Arquivo da tag: gestação

Saiba quais são os exercícios físicos mais indicados para as grávidas

Padrão
A mulher que nunca se exercitou e sabe que os benefícios das atividades físicas durante a gestação são poderosos não só para ela, mas também para o bebê pode começar a fazer exercícios leves ou de baixo impacto. Para quem já tem uma rotina de malhação e acabou de engravidar, o ideal é manter o tipo e o ritmo dos exercícios. “Se ela já pratica esportes, pode manter o mesmo ritmo até o oitavo mês de gravidez. Essa mulher e a que nunca se exercitou precisam, sempre, ter um acompanhamento médico

Controle do ganho de peso, fortalecimento muscular – não só da região lombar evitando as dores nas costas -,  melhora do condicionamento cardiovascular e do sistema respiratório, além de melhora do retorno venoso e linfático, diminuindo o inchaço são alguns dos benefícios. Entenda abaixo quais são os exercícios mais indicados na gravidez:

  • 1
    Hidroginástica
    Hidroginástica para grávidas

    Hidroginástica é o exercício mais indicado pelos médicos para as grávidas. De acordo com Luciana Flor, a água traz conforto para as gestantes. “Na água elas não sentem o peso da barriga, o que aumenta a segurança para praticar exercícios”, diz a professora. Ela explica que o water relax, espécie de aula de alongamento dentro d’água, também é muito bem-vinda para as gestantes, já que melhora a circulação e diminui inchaços.

    Uma pesquisa realizada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) com 50 grávidas mostrou que a hidroginástica pode ajudar a diminuir as dores no parto, já que apenas 27% das pesquisadas que praticavam exercícios na água solicitou algum tipo de analgésico para dor durante as contrações.

    Letícia Spiller fez hidroginástica durante a gravidez de Stella

  • 2
    Caminhada
    Caminhada para grávidas

    A caminhada está entre as atividades mais democráticas, já que não é necessário estar matriculada em uma academia para praticá-la.

    Após a liberação do obstetra, em geral, a gestante pode praticar exercícios físicos durante uma hora por dia, até 5 vezes por semana. O mais importante é respeitar a frequência cardíaca, que não deve ultrapassar 140bpm. Isso significa que é possível conversar com tranquilidade durante a caminhada.”, diz a professora de educação física Mariana Furtado, do Espaço Bella Gestante.

    Exercícios para gestantes evitam a flacidez

  • 3
    Musculação
    Musculação para grávidas

    A musculação não é contraindicada para gestantes. Bem orientada, fortalece os músculos, melhora a postura e diminui as dores nas costas, provenientes do peso da barriga. “Na musculação é possível trabalhar cada grupamento muscular de forma segura. Gestantes que nunca praticaram exercícios devem começar aos poucos, com 15, 20 minutos, avançando aos poucos. O ideal, sempre, é conciliar o trabalho muscular com atividades aeróbicas, como caminhada, hidroginástica e bicicleta ergométrica”, diz Luciana Flor.

    Conheça a ginástica natural, que não usa pesos ou aparelhos

  • 4
    Pilates
    Pilates para grávidas

    O exercício utiliza o próprio peso corporal para trabalhar diferentes grupamentos musculares.Apesar de parecer ser um exercício leve, o pilates não é indicado para todas as gestantes. “O pilates melhora a postura, evita dores lombares e fortalece os músculos das costas, preparando para o peso da barriga, mas só recomendamos para quem já praticava antes da gravidez. No pilates a gestante trabalhará o tempo todo com o abdômen contraído, o que pode gerar estresse desnecessário para quem nunca praticou”. Ou seja, quem deseja aproveitar os benefícios do pilates deve começar bem antes da gravidez.

    Conheça o pilates e saiba por que ele virou mania entre as famosas

  • 5
    Yoga
    Yoga para grávidas

    A yoga trabalha corpo e mente, ajudando no relaxamento da gestante. “Assim como o pilates, a yoga trabalha o abdômen e só é recomendo para aquelas que praticavam antes da gravidez.Com o passar das semanas e o crescimento da barriga, ficará mais difícil fazer determinadas posturas, mas as academias já contam com programas específicos para gestantes

    Yoga traz benefícios após o nascimento do bebê

2° trimestre da gravidez

Padrão

Sintomas, sinais e sensações
Importante: você pode apresentar todos ou somente alguns dos sintomas descritos. Além de alguns sintomas que continuam do mês passado.
Físicos: 
  Movimentos fetais (finalmente você poderá sentir seu bebê!!);
  Aumento da umidade vaginal (leucorreia);
  Congestão nasal e sensação de entupimento do ouvido;
  Prisão de ventre;
  Âzia e dificuldade de digestão;
  Câimbras nas pernas;
  Possível inchaço dos tornozelos e dos pés, e às vezes também das mãos;
 
Possíveis dores de cabeça, às vezes desmaios e tontura;
  Surgimento de algumas veias varicosas e/ou hemorróidas;
  Grande aumento do apetite;
  Dores nas costas;
  Modificação na pigmentação da pele no abdomen e no rosto
  Aumento da pulsação (frequência cardíaca);
Emotivos:
  Maior estabilidade emocional, podendo de vez em quando sentir-se ainda um pouco irritada e com algumas mudanças de humor;
  Sentido mais amplo de aceitação da realidade de se “estar grávida”;
  Períodos de distração e falta de concentração no que se está fazendo.

Como seu Bebê Cresce dentro de Você
Finalmente você poderá saber o sexo do bebê:
Ao redor da 20a. semana, você poderá ficar conhecendo através da ecografia, se seu bebê será menina ou menino, pois o exame feito nesta fase consegue delinear os orgãos genitais com grande exatidão. É hora de começar a pensar no enxoval e na decoração do quarto do bebê!!!
O bebê vai se movimentando cada vez mais:
Nesta fase, a futura mamãe começará a sentir os movimentos do bebê, cada vez mais intensos. No início, a sensação é como movimentos das asas de uma borboleta dentro de seu ventre. E como ele começa a ter um maior período ativo, em certos períodos do dia, passa também por alguns períodos de repouso.  
Sua pele vai se definindo:
A pele do bebê, nesta fase, forma a chamada “vernix caseosa” que é uma película de gordura sobre a pele que tem a finalidade de protegê-la. Começam a surgir os pelinhos que irão formar os cílios e as sombrancelhas, assim como os cabelos.
Qual é o aspecto do bebê: 
Este mês, o bebê cresce bastante, podendo aumentar até aproximadamente 25 cms. e pesar de 340 a 500 gramas. Seu corpo, neste período, já é todo bem proporcional, cabeça-tronco-membros.
Qual é o aspecto da mamãe:
Em média, uma gestante deve aumentar aproximadamente 450 gramas por semana no segundo trimestre da gravidez. Ou seja, a cada mês um aumento de mais ou menos 2 quilos. Sua barriga agora já deve estar bem redondinha, seus seios poderão estar já produzindo um pouco de colostro. 

Algumas Possíveis Preocupações
Aparecimento de Estrias: 
Infelizmente este é um dos “acontecimentos” da gravidez que toda mulher gostaria de dispensar… Aqueles anti-estéticos sulcos levemente rosados e que se formam quase sempre nos seios, abdomen, pernas e glúteos, e que aparecem  independentemente da nossa vontade. O melhor mesmo é prevenir: como você já está sabendo, evitar um aumento excessivo de peso é bom para muitos dos “sintomas” da gravidez, inclusive no que se refere às estrias. Outra dica é manter o corpo muito bem hidratado, pois as estrias aparecem muitas vezes por falta de elasticidade da pele, principalmente durante uma gravidez, quando ocorre um excessivo estiramento dos tecidos.
Desmaios e Tonturas:
Apesar do folclore sempre nos fazer associar os desmaios de uma mulher como indicador de uma gravidez, ocorrendo portanto nos primeiros meses, na realidade é mais frequente que uma gestante sofra com estes sintomas no segundo trimestre de sua gestação, pois é quando o volume de sangue circulando aumenta de modo significativo. Ou então, a gestante poderá perceber uma certa sensação de tontura cada vez que se levantar, seja da posição sentada como deitada. Existem vários fatores que podem provocar estes desmaios ou tonturas, e o que a gestante deve tentar fazer para evitá-los é sempre se lembrar de não levantar com pressa, fazer pequenas refeições durante o dia para manter o estomago sempre saciado, e tentar evitar ficar em locais fechados, procurando estar mais tempo ao ar livre. Caso você sofra desmaios com frequência, consulte rapidamente seu ginecologista para uma avaliação.
Problemas Dentários:
Algumas gestantes sofrem de problemas dentários durante a gravidez, como por exemplo, inchaço e maior sensibilidade das gengivas, podendo até apresentarem inflamações e sangramentos. Para evitar danos maiores aos dentes e às gengivas, é necessário alguns cuidados básicos: consulte o seu dentista e conte sobre a sua gravidez, se possível faça uma limpeza geral, mas evite fazer radiografias e anestesias; faça uma cuidadosa higiene bucal todos os dias, lavando os dentes após as refeições e usando o fio dental, ou jato d’água ou bochechos; e evite comer doces, balas e guloseimas. Cuidados estes já tão proclamados como eficazes para uma dentição perfeita, durante a gravidez são absolutamente indispensáveis.
Atividades Físicas:
Muitas mulheres gestantes são dedicadas esportistas, e uma dúvida muito frequente é saber até que ponto o esporte ou qualquer outra atividade física pode ser praticada durante a gravidez. A grande maioria dos ginecologistas acreditam que a prática de exercícios físicos durante a gestação é muito importante para o bem estar da mulher, por seus inúmeros benefícios: melhora a circulação sanguínea, alivia as dores lombares, fortalece a musculatura, ajuda os problemas de sono, promove um aumento mais gradual do peso, entre outros. O importante é conversar com seu obstetra sobre quais atividades físicas são as mais indicadas e qual a intensidade e duração das mesmas. É óbvio que são desaconselháveis esportes violentos ou perigosos como lutas marciais, esqui aquático, mergulho, e qualquer tipo de atividade física que provoque um desgaste muito intenso. Os mais aconselháveis são: caminhadas, natação e ginástica para gestantes, exercícios de relaxamento.

Passo a Passo da gestação

Padrão
Fique informada de cada uma das fases de sua gravidez. Saiba semana a semana, tudo que está acontecendo com o bebê, a mamãe e o papai durante a gravidez… 
 
 

de 1 a 7 semanas
 
O método de contagem da idade gestacional começa mesmo antes de ter acontecido a concepção (fecundação). Dessa forma, a semana 1 começa com o 1º dia da sua última menstruação. Ainda não há bebê. A partir da concepção, no final da 2ª semana, pela nossa contagem, o bebê aparece e passará por uma série de transformações. >> mais
Nada ainda. Nesse momento está acontecendo o preparo do berço do bebê, ou seja, o útero estará sofrendo profundas modificações para receber o futuro embrião em desenvolvimento. >> mais
No início dessa semana acontece a concepção. Os espermatozóides encontram-se com o óvulo na trompa e o milagre da vida começa. É um processo que leva cerca de 24 horas. Um espermatozóide pode sobreviver mais de 48 horas no canal genital feminino. >> mais
No final desta semana as células do zigoto se multiplicam enquanto ele caminha pela trompa, dando origem a uma minúscula estrutura (cerca de 0,2 mm de diâmetro – 5 vezes menor que a cabeça de um alfinete) que consiste de várias células agregadas em torno de uma pequena cavidade cística denominada blastocisto. >> mais
O embrião em desenvolvimento tem 3 membranas celulares. Na membrana superior (ectoderma), forma-se o tubo neural, que posteriormente se transformará no sistema nervoso (cérebro, medula espinhal), pele, pelos e cabelos, lentes do olho, revestimento dos ouvidos interno e externo, nariz, seios da face, boca, ânus, esmalte dos dentes, hipófise e glândulas mamárias. >> mais
Os primeiros batimentos cardíacos do embrião já começaram. Ele mede cerca de 2,5 mm de comprimento no início dessa semana e tem a forma de um “S”. O embrião já apresenta o esboço da cabeça, coração e um tubo neural. O crescimento é muito rápido nessa fase. O cordão umbilical se forma. Os olhos e ouvidos começam a se desenvolver, bem como a boca e a língua. >> mais
O bebê mede cerca de 6 mm de comprimento no início desta semana (é o tamanho de um grão de arroz). A formação dos braços e pernas continua, embora os dedos das mãos e dos pés ainda não tenham se formado. As regiões da coxa, perna e pés podem ser distinguidas nos brotos dos membros inferiores. >> mais
 
 
O embrião mede cerca de 12-13 mm de comprimento no início desta semana. A face continua a mudar, aparecem as orelhas, os olhos e a ponta do nariz. Os futuros dentes se desenvolvem sob as gengivas. O coração separa-se em 4 câmaras. Os batimentos cardíacos vistos ao ultra-som são muito rápidos, cerca de 170 batidas por minuto.
  >> mais



 

de 8 a 11 semanas
(gomo de uva)

Nessa fase quase todos os órgãos e estruturas do feto estão formados. Eles continuarão a crescer e desenvolver até o parto. Os dedos das mãos e pés já se separaram e os pelos e unhas iniciam o seu crescimento. Os genitais começam a assumir seu aspecto final feminino ou masculino. O líquido amniótico começa a se acumular à medida que os rins do bebê começam a excretar urina.
  
>> mais



de 12 a 15 semanas
(ameixa)
 
 
de 16 a 19 semanas
(tomate)

Se você nunca sentiu os movimentos do bebê, é possível que já possa percebê-los, pois os seus ossos estão cada vez mais enrijecidos. Agora as pernas são maiores que os braços e ele move os membros com muita frequência. Há ainda muito espaço para se mover dentro do útero. As unhas dos dedos também estão crescendo. Há o aparecimento do couro cabeludo.
 
>> mais



de 20 a 23 semanas
(laranja)

Estamos na metade do caminho da gestação e o bebê dorme e acorda como um recém-nascido. Os cabelos do couro cabeludo começam a se formar. A presença dos pelos temporários, denominados de “lanugo”, aparecem na cabeça. O lanugo cai na segunda semana após o nascimento, permitindo o crescimento dos finos pelos do couro cabeludo.
>> mais


 
 
O feto ainda é magro e não possui muito tecido gorduroso. O bebê deve ganhar cerca de 80 gramas esta semana enquanto o corpo começa a se tornar mais rechonchudo. Esse ganho de peso é traduzido por músculos, ossos e crescimento dos órgãos e tecidos. As ondas cerebrais fetais começam a ativar os sistemas auditivo e visual.
>> mais



de 24 a 27 semanas
(beringela)

Seu bebê está crescendo e se desenvolvendo a uma velocidade incrível. As sobrancelhas e os cílios agora estão presentes, e os cabelos estão mais espessos. As pálpebras se abrem e os olhos estão completamente formados. O corpo está mais roliço e rechonchudo. Pesa em torno de 1200-1300 gramas, mede cerca de 35 cm da cabeça aos pés.
>> mais



de 28 a 31 semanas
(repolho)
 
 
de 32 a 35 semanas
(melão)
 

O feto repousa sobre o útero – não mais flutua. Os olhos se abrem na fase alerta e se fecham durante o sono. A cor dos olhos é geralmente azul, embora a pigmentação permanente ainda não esteja totalmente desenvolvida. A formação final da pigmentação dos olhos (a cor dos olhos) requer exposição à luz e usualmente acontece poucas semanas após o nascimento.
>> mais



de 36 a 39 semanas
(jaca)
 

Faltando cerca de 4 semanas para o final, o feto está quase pronto para nascer. Ele pode adentrar o canal de parto a qualquer momento a partir de agora. Nesta semana a gordura está preenchendo os ombros e joelhos bem como formando dobras no pescoço e cintura. As gengivas do bebê estão bem duras agora. Ele pesa em torno de 2800-2900 gramas e mede cerca de 46 cm.
>> mais


 
 
40 semanas
     
 
 


A última semana. O bebê pesa em torno de 3300 a 3700 gramas e mede cerca de 50-51 cm dos pés à cabeça. Nessa fase a maior parte do vérnix caseoso já desapareceu e 15% do peso do corpo é representado por gordura, 80% dos quais estão sob a pele, os outros 20% estão em torno dos órgãos; além disso o tórax se expande. No momento do nascimento, o bebe tem cerca de 300 ossos. Alguns deles vão fundir com outros mais tarde, e isto explica o porque que os adultos possuem apenas 206 ossos no corpo. O feto demonstra mais que 70 diferentes sistemas de reflexos comportamentais que são automáticos e não condicionados (não aprendidos); esses são necessários para sua sobrevida. >> mais

Cegonha: Juliana Paes confirma em blog que está grávida de seis semanas

Padrão

Após muitas especulações, a atriz global Juliana Paes confirmou que vai ser mamãe! De acordo com o site Estrelando, ela assumiu em seu blog na última segunda-feira, dia 3, que está, sim, esperando um filho. A gestação é de apenas seis semanas, mas ela preferiu confessar a gravidez antes que mais boatos surgissem a respeito da iminente barriguinha.

No texto publicado no site, Juliana comentou que já estava desconfiada há 10 dias, mas preferiu ter certeza antes de confirmar os rumores à imprensa. A protagonista de Caminhos das Índias também garantiu que, mesmo estando no início da gestação, fez questão de dividir logo a notícia, pois era ela mesma quem queria compartilhar as boas novas com os fãs e a mídia.

Ainda segundo a morena, o papai, Carlos Eduardo Baptista, está todo babão com a notícia, e os pais e sogros estão muito felizes. No fim do post, a beldade diz que agora espera ansiosa a barriga crescer e que está morrendo de curiosidade para saber o sexo do bebê.

Tire 11 dúvidas sobre pressão alta na gravidez

Padrão

A pressão alta é uma das grandes vilãs da gravidez. Quando registrada no terceiro trimestre, recebe o nome de pré-eclampsia e pode trazer problemas tanto para as mães quanto para os bebês. Por isso, é importante ficar atento aos sintomas e manter o acompanhamento pré-natal. Confira abaixo 11 curiosidades sobre a doença, de acordo com a ginecologista Rosa Maria Neme, diretora do Centro de Endometriose São Paulo.

1 – Os principais sintomas são inchaço, espuma na urina, dor de cabeça e de estômago, convulsão, dores abdominais, vista embaralhada.

2 – O inchaço costuma se localizar nos pés e nas pernas, mas, nos casos mais graves, também pode atingir os membros superiores e a face.

3 – O tratamento inicial consiste em repouso, medicamento e dieta com pouco sal. Em casos mais graves, que podem evoluir para eclampsia, com risco de morte para a mulher e o filho, há a possibilidade de o médico antecipar o parto.

4 – Quando a mulher tem pressão alta antes da gravidez, deve manter a medicação durante os nove meses. A única orientação é ajustá-la nesse período, de acordo com as orientações do obstetra. Às vezes, alguns medicamentos não devem ser usados no início da gestação por causarem problemas de malformação no feto.

5 – O aumento excessivo de peso pode piorar o controle da pressão.

6 – A pressão alta pode causar um amadurecimento acelerado da placenta e diminuição da nutrição do feto. Entre as consequências estão a redução do seu crescimento e o descolamento da placenta nas fases finais da gravidez, trazendo risco de morte à criança, entre outros problemas.

7 – Grávidas de primeira viagem se enquadram no grupo com mais chance de ter pré-eclampsia. Isso ocorre por uma alteração celular na placenta e essas mulheres estão mais expostas ao problema.

8 – Vários outros fatores da gravidez podem desencadear o quadro. Fazem parte da lista mulheres com antecedente de pressão alta, com tendência familiar para hipertensão e com doenças como diabetes gestacional.

9 – Aliar atividade física, ingestão de líquidos adequada e alimentação balanceada diminui as chances de uma descompensação da pressão. Essas medidas favorecem no controle de ganho de peso da gestante.

10 – Pré-eclampsia não provoca aborto, pois é uma doença do fim da gestação. No entanto, pode favorecer o parto prematuro. Quando há risco para o bebê, a gravidez precisa ser interrompida.

11 – A doença pode trazer problemas para a mulher e o bebê. No caso do feto, as consequências vão de retardo no desenvolvimento à morte. Para a mãe, pode haver um risco aumentado em 40% de apresentar pressão alta no futuro, mesmo fora da gestação.

Guia de exercícios para gestantes

Padrão

É verdade que exercícios durante a gravidez ajudam no parto?

Os exercícios promovem o tônus muscular, a força e a resistência, o que ajudará seu corpo a carregar o peso extra da gravidez, preparará você para o esforço do trabalho de parto e ainda colaborará para seu corpo a voltar à forma depois que o bebê nascer.

A atividade física na gestação também diminui desconfortos físicos, como dores nas costas, prisão de ventre, fadiga e inchaço, além de ajudar a manter seu humor mais estável e sua auto-estima e seu sono em dia.

Há algum motivo para não me exercitar enquanto estiver grávida?

Algumas mulheres precisam de mais cuidados para fazer exercícios. Converse com seu médico antes de iniciar qualquer atividade se você:

• teve algum ameaço de aborto espontâneo
• teve um bebê prematuro no passado
• sabe que corre risco de um trabalho de parto prematuro desta vez
• sabe que sua placenta está baixa
• teve sangramento forte
• teve problemas na coluna lombar ou nas articulações do quadril
• apresenta alguma doença pré-existente
• apresenta quadro de pressão arterial muito alta
• sabe que vai ter mais de um bebê


 

Costumo fazer exercícios físicos de alto impacto. É seguro continuar durante a gravidez?

Se você está bem de saúde, em ótima forma física e se sente disposta, mantenha sua rotina. De acordo com um estudo da revista científica American Journal of Obstetrics and Gynecology, mulheres ativas e saudáveis que se exercitam antes da gestação podem continuar a fazê-lo durante toda a gravidez sem risco à saúde ou ao desenvolvimento do bebê.

E segundo uma outra pesquisa, da Universidade de Oslo, mulheres que praticavam exercícios de alto ou médio impacto seis vezes por semana não tiveram diferença no tempo de trabalho de parto, no ganho de peso na gestação ou no peso do bebê ao nascer.

É importante lembrar, contudo, que você deve conversar com seu médico sobre o tipo de exercício que pretende fazer.

Quais os melhores exercícios para mulheres grávidas?

Caminhadas, corridas leves, natação, hidroginástica e bicicleta ergométrica são considerados exercícios seguros na gestação. Ioga e pilates também são bons exercícios, mas não se esqueça de se certificar de que seu professor tenha experiência em lidar com grávidas.

Eu era sedentária e agora quero me exercitar. Quais os cuidados que devo tomar?

Depois de conversar com seu médico e ser liberada, você poderá fazer exercícios moderados.

Prefira atividades de baixo impacto, como caminhadas ou natação, e comece aos poucos, com a ajuda de um professor de educação física.

Devo mudar minha rotina de exercícios ao longo dos nove meses de gestação?

Sim. Mesmo que você seja bem ativa antes da gravidez, seu corpo naturalmente terá a tendência de diminuir o ritmo, para acomodar o útero em crescimento.

É especialmente importante durante o primeiro trimestre que você evite elevar demais a temperatura do corpo. Passado esse período, você também vai precisar eliminar exercícios que sejam feitos no chão (de costas) ou em que você fique de pé por muito tempo — ambos podem reduzir o fluxo de sangue para o bebê.

Há esportes que não são recomendados para grávidas?

Se você não é atleta profissional, tenha cuidado com atividades físicas com potencial para quedas mais duras ou confrontos corpo a corpo, como basquete, vôlei e futebol.

Dá para saber se estou exagerando nos exercícios e posso fazer mal ao bebê?

De modo geral, não se exercite até chegar no limite da exaustão. Escute os sinais do seu próprio corpo. Uma boa regra é baixar o ritmo quando não conseguir mais conversar com alguém enquanto estiver se exercitando.

Interrompa os exercícios imediatamente se sentir tontura, falta de ar, sensação de desmaio, sangramento vaginal, dificuldade para andar, contrações ou falta de movimentação do bebê (mas tenha em mente que o bebê costuma ficar mais quietinho quando você se exercita).

Leia também nosso artigo sobre os sinais de perigo durante a atividade física na gravidez.

Quais os exercícios recomendados para o pós-parto?

Você provavelmente não vê a hora de ter seu corpo de volta ao normal, mas comece devagar. Primeiro, certifique-se de que está fisicamente pronta; depois dê início ao processo de retomar a forma antiga com uma série de alongamentos e exercícios para firmar o corpo. Quando conseguir, acrescente uma segunda série de exercícios.

Se você passou por uma cesariana, você pode começar a fazer abdominais leves e exercícios para o assoalho pélvico assim que o médico liberar.

Não consigo ter tempo para me exercitar com um recém-nascido em casa. Alguma sugestão?

Ter tempo e, principalmente, energia para atividades físicas com um bebê para cuidar pode ser bem complicado. Mas há maneiras de incorporar seu filho a uma rotina diária de exercícios, como por exemplo levando-o no carrinho para uma boa caminhada em um parque, nas ruas do seu bairro ou até numa ida a pé ao supermercado.

 Fonte: Escrito para o BabyCenter Brasil
Aprovado pelo Conselho Médico do BabyCenter Brasil

Como engravidar com saúde

Padrão

Planejando a gravidez O desejo de ter filhos faz parte da vida de homens e mulheres e é extremamente importante o período em que planejam ter um bebê. Pensar na vinda de um novo ser não significa para o casal, apenas, antegozar as alegrias da expectativa. É preciso preocupar-se com a saúde do futuro nenê e para isso, preocupar-se com a própria saúde.Para que a gravidez ocorra, para que a gestação se desenvolva tranqüila e para que o recém-nascido seja saudável, é necessário que a futura mamãe tenha acompanhamento médico. Avaliação da saúde do casal Exames médicos, os chamados check-ups pré-gravidez, são necessários para avaliação do estado de saúde do casal. As consultas são oportunidades para que os parceiros contem seu histórico de doenças familiares, discutam com o obstetra suas ansiedades, esclareçam suas dúvidas e sejam orientados por ele sobre tudo o que é benéfico ou nocivo para a gestação de um bebê sadio. É importante lembrar que, apesar do desejo de conceber um filho, nem sempre a gravidez ocorre no primeiro mês de tentativa e que não deve haver ansiedade nessa expectativa, pois pode contribuir para dificultar a concepção.

Exames laboratoriais

Além dos exames físicos completos, inclusive o pélvico, o médico solicita para a mulher os seguintes exames laboratoriais:   

Papanicolaou – para avaliação da saúde das células do útero.

  • Exames de sangue – para identificação do tipo sangüíneo e de possíveis doenças.
  • Teste para verificação de açúcar no sangue (glicemia).
  • Pesquisa de rubéola, anemia e toxoplasmose, que podem comprometer o desenvolvimento normal do feto.
  • Testes de laboratório para detecção de doenças sexualmente. transmissíveis, que podem contaminar o bebê através da mãe (AIDS, hepatite B, sífilis, citomegalovírus).

Recomendações médicas

Mesmo com saúde perfeita, a mulher que deseja ser mãe receberá do seu médico recomendações quanto à ingestão de vitaminas, à alimentação, peso corporal e exercícios físicos.

  • Vitaminas – No mínimo um mês antes de engravidar e até o fim do terceiro mês de gestação, deve tomar complexos vitamínicos contendo ácido fólico, pois podem diminuir os riscos de o bebê nascer com defeitos congênitos.
  • Alimentação – Sua dieta deve ser balanceada, com consumo de verduras, legumes, frutas e cereais. Açúcar e café, quando em excesso, podem ser nocivos ao desenvolvimento do feto. Bebês de mães que fumam e/ou bebem nascem com peso baixo.
    • Exercícios físicos – Além de ajudarem na estética corporal e prepararem o corpo para as alterações da gravidez, estudos mostram que os exercícios físicos regulares e adequados, estimulam a produção de substâncias cerebrais responsáveis pelo bem estar psíquico. A mulher deve, pois, praticá-los antes, durante e depois da gestação.
    • Peso corporal – O ideal é que bons hábitos alimentares e exercícios físicos estejam mantendo o peso normal da mulher que vai passar pelo processo da gestação. Magreza excessiva ou obesidade são, sempre, fatores de risco na gravidez e no parto.

  • Controle de doenças

    É importante que o diagnóstico de hipertensão arterial, alterações da tireóide, anemia e doenças auto-imunes seja feito antes da gravidez, pois devem ser tratadas e, posteriormente, controladas durante toda a gestação. É importante, também, que mulheres com mais de 35 anos peçam orientação ao seu ginecologista sobre o risco de terem um feto mal-formado. Ele saberá orientá-las sobre exames fetais que podem detectar anormalidades em bebês de algumas semanas de gestação.

    Vacinas

    As mulheres que não possuem anticorpos contra rubéola devem ser vacinadas e evitar a gravidez durante, pelo menos, três meses após a imunização. Também existe vacina contra a hepatite B, infecção crônica que pode ser transmitida ao feto.

    Doenças genéticas

    Existem doenças que são hereditárias, como a fenilcetonúria, Tay-Sachs, anemia falciforme, fibrose cística e hemofilia. Casais sadios podem ser portadores desses traços genéticos, portanto, se houver histórico familiar de qualquer uma dessas doenças, é preciso fazer testes sangüíneos, antes de conceber um bebê. O aconselhamento genético antes da gravidez é muito útil nesse caso.

    No passado, a medicina preventiva não estava desenvolvida e, por isso, muitas mortes de mulheres e de bebês aconteceram por ignorância. Hoje, a informação está ao alcance de todos e não é difícil receber orientações médicas, porém, apenas isso não basta. É preciso colocá-las em prática.