Arquivo da tag: Pílulas

Todos métodos contraceptivos

Padrão

1 – ANTICONCEPCIONAIS HORMONAIS ORAIS (PÍLULAS)

É o método mais difundido e usado no mundo. As pílulas são consideradas um método reversível muito eficaz e o mais efetivo dos métodos reversíveis dentre as medidas medicamentosas. Os anticoncepcionais orais podem ser combinados (estrógeno + progestágenos), ou constituídos apenas de progestágeno (minipílula).

1.1 – ANTICONCEPCIONAIS ORAIS COMBINADOS

São comprimidos que contêm estrogênio e progestogênio associados.

Todos os comprimidos têm a mesma dosagem.

As pílulas combinadas são divididas basicamente conforme a dose de etinilestradiol:

 

ANTICONCEPCIONAIS ORAIS COMBINADOS

 

O progestágeno das pílulas pode variar entre o levonorgestrel, gestodene, desogestrel ou acetato de ciproterona.

Alguns progestágenos podem levar algumas pacientes a efeitos semelhantes aos dos hormônios masculinos (acne, seborréia).

Na realidade os anticoncepcionais combinados são semelhantes entre si.

O seu médico lhe ajudará a escolher o anticoncepcional ideal para você.

1.2 – ANTICONCEPCIONAIS ORAIS TRIFÁSICOS

São as pílulas que contêm estrogênios e progestágenos associados, porém em doses que variam com o decorrer da dosagem dos comprimidos (comprimidos de cores diferentes). Esta variação tenta imitar as variações hormonais do ciclo normal.

Contém etinilestradiol (estrogênio) e levonorgestrel (progestágeno) na sua composição.

Mecanismo de ação dos anticoncepcionais orais combinados e trifásicos

As pílulas inibem a ovulação e este é o seu principal mecanismo de ação. Além se serem anovulatórias, as pílulas promovem a alteração do muco cervical, da motilidade tubária e do endométrio.

Como utilizar os anticoncepcionais

Os anticoncepcionais combinados devem ser iniciados no primeiro ou no segundo dia do ciclo menstrual e tomados diariamente, preferencialmente no mesmo horário, durante 21 dias. Quando acaba a cartela faz-se uma pausa de uma semana, quando geralmente ocorre a menstruação.

SE NÃO OCORRER A MENSTRUAÇÃO, SEU MÉDICO DEVERÁ SER AVISADO

No 5º dia do ciclo, ou uma semana após a ingestão do último comprimido da cartela anterior, uma nova cartela deve ser iniciada independente da menstruação já ter parado ou não.

Em casos de esquecimento da pílula , esta deve ser tomada tão logo a mulher se lembre. Quando perceber que esqueceu de tomar a pílula só quando for tomar a próxima, a paciente deverá ingerir as 2 pílulas juntas (a do dia anterior e a do dia), e de preferência deverá associar outro método anticoncepcional até a próxima menstruação.

Não podemos esquecer que quando a mulher apresenta vômitos ou diarréia a eficácia do anticoncepcional diminui. Quando a paciente usar outras medicações, principalmente aquelas que são metabolizadas no fígado, a eficácia também pode diminuir.

A pílula é muito eficaz em evitar a gravidez e ainda possui outros efeitos benéficos: diminui a incidência de doenças benignas da mama, de cistos ovarianos funcionais, protege contra a doença inflamatória pélvica, diminui o risco de anemia por sangramento menstrual, é eficaz no tratamento da dismenorréia (menstruação dolorosa). Protege contra a osteoporose, evita gestação ectópica (fora do útero), diminui o risco de carcinoma endometrial e ovariano. e também regulariza o ciclo menstrual.

Não é recomendada a pausa no uso da pílula , embora muitas mulheres acreditem que a pausa é necessária. Na verdade, essa atitude além de não trazer nenhum benefício, expõe a mulher ao risco da gestação indesejada. Só se interrompe o uso da pílula quando existe o desejo de gestação, quando a anticoncepção não é necessária ou pela presença de efeitos adversos maiores. Não se deve suspender o uso de anticoncepcionais devido ao aparecimento de efeitos adversos menores como náuseas, vômitos, enjôo ou sangramentos irregulares, pois estes sintomas desaparecem em 2 ou 3 ciclos de uso.

Efeitos adversos dos anticoncepcionais:
 
Spots, ou sangramentos em pequena quantidade durante o uso da cartela, geralmente ocorrem nos primeiros meses de uso. A paciente deve estar tranqüila de que estes sangramentos não significam que a pílula terá eficácia menor
Amenorréia, ausência de menstruação no intervalo da cartela. Pode acontecer, entretanto, deve ser descartada a presença de gestação. Amenorréia pode ocorrer porque a dose dos anticoncepcionais pode ter sido insuficiente para promover o crescimento do endométrio
Aumento de peso: talvez seja o efeito citado pelas pacientes que mais provoca o abandono do método. Entretanto, os estudos com anticoncepcionais de baixa dose não demonstraram haver aumento significativo do peso. O médico deve reforçar a verdadeira razão para as variações de peso: necessidade de dieta e exercício físico.
Cefaléia (dor de cabeça), irritabilidade, nervosismo, aumento do fluxo vaginal, dor e ingurgitamento mamário, acne, náuseas, vômitos.
Contra-indicações relativas ao uso dos ACO combinados
 
presença de fatores de risco para tromboembolismo
passado de icterícia grave
aleitamento materno
depressão
cefaléia
epilepsia
diabete mélito
hipertensão arterial
Contra-indicações absolutas ao uso dos ACO:
 
Tromboflebite, doença tromboembólica, doença cerebral vascular, obstrução coronariana ou história passada dessas doenças
Doença hepática grave: sempre que houver alteração das enzimas hepáticas estrogênios são contra-indicados.
Câncer de mama diagnosticado ou suspeito.
Gestação ou suspeita de gestação.
Fumantes com mais de 35 anos (discutível com os ACO de menor dose).

1.3 – MINIPÍLULAS – PÍLULAS SÓ COM PROGESTOGÊNIOS

São comprimidos que contém apenas progestogênio. Seu mecanismo de ação é a alteração do muco cervical (evitando a penetração dos espermatozóides), alteração da motilidade tubária e a inadequação provocada no endométrio. É menos eficaz que a pílula combinada. Sua maior indicação é a anticoncepção durante a amamentação, pois esse método parece não interferir com a produção de leite materno. Nesse tipo de anticoncepcional não se faz pausa. Está indicado também para mulheres que têm contra-indicação ao estrogênio presente na pílulas combinadas.

2 – ANTICONCEPCIONAIS INJETÁVEIS

2.1 – ANTICONCEPCIONAL HORMONAL – INJETÁVEL COMBINADO.

São de uso mensal e combinam estrogênio e progestágeno. Têm eficácia similar aos anticoncepcionais orais combinados. São utilizados naquelas pacientes que não conseguem se lembrar de usar a pílula diariamente ou têm intolerância gastrointestinal aos hormônios. Para algumas pacientes têm a vantagem de ser usado apenas uma vez por mês.

2.2 – ANTICONCEPCIONAL HORMONAL – INJETÁVEL SÓ DE PROGESTERONA.

0 mais usado é o acetato de medroxiprogesterona, 150 mg a cada três meses. Seu efeito anticoncepcional é por inibição da ovulação e atrofia endometrial. É, dos métodos reversíveis, o mais eficaz. O efeito adverso mais comum é o sangramento irregular e a amenorréia (ausência de menstruação). É contra-indicado em pacientes que desejam engravidar a curto prazo, pois após o uso pode haver ausência de ovulação por prazos longos (de até 12 meses). É também muito utilizado por pacientes que estão amamentando.

3 – IMPLANTES HORMONAIS – ANTICONCEPÇÃO DE LONGA DURAÇÃO

O implante subdérmico de levonorgestrel – um progestágeno – é chamado NORPLANT. É um método de contracepção hormonal que só contém progestágeno. Desde 1990 este método foi liberado para uso nos Estados Unidos, entretanto já era usado há mais tempo em outros países.

O Norplant é um sistema que consiste em 6 cápsulas que contém levonorgestrel. Este progestágeno é liberado lentamente das cápsulas tendo duração de 5 anos, desde a inserção.

Cápsulas de norplantCápsulas de norplant

 

Cápsulas subdérmicas de levonorgestrelCápsulas subdérmicas de levonorgestrel.

Mecanismo de ação: O implante de levonorgestrel inibe a ovulação, tem ação sobre o muco cervical e provoca atrofia de endométrio.

Indicações:
 

Para espaçamento entre as gestações. Método indicado para pacientes que desejam espaçamento maior entre as gestações (duração de 5 anos)
Desejo de um método altamente eficiente
Mulheres que esquecem de usar o anticoncepcional oral
Mulheres com história de anemia e de sangramento abundante.
Mulheres que não desejam mais gestar, entretanto não estão dispostas a realizar um método definitivo.
Pacientes com algumas doenças crônicas que necessitam anticoncepção eficaz.
Contra-indicações absolutas:
 
Tromboflebite ou tromboembolismo no momento (ativo)
Sangramento vaginal não diagnosticado
Tumores benignos ou malignos do fígado
Câncer de mama
Contra-indicações relativas:
São aquelas contra-indicações que o seu médico decidirá com você se o método poderá ou não ser utilizado.
Vantagens:
 
É muito eficaz. A taxa de falha no primeiro ano é de 0,2 % e no 5º ano 1,1%
Não é necessária a lembrança de uso diária
Não contém estrogênio, logo é preconizado para aquelas mulheres que tenham contra- indicação ao uso de estrogênios.

Desvantagens: 
 

Freqüentemente ocorrem spots (sangramentos vaginais em pequena quantidade e irregulares)
Muitas pacientes não menstruam nos dois primeiros anos de uso.
Para colocação é necessária anestesia local com um pequeno corte de aproximadamente 0,2 cm.
A retirada também é feita mediante um pequeno procedimento cirúrgico.
Os implantes são visíveis e palpáveis

Pílulas para emagrecer

Padrão

Cápsula glucomanan

 O que é?
Uma das mais eficazes do mundo para acabar com a fome e perder peso. É feita da fibra natural da raiz de uma planta japonesa chamada konjac.

Como funciona?
As fibras absorvem a água ingerida por você formando uma gelatina que preenche o estômago. “Essa reação traz a sensação de saciedade, reduzindo naturalmente o apetite”, explica o químico e fitologista Lelington Lobo Franco. A tal gelatina é totalmente eliminada com as fezes.

Há outros benefícios
Ela também regula o intestino e leva parte de açúcares e gorduras dos alimentos ingeridos para as fezes. “Assim, ajuda a estabilizar a glicose e a insulina no sangue e a baixar o colesterol”, diz o fitoterapeuta Alex Botsaris.

Como tomo?
Meia hora antes de cada refeição, você deve ingerir duas cápsulas de 500 mg com dois copos de água. Ou seja, serão entre quatro e oito cápsulas por dia, dependendo de quantas vezes você comer. Vá ao médico para saber a dosagem ideal para o seu caso.

Tem contraindicação?
Gestantes, lactantes, crianças de até 3 anos e pessoas com deficiência de vitaminas e minerais não devem tomar.

Quanto custa?
Em média, R$ 18 (30 cápsulas). Caso prefira mandar manipular, é necessário ter receita médica.

Fique de olho!
Encontre as cápsula em lojas de produtos naturais – e não esqueça de procurar pelo selo da Anvisa.

Agar-agar

 O que faz?
Muito utilizada em tratamentos para perder peso, combate a flacidez e a celulite. Também fortalece unhas e cabelos.

Como tomo?
Uma cápsula duas vezes ao dia, 30 minutos antes das refeições, com dois copos de água.

Tem contraindicação?
Gestantes, lactantes, alérgicos a iodo.

Quanto custa?
R$ 17 (50 cápsulas).

Alcachofra

 O que faz?
Impede a absorção de gordura, reduzindo o colesterol. Tem ação diurética e, de quebra, regula o intestino.

Como tomo?
Duas cápsulas três vezes ao dia após as refeições.

Tem contraindicação?
Gestantes e lactantes.

Quanto custa?
R$ 13,50 (50 cápsulas).

Quitosana

 O que faz?
É um suplemento alimentar que facilita a eliminação da gordura e reduz o colesterol.

Como tomo?
Duas cápsulas três vezes ao dia, 30 minutos antes das refeições.

Tem contraindicação?
Gestantes, mulheres em fase de amamentação e alérgicos a frutos do mar.

Quanto custa?
R$ 45 (50 cápsulas).

Porangaba

 O que faz?
Reduz o apetite e evita formação de depósito de gordura no corpo. É diurética e estimula a circulação.

Como tomo?
Uma cápsula três vezes ao dia após as refeições.

Tem contraindicação?
Gestantes, lactantes e pessoas com problemas estomacais, pois a substância pode provocar irritação.

Quanto custa?
R$ 12 (50 cápsulas).

Exercícios que secam a barriga

 Com a ajuda do professor de educação física Waldyr Salles, da Academia Energia Vital, fizemos um programa que turbina o efeito das cápsulas e da dieta. São quatro dias de ginástica fácil por semana durante um mês. Mas atenção: sempre alongue as pernas antes dos exercícios.

Dia 1
● Caminhe durante 30 minutos. Acelere o ritmo à medida que se sentir confortável.
● Pule corda por cinco minutos.

Dia 2
● Suba degraus por cinco minutos (exceto se tiver lesão nos joelhos ou tornozelos).
● Caminhe durante 30 minutos.

Dia 3
● Pule corda por cinco minutos (aumente para dez se estiver bem).
● Suba e desça a escada por cinco minutos.

Dia 4
● Faça uma caminhada acelerada por meia hora.

Dica!
Aumente o tempo da malhação conforme seu limite.

Cardápio para derreter os quilos extras

 A nutróloga Elisabeth Nascimento elaborou uma sugestão de cardápio com 1200 calorias diárias para você turbinar a perda da barriga e eliminar até 5 kg em 30 dias.

1° DIA
Café da manhã 1 prato de cereal com leite + 2 fatias de queijo prato
Lanche 1 copo de suco
Almoço Salada de tomate e milho + 1 porção pequena de lasanha bolonhesa
Lanche 2 bananas
Jantar Salada de alface, cenoura e tomate + 2 hambúrgueres de frango + 3 colheres (sopa) de arroz + 3 colheres (sopa) de batata cozida+ 2 colheres (sopa) de vagem cozida + 3 ameixas.

2° DIA
Café da manhã 1 copo de leite + 4 bolachas água e sal com 1 colher (sopa) de requeijão + 10 uvas verdes
Lanche 1 barra de cereal
Almoço Salada de alface e tomate + 3 colheres (sopa) de frango desfiado + 4 colheres (sopa) de arroz + 3 colheres (sopa) de brócolis + 1 colher (sopa) de goiabada
Lanche 1 cacho de uvas
Jantar Salada de agrião e cenoura + 1 filé de peixe + 2 colheres (sopa) de arroz + 1 banana.

3° DIA
Café da manhã 1 pão francês com 1 colher (chá) de geléia
Lanche 1 xicara de chá + 3 bolachas de água e sal
Almoço 1 prato de sobremesa de salada de lentilha, com 2 colheres (sopa) de atum, 1 colher (sopa) de cebola picada e 3 colheres (sopa) de tomate em cubos
Lanche 1 copo de leite + 1 fatia de queijo branco + 2 torradas
Jantar Salada de alface e agrião + 1 coxa de frango assada + 4 colheres (sopa) de arroz + 1 concha de feijão.

4° DIA
Café da manhã 1 copo de leite com café + 1 pão de queijo + 1 fatia de queijo branco + 1 banana
Lanche 1 copo de suco
Almoço 1 concha de sopa de ervilha cozida + 1 filé de frango grelhado + salada de alface e beterraba + 1 fatia de manga
Lanche 1 copo de iogurte
Jantar 4 almôndegas + 2 colheres (sopa) de purê de batata + 2 colheres (sopa) de lentilha cozida + 1 colher (sopa) de ervilha cozida + 1 copo de suco + 1 cacho pequeno de uva.

5° DIA
Café da manhã 1 copo de leite + 3 bolachas de água e sal + 1 fatia de queijo fresco
Lanche 1 copo de iogurte
Almoço Salada de agrião e tomate + 4 colheres (sopa) de carne moída refogada + 2 colheres (sopa) de arroz + 4 colheres (sopa) de brócolis cozido + 1 laranja
Lanche 1 goiaba
Jantar Salada de alface + 3 colheres (sopa) de peixe cozido e desfiado + 4 colheres (sopa) de vagem cozida + 1 batata cozida + 1 fatia de melão.

6° DIA
Café da manhã 1 pão francês com 1 fatia de queijo branco + 1/2 mamão
Lanche 1 copo de leite com 3 colheres (chá) de chocolate em pó Almoço Salada de tomate e brocólis cozido + 1 porção pequena de macarrão cozido com 1 colher (sopa) de molho de carne moída + 2 colheres (sopa) de queijo parmesão + 1 goiaba
Lanche 1 torrada + 1/2 fatia de queijo prato
Jantar Salada de agrião e beterraba + 2 coxas de frango ensopado + 2 colheres (sopa) de arroz + 3 ameixas.

7° DIA
Café da manhã 1 fatia de queijo fresco + 2 bolachas água e sal + 1 copo de suco de laranja
Lanche 1 maçã
Almoço Salada com 4 colheres (sopa) de pepino + 1 bife pequeno + 3 colheres (sopa) de arroz + 4 colheres (sopa) de feijão + 4 colheres (sopa) de abobrinha cozida + 1 banana
Lanche 2 fatias de melancia
Jantar Salada com 6 fatias de tomate + 4 colheres (sopa) de cenoura ralada + 6 colheres (sopa) de risoto de frango.

 

 Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/

Tudo sobre pílula anticoncepcional!

Padrão
O objetivo deste post é desmistificar algumas coisas e esclarecer outras sobre o uso da pílula anticoncepcional. Pois estou tento alguns problemas em relação as pílulas,assim desejo que vocês compartilhem comigo suas experiências.

1 – Sobre a Pílula

  • É um dos métodos anticoncepcionais mais utilizados do mundo.
  • É muito eficaz para evitar gravidez indesejada (até 99,9%)
  • Contém uma combinação de dois hormônios:  estrógeno e progestogênio.
  • Efeitos Colaterais mais comuns nos primeiros meses: cefaléia, náuseas, sangramentos vaginais irregulares,  dor nas mamas, depressão (Frequentemente cessam após alguns meses).
  • Há formulações recentes – chamada de pílula de microdose –  com baixa concentração dos hormônios em sua formulação e que contém doses de estradiol. Os efeitos colaterias aparecem de forma reduzida nesse tipo de pílula, em relação às de dosagem maior.
  • Traz efeitos benéficos à saúde como: regularização dos ciclos menstruais, redução das dores e cólicas menstruais, redução dos riscos de cistos e nódulos mamários, melhora no tratamento de acmes(espinhas) e do hirsutismo (pêlos em exagero na face, tórax e abdome).
  • Se utilizada por períodos longos (ao menos durante 2 a 4 anos) reduz o risco de câncer de ovário e de endométrio (camada interna que reveste o útero).

 

2 – Mitos e Verdades

  • A pílula não faz mal à saúde. 
  • A maioria das mulheres (72%) não apresenta alteração de peso com a pílula (Queixar de ganho de peso não é mais desculpa para não usar hehe).
  • O fumo aumenta os riscos de efeitos colaterais cardiovasculares – então tentem não fumar.
  • A pílula NÃO dificulta a gravidez após a interrupção do uso. Apesar do retorno à fertilidade demorar mais tempo quando comparado às mulheres que interromperam outros métodos contraceptivos, é um método 100% reversível (a função ovariana é restabelecida).
  • Parar de tomar a pílula pode causar acne.
  • Alguns remédios como a ampicilina e anti-convulsionantes podem reduzir a eficácia dos anticoncepcionais.
  • Não existem evidências que a pílula faça mal ao cabelo.
  • O risco de câncer é praticamente o mesmo entre aquelas que usam ACOs e as que não usam. Nos tumores malignos do útero e ovário, a pílula exerce um efeito protetor, proporcionando metade dos riscos das não-usuárias. Quanto à relação entre câncer de cérvice uterina e uso de ACOs, não existe ainda um consenso (alguns estudos indicam um aumento na incidência, mas nada definitivamente comprovado).
  • As pílulas possuem efeito sobre o sistema cardiovascular e é possível que estejam envolvidos de alguma forma no desenvolvimento de varizes, mas as pesquisas produziram resultados controversos até o momento.
  • A dismenorréia (menstruação dolorosa) é menos freqüente nas mulheres que não ovulam. Por isso, os ACOs podem ser úteis em 70-80% dos casosde dismenorréia.
  • Pesquisas têm mostrado que altas doses de ACOs em mulheres após a menopausa diminui o risco de fraturas e suspeita-se que possa melhorar a densidade óssea nas mulheres jovens (Faltam maiores comprovações científicas).
  •  Após os 40 anos e que acabaram de ter a última menstruação pode sim ocorrer uma gravidez indesejada. Nas mulheres que estão entrando na menopausa, recomenda-se o uso de ACOs por 12 meses após a última menstruação.

 3 – Escolha do Método Anticoncepcional

Deve-se levar em conta:

  • Reversibilidade do método
  • Adequação ao organismo da usuária
  • Disponibilidade
  • Acompanhamento médico
  • Custo
  • Proteção contra doenças sexualmente transmissíveis

 IMPORTANTE

  1. Não existe método anticoncepcional infalível
  2. A pílula não fornece proteção contra doenças sexualmente transmissíveis
  3. A mulher se conhecer, saber quando estar de TPM e tal, pode ser muito importante para melhorar a qualidade de vida, evitar brigas com quem se ama, etc.

4 – Eficácia dos métodos

Métodos Definitivos (100%) – Laqueadura tubária e vasectomia

Métodos Reversíveis – pílula combinada (até 99,9%), minipílula (até 97%), DIU medicado com cobre (até 99,58%), DIU medicado com levonorgestrel (até 99,80%), injeção mensal (até 99,70%), injeção trimestral (até 99,70%), implante subcutâneo (até 99,72%).

Métodos de Barreira – preservativo masculino/camisinha (88%) , preservativo feminino (79%) , diafragma (82%) , creme espermicida (79%).

Outros Métodos – coito interrompido (81%), tabelinha (80%).

Fonte: folder da Biolab e outro(Não tenho o nome do produtor) folder cheio de referências científicas.