Arquivo da tag: dor

Dor de cabeça: conheça dez causas

Padrão
Você costuma sentir dor de cabeça e já acha até normal? De acordo com o neurologista, o problema pode se tornar comum, mas normal, não é. “Muita gente acredita que ela faz parte da rotina. Mas se as dores são frequentes, intensas e trazem impacto na qualidade de vida é melhor procurar um especialista”. A seguir, conheça dez possíveis causas para o seu problema:

  • 1
    Tensão Pré-Menstrual (TPM)
    Neste período, a queda dos níveis de estrógeno no sangue da mulher podem provocar crises. “O problema pode surgir alguns dias da menstruação ou durante o período”., “o tratamento pode incluir a interrupção da menstruação com o uso contínuo de hormônios ou pílula anticoncepcional”.

    TPM: confira cinco dicas para aliviar os sintomas

  • 2
    Falta de cafeína
    Você bebe muito café e sente dor de cabeça quando não ingere a mesma quantidade? Segundo Abouch, “a pessoa que costuma ingerir mais de 200mg/dia de cafeína poderá sentir dor de cabeça se for privada do seu consumo”. Para evitar o problema, Leandro Teles recomenda consumir três xícaras modestas de café por dia. Vale lembrar que mate e chá verde ou preto também são bebidas ricas em cafeína.

    Café: quatro xícaras por dia reduzem em 25% a incidência de cancêr de útero, revela estudo
  • 3
    Não beber água
    Abouch explica que não beber água ao longo do dia pode provocar dor de cabeça. “Suar em excesso sem hidratar o organismo também provoca cefaleia”, diz o neurologista. Para evitar o problema, vale a recomendação de consumir dois litros de água por dia.

    Cinco motivos para beber água
  • 4
    Problemas nos dentes ou na mandíbula
    “São dores pontuais e precisam ser muito bem investigadas. Colocar aparelhos caríssimos ou placas de mordida pode não resolver o problema da dor de cabeça se ela não for causada por alterações na mordida ou nos dentes”. Segundo Leandro Teles, “o bruxismo provoca cefaleia porque a musculatura mastigatória fica em contratura, o que causa a chamada disfunção de ATMs (articulações temporomandibulares)”.

    Bruxismo pode ser tratado com toxina botulínica

  • 5
    Alimentação
     os queijos amarelos são ricos em substâncias, como a tiramina, que alteram a química cerebral. “Ela dilata os vasos cerebrais, provocando crises de dor de cabeça. O chocolate também contém moléculas que podem promover alterações semelhantes. Temperos prontos com glutamato monossódico, presentes em macarrão instantâneo e sopas prontas, frios e embutidos também podem causar cefaleia”. O ideal é não consumir estes alimentos em excesso.

  • 6
    Sinusite
    A inflamação e acúmulo de pressão nos chamados seios paranasais pode provocar dores de cabeça. “Em geral, uma pessoa que sofre de sinusite pode sentir muita dor de cabeça quando abaixa a cabeça ou se submete a despressurizações, como na cabine do avião”

    Sinusite pode ser causada por consumo de latícinios em excesso
  • 7
    Fome
    , o jejum prolongado pode provocar dor de cabeça tensional e precipitar o surgimento de crises de enxaqueca. “O problema é provocado pela queda de açúcar no sangue”pacientes mais suscetíveis não devem ficar mais de três horas sem comer.

    Refeições: conheça mitos e verdades
  • 8
    Mudança de temperatura
     calor e frio em excesso podem provocar crises de dor de cabeça. “A elevação ou queda de temperatura brusca também pode causar o problema”. Se você estiver na praia ou piscina, o médico recomenda molhar a cabeça com frequência e evitar a exposição direta prolongada.

  • 9
    Sono
    Dormir bem ajuda a controlar a pressão sanguínea, os batimentos cardíacos e evita crises de dor de cabeça. O ideal é encontrar o seu equilíbrio e acostumar-se a dormir sempre o mesmo número de horas por noite. “Dormir pouco ou muito pode resultar em dores de cabeça”
    Cinco coisas que você precisa saber para dormir melhor
  • 10
    Bebidas alcoólicas
    O álcool, de maneira geral, costuma provocar a dilatação dos vasos cerebrais. É por isso que a ressaca costuma vir acompanhada de dores de cabeça. “O vinho tinto costuma causar mais dor de cabeça no dia seguinte porque é rico em moléculas que alargam o calibre dos vasos do cérebro”

Joana Prado é internada com fortes dores e passa por cirurgia

Padrão

Joana Prado sentiu fortes dores na região da barriga e foi parar no hospital, na tarde de ontem. A mulher de Vitor Belfort foi para o Copa Dor, no Rio, e os médicos resolveram operá-la na hora, segundo fontes do hospital. Ele tinha uma hérnia no umbigo. Hoje de manhã, Joana teve alta e está se recuperando da cirurgia em casa.

Em novembro, Joana Prado demitiu sua assessora de imprensa, depois da confusão sobre um programa de tevê ter exibido imagens dela na Revista Playboy. Segundo Joana explicou em seu blog, a moça deveria ter avisado à produção do programa que ela não queria que o assunto fosse pautado durante a entrevista.

 fonte: http://www.folhavitoria.com.br

Endometriose

Padrão

 

Cólicas menstruais: podem ser sintoma de endometriose

A endometriose é a presença de células endometriais (tecido semelhante ao que reveste o interior do útero) em outras partes do útero ou em outros órgãos da pelve (trompas, ovários, intestinos e bexiga).

A cavidade interna do útero é revestida pelo endométrio, camada renovada mensalmente conforme o ciclo menstrual. É também onde o óvulo fertilizado se implanta e, se não ocorre a fecundação, o endométrio descama e é eliminado através da menstruação. Mas, algumas células podem ficar presas fora do útero, o que caracteriza a endometriose.

Fora do útero, o tecido endometrial se desenvolve em chamados nódulo, tumores ou implantes, provocando dor. Segundo a Endometriosis Associations, estes tumores endometriais não são malignos ou cancerosos.

Não se sabe ao certo porque a doença se desenvolve, mas entre os fatores de risco estão menarca precoce (primeira menstruação), nuliparidade (ausência de filhos), fluxo menstrual aumentado e o não uso de anticoncepcionais hormonais. A endometriose é um dos principais fatores que causam infertilidade.

Sintomas

De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose (Abend), estima-se que, pelo menos 10% das mulheres em idade reprodutiva sofram com a endometriose. Conforme a ginecologista Ione Cristina Barbosa, entre os sintomas mais comuns da doença estão:

  • Irregularidades menstruais;
  • Cólicas moderadas a severas;
  • Dor pélvica fora do ciclo menstrual;
  • Dor antes e depois das relações sexuais;
  • Infertilidade.

Tratamento

Muitas vezes, o médico consegue sentir o crescimento do tecido endometrial com o toque, durante o exame pélvico. Porém, alguns exames são indicados para identificar a endometriose. Entre eles, a ginecologista Ione destaca a ressonância magnética, ultra-sonografia pélvica e laparoscopia com biópsia dos focos endometriais.

A laparoscopia, por exemplo, permite que o médico examine a parte externa do útero e os órgãos ao redor com um laparoscópio, instrumento ótico com uma luz na ponta.

Entre os tratamentos, explica a ginecologista, estão:

  • Tratamentos clínicos;
  • Histerectomia (cirurgias de retirada de útero);
  • Ooforectomia (cirurgia que remove um ou ambos os ovários);
  • Lise de aderências (remoção do tecido endometrial por laparoscopia);
  • Remoção dos endometriomas (pequenos tumores de endometriose).

É importante que as mulheres procurem um médico quando tiverem cólicas freqüentes que não melhoram com analgésicos. 

 Fonte: http://www.portalfeminino.com.br

Alternativas para aliviar a dor sem tomar remédios

Padrão

Ninguém discute a eficácia da acupuntura, consagrada por inúmeras pesquisas. Uma delas acaba de ser publicada no jornal americano Rheumatology, mostrando seus bons resultados contra dores nas costas. De quebra ela atua em outros aspectos, como a depressão e a ansiedade, melhorando a qualidade de vida de quem sofre de males crônicos. Nas dores de origem muscular, a eficácia beira os 70%. As agulhas também são uma boa opção para quem não deveria tomar remédios a torto e a direito.
O poder das gotinhas – Na visão da homeopatia, terapia criada pelo médico alemão Samuel Hanemann (1755-1843), o que abre caminho para a dor é sempre uma desarmonia. Seus remédios, no caso, despertam reações semelhantes àquelas da doença que está gerando o mal-estar e ensinam o corpo a lutar contra esse mal para reencontrar o equilíbrio. Daí, a sensação dolorosa some. E a demora nos resultados não passa de um mito. Com um bom diagnóstico e um remédio certeiro, a resposta pode ser quase imediata.
Cérebro em transe – Pesquisas em instituições renomadas mostram que a hipnose ajuda, e muito, quem vive reclamando de dores. Uma delas, feita na prestigiada Universidade Harvard, nos Estados Unidos, mostrou que pacientes hipnotizados durante pequenas cirurgias sofreram menos no pós-operatório. Isso porque, ao focar a atenção em uma só coisa, o cérebro é imerso em uma situação que acaba virando realidade. Enganado, ocorrem alterações neuropsíquicas que modificam a percepção. A hipnose trabalha a sensação dolorosa e os fatores psicológicos e sociais que a geram.

Mente tranqüila – Relaxar sempre ajuda a acabar com a dor. Ao liberar endorfina, neurotransmissor que dá a sensação de bem-estar, o relaxamento diminui tensões e ajuda a quebrar o ciclo vicioso que mantém o sofrimento. Ele facilita o contato com o inconsciente e auxilia no trabalho com as emoções. Junto com o alongamento, permite tratar tanto os fatores físicos quanto os emocionais.
Toques analgésicos – A massagem é um excelente coadjuvante para tratar praticamente todos os males – desde que a pessoa tenha um diagnóstico médico correto. Quando a origem é postura ou tensão muscular, até pode dar conta do recado sozinha. Inúmeros estudos atentam esse efeito. Além disso, no cérebro os estímulos do toque ocupam o mesmo espaço doloroso, dando uma sensação de alívio. Para muitos terapeutas a técnica está sendo um bom reforço às sessões de acupuntura contra uma tendinite crônica. Entretanto fique de olho na formação do profissional e fuja de quem fez cursos de fim de semana. 

 

FONTE: http://www.lincx.com.br

Cólica menstrual

Padrão

A cólica menstrual também é chamada de dismenorréia. A maioria das mulheres sente cólicas menstruais em algum período de suas vidas. Elas podem variar de leves a severas. Também podem diferir mês a mês, ano a ano. A dor sentida durante a cólica menstrual pode ser acompanhada de dor nas costas, fadiga, vômitos, diarréia e dores de cabeça. Pode ser intensificada pelo inchaço pré-menstrual ( retenção de água ).

Causas

 

Existem dois tipos de cólica menstrual – primária e secundária. A primária geralmente ocorre em mulheres que recém começaram a menstruar, e pode desaparecer ou se tornar mais leve quando a mulher atinge a idade de 23-25 anos ou quando dá à luz ( o parto estira o útero ). Acredita-se que as cólicas menstruais chamada de prostaglandinas são compostos químicos que existem naturalmente no corpo. Algumas prostaglandinas promovem a contração dos músculos do útero.

A dismenorréia ocorre com menor freqüência em mulheres que não ovulam. Por este motivo, os anticoncepcionais orais (pílulas) diminuem as cólicas em 70-80% das mulheres que o tomam. Quando o uso da pílula é interrompido, a mulher geralmente volta a ter o mesmo nível de cólica que tinha anteriormente.

A dismenorréia secundária ocorre em conseqüência de outras alterações do sistema reprodutor, como os miomas, endometriose, cistos de ovário e, raramente, câncer. O DIU ( dispositivo intra-uterino ) também pode provocar cólicas, principalmente se a mulher nunca tiver tido filhos. A exceção é o DIU que libera pequenas quantidades de progesterona dentro do útero, o que ajuda a diminuir a cólica e o fluxo de sangue durante a menstruação.

 

Perguntas a fazer

    Suas menstruações têm sido especialmente dolorosas após colocação do DIU?

    seta_sim.gif (1030 bytes) img_socorro.gif (1741 bytes)

    seta_nao.gif (1054 bytes)

       

    Você tem algum sinal de infecção, febre e saída de secreção com odor ruim da vagina? Você tem fezes enegrecidas ou com sangue?

    seta_sim.gif (1030 bytes) img_socorro.gif (1741 bytes)

    seta_nao.gif (1054 bytes)

       

    Para mulheres ainda capazes de dar à luz: Você teve uma menstruação mais abundante do que o normal ou a sua menstruação está mais de 1 semana atrasada?

    seta_sim.gif (1030 bytes) img_socorro.gif (1741 bytes)

    seta_nao.gif (1054 bytes)

       

    A dor é intensa? Você costuma ter menstruações com cólicas há anos mas agora passou a sentir cólicas mais severas?

    seta_sim.gif (1030 bytes) img_socorro.gif (1741 bytes)

    seta_nao.gif (1054 bytes)

       

    Você continua sentindo cólica, mesmo após o final da menstruação?

    seta_sim.gif (1030 bytes) img_socorro.gif (1741 bytes)

    seta_nao.gif (1054 bytes)

       

    img_autocuidado.gif (1688 bytes)

       

Dicas de autocuidado

  • Durante a menstruação, tome ibuprofeno ou naxopreno de sódio conforme orientação da bula, para diminuir a dor e inibir a liberação das prostaglandinas. O acetaminofen diminui a dor, mas não as prostaglandinas. A maioria dos medicamentos para cólica do mercado contém acetaminofen. Leia os rótulos. ( Veja “Analgésicos” em “Farmácia em Casa” ).
  • Beba uma xícara de chá comum, de camomila ou de menta, quente.
  • Coloque uma bolsa de água quente ou bolsa térmica sobre o abdome ou sobre as costas.
  • Tome um banho quente.
  • Massageie delicadamente o seu abdome.
  • Faça exercícios leves como: alongamento, yoga, caminhada ou andar de bicicleta. O exercício pode aumentar o fluxo de sangue e reduzir a dor pélvica.
  • Repouse bastante e evite situações estressantes.
  • Para controle da natalidade, considere a possibilidade de usar pílula, pois esta bloqueia a produção de prostaglandinas, ou o DIU com progesterona, que diminui a cólica menstrual.

Pergunte ao seu médico sobre a indicação e necessidade de suplementação de vitamina B6.

Se após adotar as medidas acima, você continuar sentindo dor, procure o seu médico. 

 

Fonte: http://www.lincx.com.br/

Multidão acompanha velório da adolescente Eloá

Padrão

Uma multidão acompanha o velório da adolescente Eloá Cristina Pimentel no Cemitério de Santo André, na Vila Humaitá, no ABC paulista. Conforme estimativa da administração do local, cinco mil pessoas deverão passar por lá entre hoje e amanhã. O corpo de Eloá chegou ao cemitério por volta das 15 horas, após passar a madrugada de hoje no Instituto Médico Legal (IML).

O velório foi aberto ao público por volta das 16h50. Uma longa fila se formou no lado de fora da capela, composta por amigos, vizinhos do Conjunto Habitacional de Santo André – onde Eloá vivia e foi mantida refém por quatro dias pelo ex-namorado Lindembergue Alves -, e por curiosos, que deixaram mensagens de paz e justiça no local. No fim da tarde, os parentes da jovem estavam concentrados em um canto da capela e não falavam com a imprensa. A mãe de Eloá, Ana Cristina, chegou ao cemitério por volta das 16h20 acompanha de alguns policiais. Até o começo da noite, o pai de Eloá, Aldo, ainda não havia chegado ao velório. Os pais de Nayara, de 15 anos, amiga de Eloá, já passaram por lá.

Meia hora após a chegada do corpo de Eloá ao cemitério, um grupo de amigos da escola onde a jovem estudava fez uma homenagem. Eles formaram um circulo, colocaram uma coroa de flores no centro e rezaram um Pai Nosso e uma Ave Maria. O corpo de Eloá será sepultado amanhã, às 9 horas.

 

Fonte:yahoonoticia

Corpo de Eloá será sepultado no Cemitério Santo André

Padrão

O corpo de Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, será velado e enterrado no Cemitério Santo André, no Grande ABC Paulista. Os horários ainda não foram definidos, pois dependem da liberação do corpo, que está no Instituto Médico Legal (IML) desde as 6h45 de hoje. Se o enterro acontecer ainda hoje, deverá ser por volta das 17 horas, segundo informações da administração do cemitério. A jovem teve morte cerebral constatada na noite de sábado, após ser atingida por um tiro na cabeça.

Eloá foi mantida 101 horas em cárcere privado pelo ex-namorado, Lindembergue Fernandes Alves, de 22 anos. Ele invadiu o apartamento da adolescente na segunda-feira da semana passada e fez reféns a jovem e três amigos. Dois rapazes foram liberados ainda na noite de segunda e, na noite de terça, a amiga Nayara, também de 15 anos, foi libertada. Ela retornou ao cativeiro na quarta-feira e, na sexta, quando Lindembergue disparou contra Eloá, também foi atingida por um tiro. Ela ainda está hospitalizada, mas, segundo os médicos do Centro Hospitalar, apresenta “bom quadro evolutivo”.

Fonte:yahoonoticia