Arquivo da tag: revolução

Sucos Verdes: uma Revolução 2

Padrão

Desde tempos antigos a Clorofila é tratada como um “agente miraculoso de cura”. Foi provado que a Clorofila é grande auxiliar no tratamento de câncer1 e arteriosclerose2. Abundante pesquisa científica nos mostra que dificilmente existe alguma doença que não pode ser ajudada através da ingestão de clorofila.
A composição elementar das folhas verdes as coloca entre os alimentos mais alcalinizantes do planeta. Para quem não sabe, o sangue humano é naturalmente alcalino e estar nesta condição significa sentir-se como um peixe dentro da água. Um agradável conforto se instala, a respiração se torna longa e contínua, os pensamentos se acalmam, as emoções se suavizam. Quando a corrente sanguínea está alcalinizada é muito difícil de fungos, parasitas, bactérias patogênicas e tumores se desenvolverem. Isto significa que a imunologia e a alcalinidade sanguínea estão intimamente ligadas. Algo a se considerar nos dias de hoje onde as pessoas acidifcam seu sangue a cada refeição açucarada e mal combinada, a cada noite mal dormida, a cada discussão, a cada má notícia recebida.
São diversas as suas ações do reestabelecimento da saúde promovido pela Clorofila. Além da nutrição excelente, esta molécula carrega consigo quantidades significativas de oxigênio. O oxigênio nutre as bactérias benéficas dos intestinos e é letal para fungos, bactérias, tumores e células cancerosas. Este fato por si ressalta a importância das verduras para a construção, manutenção e regeneração da boa saúde.
Como se não fosse suficiente, é possível ainda citar diversos outros benefícios das muitas qualidades desta substância extraordinária: melhoramento da qualidade e da contagem de células sanguíneas, ajuda na prevenção do câncer, prevenção e tratamento da anemia, remove toxinas da corrente sanguínea, ajuda a purificar o fígado, regula a menstruação, melhora a qualidade do leite materno, acelera a cicatrização (pode ser aplicada topicamente também), elimina odores corporais (chulé, etc.) limpa os dentes e a estrutura da gengiva, elimina mau hálito, alivia problemas de garganta, ajuda a tratar inflamações e a remover muco e catarro, torna a visão mais nítida, alivia hemorróidas, alivia dores e fortalece todo o sistema imunológico.
Parece propaganda de algum produto milagroso, é na verdade é. A diferença é que não estou tentando vender nada, mas simplesmente disponibilizar o conhecimento do tesouro que temos espalhado em nosso planeta, crescendo incessantemente por toda parte e em diversas formas, tão acessível e tão necessário para esta civilização que sofre por pura falta de saber.
Muito interessante, mas o que fazer se não gosto de verduras?
Tudo bem, verduras decerto não são, à primeira vista, as mais atraentes opções disponíveis ao paladar. Tem gente que detesta, tem gente que gosta, mas uma coisa é fato: quase ninguém ingere uma quantidade significativa destes vegetais.
A dieta moderna, repleta de estimulantes de paladar como açúcar, frituras salgadas e molhos temperados torna difícil a tarefa de apreciar sabores suaves e diferentes, como o levemente amargo dos vegetais. Quantas pessoas trocariam uma pizza por um prato cheio de rúcula? Assim sendo, temos uma dificuldade natural para comer uma quantidade significativa de folhas verdes.
Mesmo aquelas pessoas que afirmam comer “bastante salada” possivelmente se enquadram no perfil de pessoas que poderiam se beneficiar de uma ingestão maior de verdes. Afinal, muitas vezes o termo “bastante salada” se refere a um prato com duas folhas de alface, quatro de rúcula, cenoura ralada e duas fatias de tomate. Como se pode observar, quase nada de folhas verdes. Estima-se através de análises do FDA americano que uma quantidade diária significativa de folhas verdes por pessoa seria algo como um molho de salsinha, ou seis folhas de couve.
Foi constatado através de várias pesquisas que o homem tradicionalmente come pouca quantidade de verdes em sua dieta. Talvez pelo sabor pouco atraente. Pior: a maioria das pessoas não mastiga suficientemente as verduras para que todos os nutrientes sejam liberados para uso do organismo.
Neste ponto é perceptível a necessidade de uma alternativa viável para se usufruir dos inúmeros benefícios destes notáveis alimentos de uma maneira condizente com a necessidade atual das pessoas: rapidez, praticidade, economia e sabor agradável.

Fonte:Guiavegano

Novo papel é 500x mais forte que aço e 10x mais leve

Padrão

Um novo papel de nanotubos marcará o como o material mais forte do mundo a ser usado na construção de aeronaves.

 

Nanotubos de carbono é uma destas tecnologias que se tornará onipresente e ganhará um vasto leque de aplicações nas próximas décadas. Uma das possíveis aplicações é utilizar folhas de nanotubos como material para a construção.

O material chamado de buckypaper parece um fino filme muito frágil. No entanto ele pode revolucionar a cara dos automóveis, aviões e mais produtos nos próximos anos.

O novo papel é feito de nanotubos de carbono entrelaçados. Graças à grande maleabilidade dos nanotubos ele tem excelente flexibilidade e se dobra como papel comum, mas pode ser 500 vezes mais forte do que o aço, seus criadores prevêem, enquanto tem apenas a décima parte do peso.

A super força do papel ocorre por causa da sua superfície concentrada de moléculas de nanotubos. Segundo um dos pesquisadores se você pegar apenas um grama de nanotubos e desdobrar cada tubo em uma folha de grafite poderá cobrir dois terços de um campo de futebol.

Os nanotubos já tem sido usados em uma quantidade limitada de aplicações como raquetes de tênis e bicicletas, mas esses produtos usam os nanotubos em pó em concentrações com 1 a 5% de nanotubos. O buckypaper contém quase 50% de nanotubos. Mas apesar de mais útil, também é mais caro.

As possíveis aplicações do material são como blindagem elétrica na indústria aeronáutica. Por ser muito mais leve do que as blindagens atuais, o papel de nanotubos eliminará peso da aeronave economizando combustível.

A equipe também pretende usar o material para substituir as folhas de grafite em notebooks, pois o buckypaper seria mais eficaz para na dissipação de calor. Eles também esperam usar o material em eletrodos de células de combustível, super capacitores e baterias.

O próximo passo será construir aeronaves inteiras, carros e revestimento para armaduras militares com o papel de nanotubos de carbono. Os militares já expressaram interesse. Os pesquisadores pensam que produtos comerciais poderão estar à venda em um ano. [DailyTech]

Sensibilização e Mudanças de Atitudes

Padrão

Ouve-se muito sobre o aquecimento global, efeito estufa e outros problemas globais. Porém, somente uma pequena parte da população possui conhecimento sobre o assunto. É preciso levar informações sobre as questões ambientais à sociedade, na expectativa de que cada indivíduo seja sensibilizado, assim tentando reverter o processo de degradação assustador que se vê no presente.

Vale ressaltar que, antes, os agentes naturais eram os responsáveis pelas modificações da superfície terrestre. Os ambientes naturais se mostravam em constante estado de equilíbrio ate o momento em que a sociedade passou a interferir progressivamente cada vez mais e intensamente na exploração dos recursos naturais. Essa exploração foi capaz de introduzir modificações globais que poderão ter conseqüências sérias o bastante para afetar os ecossistemas naturais.

Pode-se dizer que o marco para o Aquecimento Global foi a Revolução Industrial. Desde a década de 70 os indícios do efeito estufa são cada vez mais concretos.

O uso de combustíveis fósseis como carvão, gasolina, ou mesmo o uso de energia elétrica, queimadas e derrubadas de florestas lançam enormes quantidades de CO2 na atmosfera.

Propostas para solucionar o problema foram criadas como no Protocolo de Quioto que busca minimizar as emissões de gases, utilização de energia renovável e reflorestamento. Há também o documento da “Agenda 21”, que visa o desenvolvimento sustentável e o comprometimento ambiental.

Existe ainda a Educação Ambiental que tem como finalidade sensibilizar e fazer com que a sociedade veja o mundo com o olhar ecológico.

Para a compreensão dessa problemática ambiental torna-se necessário desenvolver uma consciência crítica, passando por um processo de sensibilização, mudança de atitudes e valores em relação ao ambiente.

 Renata R. Dos Santos