Arquivo da tag: jovens

Acne tardia

Padrão

É, mas não pense que o fim da puberdade é sinônimo de que a era da acne foi encerrada. Só para se ter uma idéia, nada menos do que 30% da população adulta feminina – principalmente a partir dos 25 anos – sofre com a doença, que pipoca em regiões como rosto, queixo e pescoço, em forma de espinhas bem dolorosas. Existem duas péssimas notícias para quem sofre com elas: uma é que a acne piora bastante no período da TPM; outra é que ela não melhora com tratamentos convencionais e precisa de remédios com ação mais específica sobre os hormônios. Ué, mas por que essa acne resolve aparecer tão tarde? Não existe uma explicação definitiva, mas há palpites de que esteja relacionada ao estresse, ao uso de cosméticos muito gordurosos e, claro, às alterações hormonais. “Algumas mulheres não apresentam predisposição, mas na idade adulta acabam apresentando alguma doença hormonal, como um tumor no ovário ou um ovário policístico, por exemplo. Isso faz com que aumentem os hormônios masculinos, causando o aparecimento de cravos e espinhas”, explica a dermatologista Denise Steiner. O tratamento, nesse caso, pode ser feito com pílulas anticoncepcionais com progesterona, com ação anti-androgênica, ou seja: contra os hormônios masculinos.

Cuidados

Por mais que a gente não resista à tentação de dar aquela cutucadinha nas feridas, a melhor maneira de resolver o drama da acne é comparecendo ao consultório de um dermatologista. “O diagnóstico é clínico e o tratamento é feito de acordo com o grau, a intensidade e o comprometimento da pele pela acne. Só depois disso é que vai ser decidido qual será o método utilizado: antibióticos, medicamentos à base de vitamina A ou somente esfoliantes e secativos”, explica a dermatologista. Para ela, as receitas caseiras não são nem um pouco recomendadas. “Dependendo da substância utilizada, pode até haver piora”, alerta a médica.

Claro que, na guerra contra a acne, algumas coisas podem ser feitas em casa mesmo. A limpeza da pele, por exemplo. Lavar diariamente a região afetada com sabonete neutro ou específico para peles oleosas, por exemplo, já é um grande passo. Quanto mais limpa a pele, menor a possibilidade de agravamento da acne. Outro detalhe que deve ser bem observado é a composição dos cosméticos. É bom dar preferência aos não-gordurosos e, se possível, adotar aqueles que vêm em forma de gel. Assim, os poros não entopem e a sujeira não se acumula, fazendo as bactérias perderem a chance de se instalar na pele.

A surpresa fica por conta do que concerne à alimentação. Ao contrário do que muita gente pensa, ela não parece ter relação direta com a acne. Nem mesmo o chocolate, que vinha sendo apontado há décadas como o grande vilão da história, pode ser considerado culpado. “Não existem alimentos que comprovadamente piorem a acne. E também não é preciso restringir alimentos, porém é sempre bom manter uma dieta equilibrada”, recomenda Denise Steiner. Ou seja: uma vida saudável também pode contribuir – e muito! – para o fim dessa grande inimiga.

Fonte:bolsademulher

O medo de um amor incerto

Padrão

Se existem verdades absolutas neste mundo, uma delas é que todos nós temos medo de sofrer. Assim, ingenuamente tentamos controlar as situações ao nosso redor, como se isso fosse possível…

Obcecados por esse desejo de nos proteger, gastamos nossa energia e nosso tempo tentando controlar os pensamentos, as atitudes e até os sentimentos das pessoas que amamos e que, sobretudo, desejamos que nos amem.

No entanto, não nos damos conta de que a vida se baseia no imprevisível, no incontrolável, no surpreendente! Nenhum sentimento é garantido, nenhuma conseqüência é revelada antecipadamente. O futuro é totalmente incerto. E apesar de tamanha imprevisibilidade, temos em nosso coração toda a possibilidade de conquistarmos o que e quem amamos, o que é muito diferente de controlar, prever ou obter garantias!

Muitas pessoas não conseguem encontrar um amor, não se entregam a uma relação profunda e verdadeira simplesmente porque estão, todo tempo, tentando obter certezas. As perguntas não param de gritar, as dúvidas não têm fim e o medo de se deparar com a dor parece assombrar milhares de corações, impedindo-os de enxergar uma outra possibilidade, tão plausível quanto a de sofrer.

Será que ele me ama? Será que vale a pena perdoar e tentar de novo? Será que ele não vai me trair? Será que não estou sendo idiota? Será que não vou sofrer mais do que se ficar sozinho? Será? Será?…

O que será, eu responderia com muita tranqüilidade, não importa agora! Na verdade, nunca importará! A pergunta correta é: “Eu quero?” Quando aprendermos a responder, com respeito e responsabilidade, essa simples perguntinha, teremos previsto qualquer possibilidade.

Sim, porque o amor é uma chance, uma oportunidade; não uma garantia; nunca uma certeza! Podemos vivê-lo conforme nossa vontade, de acordo com nosso coração ou… passaremos a vida inteira tentando controlar o incontrolável, garantir o incerto!

Jamais teremos como saber se o outro está sendo fiel, se o amor que sentimos é correspondido na mesma medida, se vamos sofrer ou seremos felizes. Jamais saberemos do amanhã ou do outro.

Então, que usemos nossa inteligência, a despeito de todo o medo que isso possa nos fazer sentir. Ou seja, que possamos, de uma vez por todas, abrir mão dessa tentativa inútil de controlar o amor, a vida e o outro e nos concentremos em nós, em nosso coração e em nossos reais objetivos!

Descobriremos que nos ocupar com nossos próprios sentimentos já é trabalho para vida inteira. Descobriremos que agir conforme nossa vontade é o bastante para que nos sintamos preenchidos, embora possamos mesmo vir a sofrer… simplesmente porque o sofrimento é uma possibilidade tão possível quanto a felicidade!

E digo mais: só conseguiremos entrar de fato no coração de alguém, mesmo sem termos certeza disso, quando tivermos a audácia e a coragem de nos entregar ao imprevisível; quando conseguirmos compreender que a segurança é mérito pessoal, interno, sentimento que não se pode ter em relação a ninguém além de nós mesmos.

Portanto, para todas as pessoas que têm me perguntado sobre qual é o “segredo” para viver o amor sem sentir tanta insegurança, tanto ciúme e tanto medo de sofrer, aproveito este momento para responder: o segredo está em saber se você quer, se você realmente quer! Porque se você quiser e fizer por merecer, agindo você com sinceridade, qualquer possibilidade de dor e sofrimento valerá a pena. Porque quando a gente quer de verdade, com o coração, a magia do amor nos faz entender que sofrer faz parte do caminho e, no final das contas, é tudo crescimento, aprendizagem, evolução e, por fim, a tão desejada felicidade.

E não que ela esteja no final do caminho ou no final da vida, simplesmente porque ser feliz é isso: entregar-se ao imprevisível e aceitar a dor e a alegria como partes do amor! E quando penso que essa entrega é realmente difícil, me lembro de uma frase que gosto muito:
“Se o seu problema tem solução, relaxe… ele tem solução.
E se o seu problema não tem solução, relaxe… ele não tem solução!”
É uma frase engraçada, mas muitíssimo sábia. Portanto, quando estiver doendo muito, não resista! Simplesmente relaxe e aceite, pois a resposta virá!

Renata R. Dos Santos.

Jornal On Line para jovens

Padrão

Jovens com idade entre 15 a 18 anos deixam de lado a leitura e trocam pela principal ferramenta de descontração: o computador.

Segundo a pesquisadora Zayra Cristina Lisboa Gomes, estudantes do ensino fundamental ao ensino médio fazem pouco uso da leitura diária em revistas ou jornais, principalmente textos longos.

A idéia do projeto Jornal On Line é atrair o jovem à leitura. Para isso, ela pretende fazer um jornal com notícias variadas, abordando principalmente esportes, política, economia e outros assuintos que os jovens julgam ser as mais complicados.

O jornal terá análises e explicações, com linguagens simples, atrativas, dinâmicas, com charges e infografias. A notícia chegará aos jovens através da ferramenta que eles mais utilizam, o computador.

Será um jornal confeccionado quinzenalmente e oferecido a uma rede de escolas, terá links que irão remeter a textos acadêmicos, que servirão como fonte de pesquisas, levando os jovens a aprofundar mais em seus estudos e desenvolver o gosto pela leitura.
A pesquisadora Andréa Oliveira desenvolve uma pesquisa sobre a Internet como um novo meio que as pessoas se descobem e se relacionam. Fazer novas amizades, iniciar relacionamentos amorosos são exemplos de práticas cada vez mais comuns no ambiente telemático. O objetivo de Andréa é mostrar como as pessoas se comportam neste novo mundo.

Para sua pesquisa, Andréia pretende estudar um site específico que ainda não foi definido e fazer comparações com revistas que até então eram a única forma encontrada pelas pessoas para este tipo de relacionamento.

Um de seus objetivos é mostrar um aspecto positivo, que é como estes sites ajudam pessoas mais tímidas a encontrar amigos ou namorados. Já como um aspecto negativo, ela abordará a solidão que o uso constante da Internet pode causar. As pessoas trocam as companhias por horas acessando sites de relacionamentos.
Em uma comparação, ela pretende demonstrar a linguagem usada pelos sites e a linguagem usada nas revistas. “Em um mundo tão globalizado onde a comunicação é tão abrangente, as pessoas se sentem sozinhas e procuram a Internet como um meio de se aproximar de outras pessoas”, diz ela.

Acne: vergonha na cara

Padrão

Um dia você abre aquele álbum de fotografias da formatura da oitava série e encontra um retrato seu, com um cabelo totalmente fora de moda e aquelas roupas estilo anos oitenta. E aí olha bem para o seu rosto de menina congelado no tempo e percebe que a adolescência estava a pleno vapor: a sua cara está coberta de espinhas. Parece ser uma marca registrada dessa época da vida, pois quando a gente fala em acne, imediatamente lembra da adolescência. E se não foi você, pelo menos boa parte da sua turma teve algum episódio desse problema. Isso acontece porque é uma doença de pele bem comum, que invade rosto, ombros, costas, peito e atinge seu ápice na puberdade. Mas não pense que os adultos estão livres, não: a acne atinge pessoas de qualquer idade, muitas vezes por culpa da hereditariedade e, claro, dos nossos imprevisíveis hormônios.

Mas afinal de contas, o que é exatamente a acne? Bem, trata-se de um conjunto de lesões na pele, causado pela presença dos nada charmosos cravos, espinhas, nódulos, caroços, cicatrizes e comedões (aqueles pontinhos brancos ou pretos). Eles aparecem por causa de disfunções nas glândulas sebáceas – localizadas em uma camada da pele chamada derme -, que começam a produzir muito mais sebo do que deveriam. Isso começa a acontecer a partir da puberdade, com o aumento da produção dos hormônios sexuais masculinos (andrógenos) e femininos (estrógenos). Sendo estimulada por esses hormônios, principalmente os masculinos, as glândulas sebáceas passam a produzir sebo em série ilimitada, deixando a pele um óleo puro.

A maioria desses problemas ocorre porque a quantidade de sebo vai se acumulando no canal da glândula, obstruindo as portas de saída. Se isso se torna freqüente, a excessiva quantidade de sebo atrai bactérias, que encontram ali um local novinho em folha para estabelecer uma família e se reproduzir. E aí, como a presença de bactérias nunca é sinal de notícia boa, elas acabam produzindo substâncias que vão acabar inflamando a pele. As chances de isso acontecer são bem maiores nos locais onde há alto número de glândulas sebáceas, como o rosto, as costas e o peito. Mas calma, nem todo mundo corre o risco de acordar um belo dia com acne. Apesar de todos nós sermos proprietários de glândulas sebáceas, a incidência da doença é determinada pelo tamanho delas e da capacidade que elas têm de produzir sebo. E isso, normalmente, é determinado pela genética. Sim, é isso mesmo: acne pode ser uma doença hereditária. Se seus pais apresentavam o problema, é bem provável que você também vá passar por ele.

Na adolescência, que é a fase mais comum da acne, isso vira um tremendo pesadelo. Afinal de contas, não há como negar que a garotada valoriza muito uma boa aparência para poder se encaixar em algum grupo. Com a cara cheia de acne, por mais que isso seja comum nessa fase da vida, a pessoa acaba mesmo é virando motivo de gozações. Era o que acontecia com a redatora Bianca Carvalho, que conviveu com esse desconforto por anos a fio. “Eu tinha tanta acne no rosto que alguns amigos da escola passaram a me dar apelidos, como “Chokito”, por exemplo. Com a cara daquele jeito, era difícil eu ser paquerada ou arrumar namorado. Uma vez tentei espremer tudo, mas quase morri de dor. Sangrou muito e fiquei com algumas marcas. Levei muito tempo para procurar um dermatologista, mas valeu a pena, porque o tratamento me ajudou bastante. Demorou a dar resultado, mas finalmente eu posso me olhar no espelho e não ter medo da minha cara”, diz ela.

Fonte:bolsademulher

Qual época do mês a mulher está mais afim de sexo

Padrão

O desejo sexual feminino foi e ainda é motivo de grande discussão. Afinal, o que é capaz de despertá-lo ou inibi-lo? Existe alguma época do mês em que a mulher está mais disposta ao sexo?

Ao longo dos anos, diversos estudos tentaram correlacionar o desejo sexual com as fases do ciclo menstrual. Muitos estudiosos afirmam que, por motivos biológicos e evolutivos, a mulher sente mais tesão durante a época da ovulação, exatamente quando sua fertilidade está mais alta e com maiores chances de engravidar, garantindo assim a perpetuação da espécie.

Vários outros fatores influenciam diretamente o desejo feminino, como por exemplo: educação, afetividade, carinho, admiração, ambiente, respeito, cumplicidade, química, amor, novidades e, principalmente, sentir-se amada

Os evolucionistas que me desculpem, mas não é bem assim que a banda toca. Se o desejo sexual da mulher estivesse somente ligado ao seu período fértil, como ficariam aquelas que usam pílulas anticoncepcionais ou qualquer outro método hormonal que inibe a ovulação? Pobrezinhas… condenadas a falta de tesão para todo o sempre, ou pelo menos enquanto estiverem usando hormônios!
Mulheres que sofrem com alterações de humor causadas pela TPM podem sentir menos vontade de fazer sexo durante a época pré-menstrual, quando os sintomas começam a aparecer. Alguns estudos mostram que algumas sentem mais tesão logo após a menstruação e um pouco antes da chegada dela. Nesses estudos não foi observado um aumento do desejo na fase ovulatória (período fértil), contrariamente ao que se imaginava.

Como vocês podem perceber, o tesão não obedece a uma regra! Se fosse assim, seria muito mais fácil… Não dá pra dizer que o desejo sexual da mulher é comandado somente por hormônios ou necessidades evolutivas/biológicas. Diferentemente do homem, que tem a testosterona (hormônio masculino) como a regente absoluta do seu desejo sexual, a orquestra feminina é muito mais complexa. A testosterona tem um papel importante no desejo feminino, mas não é o único e nem o principal.

Vários outros fatores influenciam diretamente o desejo feminino, como por exemplo: educação, afetividade, carinho, admiração, ambiente, respeito, cumplicidade, química, amor, novidades e, principalmente, sentir-se amada e desejada por quem escolhemos como parceiros!

Aí vai um recadinho para os interessados no assunto: para manter o desejo sexual da mulher aceso, independentemente das fases do mês, é necessário caprichar! Em tudo!

Fonte:bolsademulher

Miss Brasil Gay – Revela a beleza

Padrão

Lizandra Brunelly se preparou durante um ano para concorrer ao título de Miss Brasil Gay 2008 e, na terceira vez que participou do evento, conquistou o objetivo. Durante este período, ela tomou alguns cuidados com a alimentação, saúde e beleza.

A miss, que representou o estado de Pernambuco, conta que não gosta muito de malhar. “”Não aprecio esse lance de academia, ficar fazendo exercício em um aparelho. Essas atividades acabam definindo muito os músculos””.

Para manter a silhueta de dar inveja, Lizandra faz caminhadas de, pelo menos, 30 minutos todos os dias e alongamentos. “”Faço um curso e acabo indo à pé e me exercitando””. Ela diz também que bebe muita água ao longo do dia, além de ingerir alimentos mais saudáveis.

“”Adoro verduras. Como muita abobrinha, brócolis, alface, rúcula. Prefiro uma boa salada do que um pedaço de carne””. Para se sustentar em cima daqueles que são os símbolos da exuberância feminina, os saltos altos, a miss come bananas, ricas em potássio.

Ela fez uma dieta dois meses antes e conseguiu emagrecer seis quilos. “”Reduzi a quantidade de comida, os refrigerantes e os chopps no final de semana e tomei também chás diuréticos””.

Até a edição 2009 do Miss Brasil Gay, Lizandra pretende manter-se em forma. “”Quero estar bem durante o reinado””. A Miss afirma que está surpresa com a repercussão de seu nome após a conquista do título.

“”Estou sendo constantemente chamada para realizar entrevistas em diversos veículos. Não é uma grande mudança em nossa vida, mas o evento nos coloca em evidência””. A visibilidade não é só para a personalidade, mas também para o maquiador Luciano Paradella, que dá vida à Lizandra.

Cuidados com a pele

A transformista revela seus cuidados com a pele. Segundo ela, o uso diário do filtro solar é indispensável. O hábito previne o envelhecimento precoce e o câncer de pele. “”Utilizo três vezes por dia. Trabalho com muita luz em cima de mim e é bom para proteger a pele””.

Além disso, ela faz esfoliações três vezes por semana. Para o o desfile, fez aplicações de substâncias que tonificam a pele, deixando-a mais viçosa. Realizou ainda peeling emergencial. No corpo, Lizandra diz usar óleos ou cremes após o banho.
Um belo sorriso faz a diferença

Para encantar os jurados, Lizandra apostou também no carisma e no belo sorriso. Não bastava que os dentes estivessem bem alinhados, pois quanto mais branquinhos melhor.

Ela, que já tinha feito clareamento há dois anos, voltou a realizar o procedimento no início deste ano. Lizandra investiu cerca R$ 60 mil para disputar o Miss Brasil Gay. “”Queria estar perfeito””.

Fonte:acessa.com

O superchocolate-Faz muito bem a saúde

Padrão

Além de saboroso ele contribui para a nossa saúde. Uma notícia ainda mais agradável surge dos pesquisadores da Unicamp: pode estar vindo aí o Superchocolate!

Segundo a engenheira de alimentos Priscila Efraim, da Universidade de Campinas (Unicamp), “as pesquisas sobre os flavonóides no chocolate têm mostrado benefícios como a diminuição do risco de doenças cardiovasculares, diminuição do colesterol e melhoria no sistema imunológico”.

Os flavonóides funcionam como antioxidantes no nosso corpo, combatendo os radicais livres, tão famosos por apressar o nosso envelhecimento e provocar doenças como o câncer.
No chocolate, esses flavonóides tem sua origem no cacau. O problema é que, segundo o estudo da pesquisadora, durante a produção do chocolate, em média 70% dos flavonóides são perdidos devido a reações bioquímicas na fermentação.

Em pouco tempo pode estar disponível no mercado um superchocolate, muito mais rico em flavonóides que os existentes nas prateleiras e ainda mais saudável para a nossa saúde. Isso porque os pesquisadores estão trabalhando no desenvolvimento de novas técnicas de fermentação do chocolate.

Fonte:saudenainternet