja mais experiente “nesses assuntos”! E como diz o ditado, “quem cala, consente”, o parceiro acha que está agindo da forma certa, afinal, se ela não diz nada é porque deve estar sendo muito bom do jeito que ele age!

Muitas vezes, ela finge orgasmos apenas para agradar o seu parceiro e, por não ser estimulada da forma adequada não tem prazer… fica torcendo para que ele ejacule rapidinho…dessa forma, o ato sexual acaba e ela pode, enfim, dormir em paz!

Será que ela não percebe que está se privando de algo maravilhoso?

Ela até pode dizer… que nada… eu detesto sexo!

Como alguém pode detestar algo que dá muito prazer?

Talvez as experiências sexuais anteriores tenham sido negativas e traumáticas… mas isso não impede que ela possa vir a ter excelentes experiências pela frente… basta ela se dispor a experimentar novamente!

E como se faz isso?

As relações sexuais sempre devem ser geradoras de muito prazer e, para isso é preciso que, em primeiro lugar, você pergunte a si mesma o que a faz sentir prazer!

O primeiro passo é você conhecer o seu corpo. Você sabe que partes dele devem ser tocadas para dar-lhe mais prazer? Como estas partes devem ser tocadas? Quais são as suas fantasias sexuais?

O segundo passo é estabelecer um bom diálogo com o seu parceiro, falar para ele de seus medos, de suas dúvidas, receios… e falar também sobre como você gosta de ser acariciada, tocada, o que mais a agrada, que tipo de carícias a estimulam… dizer tudo sem medos, pois assim seu parceiro vai saber exatamente o que fazer para levá-la ao êxtase! Aproveite e pergunte a ele o que ele gosta que você faça para ele …afinal, sexo é feito entre duas pessoas e ambas devem ser estimuladas… se ele vai agradá-la, que tal você também fazer o mesmo?

Mas você poderia me perguntar: ahhhh…mas se eu disser para ele o que quero, o que ele vai pensar de mim?

Oras… se ele é um bom companheiro e tem afeto por você, ele irá adorar saber do que você gosta e procurará agradá-la, fazendo o que você deseja… ao mesmo tempo você estará abrindo caminho para que haja maior intimidade entre vocês e esta intimidade os levará a um relacionamento mais profundo e saudável!

O diálogo é fundamental!

Já se foi a época em que a mulher ficava quietinha em seu canto apenas tentando satisfazer o seu parceiro… sexo é troca, é diálogo, é poder falar de seus desejos sem preconceitos e experimentar novas formas de prazer!

Saiba que em sexo não existe o certo ou o errado, o importante é o que é bom para você e seu parceiro de comum acordo!

Viva a sua sexualidade de forma prazerosa!

Você merece!

“O mais importante nesta vida é ser feliz”.

Que delícia de carícia…

Padrão

 

Carícias preliminares, beijo na boca, no pescoço e na orelha. Mãos que passeiam pela nuca, pelos ombros, pelas pernas, ui! Que delícia sentir o toque da pessoa desejada. Que delícia namorar, namorar e namorar antes de qualquer coisa.

Beijar na boca tem um sentido de tudo. Reparem só como é impossível viver um amor sem beijar na boca. Sem beijar na boca quer dizer claramente que está tudo errado. Fazer amor sem beijar na boca tem graça?

Carícias! Como são importantes as carícias que envolvem o casal e o momento em que estão querendo se amar. Está certo que cada hora é de um jeito e todo jeito é bom pra quem está a fim de ficar junto. Mas aquela vez que envolve carícias, muitas carícias, deixa lembranças maravilhosas, não é mesmo?

E não tem essa de que é só a mulher que gosta e que precisa. Muitos homens fazem questão absoluta de muita preparação. Tenho ouvido casos bem parecidos aos das mulheres, contados por elas mesmas sobre os seus parceiros. Tem tudo a ver. Muitos homens já não estão mais conseguindo partir para o ataque a sangue frio. O estresse, o cansaço do dia a dia, a cabeça cheia de problemas. É que eles também estão precisando de carinho, de envolvimento, de massagem, enfim, de bons motivos para revelar a fera que existe em cada um.

As mulheres, nem se fala. São cristais que, apesar de hoje em dia estarem mais ousadas e seguras do que querem, não dispensam um bom clima de romance para começar o que querem. Ah, importantíssimo, também não dispensam os arremates finais. Ficar deitadinha no ombro dele, ganhando beijinhos, dizendo coisinhas melosas, hum… É o sonho de muita mulher.

Ao contrário do que muita gente pensa (ainda tem muita gente que pensa), sexo oral não tem nada de nojento e repugnante e é o grande campeão das preliminares. Como é que alguém pode abrir mão de um prazer desses. É de deixar qualquer um de pernas bambas e totalmente entregue ao deleite. Sexo oral feito com amor, então, é de criar poesia para declamar um dia. É tão poderoso que por si só basta. Se quiser, é o início, o meio e o fim e, às vezes, é muito melhor que todo o resto.

Nada contra as rapidinhas, mas com carícias, com carícias se vai mais longe, com carícias se suspira se arrepia e se contorce. Que delícia o casal que cresce junto e que consegue manter isso indo muito além da obrigação conjugal a cada vez que se encontram na cama. Muitos casais conseguem isso e isso é simplesmente encantador, apaixonados depois de tantos anos.

Muitos infelizmente se entregam ao desgaste e aos conceitos plantados pela sociedade de que o casamento de alguns anos não pode oferecer paixão, prazer e alegria. Que bobagem, perderam tanto tempo cuidando de coisas tão menos importantes e se esqueceram de cultivar o principal, o carinho entre eles. Aí realmente, em casa não tem graça mesmo. Gente, as pessoas na grande maioria se casam apaixonadas. Onde é que isso foi esquecido? Por que valores aqueles foram trocados?

As zonas erógenas como pescoço, orelhas, seios, virilhas, pernas, nádegas e costas, quando acariciadas levam a um estado orgástico capaz de inundar de prazer qualquer relação.

Mãos a obra! Usem e abusem das carícias e estendam seu prazer ao limite das estrelas.

Fonte:acessa.com