Arquivo da tag: dica

Receitas caseiras de sais de banho

Padrão

Os sais de banho deixam o momento da “faxina no corpo” muito mais delicioso. Eles ajudam a relaxar e exalam aromas que fazem massagem na alma.

“Os sais de banho fazem uma esfoliação na camada superficial da pele e permitem que qualquer produto que seja aplicado depois tenha maior absorção”, explica a dermatologista da clínica L’Equipe, Ana Maria Albuquerque.

Peles sensíveis podem receber massagem com os sais de banho uma vez por semana. As normais, uma vez a cada dois dias. Esse tipo de cuidado garante pele lisinha, previne pêlos encravados e vai deixá-la cheirosa o dia todo. Confira receitas caseiras de como preparar sais de banho:

Sais de ervas

Receita para 100g

80g de sal grosso para cosmético*

20g de sulfato de magnésio

3ml de essência de ervas

1 colher de sopa de ervas desidratadas (alecrim, erva-doce e arruda)

3 gotas de corante alimentar verde

Modo de fazer:

Coloque todos os ingredientes em um saco plástico, feche-o e balance-o até misturar os ingredientes.

* Se você não tiver sal para cosméticos, use o sal grosso comum. Basta aquecer o forno por 10 minutos, desligá-lo e colocar o sal. Deixe até que a temperatura fique ambiente. Esse processo desidrata o sal e garante que ele não vá empapar.

Sais espumantes para sedução

Receita para 100g

80g de sal grosso para cosméticos*

20g de sulfato de magnésio

3 ml de essência de flor de laranjeira, patchuli e ylang yalng

10g de lauril sulfato de sódio

3 gotas de corante alimentício vermelho

Modo de fazer: Coloque todos os ingredientes em um saco plástico, feche-o e balance-o até misturar os ingredientes.

* Se você não tiver sal para cosméticos, use o sal grosso comum. Basta aquecer o forno por 10 minutos, desligá-lo e colocar o sal. Deixe até que a temperatura fique ambiente. Esse processo desidrata o sal e garante que ele não vá empapar.

Sais hidratantes

Receita para 100g

80g de sal fino para cosméticos*

20g de sulfato de magnésio

3 ml de essência de amêndoas

10ml de óleo de amêndoas

3 gotas de corante alimentício marrom

Modo de fazer: Coloque todos os ingredientes em um saco plástico, feche-o e balance-o até misturar os ingredientes.

* Se você não tiver sal para cosméticos, use o sal fino comum. Basta aquecer o forno por 10 minutos, desligá-lo e colocar o sal. Deixe até que a temperatura fique ambiente. Esse processo desidrata o sal e garante que ele não vá empapar.

Sais estimulantes

Dois terços de uma xícara de sal marinho

Um terço de uma xícara de sais de sulfato de magnésio

Uma colher de chá de glicerina

3 gotas do óleo essencial de sua preferência*

Modo de fazer:

Misture tudo em um recipente.

* Pode-se juntar até três tipos diferentes de óleos, como lavanda, gerânio e alecrim. O gerânio é tonificante e tira a oleosidade excessiva da pele. O alecrim é dermopurificante.

Sais calmantes

Sal de cozinha

Bicarbonato de sódio

Óleo de girassol

Óleo essencial de camomila, ylang-ylang e hortelã pimenta*

Modo de fazer:

Misture sal de cozinha e bicarbonato de sódio em quantidades iguais e coloque duas colheres de óleo de girassol para cada 1 xícara e meia do preparado. Acrescente os óleos essenciais.

* A hortelã pimenta é muito indicada contra dermatites e para a limpeza da pele. A camomila é calmante e o ylang-ylang suaviza a derme. A hortelã pimenta é muito indicada contra dermatites e para a limpeza da pele. A camomila é calmante e o ylang-ylang suaviza a derme.

 

Como reduzir o envelhecimento da pele?

Padrão

Quando não são cremes para prevenção de rugas e flacidez, são produtos que garantem a diminuição das linhas de expressão e o aumento da elasticidade. Tudo pelo mito da eterna beleza, prolongando a jovialidade da pele. E será que isso é mesmo possível?

 O dermatologista Ademir Jr. descobriu com sua experiência que a maioria das pessoas esquece que envelhece – e só começa tratamentos quando se dá conta de que a pele não é mais a mesma. “Posso dizer que menosprezamos o envelhecimento. Não nos preocupamos com ele por alguns bons anos de nossa vida e isto pode ser um começo para o tal envelhecimento aparecer de forma lenta e sorrateira”.

Os hábitos das pessoas podem interferir, e muito, em como a pele reage. Eles podem ser “protetores ou o pé no acelerador” em se tratando de degradação da derme, como ele mesmo define. A também dermatologista Tatiane Curi explica que a degradação de colágeno é individual e varia de acordo com as características de cada um. “Tabagistas tendem a apresentar uma degradação de colágeno maior do que as pessoas que não fumam. Indivíduos que se expõem indiscriminadamente ao sol sem proteção solar ou a câmaras de bronzeamento também apresentam essa degradação mais acentuada, assim como os portadores de algumas doenças específicas como algumas auto-imunes ou algum tipo de artrite reumatóide. Pacientes desnutridos ou que fazem uso abusivo de álcool podem ter uma ingestão de proteínas muito baixa ou deficiente também estão nesse grupo”. Quem tem a pele mais clara podem apresentar sinais de envelhecimento e degradação do colágeno também mais evidente.

Claro que a mídia, em geral, sempre apela para propagandas de ótimos produtos para acabar com rugas e flacidez. De fato, eles podem contribuir, mas há muitos fatores que ajudam – e até atrapalham – sua ação.

Tatiane diz que alguns cremes não são tão eficazes quanto aparentam. “Eles podem melhorar textura, hidratação e moderadamente algumas manchas, mas sua eficácia no combate a flacidez de pele e rugas mais profundas ainda é baixa. O bloqueador solar é um grande aliado no combate ao envelhecimento precoce. Alguns deles já apresentam na formulação ativos antioxidantes e clareadores potencializando ainda mais sua ação”, afirma.

Mas apenas a utilização destes produtos não é suficiente. “Não adianta ficar utilizando cosméticos para evitar o envelhecimento e se alimentar mal ou ficar tostando debaixo do sol na praia ou piscina. Os fatores que levam ao envelhecimento são internos e externos, logo, uma mudança geral no estilo de vida do paciente faz muita diferença”, completa Ademir.

Para manter uma pele sempre linda e saudável, o ideal é uma excelente qualidade de vida, controle da alimentação, foto-proteção, hidratação intensa e uso de antioxidantes por via tópica e oral. Ademir sugere ainda que os níveis de estresse e ansiedade sejam reduzidos.

Já Tatiana deixa algumas dicas de como se alimentar bem. Segundo ela, alimentos ricos em vitaminas como vitamina A, C, E  e sais minerais podem ser considerados antioxidantes ou ter um efeito melhor na absorção destes. Frutas vermelhas como ameixa, amora, morango carregam boas quantidades de antioxidantes. Castanha-do-pará tem grande quantidade de selênio, que tem efeito em retardar o envelhecimento. Peixes são ricos em Omega3, com efeito antioxidante. “Todos esses alimentos são potentes antioxidantes naturais e possuem a capacidade de neutralizar os radicais livres (responsáveis pelo envelhecimento das células) podendo assim auxiliar na preservação de uma pele jovem e saudável”.

Iogurte para afinar a cintura

Padrão

A pesquisa — mais uma que comprova o efeito seca-gordura do cálcio — nem foi feita com a versão light da bebida, riquíssima nesse mineral. Mas deverá ser uma das próximas etapas da investigação conduzida na Universidade do Tennessee, nos Estados Unidos. Imagine, então, os ganhos de quem inclui no dia-a-dia essa delícia azedinha feita com leite desnatado! E nem precisa exagerar na quantidade. Três porções de iogurte integral já reduzem praticamente à metade a quantidade de gordura corporal.

Nem todos os mecanismos por trás desse efeito já foram desvendados. No entanto, já se sabe — e sem a menor sombra de dúvida — que o cálcio interfere nos adipócitos, ou células de gordura.

O mineral bloqueia as enzimas envolvidas na sua formação e ainda é capaz de estimular o corpo a usar a energia em forma de gordura, o que leva à perda de peso. Essa não é a única explicação para o poder emagrecedor do nutriente. Um estudo que começa a ser realizado na Universidade de Maryland, também nos Estados Unidos, pretende reforçar o currículo de peso do cálcio, com o perdão do trocadilho. Isso porque ele teria a capacidade de reter alguns hormônios — ainda não se sabe quais — responsáveis pelo armazenamento de gordura. O leite e seus derivados teriam o mesmo efeito? Em tese sim. Mas, não custa lembrar, os últimos estudos — e com obesos — foram feitos com o iogurte. Cada copo tem 400 miligramas de cálcio, um terço das necessidades diárias. A mesma quantidade da bebida fornece 10% do que precisamos de proteína, o alimento preferido dos nossos músculos. E, quanto mais massa muscular, maior a queima de gordura.

Além de sorver seus goles, faça dessa bebida magrinha o ingrediente mais que saudável de vários pratos — doces e salgados. Uma boa dica é substituir o creme de leite, que conta 245 calorias em 100 gramas, pelo iogurte desnatado, que só tem 40 na mesma quantidade. E você ainda tira proveito desse alimento funcional para a saúde como um todo. Graças à população de cerca de 6 milhões de bactérias em cada mililitro, os famosos probióticos, o aparelho digestivo fica livre de encrencas como a diarréia e a prisão de ventre. Sem contar seu poder de prevenir certos tipos de câncer no estômago.
Por fim, um aviso: mesmo os iogurtes desnatados contêm algumas gorduras. Por isso, quem tem problemas cardiovasculares deve consumi-lo com moderação.

Masturbação: um guia completo do prazer feminino

Padrão

Masturbação passo a passo: experimente!

 

A Sex Trainner Fátima Moura, autora do livro “Sexo, Amor e Sedução” (Ed. Harbra, R$ 29,90) dá dicas de como se preparar para a masturbação.

1. Prepare o seu corpo
Respire fundo, relaxando os pulmões para a aceleração que eles estão prestes a enfrentar. Aproveite para alongar-se. Isso ajuda a liberar as tensões para uma masturbação mais tranquila e descontraída.

2. Fantasie
O momento é seu: crie, extrapole, ouse! Não coloque barreiras na imaginação. Pense no seu chefe, no ator da novela, no vizinho… Nesta hora não há preconceitos ou limites, só a certeza de que tudo sairá do jeito que você gosta.

3. Livre-se da vergonha
Conhecer o corpo significa ficar mais à vontade consigo mesma. E, consequentemente, se sentir mais confiante na cama. Percorra com as mãos seios, mamilos, barriga e pêlos pubianos. Vá com calma e desvende-se!

4. Chegue ao clitóris
Use os dedos para percorrer toda a vagina: pequenos e grandes lábios, o canal e, claro, o clitóris. Sabia que esse pequeno órgão é a única parte do corpo feminino que existe exclusivamente para dar prazer? Então… aproveite!

Dica:
O toque deve ser repetitivo. Agora, a intensidade e o ritmo dependem de você!

 

Você sabia que a masturbação…

● Alivia tensões
● Combate o estresse
● Estimula o bom humor
● Trabalha a musculatura da região pélvica
● Melhora o sono
● Alivia dores de cabeça e cólicas menstruais
● Não modifica o corpo
● Ativa a circulação sanguínea
● Não vicia
● Não é sinal de homossexualismo
● Não substitui uma relação sexual com parceiro
● Não altera o ciclo menstrual e os níveis hormonais

O parceiro também pode participar

Sim, seu prazer está garantido, mas nada impede que o gato também faça parte desta farra deliciosa. Durante as preliminares, tome as rédeas da transa e coloque-o na privilegiada posição de observador. Então, comece a se tocar enquanto olha nos olhos do felizardo. Depois, entregue-se sem vergonha ao prazer. Isso se o rapaz não se juntar a você antes!

Palavra de especialista

Sim, seu prazer está garantido, mas nada impede que o gato também faça parte desta farra deliciosa. Durante as preliminares, tome as rédeas da transa e coloque-o na privilegiada posição de observador. Então, comece a se tocar enquanto olha nos olhos do felizardo. Depois, entregue-se sem vergonha ao prazer. Isso se o rapaz não se juntar a você antes!

Cuidado!

Acessórios são muito bem-vindos, desde que não comprometam sua saúde! Não coloque em seu corpo objetos pontiagudos, afiados ou quebráveis. Nunca introduza na vagina o que retirou do ânus e sempre cubra o objeto com um preservativo, já que certas bactérias podem levar até mesmo à esterilidade!

 

 Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/

 

 

 

 

 

 

Aprenda tudo sobre alimentação das crianças

Padrão

SAÚDE! reuniu algumas das dúvidas mais freqüentes sobre alimentação da garotada e, para acabar de vez com elas, pediu ajuda a alguns dos melhores especialistas no assunto

 

1. Suco de beterraba acaba com anemia?
Não. Uma xícara de beterraba ralada possui, pasme, apenas 0,8 miligrama de ferro. “A criança anêmica tem que consumir todo santo dia 5 miligramas do mineral para cada quilo de peso, durante três meses”, explica o pediatra Ary Lopes Cardoso, do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas, de São Paulo. Já um bife pequeno de fígado tem, em média, 8,5 miligramas desse nutriente.

2. Posso colocar todos os dias um bolinho desses comprados prontos na lancheira do meu filho?
Se for sem recheio nem cobertura, vá em frente. “Eles são ótimas fontes de carboidratos”, afirma a nutricionista Priscila Maximino, da Nutrociência, em São Paulo. Mas, se pertencer à categoria dos recheados, a coisa muda de figura. Para obter a consistência cremosa, os recheios são produzidos com gordura hidrogenada, verdadeiro veneno. Em altas quantidades, leva à obesidade e ao aumento do colesterol (sim, criança também pode acumular essa substância nas artérias). Para variar, experimente substituir os bolos por bolachas salgadas ou um sanduíche.

3. Crianças de qualquer idade podem comer frutos do mar?
“De jeito nenhum. Por uma questão de segurança, espere que complete 2 anos”, orienta Priscila Maximino. Os principais riscos são a intoxicação alimentar e as alergias. É bem verdade que cozinhar ou assar esse tipo de alimento diminui o perigo, mas, como seguro morreu de velho, é melhor evitar.

4. Café faz mal para os baixinhos?
A bebida não é das mais indicadas, porque a cafeína pode deixar a criança agitada. “Porém, uma xícara pequena de café puro por dia não faz mal a ninguém”, afirma Ary Lopes, para alívio das mães que não abrem mão do pretinho misturado com o leite. Se você já ouviu dizer que ele prejudica a absorção de cálcio, saiba que não há razão para se preocupar. “A quantidade de cafeína presente em um copo de café com leite é tão pequena que não interfere na retenção do mineral pelo organismo”, esclarece o nutrólogo e pediatra Mauro Fisberg, da Universidade São Marcos, em São Paulo.

5. O leite de soja pode substituir o de vaca?
“Sim, se o problema for intolerância à lactose”, explica Renata Cocco, pediatra da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Se não, o de vaca é melhor, porque tem mais cálcio.” É bom saber, ainda, que um grupo de proteínas do leite de vaca, as caseínas, pode provocar reações como urticária. Por isso, em caso de dúvida, consulte o pediatra. Só ele pode pode recomendar o tipo de leite mais adequado para a sua criança.

6. Meu filho adora peixe cru. Tudo bem?
Acima de 2 anos, tudo bem. “Para não arriscar, só vá a restaurantes impecáveis no que se refere à higiene”, recomenda Ary Lopes. Caso a preferência recaia sobre o salmão — que andou na berlinda como agente da difilobotríase (doença que provoca dor abdominal, náuseas e vômitos) —, cheque se foi previamente congelado a 21 graus e se o estabelecimento tem o certificado sanitário, que garante a procedência e a qualidade do pescado.

7. Alimentos com corantes causam alergia?
A resposta é não para a grande maioria dos baixinhos. Além dos corantes, os espessantes e os conservantes, encontrados nos produtos industrializados, também são mal-afamados. “Mas testes comprovam que apenas 5% dessas substâncias estão relacionadas a crises alérgicas”, revela a pediatra Renata Cocco. “Já os alérgicos ao ácido acetilsalicílico, componente da aspirina, precisam tomar cuidado, porque tendem a apresentar reações aditivos alimentares.”

8. A carne vermelha é essencial para a criança crescer saudável?
“Sim, ela é uma importante fonte de proteínas, gordura, ferro e zinco”, confirma a médica Roseli Sarni, presidente do departamento científico de nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria. Contra anemia, ela é imbatível. Está lotada do chamado ferro-heme, ou ferro orgânico, que é muito mais bem aproveitado pelo corpo do que o mineral presente nos vegetais. Segundo a especialista, a anemia afeta mais de 40% das crianças em idade pré-escolar no Brasil. Por isso a carne vermelha deve ser consumida ao menos três vezes por semana, de preferência acompanhado de uma fonte de vitamina C, como a laranja, para aumentar a absorção do ferro. O frango e o peixe são bons substitutos, mas, fique sabendo, não contêm a mesma concentração do tal ferro-heme.

9. Refrigerante diet e guloseimas adoçadas artificialmente devem ser evitados?
“Não há nenhum componente nesses produtos que seja comprovadamente nocivo à saúde”, afirma a pediatra Renata Cocco. Nenhum estudo concluiu, por exemplo, que aspartame faça mal ao organismo dos pequenos.“Mas, por serem artificiais, recomendamos que esses alimentos sejam consumidos só quando realmente há necessidade”, explica a pediatra.

10. Gemada é capaz de dar pique?
Ela foi a queridinha das mães zelosas até alguns anos atrás. Não é mais, até porque nem mesmo os especialistas a recomendam. “O ovo cru pode estar contaminado com salmonela”, adverte a nutricionista infantil Suzy Graff, de São Paulo. “A bactéria pode provocar diarréia, vômito ou até levar à morte.” Infelizmente, ovos de diversas marcas podem estar contaminados por causa de higiene e refrigeração deficientes. Como é quase impossível saber quais têm condições de consumo, o mais seguro é fritá-los ou, melhor ainda, cozinhá-los.

11. É verdade que alimentos crus e duros ajudam a desenvolver a musculatura da boca?
“Sim, eles estimulam a mastigação, fortalecendo os músculos e facilitando a fala”, diz Renata Cocco. Quando introduzir a sopa na dieta do bebê, em vez de bater os ingredientes no liquidificador, experimente passá-los na peneira. Depois que seu filho estiver mais crescido, amasse os alimentos com um garfo para que possam ser mastigados. E, assim que alguns dentes tiverem nascido, ofereça alimentos crus, como a cenoura e a maçã, em pequenos pedaços — esta última dica, aliás, vale para todo o resto da infância e a adolescência.

12. Leite fermentado ajuda a combater a diarréia?
“Sim, os lactobacilos presentes no leite fermentado competem com as bactérias nocivas no organismo, modificando e colonizando a flora intestinal com germes benéficos”, informa o nutrólogo Mauro Fisberg, de São Paulo. Assim, o consumo desse tipo de bebida pode abreviar a duração da diarréia. Se o problema persistir, procure o pediatra.

13. Jantar muito tarde provoca sono agitado?
A chance de isso acontecer é grande, principalmente se a refeição for rica em gordura, que leva mais tempo para ser digerida, e a criança for para a cama logo depois de comer. Durante o sono, o organismo funciona mais lentamente e isso inclui a digestão. O estômago, então, fica mais pesado e chega a incomodar. “Já uma refeição com baixo teor de gordura leva pelo menos duas horas para ser digerida”, afirma Ary Lopes Cardoso. “Após esse período a criança pode se deitar tranqüilamente”, completa o médico.

14. O que a mãe deve observar no rótulo – o índice de gordura ou o de sódio?
Os dois. Não há uma dosagem máxima recomendada por produto — e, se houvesse, ela seria diferente conforme a idade. Mesmo assim é bom ficar de olho nesses ingredientes. A gordura, lembre-se sempre, não pode fornecer mais do que 30% das calorias diárias consumidas pela criança. Não precisa ficar fazendo conta a toda hora: basta usar o bom senso e, se oferecer algo com teor de gordura nas alturas ao seu filho, cuidar para que o restante do cardápio daquele dia seja mais leve. Para o sódio, vale o mesmo raciocínio, lembrando que até 12% da meninada entre 6 e 18 anos é hipertensa — e aí o excesso de sal, já sabe… Vale conversar com o pediatra sobre o assunto, afastar essa hipótese e pedir uma orientação sobre o consumo diário de sal adequado para o seu filho.

15. É melhor comer frutas com ou sem casca?
“O mais indicado é consumi-las com casca, quando possível, porque ela é uma ótima fonte de fibras”, garante Fábio Ancona Lopes, especialista em nutrição infantil da Unifesp. Mas enfatiza: as frutas devem ser muito bem lavadas em água corrente e com a ajuda de uma escovinha, para que fiquem livres de resíduos de agrotóxicos, substâncias extremamente prejudiciais.

16. Os macarrões instantâneos são liberados?
“A massa em si não faz mal nenhum, pois é uma excelente fonte de carboidratos”, afirma a médica Roseli Sarni. O problema está no condimento que dá sabor e faz com que o prato seja um dos preferidos da garotada. “Além de ser um tempero artificial, ele contém grande quantidade de sódio, que leva ao aumento da pressão e à retenção de água.” Em outras palavras, poder pode, mas só de vez em quando.

17. Vale a pena incluir aqueles pós multivitaminados na alimentação dos meus filhos?
“Esses pós devem ser ingeridos como complementos da alimentação só se a criança apresentar déficit de nutrientes ou estiver abaixo do peso.”, diz Mauro Fisberg. Eles são indicados principalmente quando é necessário aumentar o aporte de calorias, vitaminas ou sais minerais no organismo. O ideal é que esse tipo de suplemento seja utilizado sob a orientação de um nutricionista, já que é muito calórico.

18. As informações estampadas nas embalagens se referem às necessidades nutricionais de crianças ou de adultos?
“Em geral elas se referem às necessidades dos adultos, exceto quando os produtos são dirigidos ao público infantil”, esclarece Fábio Ancona Lopes. “O importante é saber que cada idade requer tipos e quantidades específicos de nutrientes”, completa. E as recomendações mais indicadas para cada faixa só o especialista pode fazer. Moral da história: vale olhar o rótulo? Até vale, mas apenas para ter uma leve referência quando o consumidor é uma criança.

19. Sopas prontas substituem uma refeição?
“De jeito nenhum. A quantidade de fibras e nutrientes presente nesses produtos é muito pequena”, diz categoricamente a nutricionista Priscila Maximino. Sem falar no alto teor de sódio. Se numa hora de aperto você precisar recorrer à praticidade desse tipo de refeição, trate de complementá-la com uma porção de carne, outra de legumes e uma fruta. Lembre-se: nada como a velha e boa sopa caseira, preparada com ingredientes fresquinhos.

20. Quantas vezes por semana doces e refrigerantes podem entrar no cardápio?
Depende. “Se a criança estiver acima do peso, ofereça duas porções de desses itens por semana”, recomenda a nutricionista Priscila Maximino. Mas, se ela não vive em pé de guerra com a balança, três porções semanais estão de bom tamanho. “Esses alimentos devem ser oferecidos com muito mais parcimônia em caso de colesterol ou triglicérides altos ou mesmo hipertensão”, completa.

 Fonte: http://saude.abril.com.br/

O relógio do corpo no horário de verão

Padrão

Com o horário de verão começando à 0h do dia 18 de outubro, os relógios precisam ser adiantados em uma hora -, muita gente já se preocupa com aquela horinha que vai perder.

E a mudança não significa apenas ter menos tempo para aproveitar a noite. O corpo realmente demora um pouquinho para se adaptar. O relógio interno, acostumado com o dia de 24 horas, estranha quando ele tem apenas 23h.

 Isso porque o organismo tem um relógio biológico natural e, com a rotina, se acostuma a acordar naturalmente ou se preparar para dormir em determinado momento do dia. Quando o horário de verão chega, uma hora dessa rotina é “deslocada” e o organismo demora um pouco a perceber.

“O horário de verão mexe com o relógio do nosso organismo – o que chamamos de ritmo circadiano. Com isso, é muito comum o indivíduo ter maior irritabilidade, cansaço e, em alguns casos, até mesmo insônia“, explica Roberto Cairalla, diretor clínico do Hospital Sírio-Libanês de Itatiba.

Na verdade, essa “horinha” a menos não acarreta maiores problemas ao corpo. “Em mais ou menos uma semana ele já se adapta. Uma hora é pouco para o corpo sentir alguma diferença que traga grandes danos”, esclarece o especialista.

O problema seria maior se a alteração também fosse. Quando isso acontece – o famoso “jet lag”, comum em viagens com destinos de fusos diferentes -, o organismo fica “louco” e até os hormônios se alteram.

Infelizmente, não há uma receita ideal para que o corpo possa se adaptar rapidamente com o novo horário. “Ter uma alimentação mais leve ou fazer exercícios físicos com certeza ajudam, mas ainda assim o corpo sofre com as alterações. Não há uma formula mágica”, enfatiza Roberto, que também é cardiologista. O jeito mesmo é esperar o corpo se adaptar, sem perder o pique.

Para saber mais:

– O horário de verão tem início no terceiro domingo de outubro e termina no segundo domingo de fevereiro, exceto quando esse dia cai no Carnaval. Quando isso acontece, prolonga-se o horário por mais uma semana, tendo seu término no terceiro domingo de fevereiro.

– Ele só abrange a região Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país. Isso porque as regiões próximas à linha do Equador sofrem mudanças bem sutis na incidência do Sol, então não teria porque se adaptarem ao horário, criado para economizar energia.

– O governo federal estima que a economia de energia chegará a 5% nos horários de pico de consumo.

As regiões que não possuem o horário de verão sofrem apenas com as programações da televisão, que costumam adaptar o seu horário para igualar com o de Brasília.

 

 Fonte: http://vilamulher.terra.com.br/

Álcool Gel Caseiro

Padrão

Facílimo de fazer!!!!

Já tem muitos lugares que não se encontra ÁLCOOL GEL.

Guarde a formula simples do álcool gel, caso tenha necessidade

2 folhas de gelatina incolor e semsabor  ( compra-se em qualquer
supermercado)
1 copo de agua quente para dissolver as 2 folhas de gelatina.
Espere esfriar.

Acrescente 12 copos de álcool de 96° graus.

Está pronto o álcool gel de 72° a 75° graus

 

Fonte:http://www.vocesabia.net/

Guia de exercícios para gestantes

Padrão

É verdade que exercícios durante a gravidez ajudam no parto?

Os exercícios promovem o tônus muscular, a força e a resistência, o que ajudará seu corpo a carregar o peso extra da gravidez, preparará você para o esforço do trabalho de parto e ainda colaborará para seu corpo a voltar à forma depois que o bebê nascer.

A atividade física na gestação também diminui desconfortos físicos, como dores nas costas, prisão de ventre, fadiga e inchaço, além de ajudar a manter seu humor mais estável e sua auto-estima e seu sono em dia.

Há algum motivo para não me exercitar enquanto estiver grávida?

Algumas mulheres precisam de mais cuidados para fazer exercícios. Converse com seu médico antes de iniciar qualquer atividade se você:

• teve algum ameaço de aborto espontâneo
• teve um bebê prematuro no passado
• sabe que corre risco de um trabalho de parto prematuro desta vez
• sabe que sua placenta está baixa
• teve sangramento forte
• teve problemas na coluna lombar ou nas articulações do quadril
• apresenta alguma doença pré-existente
• apresenta quadro de pressão arterial muito alta
• sabe que vai ter mais de um bebê


 

Costumo fazer exercícios físicos de alto impacto. É seguro continuar durante a gravidez?

Se você está bem de saúde, em ótima forma física e se sente disposta, mantenha sua rotina. De acordo com um estudo da revista científica American Journal of Obstetrics and Gynecology, mulheres ativas e saudáveis que se exercitam antes da gestação podem continuar a fazê-lo durante toda a gravidez sem risco à saúde ou ao desenvolvimento do bebê.

E segundo uma outra pesquisa, da Universidade de Oslo, mulheres que praticavam exercícios de alto ou médio impacto seis vezes por semana não tiveram diferença no tempo de trabalho de parto, no ganho de peso na gestação ou no peso do bebê ao nascer.

É importante lembrar, contudo, que você deve conversar com seu médico sobre o tipo de exercício que pretende fazer.

Quais os melhores exercícios para mulheres grávidas?

Caminhadas, corridas leves, natação, hidroginástica e bicicleta ergométrica são considerados exercícios seguros na gestação. Ioga e pilates também são bons exercícios, mas não se esqueça de se certificar de que seu professor tenha experiência em lidar com grávidas.

Eu era sedentária e agora quero me exercitar. Quais os cuidados que devo tomar?

Depois de conversar com seu médico e ser liberada, você poderá fazer exercícios moderados.

Prefira atividades de baixo impacto, como caminhadas ou natação, e comece aos poucos, com a ajuda de um professor de educação física.

Devo mudar minha rotina de exercícios ao longo dos nove meses de gestação?

Sim. Mesmo que você seja bem ativa antes da gravidez, seu corpo naturalmente terá a tendência de diminuir o ritmo, para acomodar o útero em crescimento.

É especialmente importante durante o primeiro trimestre que você evite elevar demais a temperatura do corpo. Passado esse período, você também vai precisar eliminar exercícios que sejam feitos no chão (de costas) ou em que você fique de pé por muito tempo — ambos podem reduzir o fluxo de sangue para o bebê.

Há esportes que não são recomendados para grávidas?

Se você não é atleta profissional, tenha cuidado com atividades físicas com potencial para quedas mais duras ou confrontos corpo a corpo, como basquete, vôlei e futebol.

Dá para saber se estou exagerando nos exercícios e posso fazer mal ao bebê?

De modo geral, não se exercite até chegar no limite da exaustão. Escute os sinais do seu próprio corpo. Uma boa regra é baixar o ritmo quando não conseguir mais conversar com alguém enquanto estiver se exercitando.

Interrompa os exercícios imediatamente se sentir tontura, falta de ar, sensação de desmaio, sangramento vaginal, dificuldade para andar, contrações ou falta de movimentação do bebê (mas tenha em mente que o bebê costuma ficar mais quietinho quando você se exercita).

Leia também nosso artigo sobre os sinais de perigo durante a atividade física na gravidez.

Quais os exercícios recomendados para o pós-parto?

Você provavelmente não vê a hora de ter seu corpo de volta ao normal, mas comece devagar. Primeiro, certifique-se de que está fisicamente pronta; depois dê início ao processo de retomar a forma antiga com uma série de alongamentos e exercícios para firmar o corpo. Quando conseguir, acrescente uma segunda série de exercícios.

Se você passou por uma cesariana, você pode começar a fazer abdominais leves e exercícios para o assoalho pélvico assim que o médico liberar.

Não consigo ter tempo para me exercitar com um recém-nascido em casa. Alguma sugestão?

Ter tempo e, principalmente, energia para atividades físicas com um bebê para cuidar pode ser bem complicado. Mas há maneiras de incorporar seu filho a uma rotina diária de exercícios, como por exemplo levando-o no carrinho para uma boa caminhada em um parque, nas ruas do seu bairro ou até numa ida a pé ao supermercado.

 Fonte: Escrito para o BabyCenter Brasil
Aprovado pelo Conselho Médico do BabyCenter Brasil

Explore as frutas e todas as suas variações

Padrão
Atender a recomendação diária de frutas nem sempre é tarefa prática. Elas precisam estar presentes no cardápio todos os dias, representadas por três a cinco porções. Atingir este consumo é fundamental para que o organismo obtenha fibras, água, vitaminas e minerais suficientes para manter as suas funções diárias , ressalta a nutricionista funcional Patrícia Davidson. A especialista da clínica que leva seu nome afirma que a variedade também é importante. Cada fruta se destaca por um tipo de vitamina ou mineral, e tem variações na quantidade de água . (5 deslizes que põem sua saúde em risco)
Para ficar em dia com as recomendações e garantir todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do seu organismo, vale mesclar as frutas in natura com alimentos que contam com a participação delas. Sucos naturais, geléias, frutas secas e até mesmo sorvetes são maneiras diferentes de consumir as porções diárias, variando no sabor. (Aprenda a combinar os alimentos e vença a balança) 
Patrícia alerta, no entanto, que algumas regras devem ser seguidas para que a equivalência seja eficaz. Os sucos, por exemplo, precisam ser naturais e não podem ser coados. Quando passados pela peneira, diversos benefícios das frutas, como as fibras necessárias para o funcionamento do intestino e para a manutenção da glicose e do colesterol, são perdidos. (Cascas e talos rendem receitas nutritivas e deliciosas)

A orientação é para que, além de optar por sucos naturais, a ingestão seja feita logo depois do preparo , ressalta a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella, sobre mais um fator que exige atenção. Ela explica que as vitaminas hidrossolúveis, como a vitamina C, por exemplo, são facilmente perdidas. Por isso, quanto menor for o intervalo entre a preparação e o consumo, melhor o aproveitamento. (Dieta das brasileiras é pobre a ponto de pôr a saúde em risco).

Os sorvetes também devem ser obtidos das próprias frutas para que as vantagens se aproximem das frutas in natura. Roberta alerta, porém, para a presença de açúcar e gordura na composição deles. (Você sabe diferenciar os tipos de gordura?)

Quando o foco são as geléias, o alarde feito por Patrícia Davidson é sobre a quantidade de adoçantes que muitas delas apresentam. Procure as geléias sem açúcar, mas certifique-se também que elas não sejam repletas de adoçantes. Eles fazem com que o produto perca a característica natural. Escolha geléias que sejam doces apenas pelo sabor da fruta , orienta. (Alguns adoçantes engordam e são suspeitos de causar câncer)
Ainda de acordo com Patrícia, para as geléias contribuírem nutricionalmente com a alimentação, devem ser consumidas todos os dias, pelo menos, na quantidade de uma colher de sopa. Mas a geléia não deve substituir todas as porções de frutas do dia. Pode ser trocada apenas uma vez, porque apresenta uma grande perda de nutrientes no preparo . Mesmo assim, o doce vale como opção para dar sabor a alimentos como bolachas, pães e torradas.
Já a desvantagem das frutas secas é que elas não apresentam a mesma variedade das versões in natura. Goiaba, carambola e morango são exemplos de saquinhos que você não encontra nas prateleiras dos mercados. Patrícia diz que as frutas secas precisam ser bem acondicionadas para manter as características nutricionais das versões naturais. Guarde dentro de potes hermeticamente fechados na geladeira. Isso ajuda a evitar a deterioração por fungos e mantém a qualidade nutricional do produto , aconselha.

Ao consumir a forma desidratada das frutas, atente para os excessos. Segundo Roberta Stella, eles são mais facilmente cometidos quando a quantidade de água dos alimentos é reduzida. Além disso, apesar de práticas e ótimas para os lanches intermediários, as frutas secas apresentam mais calorias que suas versões naturais. (Conheça mais sobre as frutas secas)

Aposte em sucos poderosos
Para aproveitar não só os nutrientes dos sucos, mas também a potente combinação de ingredientes funcionais, Patrícia indica as seguintes receitas.

Suco anti-celulite
Ingredientes
– 1 colher de sobremesa de salsa
– 1 pires de chá de couve manteiga crua
– 1 fatia média de abacaxi
– 350 ml de água de coco
– 3 folhas de hortelã
– ½ limão para suco

 

Modo de preparo
No dia anterior ao preparo do suco, coloque a água de coco em forminhas para gelo e leve ao congelador. Para preparar o suco, bata bem no liquidificador a água de coco, a couve e a salsinha. Acrescente o abacaxi, gotas de suco de limão e hortelã. Bata até ficar bem homogêneo. Adoce, caso seja necessário. Se preferir, substitua o abacaxi por melão.

Patrícia explica que a mistura de antioxidantes e verduras é potente para reduzir a inflamação típica da celulite. De acordo com ela, as verduras garantem maior desintoxicação, o limão contém vitamina C e limoneno, ambos com atividade antiinflamatória, garantindo uma pele mais lisa. O potássio da água de coco evita a retenção de líquido, outra característica do processo inflamatório. A receita ainda colabora na recuperação das células e dá mais viço a ela, melhorando o aspecto de casca de laranja.

Metabolismo acelerado
Ingredientes
– 1 colher de sopa de mate solúvel
– 1 copo de 200 ml de água
– ½ maçã sem semente
– ½ mamão papaia
– 1 banana prata
– ½ copo de 100 ml de leite de soja
– Gelo a gosto

 

Modo de preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva gelado.

Por ser um suco protéico, a bebida é energética e estimulante, garantindo que o metabolismo funcione a todo vapor. Segundo a nutricionista funcional Patrícia Davidson, a presença do mate na receita faz o suco interessante para as manhãs, já que garante mais disposição para o dia. A especialista aconselha a preferir o mate solúvel em vez do industrializado apresentado em copinhos, pois o primeiro é isento de aditivos químicos. Os aditivos, quando consumidos com regularidade, influenciam no metabolismo, tornando-o mais lento.

Desintoxicante
Ingredientes
– 1 copo de 300 ml de abacaxi em cubos
– 1 colher de sopa de raspas de casca de limão
– ½ colher de sobremesa de gengibre fresco ralado

 

Modo de preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva.

Os componentes do abacaxi, como vitaminas do complexo B, ácido pantotênico e vitamina A, fazem a fruta ser energética. Além disso, o abacaxi tem efeito antiinflamatório, diurético e digestivo, graças a uma substância encontrada em seu miolo, a bromelina. Já a casca do limão e o gengibre contêm substâncias antioxidantes, tendo funções antiinflamatórias. Quanto maior for a expulsão de toxinas do organismo, mais disposição física você vai notar. Outros benefícios percebidos são pele mais firme e intestino funcionando em ordem. 

Suco para pele dourada e hidratada
Ingredientes
– ¼ de uma cenoura média crua
– ¼ de um mamão papaia médio
– ½ limão médio para suco
– 1 colher de sobremesa de semente de linhaça dourada
– 1 colher de sobremesa de gérmen de trigo
– 1 colher de sobremesa de farelo de semente de linhaça dourada
– Água

 

Modo de preparo
Bata todos os ingredientes e sirva.

O mamão papaia e a cenoura se destacam por serem ricos em vitamina A, nutriente capaz de recuperar e regenerar o tecido celular. Fundamental também para a saúde dos cabelos e unhas. Além disso, a receita contém grandes quantidades de vitamina C e flavonóides, que entram em ação contra os radicais livres, protegendo a pele dos efeitos nocivos do sol e prevenindo contra o envelhecimento precoce. Já o gérmen de trigo contém quantidade suficiente de vitamina E. Juntamente com o ômega-3 fornecido pela linhaça dourada, o ingrediente garante a hidratação da pele e também preveni o envelhecimento das células.

 
 Fonte:yahoonoticia/EU

Aprenda a usar a chapinha sem detonar os cabelos

Padrão

 

Uma ala defende que a chapinha, além de ser prática para alisar os cabelos, também deixa os fios mais brilhosos, porque quando eles esticam as cutículas se fecham e a luminosidade aparece. Outro time acha que o aparelho é o grande vilão das madeixas danificadas se usado de forma incorreta.

Um terceiro grupo, o dos cabeleireiros, decretou o fim da prancha para o look da temporada. Segundo o beauty stylist Marco Antonio di Biaggi, do salão MG Hair, o cabelo bagunçado, ou “messy”, está com tudo entre os penteados mais modernos do momento. “A tendência é que o cabelo tenha ondulação e balanço no comprimento e a raiz mais baixa”, explica. Ou seja, a piastra vai para a gaveta.

Para tirar a prova dos nove, a revista ANA MARIA reuniu o especialista em saúde do cabelo, o dermatologista Valcenir Bedin, de São Paulo, e a cabeleireira Márcia Zenólia, do Espaço Coiffeur Longevitá, do Rio de Janeiro para responder 25 questões sobre chapinha. Veja aqui todas as dúvidas.

O que diz Valcenir Bedin:

A chapinha faz mal ao cabelo?
Não, desde que você use o produto certo, para proteger os fios do calor, e não exagere na temperatura do aparelho (no máximo 190 graus).

Que produto usar antes da chapinha?
Um leave-in termoativado, com silicone ou queratina.

E após?
Use hidratantes feitos à base de óleo, para repor a água perdida.

O que prejudica mais: a chapinha ou o secador?
A chapinha. Ela leva o calor diretamente aos fios. Por isso, deve ser usada com cuidado.

Quais são os danos causados pela chapinha?
Os fios podem ficar ressecados e, em casos extremos, quebrados e até mesmo queimados.

Quantos dias por semana pode usar?
Da maneira certa, todo dia.

Pode-se usar a prancha no cabelo molhado?
Não, porque para secar o cabelo inteiro é necessário pranchar os fios muitas vezes. Assim, seus fios poderão “cozinhar”. Faça escova antes da chapinha.

O aparelho pode encostar no couro cabeludo?
Não. Mantenha distância de, no mínimo, 3 centímetros, para evitar queimaduras.

Faz mal usar no cabelo de crianças?
Sim. Nunca aplique químicas ou aparelhos agressivos ao cabelo em pessoas com menos de 14 anos de idade.

O que diz Márcia Zenólia:

Qual a vantagem da chapinha de cerâmica?
Ela mantém a temperatura estável. Por isso, não é necessário passar a prancha muitas vezes no mesmo lugar.

E a de íons?
Ela acaba com o arrepiado, fecha as cutículas e deixa o cabelo mais brilhante e macio.

Fonte:veja