Arquivo da tag: leitura

Dan Brown e o Símbolo Perdido

Padrão

To Live in the World without becoming
Aware of the meaning of the World is
Like wandering in a Great Library
Without touching the books

– The Secret Teachings of all Ages

Esta semana está sendo mega hiper corrida, mas só para não deixar passar batido, li hoje o novo livro do Dan Brown, “The Lost Symbol” (tradução “O Símbolo Perdido”) e gostei bastante. Será com certeza leitura obrigatória para os fãs desta coluna.
O livro trata basicamente de algumas lendas maçônicas muito interessantes a respeito de Washington e dos “Pais Fundadores” dos Estados Unidos. No terceiro livro da série, Robert Langdon usa seus conhecimentos sobre simbologia para ajudar o maçom Peter Solomon e sua irmã Katherine a enfrentar o misterioso assassino tatuado Mal´akh.
Não darei nenhum spoiler, apenas comentarei sobre algumas das várias lendas maçônicas que Dan Brown coloca neste livro. Aliás, a pesquisa foi sensacional. Resta aguardar o mimimi dos pseudo-céticos e crentes, como sempre.

A colocação da Pedra Angular do Capitólio
Uma das histórias verídicas a respeito da fundação de Washington foi a de que todos os prédios públicos da capital tiveram a sua pedra angular (ou Pedra de Fundação) colocadas precisamente seguindo datas e horários calculados pelo estudo da Astrologia Hermética. Através de cuidadoso estudo dos mapas astrais, estabeleceram-se as janelas mais propícias para a fundação de cada edifício.


Na imagem acima, George Washington vestindo paramentos completos maçonicos, para não deixar dúvidas de que ele pertencia a esta sublime ordem iniciática.

Por exemplo, o Capitólio, marco zero da fundação da cidade, foi iniciado precisamente no dia 18 de Setembro de 1793, entre 11h15 e 12h30. Por quê desta data?

Analisando o Mapa Astral, temos Sol, Mercúrio e a Caput Draconis no signo de Virgem e Vênus, Marte e Urano em Leão, uma combinação ideal para um local onde seria exigido trabalho duro e ao mesmo tempo a liderança do País. Saturno em touro para reforçar a responsabilidade nos gastos e Júpiter em escorpião, para facilitar as relações diplomáticas. De curiosidade, fucei em várias datas e combinações em 1793 e não encontrei nenhuma que considerasse mais propícia do que esta. Os “Founding Fathers” estão de parabéns!
Como já coloquei diversas vezes no meu blog, a escolha de datas astrológicas especiais para a realização de eventos e consagrações importantes pode afetar, e muito, o resultado destes eventos.

The Apotheosis of Washington e Constantino Brumidi
Constantino Brumidi, nascido em 1805, foi um artista italiano, membro da maçonaria e responsável por muitos dos mais importantes afrescos do Capitólio, incluindo sua obra mais notável, a Apoteose de Washington, no qual retrata a Ascenção de George Washington aos céus. Este afresco é dividido em seis partes, nas quais mistura elementos da mitologia grega com personalidades americanas:

Guerra: personificada na deusa grega Colúmbia, fica logo abaixo da figura de Washington, representada em posição de combate e vestindo os símbolos maçônicos da capa, espada, o capacete e o escudo (os fãs de quadrinhos vão notar que o escudo original do Capitão América é uma homenagem ao design DESTE escudo), combatendo as figuras representativas da vilania. Auxiliando Colúmbia está a Águia Careca carregando flechas e relâmpagos, como seria representada na bandeira americana.
Ciência: personificada na deusa Minerva, que está auxiliando Benjamin Franklin, Samuel Morse e Robert Fulton a montar um gerador elétrico. À esquerda, o uso do esquadro e o compasso.
Marinha: personificada pelo deus Netuno, empunhando um tridente e montado em sua carruagem de conchas, e Vênus, auxiliando os americanos a instalar o primeiro cabo telegráfico submarino. Ninguém vai duvidar do quanto Poseidon ajuda a Marinha americana, certo?
Comércio: personificado pelo deus Mercúrio, com suas sandálias aladas e o caduceu, entregando um saco de ouro para Robert Morris (um dos financiadores da Revolução Americana).
Mecânica: representado pelo deus Vulcano, que auxilia os americanos a preparar um canhão e um Ironclad (um tipo de barco de guerra). Ao fundo, o maçom Charles Thomas, construtor responsável pelas estruturas metálicas na construção do Capitólio.
Agricultura: representada pela deusa Ceres, com um feixe de trigo e uma cornucópia, símbolos conhecidos no ocultismo, sentada em uma colheitadeira McCormick. Também podemos ver a deusa Flora ao fundo, colhendo flores…

George Washington representando Zeus
Esta é uma estátua muito famosa, esculpida por Horacio Geenough em 1840, representando Washington desnudo, na posição tradicional de Zeus. Muitos religiosos toscos acusaram os maçons de terem feito a estátua na mesma posição do Baphomet. A verdade é que o Baphomet é que TAMBÉM foi desenhado inspirado na posição tradicional de Zeus.
De qualquer forma, depois de inúmeros protestos, em 1908 a estátua acabou sendo movida para o Museu Smithsorian e, em 1964, para o Museu de História e Tecnologia, onde está até hoje.
Claro que manter uma estátua de Washington na posição clássica de ZEUS no meio do Capitólio em um país dominado pelos seguidores de Jesus não faz sentido. Seria quase tão absurdo quanto, por exemplo, se a imagem que todos veneram na Basílica de Aparecida não fosse a de Nossa Senhora, como todos acreditam, mas de Maria Madalena.

A Palavra “MASON” escrita na nota de um dólar.
A imagem fala por si mesma. Se você pegar uma caneta e desenhar o Símbolo de Salomão em uma nota de um dólar, as pontas da estrela formarão a palavra “Mason” (maçom) e a parte de cima fará o topo da Pirâmide. Eu já ouvi da boca de um cético bem famoso que “isso é muito provavelmente apenas uma coincidência”. Então tá, né?

.’.

Melencolie, de Albrecht Durer
Uma das imagens que representa o temperamento Melancólico, carregado de simbolismo alquímico. Para o livro, o que importa é o Kamea de Júpiter, que Durer coloca no canto superior direito da imagem.

Um Kamea é um quadrado mágico dividido em NxN casas, onde N é o número associado na Kabbalah com cada um dos planetas. Assim sendo, Saturno possui um Kamea de 3×3 (tipo um Sudoku), Júpiter um Kamea de 4×4, Marte um kamea de 5×5, Sol 6×6, Vênus 7×7, Mercúrio 8×8 e Lua 9×9.
Cada Kamea é preenchido com números de 1 até o valor máximo do Kamea (9, 16, 25, 36, 49, 64 ou 81) onde a soma de todos os números em cada linha ou coluna sempre é igual. Em um dos meus posts antigos eu expliquei a ligação do Kamea do Sol com o famigerado 666.
A curiosidade é que Durer organizou o Kamea de Júpiter para que os números 15 e 14 ficassem na parte inferior-central do quadrado, formando o ano em que ele fez a ilustração (1514).

O Livro traz muitas outras referências bacanas sobre a cidade de Washington, sobre Benjamin Franklin, sobre os rituais maçônicos (mas não espere nenhum segredo revelado) e especialmente sobre o ídolo e patrono dos cientistas, sir Alquimista Mestre Maçom e Rosacruz Isaac Newton… e muita coisa que eu já disse aqui nas Colunas, devendo impressionar a maioria dos leitores, mas nem tanto os leitores do Teoria da Conspiração. A previsão de lançamento em português é para o começo de dezembro. Quem sabe o povo da Sextante não se anima de fazer uma promoção com o TdC?

 

 Fonte: http://www.sedentario.org/

Cartas de amor do profeta

Padrão

Esse é o trecho de um livro muito interessante que acabei de ler e me senti na obrigação de compartilhar com todos vocês aqui…e dou um conselho, leiam porquê esse livro fez com que eu mudasse minha forma de ver muitas coisas.

O título do livro é: Cartas de amor do profeta

Kahlil Gibran, adaptãção de Paulo Coelho

“A vida é a visão do infinito, de todas as possibilidades e realizações que o amor pode trazer.
Entretanto, as pessoas parecem tão pequenas diante dessa simples verdade, e isso me afasta delas.
A vida é tão generosa, e o homem é mesquinho.Parece que existe um abismo entre a vida e o ser humano e , para atravessar esse abismo, é preciso ter coragem de tocar a própria alma,e mudar sua direção.”

Esse é o meu presente para o dia do Amigo comemorado hoje…para todos os meus amigos!

 Renata Ramone

Jornal On Line para jovens

Padrão

Jovens com idade entre 15 a 18 anos deixam de lado a leitura e trocam pela principal ferramenta de descontração: o computador.

Segundo a pesquisadora Zayra Cristina Lisboa Gomes, estudantes do ensino fundamental ao ensino médio fazem pouco uso da leitura diária em revistas ou jornais, principalmente textos longos.

A idéia do projeto Jornal On Line é atrair o jovem à leitura. Para isso, ela pretende fazer um jornal com notícias variadas, abordando principalmente esportes, política, economia e outros assuintos que os jovens julgam ser as mais complicados.

O jornal terá análises e explicações, com linguagens simples, atrativas, dinâmicas, com charges e infografias. A notícia chegará aos jovens através da ferramenta que eles mais utilizam, o computador.

Será um jornal confeccionado quinzenalmente e oferecido a uma rede de escolas, terá links que irão remeter a textos acadêmicos, que servirão como fonte de pesquisas, levando os jovens a aprofundar mais em seus estudos e desenvolver o gosto pela leitura.
A pesquisadora Andréa Oliveira desenvolve uma pesquisa sobre a Internet como um novo meio que as pessoas se descobem e se relacionam. Fazer novas amizades, iniciar relacionamentos amorosos são exemplos de práticas cada vez mais comuns no ambiente telemático. O objetivo de Andréa é mostrar como as pessoas se comportam neste novo mundo.

Para sua pesquisa, Andréia pretende estudar um site específico que ainda não foi definido e fazer comparações com revistas que até então eram a única forma encontrada pelas pessoas para este tipo de relacionamento.

Um de seus objetivos é mostrar um aspecto positivo, que é como estes sites ajudam pessoas mais tímidas a encontrar amigos ou namorados. Já como um aspecto negativo, ela abordará a solidão que o uso constante da Internet pode causar. As pessoas trocam as companhias por horas acessando sites de relacionamentos.
Em uma comparação, ela pretende demonstrar a linguagem usada pelos sites e a linguagem usada nas revistas. “Em um mundo tão globalizado onde a comunicação é tão abrangente, as pessoas se sentem sozinhas e procuram a Internet como um meio de se aproximar de outras pessoas”, diz ela.