Arquivo da tag: organismo

Gravidez: 5 dicas para voltar à boa forma após o parto

Padrão
Voltar ao peso ideal logo após o parto é o desejo de toda mãe. Dietas, exercícios e plásticas são algumas opções para remodelar o corpo, mas é preciso respeitar as alterações características do período. “Sugiro não ter pressa. O pós-parto é uma fase de acomodação para o organismo da mãe, que sofreu alterações importantes, especialmente na região abdominal” A seguir, confira nossas sugestões para eliminar a flacidez e os quilos extras da gestação.

  • 1
    Dieta
    Fazer uma dieta rigorosa nessa fase pode ser perigoso, já que o leite deve ser o alimento exclusivo do bebê até os 6 meses de idade. “Os nutrientes ingeridos pela mãe passam para o bebê através do leite, por isso é necessário continuar controlando a alimentação, assim como na gravidez. Sugiro ingerir bastante água e seguir um cardápio balanceado, mas sem radicalismos, que podem prejudicar o desenvolvimento do bebê. Vale lembrar que o excesso de certos alimentos pode provocar reações na criança. Grãos como feijão, soja e grão de bico devem ser ingeridos com moderação, já que fermentam, dão gases e o bebê poderá sentir cólicas”

  • 2
    Exercícios físicos
    Para não ganhar muito peso, o ideal é praticar exercícios regulares durante toda a gravidez. Após o nascimento do bebê, alguns cuidados devem ser tomados. “Independentemente do parto, é preciso aguardar seis semanas para voltar a praticar exercícios físicos, começando com atividades de intensidade leve a moderada. Os músculos do abdômen, assoalho pélvico e costas precisam de atenção especial, já que foram muito exigidos durante a gravidez. Caminhadas, exercícios na água e yoga são boas opções. É importante lembrar que amamentar o bebê também ajuda a eliminar os quilos extras”

  • 3
    Lipoaspiração
    O cirurgião plástico Rogério Gomes explica que a lipoaspiração é o procedimento mais realizado por mulheres que querem eliminar a gordura, mas ele ressalta que é preciso aguardar seis meses após o parto. Para ele, a chamada hidrolipo é o método mais seguro: “O procedimento permite retirada de volumes maiores de forma segura, diminui o sangramento, dor, gera menos hematomas e permite retorno precoce às atividades regulares. Geralmente, é possível ter vida normal em 5 ou 10 dias. Quando a flacidez é maior, com excesso de pele, indico uma lipoabdominoplastia, procedimento em que a gordura é aspirada através da lipo e as formas são redesenhadas com cirurgia plástica”

  • 4
    Tratamentos estéticos
    Procedimentos estéticos modernos podem ser bons aliados para a perda de medidas e a redução da flacidez no pós-parto. O dermatologista Jardis Volpe explica que os mais modernos são o V3 Contour, que usa um sistema de ultrassom guiado por software específico, o Venus, que utiliza radiofrequência, além do Coolsculpting e Proshock Ice, que reduzem a gordura localizada através do processo de resfriamento da pele. “Em geral, é preciso aguardar 30 dias após o nascimento do bebê para submeter-se aos tratamentos. O ideal é começar durante o período de amamentação. Os aparelhos são seguros e nessa fase ainda há liberação do hormônio prolactina, que estimula a produção de leite e também ajuda na perda de peso”

  • 5
    Cirurgia Plástica
    De acordo com o cirurgião plástico André Colaneri, abdômen e seios são as partes do corpo que as mulheres costumam retocar após a gravidez. Para o sucesso de intervenções cirúrgicas nessas regiões, o médico recomenda calma. “Logo após o parto a mulher encontra-se acima do peso, com flacidez dos músculos, inchada e o bebê precisa de atenção exclusiva. Nesse período, os riscos de infecções e trombose também são maiores. Recomendo aguardar 6 meses, para que os músculos retomem o tônus e o peso retorne ao que era antes da gestação. O resultado é melhor e a cirurgia muito mais segura”, recomenda o médico. Ele explica que os seios podem ser levantados, aumentados ou diminuídos. O médico recomenda a abdominoplastia para eliminação da flacidez do abdômen.

Alimentos Desintoxicantes

Padrão

A desintoxicação consiste no processo de eliminação dos excessos e das toxinas acumuladas no organismo.

Essas toxinas são substâncias nocivas encontradas em aditivos, conservantes, corantes, adoçantes ou mesmo na poluição. Se por um lado, a alimentação pode causar intoxicação, por outro lado, existem alimentos como frutas e grãos, que ajudam a desintoxicar o organismo de forma natural e saudável.

Veja alguns exemplos de alimentos que auxiliam na desintoxicação:

Arroz integral

Rico em fibras, o arroz integral faz o intestino funcionar melhor e favorece a eliminação de toxinas, mantendo a pele saudável.

Maçã

A maçã é rica em fibras, ãque funcionam como esponja dentro das artérias limpando o sangue do colesterol. É recomendada nas afecções de estômago, bexiga e rins. Antiácidas, ativam o fígado e dissolvem o ácido úrico, que retém líquidos no organismo.

Gengibre

O gengibre estimula a digestão, alivia a constipação intestinal e ativa o metabolismo. Contém quantidades pequenas de vitamina C, cálcio, potássio, ferro, fósforo e magnésio. É rico em fibras e é usado como um alimento digestivo e refrescante.

Laranja

A laranja tem ação desintoxicante e auxilia o funcionamento intestinal, principalmente quando ingerida com o bagaço.

Hortelã

A hortelã é uma erva rica em vitaminas A,B e C, minerais (cálcio, fósforo, ferro e potássio), que exercem ação tônica e estimulante sobre o aparelho digestivo.

Por uma vida mais saudável

Padrão

Em primeiro lugar, descarte qualquer doença que possa ser responsável pela sua falta de energia. Aqui vão algumas dicas para ajudá-lo a sentir-se como aquele cara simpático da propaganda da DPaschoal!

  • Durma: Durma a quantidade adequada de horas todas as noites. Embora varie de pessoa para pessoa, tente dormir pelo menos 7 ou 8 horas por noite. Além disso, dependendo de cada indivíduo, pequenos cochilos podem renová-lo ou deixá-lo ainda mais cansado. No último caso, adicione o tempo do cochilo ao sono noturno, de modo que você acorde mais descansado.
  • Pratique exercícios: Pratique atividade física regularmente, pelo menos 3 ou 4 vezes por semana, de preferência 30 minutos por dia , Se você não pratica exercícios, no começo eles fazem você sentir-se cansado. Mas o organismo se ajusta e passa a sentir-se revigorado. Procure realizar exercícios em áreas externas, não apenas para escapar um pouco do ambiente das academias, mas também para respirar ar puro e pegar um sol, que podem deixá-lo mais disposto (e tornar a atividade física mais agradável).
    • Coma: Consuma calorias suficientes de alimentos saudáveis e variados. Acrescente frutas e verduras frescas à dieta, e coma mais carboidratos complexos, responsáveis pelo fornecimento de mais energia. Procure comer poucos carboidratos simples (o açúcar encontrado em balas, por exemplo), que fornecem uma grande quantidade de energia num período curto, mas logo deixam você cansado novamente (pela hipoglicemia subseqüente).
    • Faça meditação: Uma das vantagens mais freqüentemente citadas pelos que fazem meditação é o aumento de energia. A melhor qualidade do sono e capacidade de concentração certamente contribuem. Em geral, a meditação é praticada por períodos de 10 a 20 minutos, uma ou duas vezes por dia, sendo de fácil aprendizagem. Existem vários livros e fitas que fornecem instruções sobre a meditação – você pode achá-los na maioria das livrarias, nas seções de auto-ajuda e medicina alternativa.
    • Desfrute de si mesmo!: Deixe os seus amigos e familiares saberem que você precisa de mais energia, de modo que eles possam motivá-lo a tornar-se mais ativo. O incentivo e a ajuda deles ajudarão você a seguir o seu programa de revitalização. Além disso, ficar preocupado pode deixá-lo estressado (do ponto de vista físico e mental). Em vez disso, procure fazer coisas agradáveis. Lembre-se: Não há nada que não possa ser resolvido depois de uma boa noite de sono! Divirta-se enquanto melhora a disposição física e emocional, ajudando a levantar o espírito.

    Carpe diem (aproveite cada momento)!

Conheça uma simpatia para acalmar crises de asma e os benefícios da beterraba

Padrão

É fato que quando os problemas aparecem em nossas vidas, nossas forças se enfraquecem, o desânimo toma conta e as esperanças e os sonhos ficam difíceis de serem alcançados. É claro que nem todos acreditam na força e no poder e no poder da fé, isso é normal.

Com os sonhos e as simpatias acontecem a mesma coisa, porém, acredito que podemos modificar o rumo de alguma coisa que não vai bem. A simpatia é com certeza um instrumento para você imantar, magnetizar um desejo, e por meio do poder da vontade, do pensamento e da fé, conseguir realizá-lo. Tentar a sorte, prosperar ser feliz na vida com certeza é o sonho de todos nós, portanto vale a pena insistir sempre nem que seja através das simpatias.

Para acalmar crises de asma

Faça um furo no centro da porta de entrada da casa do asmático. Em seguida pegue um prego novo, enrole fios de cabelo da pessoa doente no prego. Bata o prego no furo da porta até que a cabeça do prego desapareça no furo. É só aguardar.

Simpatia para o intestino funcionar bem

Primeiro é bom verificar a causas que podem ser psicológica, patológica, etc. Segundo alguns estudiosos as pessoas sovinas, “pão duras” normalmente tem o intestino preso. Se já foi ao médico e não é sovina, facão seguinte: Parta uma laranja em cruz, e coma com o bagaço antes do café da manhã. A casca deixe secar por dois dias. Em seguida faça um chá com a casca seca e tome meia xícara deste chá após as refeições.

Beterraba (beta vulgaris)

É uma planta doce e saborosa, que se extrai açúcar semelhante ao da cana.

Segundo “Dr. A. Balbach’ do livro as hortaliças na medicina doméstica”, mais de um terço da produção mundial de açúcar é proveniente da beterraba, e o restante da cana.

Composição química: Vitaminas A, B1 (Tiamina), B2 (Riboflavina), B5 (Niacina), vitamina C (Ácido ascórbico). E cada cem gramas de beterraba são encontrados os sais: Potássio, sódio, fósforo, cálcio, zinco, ferro e manganês.

Por seu elevado número de sais, açucares e minerais a torna um alimento rico em propriedades medicinais. O seu consumo é preventivo de anemia, melhorando o sistema digestivo e sensação de peso no estômago. As folhas da beterraba contêm mais ferro do que o próprio vegetal. Devem-se consumir estas folhas em sopas ou refogados.

O suco é tônico, refrescante e diurético, excelente para as vias urinárias. Dr. A. Balbach em seu livro recomenda para os que sofrem dos rins ou das vias urinárias a beterraba com a cebola. Para os que têm problemas urinários, ferver uma beterraba, e tomar três cálices do caldo por dia.

Além das indicações acima, o suco da beterraba é bom para combater artrite, reumatismo, fortalecer tendões e promover o aumento da resistência orgânica.

Dica para combater anemia: “pegue meia beterraba descascada, uma cenoura, três laranjas e meio copo de água”. Bata no liquidificador e tome um copo pela manhã, após o café. Consumir laranja com beterraba aumenta a absorção do ferro.

Beterraba, maçã e cenoura é também um excelente suco, aumenta a resistência do organismo, além de ser muito saboroso.

Azeite evita ataques de gula

Padrão

No intestino, um dos componentes do azeite se transforma em hormônio capaz de barra a fome.

A notícia acaba de sair na publicação científica Cell Metabolism. Segundo cientistas da Universidade Sapienza de Roma, na Itália, e das universidades Yeshiva e da Califórnia, ambas nos Estados Unidos, um dos principais componentes do azeite de oliva é capaz de prolongar a sensação de saciedade entre as refeições. Eles se referem ao ácido oléico que, ao alcançar o intestino, se transforma em um hormônio de nome complicado, o oleoletanolamida. “Enquanto a substância está em circulação, o organismo entende que ainda não é hora de comer. Ou seja, não sente aquela fome avassaladora”, explica Daniele Piomelli à SAÚDE!

A descoberta da metamorfose do ingrediente do azeite em substância antigula agitou o mundo científico. E não para menos. É a primeira vez que pesquisadores notam que uma comida está diretamente ligada a produção de um hormônio. E que hormônio! ”Nossas experiências foram realizadas em ratos. Mas devem levar a uma nova recomendação para a dieta de seres humanos que têm no apetite desenfreado o maior inimigo na batalha contra o excesso de peso”, diz Piomelli. 

Enquanto o azeite provou ter efeito positivo, as gorduras saturadas e, principalmente, a trans revelaram que são capazes de inibir a produção do hormônio fabricado no intestino. “No caso, não sabemos direito como acontece essa inibição. Mas dá para presumir que é melhor privilegiar o azeite nas refeições e deixar de lado esses outros tipos, apesar de toda gordura oferecer a mesma quantidade de calorias”, conta o cientista que conduz suas investigações na Universidade da Califórnia, em Irvine. 

De fato, não importa se é o bendito óleo de oliva ou um pedaço de bacon ou, ainda, a trans de uma bola de sorvete: cada grama de ácido graxo sempre oferece 9 calorias. Por isso mesmo, não é bom exagerar. O recado para quem quer emagrecer é fazer uma troca, escolhendo sempre o azeite como fonte de gordura no cardápio.

 

 Fonte: http://saude.abril.com.br/

O relógio do corpo no horário de verão

Padrão

Com o horário de verão começando à 0h do dia 18 de outubro, os relógios precisam ser adiantados em uma hora -, muita gente já se preocupa com aquela horinha que vai perder.

E a mudança não significa apenas ter menos tempo para aproveitar a noite. O corpo realmente demora um pouquinho para se adaptar. O relógio interno, acostumado com o dia de 24 horas, estranha quando ele tem apenas 23h.

 Isso porque o organismo tem um relógio biológico natural e, com a rotina, se acostuma a acordar naturalmente ou se preparar para dormir em determinado momento do dia. Quando o horário de verão chega, uma hora dessa rotina é “deslocada” e o organismo demora um pouco a perceber.

“O horário de verão mexe com o relógio do nosso organismo – o que chamamos de ritmo circadiano. Com isso, é muito comum o indivíduo ter maior irritabilidade, cansaço e, em alguns casos, até mesmo insônia“, explica Roberto Cairalla, diretor clínico do Hospital Sírio-Libanês de Itatiba.

Na verdade, essa “horinha” a menos não acarreta maiores problemas ao corpo. “Em mais ou menos uma semana ele já se adapta. Uma hora é pouco para o corpo sentir alguma diferença que traga grandes danos”, esclarece o especialista.

O problema seria maior se a alteração também fosse. Quando isso acontece – o famoso “jet lag”, comum em viagens com destinos de fusos diferentes -, o organismo fica “louco” e até os hormônios se alteram.

Infelizmente, não há uma receita ideal para que o corpo possa se adaptar rapidamente com o novo horário. “Ter uma alimentação mais leve ou fazer exercícios físicos com certeza ajudam, mas ainda assim o corpo sofre com as alterações. Não há uma formula mágica”, enfatiza Roberto, que também é cardiologista. O jeito mesmo é esperar o corpo se adaptar, sem perder o pique.

Para saber mais:

– O horário de verão tem início no terceiro domingo de outubro e termina no segundo domingo de fevereiro, exceto quando esse dia cai no Carnaval. Quando isso acontece, prolonga-se o horário por mais uma semana, tendo seu término no terceiro domingo de fevereiro.

– Ele só abrange a região Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país. Isso porque as regiões próximas à linha do Equador sofrem mudanças bem sutis na incidência do Sol, então não teria porque se adaptarem ao horário, criado para economizar energia.

– O governo federal estima que a economia de energia chegará a 5% nos horários de pico de consumo.

As regiões que não possuem o horário de verão sofrem apenas com as programações da televisão, que costumam adaptar o seu horário para igualar com o de Brasília.

 

 Fonte: http://vilamulher.terra.com.br/

Sono e corpo pesados

Padrão

Podemos comer carboidratos à noite? Ficar sem jantar ajuda a emagrecer? Podemos sucumbir, sem maiores culpas, aos desejos de atacar a geladeira depois de colocado o pijama? Essas e outras perguntas são freqüentes no cotidiano de quem quer perder peso, manter um corpo bonito e levar uma vida saudável. Mas o que realmente deve ser levado em conta nas escolhas alimentares que fazemos à noite? O que é mito e o que é verdade nas histórias que se ouvem por aí sobre a alimentação noturna?

Isto depende de diversos fatores. Se você comer alimentos gordurosos e ricos em açúcares durante o dia, não fizer nenhuma atividade física e repetir as extravagâncias à noite, é claro que vai engordar. O ideal é fazer três refeições principais ao dia (café da manhã, almoço e jantar), intercaladas por pequenos lanches, de preferência pobres em carboidratos. À noite, como o metabolismo é mais lento, é preferível fazer opções mais leves, com menos gorduras e carboidratos. Mas a medida disso é individual: depende do organismo e do estilo de vida de cada um.
Cada pessoa responde de um jeito ao que come ao longo do dia e à noite. Uns perdem peso com facilidade, outros já demoram um pouco mais pois têm o metabolismo mais lento. Cerca de 40% das pessoas têm uma capacidade incrível de ingerir alimentos ricos em carboidratos e não engordar. Mas os outros 60% não podem ceder às tentações dos doces do mesmo jeito porque vão ganhar peso. Esses dados foram constatados observando os mais de 40 mil pacientes que já tratei.

Percebo também uma dúvida freqüente: quem exagerou nas massas no almoço pode compensar os “estragos” deixando de jantar? Ficar sem jantar é uma falta grave. Trata-se de uma refeição indispensável. É um erro deixar de realizá-la para perder peso. Ela deve ser feita, sim, de forma saudável e balanceada, sem exageros. Um programa de alimentação bem calculada, com carboidratos de baixo valor glicêmico, proteínas, vitaminas, sais minerais e fibras, associado à prática de exercícios regulares, é sempre o melhor remédio para emagrecer da forma mais saudável.

Outro mito comum é dizer que não se deve comer carboidratos depois das 18h para não engordar. O carboidrato é a principal fonte de energia e deve ser consumido sempre, principalmente por quem pratica esportes e atividades físicas. O segredo é não comê-lo em excesso, mas saber comê-lo, diferenciando o bom do mau carboidrato. Uma dica para quem deseja perder peso é diminuir a quantidade de carboidratos à noite, dando preferência, após às 18 horas, aos alimentos ricos em “carboidratos do bem”, como saladas, batatas cozidas e arroz integral (rico em fibras), em porções frugais. Feijão e grão-de-bico também entram na lista mas, à noite, se ingeridos em excesso, podem pesar no estômago.

Dormir logo depois do jantar pode provocar desconfortos e prejuízos ao sono. É melhor fazer a última refeição duas ou três horas antes. Para quem tiver vontade de comer alguma coisa antes de se deitar, um iogurte desnatado pode ser uma boa opção. Aproximadamente duas horas depois de dormirmos libera-se no sangue o hormônio do crescimento, que transforma os alimentos em músculos. O aumento da taxa de açúcar no sangue, causado pelo excesso de carboidratos na alimentação, inibe a ação deste hormônio e favorece o acúmulo de gordura no corpo. Portanto, à noite, o que não pode faltar no cardápio é bom senso.

 Fonte: http://msn.bolsademulher.com/

Alimentação preventiva

Padrão

Uma alimentação saudável pode não ser tão fácil quanto parece. Uma edição da revista Science afirma que a população das nações industrializadas comumente tem uma dieta deficiente, sem as necessidades mínimas diárias de micronutrientes (vitaminas e minerais), apesar de ser rica em calorias e bastante variada.

O mais assustador acontece nos países em desenvolvimento, nos quais a dieta não apresenta uma quantidade básica de macronutrientes – carboidratos, gorduras e proteínas – e micronutrientes, de acordo com o estudo.

Além dos macronutrientes e das 13 vitaminas e 17 minerais essenciais para a saúde humana, algumas substâncias naturais (chamadas fitossubstâncias) de plantas estão recebendo atenção crescente de pesquisadores que tentam estabelecer conexões entre a dieta e as doenças.

As fitossubstâncias (da palavra grega phyto, que significa planta) não são como as vitaminas e minerais, uma vez que não possuem valor nutricional. Algumas, como o digital (extraído de uma planta chamada dedal) e a quinina, têm sido utilizadas há séculos como remédios no tratamento de doenças. Outras funcionam como antioxidantes, protegendo as células dos efeitos da oxidação e dos radicais livres do organismo. Recentemente, elas foram reconhecidas como agentes potencialmente protetores contra algumas doenças e condições, desde algumas formas de câncer até o envelhecimento.

“Nós sabemos há muito tempo que determinados alimentos podem melhorar a saúde e diminuir o risco de certas doenças”, diz Jennifer Nelson, um especialista em dietas da Mayo Clinics. “Isso é válido especialmente para os alimentos vegetais. O mais interessante é que nós estamos descobrindo que estas comidas são ricas em compostos que ajudam a saúde do organismo, e estamos compreendendo como eles são utilizados do ponto de vista celular. Esse fato traz um novo significado para a afirmação: ‘Você é o que você come’.”

Fitossubstâncias
Família
Principais Fontes Alimentares
Alil sulfetos
Cebola, alho, cebolinha, alho-poró
Indóis
Vegetais como o brócolis, repolho, e couve-flor
Isoflavonas
Soja (tofu, leite de soja)
Ácidos fenólicos
Tomates, frutas cítricas, cenoura, grãos integrais, nozes
Polifenóis
Chá verde, uva, vinho tinto
Saponinas
Feijão e legumes
Terpenos
Cereja, cascas de frutas cítricas

Câncer, frutas e vegetais

Desde o começo dos anos 70, pesquisadores em todo o mundo têm evidenciado que pessoas com dieta rica em frutas e vegetais apresentam menor incidência de câncer. Observou-se ainda algum efeito protetor de outros alimentos vegetais, como nozes, grãos e sementes. Mas a evidência mais forte sugere que a alimentação rica em frutas e vegetais pode diminuir o risco de desenvolvimento de alguns tipos de câncer.

Por exemplo, investigadores descobriram que o perilil álcool, encontrado em cerejas e na lavanda, leva à regressão de tumores pancreáticos em animais de laboratório. O limoneno, encontrado nas cascas de frutas cítricas, impede o desenvolvimento de tumores da mama e induz a regressão de tumores em animais de laboratório.

Os trabalhos recentes que associam as fitossubstâncias e a diminuição do risco de câncer incluem:

  • Um estudo de Harvard mostrando que dietas ricas em vegetais, como o brócolis e o repolho, podem reduzir o risco de câncer de bexiga em homens.
  • Outro estudo de Harvard mostrando que dietas contendo cinco ou mais porções de frutas e vegetais por dia parecem diminuir o risco de câncer de mama entre mulheres pré-menopausa que têm história familiar da doença ou que ingerem quantidade moderada de bebida alcóolica.
  • Uma revisão publicada pelo National Cancer Institute relatando uma redução no risco para uma variedade de cânceres entre os indivíduos que consomem freqüentemente tomates e derivados.
  • Uma pesquisa publicada no British Medical Journal conduzida pelo World Cancer Research Fund concluindo que dietas ricas em frutas e vegetais e pobres em carnes protegem contra o câncer de mama, próstata e intestino, dentre outros.

    Embora estejamos identificando um número significativo de compostos vegetais e seus papéis no combate a doenças, há um consenso que diversos alimentos integrais – não suplementos – devem ser nossa fonte de fitossubstâncias e outros compostos importantes para a saúde“, diz Nelson.

Fitossubstâncias e saúde cardiovascular

As fitossubstâncias também podem ajudar o coração. Estudos epidemiológicos recentes sugerem que uma dieta rica em frutas e vegetais resulta em uma redução no risco de doença cardiovascular, que não pode ser atribuído aos macronutrientes ou vitaminas e minerais conhecidos.

De acordo com uma revisão feita pela American Heart Association (AHA), três classes de compostos encontrados nas frutas e vegetais – esteróis, flavonóides, e compostos contendo enxofre – podem ser importantes na redução do risco de aterosclerose (estreitamento das artérias).

  • Os esteróis são um grupo de lipídios (substâncias semelhantes à gordura) encontrados no organismo. O mais comumente encontrado no tecido humano e animal é o colesterol, parte essencial das membranas celulares. Ele é tão importante, especialmente para os neurônios, que o organismo produz seu próprio suprimento. O colesterol circula no sangue em partículas chamadas lipoproteínas. Os pesquisadores relacionaram certos tipos dessas partículas à aterosclerose, a principal causa de ataques cardíacos e derrames. A aterosclerose também contribui para a hipertensão e a impotência. Os esteróis vegetais (fitoesteróis) e o colesterol, da carne vermelha e outras fontes alimentares, competem pela absorção durante a digestão. Dessa forma, grandes quantidades dos esteróis vegetais diminuem a quantidade de colesterol absorvida da comida, podendo ter um efeito protetor.
  • Os flavonóides têm estruturas químicas variadas e são encontrados nas frutas, vegetais, nozes e sementes. Alguns têm mostrado efeito antioxidante, impedindo as lesões celulares causadas por radicais livres. Outros tornam as células sangüíneas menos “pegajosas”, diminuindo a ação das plaquetas. As principais fontes incluem o vinho tinto e os produtos da soja (isoflavonas).
  • Compostos com enxofre que ocorrem naturalmente podem reduzir o colesterol e, dessa forma, diminuir a aterosclerose. Sendo encontrados na cebola, alho e no alho-poró, essas substâncias têm sido utilizadas como remédios há bastante tempo. O óleo do alho ou o dente de alho se mostraram eficazes em reduzir a quantidade de lipídios e a pressão sangüínea. De acordo com a AHA, nem todas as suas ações são compreendidas e mais estudos são necessários em relação à bioquímica e farmacologia dessas substâncias

Obesidade e diabetes

A obesidade é um fator de risco para alguns tipos de câncer, doença cardiovascular e para o diabetes tipo 2, também chamado diabetes mellitus não-insulino dependente (DMNID) ou diabetes com aparecimento na idade adulta.

Os altos níveis de açúcar no sangue do diabetes (hiperglicemia), a longo prazo, pode causar lesões no organismo. A doença fora de controle pode levar à cegueira, doença renal, lesão nervosa (neuropatia), aterosclerose, hipertensão arterial, ataque cardíaco e derrame.

Pesquisadores observaram que determinados carotenóides – compostos vegetais com propriedades antioxidantes – podem proteger contra o desenvolvimento do diabetes tipo 2. Os estudos também demonstraram que a manutenção de um peso adequado através de uma dieta com calorias limitadas e rica em frutas e vegetais pode reduzir o risco de desenvolvimento do diabetes.

Recomendações alimentares

Recomendações efetivas na prevenção da doença coronariana, câncer, obesidade e diabetes.

Para 2 entre cada 3 adultos que não fumam e não bebem excessivamente, uma escolha pessoal parece influenciar a saúde a longo prazo mais que qualquer outra coisa – o que nós comemos.

As recomendações incluem:

  • Encontre um equilíbrio entre o que você come e a sua atividade física. Mantenha ou melhore o seu peso.
  • Escolha uma dieta rica em grãos, vegetais e frutas.
  • Mantenha uma dieta pobre em gorduras, gordura saturada e colesterol.
  • Escolha uma dieta moderada em açúcares.
  • Escolha uma dieta moderada em sal e sódio.
  • Se você ingerir bebidas alcóolicas, beba com moderação. 

 

  Fonte: http://www.lincx.com.br

Os 10 maiores sintomas de que você está grávida

Padrão

Há mulheres que são tão sintonizadas com o corpo que dizem conseguir perceber que estão grávidas logo depois da concepção. Mas, para a maioria das mortais, os sintomas da gravidez só começam a aparecer quando o óvulo fertilizado se implanta na parede uterina, dias depois de a fertilização ter acontecido. Para outras, a gravidez pode passar completamente despercebida por semanas, e a desconfiança só surge quando a menstruação não vem. Leia abaixo uma lista com os principais sinais do início da gravidez. Pode ser que você tenha todos, mas também é perfeitamente normal não ter nenhum deles, mesmo estando grávida:

1. Vontades. É, é um clichê, mas a vontade repentina de comer alguma coisa pode ser um sinal de gravidez. É um sintoma não muito confiável, porque você pode estar sugestionada (ou até ser um sinal de que seu corpo precisa de determinado nutriente), mas, se as vontades começarem a aparecer e você tiver algum outro sintoma da lista, é bom fazer as contas para saber se a menstruação não está atrasada. A vontade de comer pode aparecer em horários estranhos, como no meio da madrugada, na forma de um “buraco” no estômago que precisa ser preenchido de qualquer jeito.

2. Bicos dos seios mais escuros e veias muito aparentes. Se a pele da aréola, a região em torno do mamilo, ficar mais escura, pode ser que você esteja grávida. O escurecimento pode também indicar algum desequilíbrio hormonal, ou ser efeito de uma gravidez anterior. Se as veias dos seus seios, mãos ou pés estão aparecendo demais, pode ser sinal de gestação (ou pode ser que você esteja acalorada!), desde que junto com algum outro sintoma da lista.

3. Sangramentos irregulares e cólicas. Cerca de oito dias depois da ovulação, pode ser que você tenha pequenos sangramentos vaginais, como no início da menstruação, e um pouco de cólica. É um sinal de que o zigoto (o óvulo fertilizado) está se alojando no endométrio, a camada de sangue que reveste o útero e que é eliminada a cada menstruação. Muitas mulheres têm esse tipo de escape e têm certeza de que estão para ficar menstruadas, quando na verdade já estão grávidas.

4. Vontade de fazer xixi a toda hora. Uma vez que o embrião se implanta e começar a produzir o hormônio gonadotropina coriônica humana (hCG), você pode começar a precisar ir ao banheiro com mais frequência. Para algumas mulheres, porém, fazer mais xixi é uma característica do período pré-menstrual, portanto o sintoma pode não ser tão claro. Uma boa indicação é começar a precisar levantar para fazer xixi à noite, se antes isso nunca tinha acontecido.

5. Sono e cansaço. Você anda desmaiando no sofá à noite, na frente da TV? Passa o dia bocejando? A alta concentração de progesterona no organismo de uma mulher grávida pode deixá-la exausta. O sono excessivo é marca registrada do início da gravidez, embora não possa ser tomado como 100 por cento sinal de gestação se aparecer isolado, sem outro sintoma.

6. Seios inchados e doloridos. Se você estiver grávida, seus seios vão provavelmente ficar cada vez mais sensíveis, mais ou menos como ficam logo antes de você ficar menstruada (ou seja, mais um sinal que confunde bastante com o período da TPM), talvez com um pouco mais de intensidade. Quando o organismo se acostumar aos novos níveis hormonais, o incômodo deve melhorar.

7. Alterações no paladar ou no olfato. Você pode começar a sentir um gosto metálico na boca, ou passar a não suportar mais o sabor do café ou de algum alimento de que normalmente gosta. Ou então passar a sentir cheiros que nunca tinha notado antes, e ficar incomodada com eles.

8. Enjôos. Com sorte, a náusea só vai aparecer algumas semanas depois da concepção (as mais sortudas chegam a não ter nem um pingo de enjôo a gravidez inteira). Mas não é incomum começar a se sentir enjoada antes mesmo do atraso da menstruação. O enjôo pode aparecer a qualquer hora do dia — e costuma piorar quando o estômago está vazio.

9. Atraso menstrual. Se você tem ciclos menstruais regulares e a menstruação está atrasada, vale a pena fazer um teste de gravidez. O atraso na menstruação é o sinal mais garantido de gravidez no caso de mulheres que têm ciclos regulares.

E finalmente…

10. Um teste de farmácia positivo. Se você obteve um resultado positivo num teste de gravidez de farmácia, feito com a urina, você deve estar mesmo grávida! O teste detecta a presença do hCG no organismo, e o hormônio só é produzido em caso de gravidez, exceto em casos raríssimos. Às vezes o exame dá negativo porque foi feito cedo demais, por isso vale a pena esperar alguns dias e tentar de novo. Mas, com o resultado positivo nas mãos (que devem estar tremendo), marque uma consulta com seu ginecologista para confirmar a boa notícia e já vá para nossa seção sobre gravidez. Parabéns!

Fonte: http://brasil.babycenter.com/

Oito alimentos que você deve comer todos os dias

Padrão

Eles são fáceis de ser encontrados nos supermercados ou em restaurantes, se você costuma comer muito fora de casa. Segundo o livro Eat This, Not That (algo como “Coma isso, não aquilo”, ainda sem tradução para o português), espinafre, iogurte, tomate, cenoura, blueberry, feijão preto, nozes e aveia têm propriedades nutricionais importantes para o bom funcionamento do organismo, principalmente se acompanhados de uma proteína light, como salmão, peru ou outra carne magra. Saiba por que tais alimentos são fundamentais e quais outros podem substituí-los, para as suas refeições não ficarem monótonas.

Espinafre
sxc.hu

É rico em Ômega-3 e folatos, que ajudam a reduzir o risco de doenças cardíacas, derrame e osteoporose. Folatos também aumentam o fluxo de sangue, o que pode ajudar a prevenir problemas sexuais relacionados ao avanço da idade. O espinafre ainda possui luteína, que ajuda a prevenir a degeneração macular, um problema da retina que afeta principalmente os idosos.
Quanto ingerir por dia: 1 xícara de espinafre fresco ou ½ xícara da verdura cozida.
Você pode substituir por: Couve ou alface romana.
Dicas: Use espinafre nas saladas, nos ovos mexidos, sobre a pizza e em molhos para massa.

 

Iogurte  
sxc.hu

O iogurte tem mais de dois mil anos e ninguém sabe ao certo onde foi criado. O que se tem certeza é que a fermentação do leite origina milhões de probióticos – bactérias benéficas que ajudam a fortalecer o sistema imunológico e protegem do câncer de cólon. Nem todos os iogurtes contêm probióticos, por isso certifique-se lendo seus rótulos.
Quanto ingerir por dia: 1 xícara.
Você pode substituir por: Iogurte de leite de soja e Kefir (bebida fermentada por mais de quarenta tipos diferentes de microorganismos, incluindo as leveduras).
Dicas: Coma iogurte com blueberries, nozes, semente de linhaça e mel no café-da-manhã ou na sobremesa.

 

Tomate  
sxc.hu

Há duas coisas de que você precisa saber sobre os tomates: a sua coloração vermelha carrega um antioxidante chamado licopeno, uma substância que é absorvida com mais facilidade quando o tomate é processado, em molho ou catchup. Uma dieta rica em licopeno pode diminuir o risco de câncer na bexiga, pulmão, próstata, pele e estômago, além de reduzir problemas na artéria coronária.
Quanto ingerir por dia: 22mg de licopeno, presente em oito tomates cereja ou um copo de suco de tomate.
Você pode substituir por: Melancia, uvas rosadas, mamão, caqui japonês e goiaba.
Dicas: Coma bastante catchup, gazpacho (uma sopa gelada espanhola) e sempre use o dobro de tomate que as receitas pedem.

 

Cenoura  
sxc.hu

A maioria das frutas e legumes vermelhos, amarelos ou laranja é rica em carotenóides – substâncias solúveis em gordura associadas à redução de vários tipos de câncer e à inflamação comum a pacientes que sofrem de asma e artrite reumatóide. Nenhum deles, porém, é tão fácil de preparar e tem tão poucas calorias quanto as cenouras.
Quanto ingerir por dia: ½ xícara.
Você pode substituir por: Batata doce, abóbora, pimentão amarelo e manga.
Dicas: Aumente a ingestão de cenouras baby cruas, fatias de pimentão amarelo, sopa de abóbora, batata doce assada, torta de abóbora, sorbet de manga e bolo de cenoura.

 

Blueberry  
sxc.hu

Não é fácil encontrar blueberries frescas no Brasil, mas alguns supermercados oferecem esta fruta congelada. Ela possui mais antioxidantes do que qualquer outra fruta originária da América do Norte. Previne câncer, diabetes e doenças neurológicas relacionadas à idade. Por isso, recebeu o apelido de “brain berry”, que seria algo como “frutinha do cérebro”. Alguns estudos mostraram que elas são ricas em fibras e vitaminas A e C, que ajudam no bom funcionamento do sistema cardiovascular.
Quanto ingerir por dia: 1 xícara da fruta fresca ou ½ xícara dela congelada ou seca.
Você pode substituir por: Açaí, uvas roxas, morango, ameixa e uva passa.
Dicas: As propriedade da blueberry são mantidas na fruta seca, congelada ou em forma de geléia.

 

Feijão preto 
sxc.hu

Todos os feijões são bons para o coração, mas nenhum melhora tanto a capacidade quanto o preto. Isso porque esse tipo de feijão contém antocianina, substância antioxidante que já comprovou ter efeitos positivos sobre o funcionamento do cérebro.
Quanto ingerir por dia: ½ xícara oferece 8g de proteínas e 7,5g de fibras.
Você pode substituir por: Lentilha, fava, ervilha e outros feijões.
Dicas: Use feijões pretos para fazer burritos e chilli. Com 1 xícara de feijões pretos cozidos, azeite de oliva e alho frito você faz um delicioso molho para aperitivo.

 

Nozes  
sxc.hu

Ricas em Ômega-3, as nozes possuem mais polifenóis que o vinho tinto e mais proteínas que a carne de frango. Outras sementes combinam apenas uma ou duas dessas propriedades.
Quanto ingerir por dia: 7 nozes.
Você pode substituir por: Amêndoas, amendoim, pistache, macadâmia e avelã.
Dicas: Comer nozes é bom a qualquer momento, e melhor ainda quando você sentir vontade de ingerir guloseimas. Sobre a salada, espalhe nozes quebradas. Você também pode temperar peixes ou frangos com um molho feito de nozes e azeite.

 

Aveia
sxc.hu

Entre os alimentos saudáveis, a aveia foi o primeiro a ganhar a aprovação do Food and Drug Administration, equivalente à Anvisa nos Estados Unidos. Ela é rica em fibras solúveis, que diminuem o risco de doenças do coração. Além disso, é rica em proteínas e carboidratos.
Quanto ingerir por dia: ½ xícara.
Você pode substituir por: Quinua, sementes de linhaça e arroz selvagem.
Dicas: Granola e cereais integrais têm pelo menos 5g de fibra por porção. Espalhe duas colheres de sopa de sementes de linhaça sobre o cereal, salada e iogurte.

 

Fonte: http://revistaepoca.globo.com/