Arquivo da tag: mundo

Uma aldeia global não harmoniosa e em crise constante

Padrão
Crise
Crise

 Em 16 de setembro de 1999, a Folha de São Paulo publicou o relatório do Banco Mundial (BIRD) que nos mostra o panorama do mundo no final do século XX. O número de pessoas que vivem com menos de 1 dólar por dia passou de 1,2 bilhão em 1987 para 1,5 bilhão de seres humanos. Em dois anos, portanto, tivemos um aumento da pobreza no mundo em 25%. Esse relato deveria nos preocupar, pois é, de fato, assustador. É a indicação de que há uma violência que gera novas violências que vão tomando conta do mundo quase que numa dimensão geométrica. Há uma desarmonia nessa ordem de mercado global, focada na ordem econômica que discursa sobre a prosperidade e seus resultados, evitando demonstrar como se procede a distribuição da riqueza. A receita neoliberal ganhou espaços no mundo a partir de 1980. A grande parcela dos países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil, buscaram reestruturar suas políticas dentro dos três princípios das políticas neoliberais: abertura de mercado, a construção do Estado mínimo (reduzir o papel do Estado na administração da coisa pública) e o estímulo à entrada de investimentos externos. Se essa tendência persistir, segundo o Banco Mundial, teremos 1,9 bilhão de seres humanos, inseridos dentro desses dados estatísticos no ano de 2015.

Outro dado do relatório publicado pelo jornal Folha de São Paulo que chamou minha atenção foi o da situação geográfica mundial sobre o aumento do número de seres humanos que de 1987 a 1999, vivem com menos de 1 dólar por dia nas regiões e continentes do mundo. Observemos com atenção:

Dos 4,4 bilhões de seres humanos, habitantes dos países em vias de desenvolvimento:

– 60% não têm acesso à estrutura de saneamento básico.

– Um terço não consome água tratada.

– 25% não possuem moradia decente.

– 20% não têm acesso a tratamento médico.

– 20% das crianças não completam a escolaridade básicas de 4 ou 5 anos .

– 20% das crianças não se alimentam o necessário para desenvolver-se dentro dos padrões básicos de recebimento dos nutrientes para uma boa saúde.

O relatório ainda mostra que o Banco Mundial possuía um estoque de poupança global da ordem de US$ 13,7 trilhões no ano de 2000. Esse dinheiro, em tese, está a disposição dos países de economia em desenvolvimento e que possam mostrar projetos que dêem retorno atraente de investimentos. As demais nações empobrecidas acabam ficando fora dos projetos de investimentos por parte do Banco Mundial. Prevalece a concepção de uma política concentradora. O foco do mercado e dos resultados é que vai delinear os investimentos de poupança global, sob controle do Banco Mundial.

Outras referências que podem nos ajudar a compreender o mundo contemporâneo são os dados apontados pelo BIRD no jornal “O Estado de São Paulo” em 16 de setembro de 1999 sobre a questão urbana. “Em 1975, menos da metade (38%) da população mundial vivia em centros urbanos. Em 2025, pelas previsões do Banco mundial, quase dois terços dos habitantes do planeta (59%) estarão morando em cidades – a maior parte deles (90%) em países em desenvolvimento, sem recursos suficientes para montar uma infra-estrutura adequada” (Estado de São Paulo, 16/09/1999). Com o crescimento urbano numa ordem de exclusão, a violência é a primeira conseqüência, pois, a apartação social é geradora de violência por si mesma.

A cidade tornou-se um local importante para ser discutida na economia global. No lugar do global é preciso ver, também, o local que é a cidade: o lugar onde as pessoas vivem, moram e, muitas vezes sofrem como também se alegram. Em tempos de um processo eleitoral, essas questões nos ajudam a pensar sobre a importância daqueles que se colocam a serviço da população para representá-la nas decisões do município e em políticas pública. E, por isso mesmo, cabem algumas perguntas: Qual é o programa político para a cidade dos candidatos que se apresentam como prestadores de serviço para o município? Há interesses coletivos em suas propostas? Seus discursos são coerentes e pautados por projetos viáveis?

Renata

Homem dá luz à uma menina nos EUA

Padrão

      

Thomas Beattie, que nasceu mulher, mas depois de cirurgia e tratamento hormonal passou a viver como homem, deu a luz a uma menina em um hospital do Oregon, nos EUA, segundo a revista People. 

Thomas, 34, manteve os órgãos reprodutivos quando se tornou legalmente um homem, há dez anos. Ele mesmo confirmou o nascimento da criança.

O bebê foi concebido através de inseminação artificial utilizando o esperma de um doador e os óvulos do próprio Thomas. A menina nasceu saudável no dia 29 de junho. “A única coisa diferente sobre mim é que não posso amamentar meu bebê. Mas muitas mulheres não podem”, Thomas disse à revista People. Ele removeu suas mamas cirurgicamente. Segundo ele, o bebê não nasceu de cesariana, como afirmava a mídia.

Quando ele decidiu ter um bebê, dois anos atrás, parou com os hormônios masculinos mensais e voltou a menstruar.

Nancy, sua esposa de 46 anos, com quem ele casou-se cinco anos atrás, não pode engravidar por causa de uma histerectomia. De outra maneira “eu não estaria fazendo isso”. Sua esposa tem duas filhas grandes de um casamento anterior.

Nancy disse no The Oprah Winfrey Show que os papéis paternais serão bem tradicionais. “Ele será o pai e seu serei a mãe”, ela disse. [Fonte]

UFO: Arquivos ultra-secretos são abertos ao público

Padrão

 

O Ministério da Defesa do Reino Unido tirou a classificação de ultra-secretos de vários arquivos das últimas décadas onde ouve encontros de UFOs com aeronaves. Em um dos arquivos ultra-secretos um caça Sabre da USAF (United States Air Force) recebeu ordem para atirar contra um objeto voador não identificado no espaço aéreo britânico. Infelizmente (ou felizmente) o tenente Milton Torres perdeu contato com o OVNI (UFO na sigla em inglês) ao deixar a cena a 16 mil km/h. De acordo com o piloto o OVNI tinha proporções de um porta-aviões. [A foto de OVNI acima é apenas uma montagem feita pela edição para ilustrar a matéria.]

“O blip (sinal do radar) estava queimando um buraco no radar com sua incrível intensidade. Era similar a um blip que havia recebido de [aeronaves] B52 e parecia um imã de luz. Tinha as proporções de porta-aviões”, disse Milton.

De acordo com o Ministério de Defesa o fato ocorreu em Norwich em 1957. O piloto de 26 anos havia decolado junto com seu da base da Força Aérea Real em Kent. Mas algo estranho havia ocorrido: Ele recebeu ordens para derrubar o OVNI antes de que as naves houvessem se encontrado para interceptação, algo que nunca havia ocorrido antes.

“Eu nunca esquecerei disso e pelos últimos 50 anos eu espero por uma explicação, mas nunca existiu uma. Uma noite eu recebi ordens para abrir fogo mesmo antes de decolar. Isso nunca havia acontecido antes. Eu estava pronto para abrir fogo à vontade com 24 foguetes: teria sido como um tiro de fragmentos de uma escopeta. Eu pedi por confirmação da ordem para atirar e a recebi.”

Para que as coisas focassem ainda mais estranhas, Milton, hoje com 77 anos, disse que recebeu no dia seguinte a visita de um estadunidense. O homem que vestia uma capa de chuva mostrou seu distintivo e disse ser na National Security Agency (Agência de Segurança Nacional). Ele disse que o que ocorreu no dia anterior deveria ser mantido em total segredo.

Especialistas em OVNIs disseram que, enquanto tudo isso pode ser explicado pela existência do Project Palladium (experimentos que a CIA conduziu nesta época para criar leituras de radar falsas na União Soviética), isso não explica porque os pilotos receberam ordem para atirar todo o armamento carregado pela aeronave, porque o blip apareceu no espaço aéreo britânico ou ainda porque o piloto viu um OVNI.

Não há relatos oficiais de OVNIs no Brasil tão interessantes e detalhados.

Há ainda outro caso interessante nos arquivos secretos: O registro de um fato onde quase ocorreu uma colisão a 22 mil pés de altura (6,7 km), 17 anos atrás. No vôo AZ 284, da Alitalia, um OVNI quase colidiu com a aeronave comercial enquanto se aproximada do aeroporto de Heathrow. Felizmente nada aconteceu, pois o objeto desapareceu completamente pouco antes do impacto. [The Age and BBC]

Homem tenta pagar com maconha pedido feito no McDonald’s

Padrão

 

Um homem tentou pagar com maconha um pedido feito em um McDonald’s da Flórida, nos Estados Unidos, informou nesta segunda-feira (13) a edição digital do jornal “Sun-Sentinel”.

Shawn Alexander Pannullo, de 27 anos, pediu comida no McDonald’s de Vero Beach, no centro do estado, na madrugada de segunda-feira, e quis que o caixa aceitasse a droga como pagamento, segundo o relatório policial.

O caixa ligou para o serviço de emergência 911 para notificar o ocorrido e forneceu uma descrição do veículo dirigido por Pannullo. Com esta informação, um agente policial localizou o automóvel e, após inspecioná-lo, descobriu a maconha.

Pannullo enfrenta uma acusação de posse de maconha e foi obrigado a pagar US$ 500 de fiança para ser solto. O relatório policial, de acordo com o “Sun-Sentinel”, não especificou o pedido do acusado, nem se esse depois pagou-o com dinheiro.

 

 Fonte:tudoagora

ONU: países pobres crescem, mas pobreza aumenta

Padrão

 

O crescimento econômico dos 50 países menos avançados foi o maior dos últimos 30 anos, mas o número de pobres continua aumentando, indicou nesta quinta-feira a Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad).

As taxas de crescimento foram superiores ou iguais a 7% no conjunto de países menos avançados em 2005-2006, segundo o relatório deste ano da Unctad sobre os Países Menos Avançados (PMA).

O crescimento das exportações foi particularmente forte nos países exportadores de petróleo (Angola, Guiné Equatorial, Sudão, Chade, Timor-Leste e Iêmen) e minerais (Zâmbia, República democrática do Congo, Moçambique, Guiné, Mali e Mauritânia).

“Estas exportações representam 76% das exportações totais dos países menos avançados”, ressaltou à imprensa Supachai Panitchpakdi, secretário geral da Unctad.

A fatia das matérias-primas nas exportações desses países, (33 africanos, dez asiáticos, cinco do pacífico e um do Caribe) passou de 59% em 2004 para 77% em 2006.

Segundo a organização, 581 milhões de pessoas de uma população total de 767 milhões viveram com uma renda inferior a US$ 2 por dia em 2005.

Como em inúmeros países os pobres dedicam de 70% a 80% de suas rendas à alimentação, a recente alta drástica dos preços dos alimentos pode anular os avanços obtidos, segundo a Unctad.

A organização manifestou ainda sua preocupação com a dependência cada vez maior dos países menos avançados das exportações de alguns produtos pouco elaborados, o que os torna vulneráveis em caso de turbulências na conjuntura.

Os PMA vêm registrando também uma dependência das fontes externas de financiamento, em particular da ajuda pública ao desenvolvimento, e mobilizam menos seus recursos internos, frisou o relatório.

 Fonte:portalaz

Crise nos EUA: entenda quando começou e como nos afeta

Padrão

Os primeiros sinais da atual crise financeira mundial surgiram em 2004, quando devido a alta dos juros nos Estados Unidos, houve um aumento da inadimplência no mercado imobiliário americano. Esta crise no mercado imobiliário está diretamente relacionada com a inadimplência em empréstimos do tipo subprime (crédito de risco hipotecário), que se alastrou para várias instituições financeiras que quebraram.

 

O resultado foi que, com a falência destas instituições, houve uma crise de confiança no mercado e os bancos congelaram os empréstimos para evitar calotes.

 

A crise no setor imobiliário norte-americano prosseguiu pelos anos seguintes com perdas significativas em título ligados a hipotecas. Mas o momento mais agudo ainda estaria por vir. No início de setembro, as empresas hipotecárias americanas Fannie Mae e Freddie Mac revelaram que poderiam quebrar e receberam uma ajuda financeira do Tesouro Americano, que procurava contornar a situação.

 

Em seguida, o banco Lehman Brothers, que não obteve a ajuda do governo norte-americano pediu concordata. A venda do Merrill Lynch ao Bank of America, a ajuda bilionária à seguradora AIG, e a venda do Wachovia ao Citigroup, completaram o quadro de agravamento da crise. Quedas expressivas no mercado financeiro mundial e no índica Dow-Jones revelaram a gravidade da situação do sistema financeiro.

 

O presidente George W. Bush reconheceu que sem uma ajuda do Tesouro Americano, seria impossível debelar os efeitos nocivos da crise. Mas a rejeição pelo Congresso norte-americano do pacote de US$ 700 bilhões parecia mostrar que a solução não iria ser tão simples. Mesmo com a aprovação da ajuda, após apelos do presidente Bush e dos candidatos à presidência dos Estados Unidos, as perdas nos mercados financeiros mundiais prosseguem. E o mundo se pergunta: aonde nos levará esta crise?

 

Esta crise nos afeta?

Apesar do presidente Lula dizer que os fundamentos da economia brasileira estão sólidos e que a crise norte-americana é um problema de George W. Bush, na verdade, a crise pode nos atingir.

 

A dificuldade de se obter dinheiro, uma das marcas desta crise de confiança, pode fazer com que empresas e bancos não consigam captar recursos através de empréstimos no exterior. Com menos linha de crédito, algumas empresas podem diminuir a produção e novas contratações, o poderia diminuir o ritmo da economia e aumentar o desemprego.

 

Outro efeito pode ser uma diminuição dos empréstimos para pessoa física, o enfraquecimento das exportações e o aumento da inflação e a redução do poder de compra com a alta do dólar.

 Fonte:yahoonoticia

Campanha por meio dos blogs contra a POBREZA!

Padrão

Quarta-feira da semana que vem é dia de os blogs se engajarem em torno de um único assunto: a pobreza.

A campanha é divulgada por meio do Blog Action Day, que convoca blogueiros de todo o mundo a publicarem textos, vídeos, sons e fotos que estejam relacionados ao tema.

O objetivo é que surjam idéias que possam ser concretizadas em um futuro próximo.

No ano passado, 20 mil blogs participaram da campanha. Há cinco dias do evento virtual, o contador registra 7.232 sites cadastrados até as 18h desta sexta-feira.

Os blogs que participarem não devem mudar suas linhas editoriais, segundo recomendação do Blog Action Day: assim, se você fala de tecnologia, tente abordar a pobreza sob esse ponto de vista.

Clique aqui para ver dicas de como abordar a pobreza com base em diversos temas: esporte, política, saúde, etc.

Outra sugestão é que a renda obtida neste dia com os anúncios seja doada a entidades carentes escolhidas pelo próprio blogueiro.

Quem quiser participar deverá fazer seu cadastro no site do projeto.