Arquivo da tag: Humorista

Humorista Chico Anysio é internado no Rio de Janeiro

Padrão

O humorista Chico Anysio, de 79 anos, está internado desde quinta-feira (12) no hospital Samaritano, em Botafogo, zona sul do Rio. Segundo a assessoria de imprensa do centro médico, o artista se recupera de uma hemorragia digestiva baixa.

Ainda de acordo com o hospital, o estado de saúde de Chico Anysio está estabilizado e não há previsão de alta. Ele aguarda resultado de exames (foi feita um colonoscopia) para saber se vai ter de operar ou não. Caso precise passar por alguma cirurgia, o humorista só poderá deixar o centro médico no fim da semana que vem.

Chico Anysio tem um quadro no humoristíco Zorra Total e prepara um especial de fim de ano para a Globo.

Anúncios

Kiabbo, ex-MTV, desabafa: “Marcelo Adnet era um chato”

Padrão

Kiabbo, codinome do músico Felipe Ricotta, saiu chateado da MTV. Ele, que fazia o parceiro mascarado de Marcelo Adnet no programa 15 Minutos, disse que foi expulso do programa humorístico e da emissora. Em em uma conversa franca com R7,  Ricotta fez seu desabafo. Confira a entrevista exclusiva:

R7 – Quando você saiu da MTV foi veiculado que o motivo era sua vontade em tocar projetos musicais. Foi por isso mesmo?
Felipe Ricotta, o Kiabbo – Isso é mentira! Eles me expulsaram do programa! Eu faço meu trabalho musical, paralelamente, desde 2008. Foi uma desculpa, cara. Desde o começo, o Marcelo Adnet queria colocar um amigo dele no programa, acho que é o mesmo que me substituiu no 15 Minutos agora [Rafael Queiroga]. Na época, a MTV fez um piloto comigo e um com o amigo dele, só que a emissora bateu o pé de que queria que fosse eu o parceiro do Marcelo no programa.

R7 – Como era sua relação com Marcelo Adnet nos bastidores?
Ricotta – Eu me dou bem com todo mundo. Sou muito tranquilo até mesmo naquele universo [MTV] em que rola muita crise de ego. Mas o maluco [Marcelo Adnet] tinha onda de mandão. Ele queria ficar dando ordem. Não aceitava ideia dos outros, as dele eram sempre as melhores. Um cara chato, de chegar a um ponto em que você fala “tá bom cara, vai então”. Meu irmão, ele queria ficar impondo o que eu ia tocar no programa! O problema é que toda a vez em que eu ia contra ele, eu estava indo contra a emissora. Ele era a aposta da emissora e eu não. Era uma situação meio chata e por isso minha reputação nos bastidores era ruim. Mas se falarmos em termos de audiência, a dupla [Marcelo Adnet e Kiabbo] sempre funcionou muito melhor que ele sozinho ou do que ele com qualquer outra galera. Porque eu moldei o personagem para complementar e, já que ele fazia um humor mais popular, eu seguia justamente para um outro lado com o intuito de acrescentar. Mas ele não enxergava dessa forma. Uma vez ouvi da boca dele [Marcelo Adnet] “Eu sou f… tanto faz quem está do meu lado”. Eu ouvi isso dentro da MTV. Foi muito desagradável.
R7 – Por que você saiu?
Ricotta – Quando me convidaram, falaram que eu iria fazer dupla com o Marcelo Adnet. Mas ninguém falou que eu teria de fazer papel de escada para levantar o cara. E ele [Marcelo Adnet] queria impor isto a qualquer custo. A gente ia para o ar e o cara não deixava eu falar. E quando ele surgiu estava todo mundo deslumbrado com o cara. Foi uma grande aposta da MTV. Houve um trabalho forte de mídia em cima dele, enquanto eu fiquei totalmente de lado. Não entendi. Me botaram no ar para ser escada do cara! Não respeitaram meu trabalho mesmo sabendo que eu já tinha uma história na MTV antes do programa.

R7 – Quando você entrou na MTV?
Ricotta – Acho que em 2005. Eu trabalhava lá há um tempão. Quando fui convidado pela emissora, já escrevia em vários sites e fazia um repórter na internet, que fez um sucesso entre o público do rock. Do mesmo jeito que o Marcelo Adnet era conhecido por trabalhos no cinema e no teatro, eu também já era conhecido no meio do rock, tinha feito um barulho legal e não cheguei do nada. Foi uma p… falta de respeito o que rolou! E culpa do jogo de ego que rola lá dentro [MTV]. Me botaram no ar e em seguida me boicotaram. Não deixaram o Kiabbo crescer. Era um personagem que tinha muito mais a ver com a MTV do que essa nova geração que, com todo o respeito, não está nem aí para MTV. São pessoas que só querem espaço na TV para poder crescer e ir para outra emissora.

R7 – Você acha quer a MTV não valorizava seu trabalho?
Ricotta – Não sei, mas o que me deixou mais chateado foi que, mesmo depois do “boom” que o programa 15 Minutos deu, eles falaram claramente que eu não podia me impor muito e que meu personagem não podia crescer porque o programa era do Marcelo Adnet. E, no final da contas, ficou a impressão de que sou ruim para a TV, porque o cara se destacava muito mais. Mas na verdade eu estava me poupando. Tenho noção que rendia só 10, 20% do que posso render, pois trabalhava em prol da emissora. Eu estava do lado deles. E daí me aprontaram uma dessa, fiquei bem chateado mesmo.

R7 – Então você foi pego de surpresa? Esperava que a MTV renovasse seu contrato?
Ricotta – Eles queriam que eu tirasse a máscara dentro do programa. Mas eu não quis botar minha cara na TV para manter o personagem. Além disso, quiseram me dar um espaço no 15 minutos em Dobro, em que teria um tempo de três minutos num programa de 30. Em vez de fortalecer o personagem, eles queriam minimizar o Kiabbo mais ainda. Preferi não fazer. Não acho certo. Acho que foi por isso que eles não quiseram mais o personagem. Foi uma coisa muito estranha, por que o Kiabbo é muito querido entre o público da MTV. Quando o personagem tinha tudo para se desenvolver e crescer, eles vieram e me quebraram, parecia que queriam me f….

 

R7 – Foi você que optou por utilizar a máscara e não mostrar o rosto?
Ricotta – As pessoas confudem um pouco essa história. Na verdade, eu só topei fazer porque não ia botar a cara na TV. A chefe na época, a senhora Lilian Amarante, contou qual era a ideia do personagem, que ele ia ser meio misterioso e só por isso aceitei. Eles também queriam que eu usasse o meu nome, mas eu não quis, porque não sou humorista e estava muito preocupado com minha carreira paralela de músico.

R7 – E quais são seus projetos atualmente? Você pretende voltar para a TV?
Ricotta – Eu estou com um projeto chamado Máquina Berradora, funciona como um duelo. Eu contra um músico local. Viajo sozinho e convido as pessoas que encontro para tocar. Sem ensaio nem preparação. Mas estou dando um tempo e mais para frente quero lançar um disco. Já rolou alguns convites [para trabalhar na TV] em que preferi segurar a onda. Tenho vontade, mas depende muito da proposta.

Piada de Rafinha Bastos sobre morte de Leila Lopes causa indignação

Padrão

Rafinha Bastos, um dos integrantes do programa CQC, da Bandeirantes, teceu via Twitter dois comentários sobre a morte da atriz Leila Lopes, mas talvez fosse melhor não falar nada.

No primeiro tweet, ele fez uma piada de humor negro: “Não condenem o suicídio. Pense: se você fosse a Leila Lopes, o que você faria?”, escreveu o humorista.

Depois da reação de vários twitteiros, que consideraram a piada de extremo mau gosto, ele continuou: “A todos os que se ofenderam com o que eu disse da Leila Lopes: a vida é ótima e suicida tem mais é que se f*”.

A indignação dos leitores foi tanta que alguns começaram uma campanha para bloquear Rafinha Bastos no Twitter. Quando você bloqueia uma pessoa, ela não recebe mais o que você escreve.

 fonte: http://www.folhavitoria.com.br/

Estado de saúde do humorista Chico Anysio é delicado

Padrão

É delicado o estado de saúde de Chico Anysio. O humorista, de 78 anos, que sofre de enfisema pulmonar, deu trabalho à direção da Globo durante a gravação do especial Chico & Amigos, que será exibido no próximo dia 29.
 
Atores como Lima Duarte, Totia Meireles, Alexandre Borges, Antonio Fagundes e Dira Paes se emocionaram durante as gravações no Projac, zona oeste do Rio. Para Carol Castro, o artista surpreende pela vontade de viver. “Ele apresenta cansaço para andar, falar e fazer atividades físicas, mas é um gênio do humor. Apesar das limitações, não perde o rebolado.”
 
Chico & Amigos se passa em um navio, onde o humorista contracena com alguns dos seus principais personagens e também com convidados. O especial de fim de ano também vai relembrar grandes nomes do humor que já faleceram, como Rogério Cardoso.

“Vem, pede nossa grana e aí?”, reclama integrante do “Pânico” sobre Madonna

Padrão

O humorista Evandro Santo, que interpreta o personagem Christian Pior no “Pânico na TV”, desabafou em seu site pessoal sobre a postura de Madonna no Brasil. Fã confesso da cantora, Evandro ainda não conseguiu entender os projetos da popstar em terras brasileiras.

“Amo a Madonna de verdade, desde 1985. Mas, acho uma folga dela não dar uma coletiva sobre os seus projetos sociais. Vem, pede nossa grana e aí?”, indagou o humorista, que disse também:

“Não faz a simpática, (tem) um puta esquema de segurança, que faz sentido, é verdade, mas pô, uma (entrevista) JB, Veja, Folha de São Paulo, algo que pudéssemos entender”, reclamou Santo.

Segundo o colunista Bruno Astuto, Madonna veio ao Brasil para arrecadar US$ 10 milhões para expandir sua ONG “Sucess For Kids” por aqui. O jornalista afirma também que na noite desta quinta-feira (12) a diva tem um jantar agendado na mansão do empresário Eike Batista, que servirá um cardápio francês para 20 convidados, entre eles o Governador Sérgio Cabral com Adriana Ancelmo, o Prefeito Eduardo e Cristiane Paes e até o apresentador Luciano Huck e a mulher Angélica.

 

 Fonte: http://www.folhavitoria.com.br

Danilo Gentili é preso durante reportagem para o CQC

Padrão

O humorista Danilo Gentili comentou há poucos minutos, pelo Twitter, que foi preso enquanto fazia uma matéria para o programa CQC, da Band. Ele contou que foi algemado e ficou quatro horas detido.

Gentili declarou, em entrevista ao portal R7, da Rede Record, que estava disfarçado para realizar uma matéria a respeito da tolerância zero, que tem como base um artigo que considera vadiagem contravenção. O humorista saiu disfarçado de mendigo para ver a reação das pessoas e tentar encontrar alguém que também já tivesse passado por isso. “A policia chegou, me abordou, fui detido e encaminhado para delegacia”, contou.