Arquivo da tag: salão

Os cuidados de cada cor

Padrão

Vermelho

 1. Lave o mínimo possível
Isso significa duas vezes por semana, a não ser que ele seja oleoso ou fino. Nesse caso, o indicado é lavar em dias alternados, e nunca com água quente. Outra opção é limpar as raízes com um xampu a seco, que higieniza os fios e acaba com o excesso de oleosidade sem usar água.

2. Evite xampus de limpeza profunda
A maioria dos tratamentos anticaspa é compatível com as tinturas, mas significa a morte do vermelho, já que acelera o processo de desbotamento.

3. Faça o retoque
Depois de duas semanas, aplique a tinta novamente. Isso manterá a cor viva e brilhante durante todo o mês.

4. Proteja os fios
Os vermelhos oxidam mais rápido que o de outras cores. Se você for passar muito tempo fora de casa, use produtos que contenham protetor solar, um chapéu ou lenço para se proteger.

5. Não pinte em tons berinjela
Vermelhos arroxeados não são naturais e quase nunca satisfazem o gosto feminino. Escolha um tom que possa ser descrito como acobreado ou acastanhado.

Loiro

1. Não ouse em casa
Se for clarear sozinha, opte por loiro-escuro ou neutro. Se escolher um tom quente, como dourado ou mel, pode terminar com um cabelo laranja.

2. Evite produtos com álcool
Cabelo loiro, em geral, fica seco e desbotado. Produtos com grandes quantidades de álcool pioram esse problema. Os principais culpados são os sprays de cabelo, gel e musse.

3. Deixe o platinado pra lá
Mesmo que o loiro palha seja considerado elegante, a realidade é que o tom platinado acentua as olheiras. Solução: pintar o cabelo de dourado e depois fazer algumas luzes mais claras.

4. Vá ao profissional
Se quer a cor dois tons mais clara que a sua natural, vá ao salão. Descolorir sozinha pode deixá-la mais para um loiro-banana do que o mel.

Aprenda alguns truques
Quando a raiz crescer, tente este truque. Compre uma caixa de loiro-cinza escuro e aplique só nas raízes com uma escova de dentes. Não deixe o produto por mais de 3 minutos. Isso quebrará a cor escura da raiz e você ganhará mais alguns dias sem precisar ir ao salão.

Castanho

 1. Combine o castanho com um belo corte
O impacto da nova cor diminui se o cabelo tiver um corte reto e sem balanço. Se estiver curto ou em várias camadas, deixe as pontas claras ou faça luzes.

2. Ao extremo
Os melhores castanhos são os muito escuros ou muito claros. Se o seu natural for um tom médio, você obtém um resultado ruim, porque ele não realça o rosto.

3. Tintura em casa ou no salão?
Um erro comum de colorir em casa é deixar os fios alaranjados, resultado freqüente com tintas de cores muito quentes, como o castanho-dourado. Nesses casos, é melhor comprar uma caixa de marrom neutro e misturar as duas cores. Ou ir ao profissional.

4. Evite o spray
Nada desbota mais os castanhos do que o spray. Se você precisa usá-lo, aplique em seguida um soro capilar.

5. Cuidado com o preto
Se pretende usar um castanho mais escuro que o chocolate, vá ao profissional. Cabelo pintado de preto-azulado não tem volta. Depois disso, para clareá-lo só gastando no salão.

 

 Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/

Aprenda a usar a chapinha sem detonar os cabelos

Padrão

 

Uma ala defende que a chapinha, além de ser prática para alisar os cabelos, também deixa os fios mais brilhosos, porque quando eles esticam as cutículas se fecham e a luminosidade aparece. Outro time acha que o aparelho é o grande vilão das madeixas danificadas se usado de forma incorreta.

Um terceiro grupo, o dos cabeleireiros, decretou o fim da prancha para o look da temporada. Segundo o beauty stylist Marco Antonio di Biaggi, do salão MG Hair, o cabelo bagunçado, ou “messy”, está com tudo entre os penteados mais modernos do momento. “A tendência é que o cabelo tenha ondulação e balanço no comprimento e a raiz mais baixa”, explica. Ou seja, a piastra vai para a gaveta.

Para tirar a prova dos nove, a revista ANA MARIA reuniu o especialista em saúde do cabelo, o dermatologista Valcenir Bedin, de São Paulo, e a cabeleireira Márcia Zenólia, do Espaço Coiffeur Longevitá, do Rio de Janeiro para responder 25 questões sobre chapinha. Veja aqui todas as dúvidas.

O que diz Valcenir Bedin:

A chapinha faz mal ao cabelo?
Não, desde que você use o produto certo, para proteger os fios do calor, e não exagere na temperatura do aparelho (no máximo 190 graus).

Que produto usar antes da chapinha?
Um leave-in termoativado, com silicone ou queratina.

E após?
Use hidratantes feitos à base de óleo, para repor a água perdida.

O que prejudica mais: a chapinha ou o secador?
A chapinha. Ela leva o calor diretamente aos fios. Por isso, deve ser usada com cuidado.

Quais são os danos causados pela chapinha?
Os fios podem ficar ressecados e, em casos extremos, quebrados e até mesmo queimados.

Quantos dias por semana pode usar?
Da maneira certa, todo dia.

Pode-se usar a prancha no cabelo molhado?
Não, porque para secar o cabelo inteiro é necessário pranchar os fios muitas vezes. Assim, seus fios poderão “cozinhar”. Faça escova antes da chapinha.

O aparelho pode encostar no couro cabeludo?
Não. Mantenha distância de, no mínimo, 3 centímetros, para evitar queimaduras.

Faz mal usar no cabelo de crianças?
Sim. Nunca aplique químicas ou aparelhos agressivos ao cabelo em pessoas com menos de 14 anos de idade.

O que diz Márcia Zenólia:

Qual a vantagem da chapinha de cerâmica?
Ela mantém a temperatura estável. Por isso, não é necessário passar a prancha muitas vezes no mesmo lugar.

E a de íons?
Ela acaba com o arrepiado, fecha as cutículas e deixa o cabelo mais brilhante e macio.

Fonte:veja

Depilação oriental retira 95% dos pêlos

Padrão

A depilação oriental, também conhecida por algumas pessoas como depilação a fio, ainda não é muito conhecida no Brasil. Ao contrário do que acontece no Oriente, onde as mulheres utilizam a técnica em todo o corpo, aqui ela é mais aplicada para a depilação no rosto e, às vezes, nas axilas.

Este fato pode estar associado à dor. A depiladora Suyene Alien, que utiliza a técnica em Juiz de Fora, confessa que é um procedimento doloroso, já que é uma depilação fria. “Dói como qualquer outra depilação”.

Para proporcionar mais conforto às clientes, Suyene inovou e passou a utilizar um gel calmante durante o processo. “Algumas mulheres reclamavam que a linha, às vezes, agarrava na pele. Então, passo o gel para evitar o atrito. Ele age como um lubrificante para a linha”.

A depilação é feita com uma linha e não existe um tipo apropriado para o processo. Suyene utiliza a linha de poliéster, pois ela não arrebenta. A depiladora retira um pedaço de fio do carretel e amarra as suas pontas, formando um círculo. Depois ela coloca as duas mãos no interior dele e torce a linha formando um “X”. Com uma mão de cada lado do “X”, ela faz movimento alternado de abre e fecha, enquanto passa na região a ser depilada.

Benefícios

A técnica é recomendada para mulheres que fazem uso de outros tratamentos estéticos no rosto, como o peeling, e que, por isso, não podem usar a cera depilatória. “Muita gente não sabe, mas quem usa ácidos não deve usar a cera”, diz ela. A técnica também é recomendada para quem tem problemas de foliculite, a inflamação dos poros que resulta nos pêlos encravados. “A depilação oriental impede que os poros fiquem inflamados”.

Além de arrancar os pêlos, a linha também faz uma esfoliação na pele. “A diferença é visível. Parece que a cliente fez peeling”. Suyene diz que muitas mulheres com problemas hormonais optam por este tipo de depilação, porque percebem que há pêlos crescendo por todo o rosto. “Muitas vêm aqui para depilar a face toda”.

A técnica também é recomendada para quem tem alergia à cera e para aquelas que já percebem um escurecimento da pele no local onde a cera é aplicada. “Não adianta. A cera acaba deixando a pele escura e quem precisa depilar o buço, por exemplo, precisa de outra opção”.

Suyene explica que a depilação oriental também contribui para evitar a flacidez no rosto, o que não acontece no caso da cera. “O movimento de puxar cera é muito bruto e a pele acaba sendo levada junto. Quando uma pessoa depila a sobrancelha ou o buço por muito tempo com a cera, percebemos que a pele começa a ficar flácida nessas regiões”.

A depiladora garante que 95% dos pêlos são retirados com o procedimento e que eles vão diminuindo com o tempo. Além do rosto e axilas, ela também recomenda que a depilação seja feita nas pernas, onde os pêlos não são muito grossos. Entretanto, a maioria das mulheres prefere não arriscar. “Na perna é mais demorado. Então, como é um pouco doloroso, não há muita procura”. E completa. “Se não doesse seria o ideal, porque só há vantagens”.

Cuidados

A depiladora não vê desvantagens no uso da técnica, porém, diz que é preciso tomar alguns cuidados. O primeiro deles é escolher um estabelecimento adequado e um profissional que tenha experiência. “Já ouvi pessoas dizendo que essa é uma depilação que machuca a pele, mas não consigo entender como uma linha pode machucar”.

É necessário fazer a depilação com a pele esticada, senão a linha pode esfolar um pouquinho a região. Antes de começar é necessário limpar a região. “Faço a assepsia da pele com uma loção de hortelã com própolis”. Depois da limpeza, o produto é retirado e o gel calmante é aplicado.

Suyene também diz que é importante evitar o contato das mãos com a região depilada logo após terminado o procedimento. “A mão pode estar suja e acabar levando bactéria, causando inflamação”.

 Fonte:acessa.com